Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

08/10/2005

Cinco do G-7 já estão na Copa do Mundo

Brasil, Argentina, Alemanha, Inglaterra e Itália já estão classificados para a Copa do Mundo de 2006.

Inglaterra e Itália se garantiram hoje, ao ganhar de 1 a 0 da Áustria e da Eslovênia.

G-7, como se sabe é o grupo dos países que venceram Copas.

Faltam a França, que só empatou com a Suiça (1 a 1) e o Uruguai, que ficou no 0 a 0 com o Equador, que se classificou.

A França ainda tem boas chances e o Uruguai lutará pela vaga na repescagem sul-americana contra a Austrália.

E Portugal, do Felipão, também se garantiu na Alemanha.

O homem vai virar rei em Portugal.

Por Juca Kfouri às 19h43

As redes não param de balançar

O Corinthians ganhou sem sofrer (3 a 0), como era de se prever.

Nilmar jogou demais e Antonio Lopes acertou ao entrar com Hugo no lugar de Gustavo Nery e Carlos Alberto no lugar de Tevez, sem mexer, portanto, na estrutura do time.

O Goiás não teve tanta facilidade diante do Vasco, mas soube se aproveitar da horrorosa defesa vascaína para garantir uma vitória sofrida, por 4 a 3.

O Palmeiras foi novamente um time lutador e saiu do Rio como prêmio de uma importante vitória (2 a 1) sobre o Botafogo.

Mas prêmio mesmo teve o Paraná Clube, ao golear o Flu e acabar com o sonho tricolor de ser bicampeão. Nem o mais ardoroso paranista imaginava o 6 a 1 do Pinheirão.

Outro que pode ter se despedido de seu sonho do tri foi o Santos, batido por 3 a 1 pelo Juventude. E foi de pouco. O técnico Gallo não faz o tipo vingativo, mas deve estar rindo por dentro.

Como riem os cruzeirenses, depois da folgada vitória diante do desesperado Figueirense, por 4 a 0.

Foram 28 gols em seis partidas, ótima média de mais de quatro tentos por jogo.

 

Por Juca Kfouri às 19h25

Meus palpites para hoje

Em cima do laço, depois de passar a manhã deste sábado pesquisando a situação de cada um dos 12 times que logo mais estarão em campo, para não ter erro, lá vão meus seis palpites:

O Paraná Clube vai ganhar do Flu.

Botafogo e Palmeiras vão empatar.

Juventude e Santos também.

O Goiás ganha do Vasco.

O Cruzeiro ganha do Figueirense.

E o Corinthians ganha do Fortaleza.

Ao fim da rodada, o blog volta, porque ninguém é de ferro.

Por Juca Kfouri às 13h39

07/10/2005

Cordeiro, o cavalheiro

Jogo aberto - CORREIO BRAZILIENSE

Brasília, DF - quinta-feira, 06 de outubro de 2005 - 05:06:17



Por José Cruz

Faltou o deputado

Agrício Braga (PFL), único deputado distrital presente à abertura das Olimpíadas Escolares (Jebs 2005), não foi convidado para o palanque das autoridades, onde estavam o ministro do Esporte, Agnelo Queiroz, o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro, Carlos Arthur Nuzman, e o secretário de Esporte e Lazer do Distrito Federal, Weber Magalhães.Esqueceram-se logo dele, o autor da Lei da Bolsa-Atleta do Distrito Federal, cujo texto inspirou projeto semelhante do Ministério do Esporte.

Por Juca Kfouri às 15h20

Boa, Parreira!

O jogo da seleção brasileira na infernal altitude de La Paz, que já não tinha muito interesse, ficou ainda mais esvaziado com a correta decisão de Carlos Alberto Parreira em poupar oito jogadores, cinco deles algumas das maiores estrelas do time.

E tenha certeza de que o treinador também será poupado e não ouvirá as críticas endereçadas a Márcio Bittencourt quando o ex-técnico do Corinthians resolveu, do mesmo modo com acerto, deixar de fora alguns titulares em partida da insignificante Copa Sul-Americana.

Já que os bolivianos, sem chances de ir à Copa da Alemanha, não aceitaram a proposta de fazer o jogo ao nível do mar, em Santa Cruz de la Sierra, nada mais natural que Parreira resguarde Dida, Cafu, Juan, Roberto Carlos, Emerson, Kaká e os Ronaldos. Melhor mesmo ainda seria mandar um time sub-20, para que a Federação Boliviana de Futebol amargasse um belo prejuízo, com o estádio vazio.

Porque jogar lá em cima é desumano. Recentemente estive em Cuzco, no Peru, e vi o time local, o Cienciano, enfrentar uma equipe de Lima. O primeiro tempo ficou num modorrento 0 a 0. No segundo, porém, o Sport Boys, da capital peruana, morreu, e o Cienciano, campeão da Copa Sul-Americana de 2003, para enorme orgulho dos cuzquenhos, enfiou 3 a 0.

O Cienciano foi campeão do Apertura ao vencer os 11 jogos em casa _Cuzco fica a 3.300 m de altitude, 300 m menos que La Paz. Fora, ao nível do mar, jogou outras 11 vezes (quatro vitórias, dois empates e cinco derrotas). Do Alianza Lima, por exemplo, o Cienciano levou goleada de 6 a 2, devolvida com um 3 a 1 em casa.

Nenhuma novidade, nenhuma contradição. Jogar na altitude é fogo mesmo, e o orgulho deles pelo título da Sul-Americana se justifica, como o nosso quando se ganha a Libertadores, esta sim.

Com a seleção brasileira classificada, não faz nenhum sentido levar nossas estrelas, como está errado que o Campeonato Brasileiro não pare em semana de eliminatórias, tantos são os estrangeiros convocados para suas seleções, assim como Cicinho, Gustavo Nery e Ricardinho foram convocados para a nossa.

Por Juca Kfouri às 12h43

Os jogos deste sábado

Cinco dos seis aspirantes aspirantes ao título do Brasileirão jogam neste sábado.

Dois têm vida menos difícil.

O Corinthians, que recebe o Fortaleza (nove derrotas fora de casa, três vitórias, três empates) e o Goiás, que enfrenta o Vasco (exatamente o mesmo desempenho do Fortaleza) no Serra Dourada.

Já o Palmeiras que vai ao Rio jogar contra o Botafogo, o Fluminense que irá a Curitiba enfrentar o Paraná Clube e o Santos que terá o Juventude em Caxias do Sul têm jogos mais complicados, embora com amplas possibilidades de sucesso.

O Inter só jogará na terça-feira, contra o decadente São Caetano, mas também fora de casa.  

 

Por Juca Kfouri às 11h05

Fim de mesada

O deputado Marcus Vicente (PTB-ES) é presidente da Federação de Futebol do Estado do Espírito Santo, onde praticamente não há mais futebol.

E da bancada da bola, pois não.

Mas se atrasou para votar contra o convite a Ricardo Teixeira para que este deponha na Comissão de Esporte e Turismo da Câmara Federal sobre o escândalo da arbitragem.

E ficou tão furibundo com a vitória do convite que saiu da sala chutando o balde.

Sem tempo de ouvir o comentário de um parlamentar que a tudo via divertido:

"Ih, esse perdeu o mensalinho que a CBF paga à sua federação".

Por Juca Kfouri às 10h58

06/10/2005

Cartão vermelho para a Associação dos Cronistas Esportivos de São Paulo

A Associação dos Cronistas Esportivos de São Paulo, presidida por Paulo Cezar Corrêa, aceitou participar da comissão que a FPF montou para investigar o escândalo do apito.

No que errou redondamente.

O papel da imprensa é fiscalizar esse tipo de comissão e não participar dela.

Parece mentira que não se perceba que tamanha promiscuidade serve apenas para avalizar interesses que não são os do público, único patrão dos jornalistas.

A ACEESP, que durante anos recebeu dinheiro da FPF sob a justificativa de que colaborava para a divulgação do campeonato paulista, nem bem começava a melhorar sua imagem exatamente por ter se convencido de que estava errado receber tal auxílio, bota tudo a perder ao aceitar convite tão sem sentido.

Por Juca Kfouri às 20h25

Na Rússia, com documentos

O deputado estadual Romeu Tuma Jr. (PMDB), que é também conselheiro do Corinthians, embarca hoje à noite para Moscou, em missão oficial da Assembléia Legislativa de São Paulo.

E levará com ele farta documentação sobre a parceria MSI-Corinthians, desde o relatório do Ministério Público até o que saiu na imprensa sobre Boris Berezovsky no Brasil.

Enquanto o parlamentar tentará sensibilizar as autoridades russas para que intervenham junto ao governo brasileiro, a direção corintiana, que se cerca a cada dia de gente da pior espécie, aguarda o resultado de uma auditoria pedida por Alberto Dualib exatamente a Berezovsky, como se o milionário russo não soubesse muito bem quem é Kia Joorabchian.

Em resumo: os russos conhecem Berezovsky que conhece Joorabchian e ambos não perderão um minuto de sono com nenhuma investigação.

E Dualib que também conhece Berezovsky e Joorabchian, não desconhece o prontuário de seus assessores da hora e jamais poderá alegar ignorância para fugir de suas responsabilidades quando o Corinthians naufragar. 

Por Juca Kfouri às 17h25

Se não é verdade, é bem provável

A "Folha" revela que Edílson Pereira Carvalho acusou Nabi Abi Chedid de pressionar as arbitragens.

Chedid nega.

O que Carvalho diz sempre fica sob suspeita.

O que Chedid nega, também.

Não é de hoje que a família tem ligações com bingos, por exemplo.

O filho de Nabi, ex-deputado Marquinho Chedid, teve participação escandalosa na CPI dos Bingos, em 1995, e acabou acusado de pedir dinheiro a bingueiros para livrar a cara deles, coisa de R$ 300 mil.

Ele foi também presidente da Ponte Preta e depois de sair, brigado com o clube, voltou aos bastidores da Macaca quando esta, em 2003, esteve para cair no Campeonato Brasileiro.

Por sinal, a casa de bingos apontada pela "Folha" na avenida Sumaré, em São Paulo, como local de reunião dos manipuladores de resultados de futebol, é conhecida por receber, em suas tardes solitárias, um ex-presidente da Federação Paulista de Futebol, o sr. Eduardo Farah.

Por Juca Kfouri às 11h33

Luz na Timemania

Os teimosos -- leia-se cartolas que querem continuar a viver numa terra de ninguém -- perderam e tudo indica que um acordo permitirá que a incruada Timemania seja aprovada.

O diário "Lance!" revela que além da proposta do relator principal da matéria, o deputado Moreira Franco (PMDB-RJ), surgiu outra, do deputado Sílvio Torres (PSDB-SP), no sentido da criação de um novo tipo de empresa no Brasil, a chamada Sociedade Empresária Desportiva (SED), a exemplo do que já acontece em diversos países, no Chile, inclusive.

Assim, a Timemania deixará de ser apenas uma mesada para que os clubes paguem suas dívidas com o Estado (o mensalão do futebol) e passa a exigir a necessária contrapartida de mudança no modelo de gestão, coisa que o Clube dos 13 rejeitava com o mesmo medo que o diabo tem da cruz.

Pelos cartolas é Márcio Braga quem está costurando a negociação, única maneira de que se aprove a nova loteria.

A SDE tem regime fiscal diferente das demais empresas, livre de PIS e Cofins, sem, portanto, aumentar a carga tributária paga hoje pelos clubes, algo que os "tributaristas" do Clube dos 13 não cogitavam por pura ignorância e temor de mudança.

 

Por Juca Kfouri às 10h57

40 gols na 30o. rodada

Foram 40 gols em 11 jogos na trigésima rodada do Brasileirão.

Ontem, só no Parque Antarctica, oito gols: cinco para o Palmeiras, três para o

Paysandu, no clássico Pal-Pay, uma mãe em matéria de gols.

O Inter marcou um gol para cada título do São Paulo na Libertadores: 3 a 0 no tricolor paulista.

Marcelinho Carioca fez dois gols de falta para o Brasiliense, mas o Mengo marcou três no Distrito Federal.

Em São Januário, mais seis gols: dois de Romário, três para o Vasco, três para o Cruzeiro. E o Vasco namora de novo a zona do rebaixamento.

Em Fortaleza, cinco gols: e o forte foi o Furacão, que enfiou 4 a 1 nos donos da casa.

E no jogo mais importante da rodada, o líder Corinthians não bobeou: com um gol de Gustavo Nery no primeiro minuto do primeiro tempo e outro no segundo minuto do segundo tempo, o Timão derrotou o desfalcado Fluminense por 2 a 0.

O Corinthians tem mais pontos (56), mais vitórias (17) e mais gols (60) que todo mundo. Além de ter o melhor saldo de gols (15), aí ao lado do Inter e do Flu.

Com os 11 jogos anulados por Luiz Zveiter, o Corinthians está em primeiro lugar com 56 pontos, seguido pelo Goiás com 53, pelo Inter com 52 e pelo Palmeiras com 49.

Se a decisão de anular os jogos for anulada, o Corinthians continuará líder com 56 pontos, seguido pelo Inter com 55, pelo Goiás com 53 e pelo Fluminense com 51.

Por Juca Kfouri às 23h23

05/10/2005

Fim de jogo

O Flu teve mais posse de bola e obrigou Fábio Costa a fazer quatro belas defesas.

Prova de que jogou, mesmo sem seus maiores talentos.

Já o Corinthians foi fatal, no começo do primeiro e do segundo tempos.

E Roger, Gustavo Nery, Tevez, Nilmar e Fábio Costa prevaleceram.

Mais justo teria sido 2 a 1.

Mas a vitória corintiana foi incontestável.

Por Juca Kfouri às 22h51

Tevez inferniza

O argentino está jogando muito no segundo tempo.

E obrigou Kléber a fazer bela defesa, num tirambaço de fora da área, aos 75 minutos.

O 3 a 0 não parece longe.

Por Juca Kfouri às 22h27

Milagre!

Aos 67, Adriano Magrão chuta na cara de Fábio Costa que faz sua quarta defesa dificílima na partida.

Kléber não fez nenhuma, mas tomou dois gols.

O Corinthians tem o jogo na mão agora, mas não pode bobear.

Um gol e o Flu incendeia o final da partida.

Por Juca Kfouri às 22h20

58 minutos, na TRAVE!

Schneider cruza, Fábio Costa falha e a bola bate na trave.

Por Juca Kfouri às 22h10

55 minutos

Como é natural, o Flu pressiona, busca diminuir e até joga bem.

Mas se abre para perigosos contra-ataques corintianos.

Por Juca Kfouri às 22h07

Flu, quase

Aos 4, Gabriel, de cabeça, obriga Fábio Costa a fazer nova ótima defesa.

Por Juca Kfouri às 22h01

GOOOOOL! De novo

Outra vez, no primeiro minuto, quase o Corinthians marca, em bela jogada de Tevez.

Mas, no segundo, Roger passa com açucar e Gustavo Nery marca mais um.

Por Juca Kfouri às 21h59

Palpites, 100%

Até agora, a bola de cristal funcionou.

Deu Figueirense, Atlético Paranaense em Fortaleza (!!!), Palmeiras e empate entre Vasco e Cruzeiro.

Agora, nos três jogos em andamento, outros 100%. De erros.

E será duro dar empate em Brasília (Flamengo está ganhando de 3 a 1) e o São Paulo virar para cima do Inter (está levando de 2 a 0).

Só em Volta Redonda o empate parece possível. 

Por Juca Kfouri às 21h47

Intervalo

O jogo estava igual até os 40 minutos.

A diferença era o gol corintiano, logo no primeiro minuto.

Mas o Flu terminou o primeiro tempo em cima do Corinthians,

E se continuar assim, muda o resultado.

Os paulistas recuaram demais.

Por Juca Kfouri às 21h39

Flu sufoca

Enfim, Fábio Costa teve de trabalhar.

Enfim, o Flu chuta bem depois de três minutos de sufoco.

Gabriel pega bem na bola e o goleiro corintiano bem a bola.

E repete a dose em bom arremate de Leny.

Por Juca Kfouri às 21h36

Que falta faz o Pet

O Fluminense tem mais a posse de bola, mas finaliza mal, de fora da área, porque o Corinthians marca bem nas imediações e não deixa entrar.

Então, o torcedor tricolor morre de saudades dos chutes de Pet.

Por Juca Kfouri às 21h31

O jogo cai

Aos 30 minutos, o jogo caiu.

Tevez não joga bem e Leny mostra muita personalidade, embora finalize mal.

Por Juca Kfouri às 21h22

Informando pela Globo

O Inter está ganhando do São Paulo por 2 a 0.

A Globo não informa (bobagem) porque a Record está transmitindo.

Por Juca Kfouri às 21h18

20 minutos

O jogo é lá e cá.

Tanto o Flu pode empatar quanto o Corinthians pode ampliar.

Por Juca Kfouri às 21h09

Flu melhora

O Flu começa a jogar melhor e a ter mais posse de bola.

Leny fez linda joga, entre as pernas de Marinho, mas furou na hora H.

Por Juca Kfouri às 21h05

Corinthians manda no jogo

O Corinthians joga como se estivesse em casa.

Desfalcado, o Fluminense erra passes demais.

Por Juca Kfouri às 21h00

Tuta, meu filho!

Aos 3, Tuta cabeceia para fora o que parecia um gol certo.

Por Juca Kfouri às 20h55

GOOOOOOOOL!!!!!

Gustavo Nery, no primeiro minuto, de falta, abre o placar.

Kléber não tinha o que fazer.

Por Juca Kfouri às 20h52

Começou

Fluminense e Corinthians já estão jogando.

E nós vamos juntos.

Por Juca Kfouri às 20h51

Flamengo: o ridículo sem limites

Nada poderia ser mais ridículo que a nota oficial do Flamengo em que atribui às arbitragens paulistas seu novo fracasso neste Brasileirão.

E nos anteriores, qual será a desculpa esfarrapada?

Sim, dois árbitros de São Paulo estão encalacrados no mais recente escândalo do nosso futebol, mas não será demais lembrar, diante do estapúrdio da nota rubro-negra, o famoso caso das "papeletas amarelas", armado pelo Flamengo anos atrás.

O que explica o péssimo desempenho neste ano é o mesmo que explica o dos anos anteriores: direções atrapalhadas e times muito ruins.

Por Juca Kfouri às 17h13

Aceito sugestões para acompanhar outro jogo hoje

São muitas as críticas pela escolha deste blog do jogo entre Fluminense e Corinthians.

Ok!

Aceito sugestões para que acompanhemos juntos outra partida.

Gostaria apenas que fossem apresentados argumentos sólidos.

Dizer que a escolha do jogo em Volta Redonda deve-se ao fato de o titular deste blog ser corintiano é pouco inteligente.

Afinal, trata-se do encontro que reúne mais pontos no Campeonato Brasileiro e envolve o líder contra o quarto colocado, sendo que nem o vice-líder nem o quinto classificado jogam hoje e o terceiro, o Inter, pega o São Paulo, em 11o. lugar.

Sim, é verdade que os dois jogos seguidos anteriormente também envolviam o Corinthians.

O primeiro, pela Copa Sul-Americana, contra o River Plate, adversário muito mais interessante que o Banfield, que enfrentou o Fluminense.

E, no domingo passado, quando estava previsto que víssemos o jogo entre Inter e Flu, o que eu queria mesmo ver, houve a decisão do sr. Sveiter que levou o Corinthians à liderança.

Portanto, menos, meus caros fanáticos.

Por Juca Kfouri às 13h50

A situação de Zveiter

Não são poucos os juristas que defendem a ilegalidade da situação de Luiz Zveiter, que é desembargador e presidente do STJD.

Segundo muitos deles, a Lei Orgânica da Magistratura impede o acúmulo de tais funções, sendo permitido a um desembargador apenas o exercíco do magistério.

O tema está de volta e será decidido no Conselho Nacional de Justiça, que pode obrigar Zveiter a optar por um dos cargos.

Recentemente, como pode se verificar abaixo, o Supremo Tribunal Federal foi acionado para se manifestar a respeito, mas não acolheu o pedido, sem entrar no mérito, por não julgar a questão pertinente ao STF.

Leia:

27/09/2005 - 19:44h

Ministro arquiva ação que pedia afastamento do presidente do STJD

O ministro Celso de Mello determinou o arquivamento de Ação Originária (AO 1143) que pedia o afastamento imediato de Luiz Zveiter do cargo de presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportivo (STJD). O desembargador é também integrante do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

O pedido foi feito por João Quevedo Ferreira Lopes que sustentou, na ação, que o desembargador teria desrespeitado, por exercer cumulativamente a presidência do STJD, a Constituição Federal, a Lei Orgânica da Magistratura (Loman) e o regimento interno do TJ-RJ.

No despacho, o ministro Celso de Mello afirmou que não se aplica, no caso, a regra determinada no artigo 102, I, “n”, da Constituição Federal. Esse dispositivo diz que compete ao Supremo Tribunal Federal processar e julgar as ações em que os membros da magistratura sejam direta ou indiretamente interessados.

Segundo o ministro, o advogado João Quevedo não indica, na ação, as razões que justificariam o conhecimento originário pelo Supremo Tribunal Federal. De acordo com Celso de Mello, a norma constitucional “precisamente por revestir-se de aplicabilidade excepcional, está sujeita a interpretação estrita de seu conteúdo”.

O advogado também sustenta, na ação, que o desembargador teria transgredido o artigo 11 da Lei 8429/92, que define os atos de improbidade administrativa. O ministro lembrou o recente julgamento, no plenário do STF, da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 2797, que declarou a inconstitucionalidade da Lei 10628/02. Essa lei estendia a condição de foro privilegiado a ex-autoridades.

Celso de Mello afirmou, no despacho, que nesse julgamento o STF explicitou que, em caso de ação civil pública por improbidade administrativa, “mostra-se irrelevante, para efeito de definição da competência originária dos tribunais, que se cuide de ocupante de cargo público ou de titular de mandato eletivo ainda no exercício das respectivas funções pois, em processos dessa natureza, a ação civil deverá ser ajuizada perante magistrado de primeiro grau”.

Por Juca Kfouri às 12h08

O jogo dos 100 pontos

Era para ter sido no domingo passado, no Beira-Rio, entre Inter e Fluminense.

Mas a retirada de seis pontos dos dois times impediu.

Então, será hoje.

Fluminense e Corinthians fazem o primeiro jogo que soma mais de 100 pontos neste Brasileirão, os 53 dos paulistas mais os 48 dos cariocas.

Um jogo de 101 pontos.

Um jogaço.

Imperdível, e que veremos juntos, às 21h50.

Até lá.

Por Juca Kfouri às 12h01

04/10/2005

Meus palpites desta quarta-feira. Dê os seus.

Tá feia a coisa, mas vamos lá.

Já estou pensando em trocar de bola de cristal.

Fico com o Figueirense; com o Palmeiras; com o São Paulo; no empate entre Brasiliense e Flamengo; com empate entre Vasco e Cruzeiro; com o Atlético Paranaense e, em Volta Redonda, apesar dos desfalques do Flu e do Corinthians completo, também com o empate, porque acho que o Corinthians jogará na defesa. 

Quem acertar mais palpites, ganha um caminhão de Cerveja Só (cerveja só se é possível jornalista fazer propaganda), mais popular, porque a Cervea Como (cerveja como tem gente sem ética também na imprensa) é mais cara.

Por Juca Kfouri às 22h07

Palpite de qualidade

OK. Só acertei um palpite em quatro.

Mas acertei o mais difícil, aquele em que poucos apostariam.

Acertei a vitória do Goiás.

Vale mais que os erros.

Daqui a pouco palpito sobre os sete jogos de amanhã.

Por Juca Kfouri às 21h28

O Goiás de Geninho chega lá

Geninho, que levou o Atlético Paranaense ao seu título brasileiro, comanda o Goiás em brilhante campanha.

Depois de vencer o Coritiba, em Curitiba, por 2 a 0, o Goiás tem os mesmos pontos que o Corinthians (53) e o mesmo número de vitórias (16).

Perde apenas no saldo de gols, 13 contra 11.

Se o Fluminense derrotar o Corinthians amanhã, em Volta Redonda, por três gols de diferença, o Goiás será o novo líder, embora os paulistas tenham duas partidas a menos (as anuladas diante de Santos e São Paulo).

Se o Flu vencer por dois gols o Corinthians continuará líder, porque marcou mais que o Goiás (58 a 46).

Mas não dá para dizer mais que o time goiano não está entre os que podem ser campeões.

Aliás, a tradição ensina que os anos que terminam em 5 são anos de campeões inéditos.

Em 1975, o Inter. Em 1985, o Coritiba. E, em 1995, o Botafogo. 

Por Juca Kfouri às 21h21

Ministro se dá mal

As providências de Agnelo Queiroz podem condená-lo por prevaricação ou, ainda pior, por improbidade adminstrativa.

Explique-se.

A lei determina que uma Comissão Disciplinar pode durar, no máximo, 120 dias (60 mais a prorrogação de outros 60).

Pois bem.

Ele nomeou, pela Portaria no. 90, em 29 de outubro de 2004 (Diário Oficial de 1o. de novembro de 2004), uma comissão para investigar as irregularidades cometidas na liberação de verbas para munícipios e entidade (a UNE) inadimplentes, todos ligados ao seu partido, o PCdoB.

Em 24 de dezembro, véspera do Natal, prorrogou a investigação por mais 30 dias, ao fim dos quais não apresentou resultados.

Agora, no último dia 16 de setembro, instaurou nova comisssão disciplinar, para prosseguir a investigação anterior.

Ora, o prazo está mais que acabado.

A dúvida é uma só: se ele incorre em prevaricação ou em improbidade.

Seja como for, está em maus lençóis.

Veja, abaixo, o que diz a lei e a nova portaria do ministro:

Art. 152.  O prazo para a conclusão do processo disciplinar não excederá 60 (sessenta) dias, contados da data de publicação do ato que constituir a comissão, admitida a sua prorrogação por igual prazo, quando as circunstâncias o exigirem.

 
Tendo o prazo transcorrido e, provavelmente sem interesse em encerrar o processo, o ministro deu início - acredite - a novo processo adminstrativo disciplinar. Ou seja, não podendo mais prorrogar, ele iniciou um novo processo!!!! Isso foi feito agora em setembro, veja:
 

(Diário Oficial da União de 16 de setembro de 2005)

 

MINISTÉRIO DO ESPORTE

 

Portaria n. 122, de 13 de setembro de 2005

 

O MINISTRO DE ESTADO DO ESPORTE, no uso das atribuições que lhe confere o inciso I do parágrafo único do art. 87 da Constituição Federal, e tendo em vista o disposto no art. 143 da Lei nº 8.112, de 11.12.90,resolve:

Art.1º Instaurar Processo Administrativo Disciplinar para dar prosseguimento à apuração de responsabilidade pela prática dos atos irregulares constantes do Relatório de fls 197 a 204 do Processo nº 58000.001859/2004-58, conforme Despacho CONJUR nº 83, de 4 de abril de 2005, às fls 474 a 476 do Processo 58701.000461/2004-05, dando continuidade aos trabalhos da Comissão instaurada pela Portaria nº 90, de 29 de outubro de 2004, publicada no D.O U. de 1º de novembro subseqüente, Seção 2.

Art.2º Designar os servidores Dênio Silva de Medeiros, Técnico de Finanças e Controle, matrícula SIAPE nº 1101846, Emiliana Zaiden Cardoso, Especialista de Nível Médio, matricula SIAPE nº 1095681 e Denizar Marques Dourado, Administrador, matrícula SIA- PE nº 93769, para, sob a presidência do primeiro, comporem a Comissão destinada a ultimar os trabalhos apuratórios de que trata o artigo anterior.

Art.3º Fixar o prazo de 60 (sessenta) dias para conclusão dos trabalhos e apresentação do respectivo relatório.

Art.4º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Agnelo Queiroz 

Por Juca Kfouri às 21h08

Ministro Cágado

O ministério do Esporte soltou nota oficial para tentar explicar as denúncias sobre as irregularidades descobertas, cerca de um ano atrás, cometidas por seus funcionários.

E depois de atacar quem as denunciou e, de dizer que a própria CGU reconhece que não há nenhum indício de que o ministério não tenha tomado as devidas providências, a nota é fechada com a pérola que segue transcrita abaixo, uma verdadeira confissão:

"Em virtude de falhas e inconsistências agravadas pela não indicação do prejuízo causado aos cofres públicos e por não esclarecer se os ilícitos praticados constituíram apenas transgressões administrativas ou se teriam, também, repercussão na esfera penal, foi instaurada nova Comissão de Inquérito, de forma a viabilizar apuração em todos os seus termos e oferecer conclusão objetiva em curto prazo. A comissão está em andamento e o Ministério do Esporte aguarda a conclusão dos trabalhos para adotar as providências cabíveis.”

Em bom português: até hoje, cerca de um ano depois, o ministério do Esporte aguarda para tomar as providências.

Com tamanha rapidez no trato do dinheiro público, não espanta que o ministro Cordeiro comece a ser chamado de ministro Cágado.

 

Por Juca Kfouri às 17h35

Clubes rebelados

Além de apelarem em conjunto contra a decisão de Luiz Sveiter que anulou 11 jogos do Brasileirão, Inter, Cruzeiro, Santos, Ponte Preta e Figueirense protestarão também porque a CBF resolveu que não só não pagará os clubes pela nova realização dos jogos como até o exames antidoping terão de ser pagos por eles (R$ 1000 por exame).

Por Juca Kfouri às 13h43

E Ricardo Teixeira?

Armando Marques caiu da direção de arbitragem da CBF por ter sido omisso no caso do diploma falso de Edílson Pereira de Carvalho.

Ricardo Teixeira, além de ser presidente da CBF, é vice-presidente da comissão de arbitragem da Fifa.

E Edílson Pereira de Carvalho era árbitro também da Fifa.

Então...

Por Juca Kfouri às 13h02

ANDAMENTO DOS PROCEDIMENTOS JUDICIAIS DECORRENTES DO RELATóRIO FINAL DA CPI DO FUTEBOL DO SENADO - 1

A CPI do Futebol indiciou nada menos que 178 dirigentes do futebol brasileiro, inclusive alguns da maior expressão. Isso sem falar no fato de que, como conseqüência daquela investigação, foram aprovados o Estatuto do Torcedor e a Lei de Responsabilidade do Desporto Brasileiro. Esta última, principalmente, conseguiu estancar a sangria que vinha ocorrendo nos desvios de contribuições devidas pelos clubes e federações à Previdência Social, a sonegação de impostos e a evasão de divisas para o Exterior

A Procuradoria Geral da República no Estado do Rio de Janeiro informa que, em resultado das denúncias da CPI do Futebol:

1) Foi instaurado inquérito policial (nº 42/2001), ainda em curso e que está sendo desmembrado em dez novos inquéritos;

2) Foi proposta ação cautelar junto à Justiça Federal no Rio de Janeiro (processo nº 2001.5101534116-3), pretendendo colher informações financeiras de 31 pessoas físicas e jurídicas, ainda em curso por ter sido longamente suspensa por medida cautelar;

3) Foi oferecida denúncia contra RICARDO TERRA TEIXEIRA, JOSÉ CARLOS SALIM E MARCO ANTÔNIO TEIXEIRA (processo nº 200151015395172)., imputando-lhes a prática dos delitos capitulados nos artigos 21 e 22 da Lei 7492/86, pela simulação de dois contratos de câmbio com o objetivo de efetuar evasão de divisas, fatos estes que foram objeto de investigação da CPI do Futebol do Senado. Esse processo, todavia, foi trancado por Habeas Corpus, sob o argumento de ter o Ministério Publico Federal oferecido denúncia sem prévia instauração de Inquérito Policial, baseando-se somente em procedimento administrativo de fiscalização do Banco Central do Brasil. O Ministério Publico, todavia, pode requerê-lo, e por conseqüência, o processo pode ser reiniciado.

O Ministério Público do Rio de Janeiro refere-se ainda a dois processos administrativos no Banco Central contra o SPORT CLUB INTERNACIONAL E O GRÊMIO FOOT-BALL PORTO ALEGRENSE, nos quais os clubes foram condenados a pagar multas em razão de operações cambiais irregulares.

O Procurador Geral da República, Claudio Lemos Fonteles, endereçou ofício ao nosso Gabinete, encaminhando farta documentação dando conta do andamento dos procedimentos, no âmbito do Ministério Público Federal, de alguns Estados, em decorrência do Relatório Final da CPI, a saber::

O Procurador da República ARTHUR GUEIROS, que oficia no Estado do Rio de Janeiro, encaminhou expediente ao Superintendente da Polícia Federal - RJ, Dr. MARCELO ITAGIBA, requerendo a abertura de Inquérito Policial para apurar cometimento dos ilícitos penais de sonegação fiscal e evasão de divisas, crimes estes cometidos em tese pelos administradores do BOTAFOGO DE FUTEBOL E REGATAS, especialmente o seu presidente à epoca dos fatos a que se refere A CPI do Futebol do Senado, Senhor CARLOS AUGUSTO SAADE MONTENEGRO. O procurador requer o indiciamento também de LUIZ OTÁVIO BATISTA VIEIRA, então vice-presidente e LOURIVAL SEIXAS CAPELA, responsável pela contabilidade do Botafogo à época.

O Procurador carioca requereu, ainda, a instauração, junto à Receita Federal, de ações fiscais contra os dirigentes do Botafogo, que culminaram com Medida Cautelar na 2a. Vara Federal Criminal da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, para levantamento do sigilo bancário de CARLOS AUGUSTO MONTENEGRO. Essas ações fiscais encetadas contra o Botafogo e seus dirigentes acusou um crédito tributário da ordem de R$ 5.871.622,59, relativo ao Imposto de Renda retido na fonte e de R$ 445.266,95 referente ao PIS.

Já a Procuradora da República, Dra. MARIA HELENA DE PAULA, que também oficia no Estado do Rio de Janeiro, informa que foi instaurado inquérito para apurar “possiveis irregularidades na fiscalização e arrecadação de contribuições previdenciárias junto aos clubes de futebol profissional e Federação de Futebol do Rio de Janeiro, encontrando-se o feito em fase de instrução”

Por sua vez, o Procurador da República, Dr. MAURÍCIO DA ROCHA RIBEIRO, igualmente do Rio de Janeiro, oficiou ao então Procurador Geraldo Brandeiro, informando ter ajuizado “Medida Cautelar de Afastamento de Sigilo de Operações Financeiras no Exterior. contra o ex-presidente do CLUBE DE REGATAS FLAMENGO, Sr. EDMUNDO SANTOS SILVA, com base em levantamentos da CPI do Futebol do Senado, a fim de esclarecer a operação de compra do jogador DEJAN PETKOVIC ao A.C. Venezia da Itália pelo preço total de US$ 6,5 milhões, dos quais somente US$ 4,5 milhões foram destinados ao clube italiano, sendo o restante direcionado às empresas Lake Blue Development Ltda e Picoline Corporation, sediadas em paraiso fiscal, a saber, Ilhas Virgens Britânicas”.

Por Juca Kfouri às 11h33

ANDAMENTO DOS PROCEDIMENTOS JUDICIAIS DECORRENTES DO RELATóRIO FINAL DA CPI DO FUTEBOL DO SENADO - 2

O mesmo Procurador informa ainda que:

“Tramita na Delegacia de Repressão ao Crime Organizado e Inquéritos Especiais, da Superintendência de PF do RJ, Inquérito Policial destinado a apurar os mesmos fatos, sendo que a PF já oficiou ao COAF acerca das operações suspeitas”.

A Procuradora da República, Dra. MARYLUCY SANTIAGO BARRA, encaminhou à Procuradoria Geral da República, em Brasília, oficio de seguinte teor:

“Cumprimentando V. Exa., a Procuradora que este subscreve vem informar que a documentação oriunda da Comissão Parlamentar de Inquérito do Senado Federal, destinada a investigar fatos envolvendo as Associações Brasileiras de Futebol, pertinente ao FLUMINENSE FOOTBALL CLUB ensejou a instauração de Inquérito Policial nº 37/2002/DPF/RJ , que está em curso até a presente data, sendo atualmente presidido pelo delegado de Polícia Federal, DR. MARCOS URUGUAI BENTES LOBATO.

No ensejo, renovo meus protestos de eleva estima e consideração

a) Marylucy Santiago Barra, Procuradora da República.

Em expediente também endereçado à PGR, a Procuradora, Dra. NEIDE CARDOSO DE OLIVEIRA, informa que ajuizou Medida Cautelar de Afastamento de Sigilo de Dados Fiscal e Bancário contra membros do Conselho Fiscal do CLUBE DE REGATAS VASCO DA GAMA, observando que, “como o principal investigado era o então deputado federal EURICO MIRANDA, este órgão do Ministério Publico Federal desentranhou a documentação e a encaminhou à Procuradoreia Geral da República, face o foro por prerrogativa de função pelo investigado usufuido à época”.

A DRA. PRISCILA COSTA SCHREINER é Procuradora da República e oficia junto à 6a. Vara Federal Criminal da Seção Judiciária do Rio de Janeiro. Em oficio que encaminhou à PGR, em Brasília, ela informa:

“ Em referência à documentação encaminhada pela CPI do Futebol, esclareço que:

1) Um dos procedimentos administrativos decorrentes do desmembramento da referida documentação foi o Procedimento nº 1.30.011.00087/2002-71, que versa especificamente sobre a parte do Relatório concernente aos BINGOS. Os autos deste expediente foram encaminhados pela Dra. Raquel Branquinho Mamede Nascimento, em 25/01/02 à Delegacia de Polícia Federal para juntada aos autos dos inquéritos policiais que apuravam fatos relativos a bingos. Segundo levantamento realizado por esta Procuradoria, há dois Inquéritos Policiais relacionados aos fatos e que estão tramitando perante a 6a. Vara Federal Criminal, da Seção Judiciária do Rio de Janeiro, os quais foram baixados em 28/02/2003, para prosseguimento das investigações .

De São Paulo informa o Procurador da República PEDRO BARBOSA PEREIRA NETO, em oficio endereçado à PGR, que “a documentação da CPI do Futebol do Senado Federal, referente à apuração de eventuais ilicitos penais praticados em detrimento do patrimônio da FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL, “originou o procedimento criminal distribuído inicialmente à Procuradora da República, Dra. Rose Santa Rosa, que houve por bem determinar a remessa dos autos ao Ministério Público Estadual para apuração dos delitos de competência estadual.

Informa ainda o mesmo procurador que “as investigações no âmbito dos crimes federais (delitos fiscais e contra o sistema financeiro nacional, estão na dependência de informações do Banco Central e da Secretaria da Receita Federal.” E que abriu “procedimento criminal para apuração de delitos de levagem de dinheiro e/ou evasão de divisas, o qual está na dependência da cooperação internacional com a Suíça” .

Por sua vez, o delegado da Receita Federal de São Paulo, Dr. MARCOS RODRIGUES DE MELLO, encaminhou oficio à Procuradora Rose Santa Rosa, informando que “concluímos a montagem dos dossiês da Federação Paulista de Futebol e EDUARDO JOSÉ FARAH a partir dos dados enviados pela Coordenação Geral de Fiscalização e estamos providenciando a inclusão dos contribuintes em programa de fiscalização.” E acrescenta: “Será enviada copia do procedimenmto tão logo as ações estejam encerradas.”

O Ministério Público Paulista denunciou o presidente da Federação de Futebol daquele Estado, EDUARDO JOSÉ FARAH, ao qual atribuiu ilícitos na administração da entidade.

De um relatório da Procuradoria da República no Distrito Federal e assinado pelo procurador, Dr. GUILHERME ZANINA SCHEL, consta a informação da Receita Federal, na conformidade com um ofício assinado pelo Dr. Marcelo Fisch, Coordenador-Geral de Fiscalização Substituto, que “encontra-se em andamento um procedimento de fiscalização, inciado em abril de 2002, mediante Mandado de Procedimento Fiscal, contra a FEDERAÇÃO BRASILIENSE DE FUTEBOL. Não informa o que já foi apurado contra o órgão máximo do futebol da Capital da República.

Por Juca Kfouri às 11h32

ANDAMENTO DOS PROCEDIMENTOS JUDICIAIS DECORRENTES DO RELATóRIO FINAL DA CPI DO FUTEBOL DO SENADO - 3

O Ministério Público de Minas Gerais, por sua vez, já propôs Ação Penal contra dirigentes mineiros. Os promotores EDUARDO NEPUMUCENO DE SOUZA E FERNANDO GALVÃO ROCHA, que atuam perante a 4a. Vara Criminal de Belo Horizonte, ofereceram denúncia contra Elmer Guilherme Ferreira, presidente da Federação Mineira de Futebol e contra os diretores: José Guilherme Ferreira Filho, (Secretario Geral), Paulo Alves de Assis (tesoureiro), Flavio Luiz Reis Pereira (ex-diretor Financeiro), Wagner Luiz Soares (Contador), Marcos Perrela (Advogado), Roberto Moterani (membro do Conselho Fiscal), Eduardo Octávio Mourão (também do Conselho Fiscal), Humberto Saldanha Bottino (Conselho Fiscal), Aparecido Fonseca (Conselho Fiscal) e Joaquim Lopes Ribeiro (Conselho Fiscal). Os promotores acusam a estes dirigentes da Federação Mineira, com base no Relatório da CPI do Futebol, de “associarem-se para o fim de cometer crimes de Falsidade Documental e Ideológica e Apropriação Indébita contra a FEDERAÇÃO MINEIRA DE FUTEBOL.” O processo encontra-se em fase de oitiva de testemunhas da acusação.

Mas não é só. O Ministério Público de Minas Gerais entrou também com uma Ação Civil Pública em Defesa do Patrimônio (da Federação Mineira) contra os mesmos acusados, com o fito de reaver os valores subtraídos à entidade.

Tanto a ação penal como a Ação Civil Pública foram acatadas pelos juízes que determinaram o prosseguimento dos processos. No caso da Ação Penal, o juiz é o Dr. Walter Luiz de Mello, titular da Quarta Vara Criminal da Capital e no que diz respeito à Ação Civil Pública para Ressarcimento de Danos ao Patrimônio, o juiz é o Dr.Luiz Carlos Gomes da Mata, titular da 19a. Vara Cível de Belo Horizonte.

O ex-deputado EURICO MIRANDA, presidente do CLUBE DE REGATAS VASCO DA GAMA, por sua vez, responde a dois processos (não inquéritos) movidos pela Procuradoria Geral de Justiça, com base em representação da CPI do Futebol, antes mesmo do Relatório Final. Esses processos foram iniciados junto ao STF. Num deles, o então Procurador Geral da República, Geraldo Brindeiro, informou, através de ofício endereçado à CPI, que estava aguardando Carta Rogatória encaminhada ao Exterior, pois apura crime contra a ordem econômica através de envio de dólares para fora do país sem os trâmites legais.

Também por recomendação da CPI, o Conselho Fiscal do Clube de Regatas Flamengo afastou o seu presidente, Edmundo Santos Silva, abrindo um precedente que pode ser seguido por outros clubes.

A Procuradoria Geral da República informou à CPI que todos os dirigentes arrolados em seu Relatório Final (foram 17) estão sendo objeto de procedimentos por parte do Ministério Público Federal em seus respectivos Estados.

Por outro lado, com base no Relatório Final da CPI, o MINISTÉRIO DOS ESPORTES preparou e o presidente Fernando Henrique Cardoso assinou Medida Provisória da Lei de Responsabilidade Social do Desporto Brasileiro, regulamentando a atividade de clubes, Federações, Confederações e outras entidades do esporte nacional (não é só do futebol, mas do desporto). A Medida foi aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente Luis Inácio Lula da Silva, estando hoje em plena vigência. Também, com base nas sugestões da CPI, foi aprovado pelo Congresso Nacional e encontra-se em pleno vigor, o Estatuto do Torcedor

Depois da CPI do Futebol estancou-se a sangria em que se constituíam os desvios da Previdência Social e a sonegação de impostos. (Lembro que o treinador Wanderley Luxemburgo respondeu a processo por sonegação do Imposto de Renda, já tendo sido condenado). Esse tipo de sonegação parou depois da CPI.

Pararam também as milionárias transações de jogadores com o Exterior onde se dava a evasão de divisa, pois os pagamentos em dólar iam sempre para contas de dirigentes e empresários no Exterior.

Como, pois, falar-se em “pizza”, diante de tantos resultados concretos? A observação que se pode fazer é a seguinte: o brasileiro esperava resultados imediatos. Mas acontece que o país vive num regime democrático onde os acusados têm direito a ampla defesa. Por isso os procedimentos para apurar e punir as falcatruas do futebol, apontadas pela CPI, demandam tempo. Há o inquérito, depois o processo e quando este começar há todo um trâmite processual, de acusação e defesa, demorado até chegar à decisão final, que pode condenar ou absolver. São processos democráticos, contra os quais não há o que objetar.

 

Por Juca Kfouri às 11h32

O vice-líder joga hoje, mas só se fala em tapetão

Quatro jogos dão continuidade ao Campeonato Brasileiro na noite de hoje, todos às 20h30.

Dentre eles, joga o vice-líder, o Goiás, único time que pode acabar a rodada, que prossegue amanhã, na frente do Corinthians.

O Goiás joga em Curitiba, contra o Coritiba.

Mas quase ninguém fala desse jogo, como pouco se fala de Santos x São Caetano, outro jogo interessante desta noite.

Só se fala da anulação dos 11 jogos apitados por Edílson Pereira de Carvalho e dos problemas não devidamente previstos pela medida, principalmente os relativos aos direitos do torcedor que pagaram para ver os jogos anulados e às despesas dos clubes que vão ter de jogar de novo.

Parece claro que a CBF deve arcar com as despesas, porque, em última instância , é a responsável pela lambança de ter mantido o árbitro que falsificou seu diploma no seu quadro.

O caso do torcedor lesado é mais complicado.

O fato de os jogos serem com portões abertos não resolve o problema, porque quem pagou deve ter preferência e todas as facilidades para ver aquilo pelo que pagou.

Sob risco de a CBF receber uma enxurrada de ações de indenização

Por Juca Kfouri às 01h35

03/10/2005

A nova do Agnelo (cordeiro, em italiano)

 
Deu ontem, no Correio Braziliense , na coluna da jornalista Denise Rothenburg.
 
Papai paga a conta

O líder do PFL, Rodrigo Maia (RJ), cutucou o adversário errado ao divulgar dia desses uma notícia antiga sobre irregularidades que já tinham sido sanadas no Ministério dos Esportes. Irritado com a provocação, o ministro Agnelo Queiroz avisou a amigos que cumprirá apenas o combinado como tarefa do governo federal na organização dos jogos Pan -Americanos de 2007, no Rio de Janeiro. Se o prefeito Cesar Maia não tiver como cumprir as suas obrigações, terá de buscar mais ajuda em outra freguesia. Ali, a fonte secou.
 
Em sendo assim, podemos concluir que a participação do ministério do Esporte depende dos humores do ministro.
E, pior: as irregularidades não foram sanadas, exato motivo da interpelação do deputado, porque as denúncias são de um ano atrás.

Por Juca Kfouri às 14h57

Os palpites para amanhã

Quatro jogos amanhã, todos às 20h30h.

E aposto em três empates e só na vitória do Goiás.

Palpite você também sobre Santos x São Caetano; Ponte Preta x Juventude; Coritiba x Goiás e Atlético Mineiro x Paraná Clube.

 

Por Juca Kfouri às 11h58

O silêncio do Clube 13

Não é eloqüente o silêncio do Clube dos 13 diante da anulação dos 11 jogos?

A entidade que deveria representar os clubes não tem posição?

Bem o Clube dos 13, que tem entre seus dirigentes um que se intitula o "Rouxinol dos Pampas"?

Ou será por isso mesmo?

Por Juca Kfouri às 10h15

Hábito ou aprovação?

Os cinco jogos de ontem tiveram públicos maiores que a média (cerca de 13 mil torcedores por jogo) neste Brasileirão:

40 mil no Beira-Rio;

29 mil no Pacaembu;

14 mil em São Januário;

15 mil na Arena Luso-Brasileira;

15 mil na Arena da Baixada.

Cerca de 115 (média de 23 mil por jogo) mil pessoas foram aos jogos depois de saberem da anulação das partidas apitadas por Edílson Pereira de Carvalho.

Foram porque apoiaram a decisão ou porque já tinham comprado seus ingressos?

 

 

Por Juca Kfouri às 09h17

02/10/2005

O blog quebrou! Chama o Edílson!

Meus palpites melhoraram no domingo, com três acertos e dois erros.

Cravei Corinthians, empate entre Inter e Flu, e Atlético Paranaense.

No total, de onze jogos, seis palpites corretos, cinco errados.

Média que não dá para passar de ano.

Também, o São Paulo e o Palmeiras me derrubaram.

Foram empatar no Rio quando previ que venceriam.

É verdade que o 1 a 1 entre Botafogo e São Paulo foi justo pelo que fizeram os cariocas, mas os paulistas foram prejudicados por dois erros graves de arbitragem: um impedimento mal marcado do Amoroso, que seria gol certo, logo no começo da partida, e dois pênaltis no mesmo lance não marcados no fim do primeiro tempo.

Assim, como, aliás, me pareceu que a expulsão do Fabiano, do Flamengo, quando estava 0 a 0 contra o Furacão, foi errada, pois nem falta ele fez no lance, ao pegar primeiro a bola.

Enfim, quebrei.

Vou ter de pagar Cerveja Só (Cerveja Só se é possível jornalista fazer merchan) para um bando de marmanjos.

E vou passar a tomar Cerveja Como.

(Cerveja Como tem gente sem ética também na imprensa).

 

Por Juca Kfouri às 19h11

E viva a paixão

Paixão é paixão.

Está escrito: "vai liderando o campeonato de uma forma que nem fez por merecer HOJE".

Sim, HOJE, o Corinthians não fez por merecer na vitória sofrida diante do fraco Brasiliense.

O que não quer dizer que o time não mereça a liderança do Brasileirão.

Até porque mesmo que o Inter não tivesse perdido três pontos no tapetão, o Corinthians estaria um ponto na frente dele.

Por Juca Kfouri às 18h01

Acabou

O Corinthians levou um sufoco, foi incapaz de prender a bola para segurar o resultado, Carlos Alberto ainda mandou uma bola no travessão aos 43 minutos, e com o empate no Beira-Rio o time paulista vai liderando o campeonato de uma forma que nem fez por merecer hoje.

Por Juca Kfouri às 16h55

30 minutos

O Brasiliense consegue ir melhor no toque de bola do que o Corinthians, que só joga na base da ligação direta. A sorte alvinegra é que o Brasiliense conclui muito mal.

Por Juca Kfouri às 16h37

Emocionante

Corinthians e Brasiliense, aos 10 minutos do segundo tempo, fazem um jogo emocionantemente ruim. Os erros continuam. Agora há pouco Marcelinho bateu uma falta do meio da rua, Fábio Costa bateu roupa e Igor perdeu o gol mais feito do jogo.

Por Juca Kfouri às 16h17

GOL!

Agora é a vez de Marcelo Mattos falhar. Mata mal, deixa que a bola vai para Alex Oliveira e ele diminiu. 3 a 2. É um jogo de erros. 

Por Juca Kfouri às 15h45

Frango d'água!

Eduardo cruza, a bola desvia, o goleiro Eduardo deixa e ela passa no meio de suas pernas. Rosinei aproveita e faz
3 a 1.

Por Juca Kfouri às 15h45

GOL!

Na cobrança do escanteio, Wescley, aos 35 minutos, vira o jogo. O deus dos estádios desistiu do Brasiliense.

Por Juca Kfouri às 15h38

Frango

O Corinthians confundia velocidade com pressa. Mas o goleiro Eduardo colaborou. Roger de fora da área chutou e ele aceitou.

Por Juca Kfouri às 15h38

Travessão!

Carlitos Tevez enfia de cobertura e a bola bate no travessão.

É, o deus dos estádios...

Por Juca Kfouri às 15h16

11 minutos

Igor perde gol feito, depois de ótimo passe de Marcelinho.

A defesa do Corinthians está mais perdida que cego em tiroteio.

Parece que o deus dos estádios não gostou da decisão do STJD...

Por Juca Kfouri às 15h14

GOL!

Fabrício bobeou, Alex Oliveira recebeu dele na área, driblou Marinho e deu para Igor fazer Brasiliense 1 a 0.

O líder Corinthians começa mal, muito mal.

Por Juca Kfouri às 15h06

Brasil, Brasil, Brasil e Brasil

Com quatro gols brasileiros, o Real Madrid vai derrotando o Mallorca por 4 a 0, aos 33 minutos do segundo tempo.

Ronaldo, Roberto Carlos duas vezes(numa delas um golaço, de bate-pronto de fora da área, recebendo a cobrança de escanteio de Beckham) e Júlio Baptista fizeram os gols madridistas.

A armada brasileira começa a render.

Por Juca Kfouri às 14h41

O jogo do líder

Estava tudo organizado para vermos juntos o jogo do líder Inter, contra um dos vice-líderes, o Flu.

Mas eis que a decisão do STJD recolocou o Corinthians no primeiro lugar.

Resultado: veremos Corinthians x Brasiliense, um jogo tecnicamente menos interessante, mas que acabou ganhando uma importância que não tinha.

O Blog pede desculpas, mas fazer o quê?

Por Juca Kfouri às 14h32

O Rei Só decidiu

O Rei Só (nada a ver com a cerveja) reuniu seus pares do STJD e anunciou a decisão que já tinha tomado: os 11 jogos apitados por Edilson Pereira de Carvalho serão realizados novamente. É, de fato, a solução menos pior, por mais injustiças que signifique.

Luiz Sveiter, não deixou dúvidas, tantas vezes usou a primeira pessoa do presente do Indicativo: "Eu decido", "Eu determino". 

Ele tem toda razão ao dizer que a palavra do ex-árbitro não vale nada, nem quando diz que operou um jogo nem quando diz que não operou outro jogo.

Provavelmente até recebeu para fazer um resultado e tratou de fazer outro para ganhar duplamente.

O ideal seria mesmo que as decisões da justiça esportiva acontecessem apenas com base no regulamento, sem que a tradição bacharelesca que caracteriza o Brasil predominasse com tribunais em excesso e com gente que só quer aparecer.

Mas já que não é assim, no mínimo, a decisão de tamanha gravidade deveria ser tomada pelo conjunto, não por apenas um homem.

Luiz Sveiter é o nosso Luiz XIV, definitivamente. "O Futebol sou eu".

E o jogo Inter x Flu, que seria o primeiro a reunir mais de 100 pontos no Brasileirão (51 dos gaúchos mais 50 dos cariocas), passa somar 95, porque cada um perdeu três.

E a decisão de fazer os jogos com portões abertos cria um problema e não resolve outro: o policiamento vai se ver em péssimos lençóis (já imaginou um São Paulo e Corinthians ou um Santos e Corinthians com portões abertos?!) e não se resolve o direito dos que pagaram para ver tais partidas, que devem ter seus direitos assegurados para vê-los, algo complicado com portões abertos, embora possível.

Por Juca Kfouri às 11h18

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico