Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

15/10/2005

Blog 100%

Ferido, o Coxa, em casa e de técnico novo, surpreenderá o favorito Furacão.

E surpreendeu mesmo: perdeu só de 2 a 1.

O Botafogo também vai aprontar para cima do traumatizado Flu.

E não é que aprontou? Chegou a estar ganhando duas vezes, embora tenha perdido por 3 a 2.

O Figueirense não suportará o bom Paraná Clube.

Não suportou a tal ponto que enfiou-lhe 2 a 0.

O Fortaleza nem dará bola para o Paysandu.

E não deu. Nem bola nem no coro. 2 a 1 Papão.

E o Brasiliense, no máximo, empatará com o Juventude.

Aqui..., de fato..., bem..., deixa pra lá.

Pelo menos o Chá de Cadeira é do blog!

Por Juca Kfouri às 19h07

Os cinco palpites para hoje

Ferido, o Coxa, em casa e de técnico novo, surpreenderá o favorito Furacão.

O Botafogo também vai aprontar para cima do traumatizado Flu.

O Figueirense não suportará o bom Paraná Clube.

O Fortaleza nem dará bola para o Paysandu.

E o Brasiliense, no máximo, empatará com o Juventude.

Quem acertar mais, ganhará uma dúzia de cervejas Só (cerveja só se é possível jornalista fazer merchan).

E quem errar mais também será premiado, com uma caixa de Chá de Cadeira, o chá dos que querem a queda do Ricardo Teixeira.

Por Juca Kfouri às 12h26

14/10/2005

Tudo em família

O desembargador da Justiça do Trabalho, Nelson Tomaz Braga, que assumiu interinamente a presidência do STJD, não se limita a ter sido o candidato de Ricardo Teixeira na disputa com Luiz Zveiter, agora licenciado.

Ele é sogro da filha do presidente da CBF.

Por Juca Kfouri às 17h37

Cartolices

Ontem o Santos ameaçou cair fora do campeonato.

Hoje anunciou que fica e que pedirá a anulação do jogo de ontem.

Sabe que não conseguirá, pelo menos na justiça esportiva.

Ontem um cartola corintiano disse que a Vila Belmiro não pode sediar clássicos.

E o Pacaembu, pode?

Pois não foi no Pacaembu que, neste mesmo campeonato, durante a goleada imposta pelo São Paulo, a torcida corintiana fez o que fez a do Santos ontem?

E ontem o Vasco anunciou o fim das noitadas de seus jogadores.

Menos para Romário.

Perda de tempo ouvir os cartolas.

Por Juca Kfouri às 16h29

CBF criticada na Alemanha

ABKnet News
13/10/2005

A decisão dos responsáveis por esportes da Bayer AG, dona do clube Bayer
Leverkusen, na Alemanha, de desistir de tentar trazer a seleção brasileira
para hospedar-se e utilizar o seu moderno centro de treinamento durante a
Copa do Mundo de 2006 foi tomada com estranheza por todos.
O ABKnet foi atrás e descobriu a razão.

Além de tudo pago, a canarinha está exigindo, através de uma agência de
marketing contratada pela CBF, um pagamento extra em troca da decisão de
onde vai montar seu quartel-general no próximo ano. O comportamento, sui
generis em eventos esportivos, está arranhando a imagem dos pentacampeões e
comprometendo a simpatia adquirida durante a Copa das Confederações, este
ano. Ficar um mês como visitante e ainda cobrar por isso, cheira a mensalão.
É o mensalão da Copa.
Leia detalhes: http://www.abknet.de

 

 

 

Copa 2006: Brasileiros querem pagamento para decidir onde ficar (13/10/2005)
Mensalão da Copa - Cidades já desistem de anfitriar a Seleção


 
Meinolf Sprink - "Estamos fora"
 Uma agência de marketing, contratada pela CBF, possivelmente não está contribuindo para angariar a simpatia que a seleção brasileira vai precisar na próxima Copa do Mundo na Alemanha.  Os brasileiros estão, segundo informações de responsáveis pela organização da copa, fazendo uma espécie de concorrência para alojar o time onde quem pagar mais, desconsiderando práticas e fatores que seriam mais importantes na marcha para o hexa. Dinheiro coloca em segundo plano bem-estar e vantagens para a equipe. Agora, um dos responsáveis pela organização, Meinolf Sprink, tornou pública a manobra e confirmou ao ABKnet o fato.  

Em uma copa, hospedagem, centros de treinamento e infra-estrutura para as delegações possuem os custos cobertos pelo país anfitrião. É natural que cada seleção escolha seu quartel-general de acordo com critérios que envolvam distâncias de locomoção para os jogos e outras vantagens geográficas, qualidade de instalações, existência ou proximidade de público da terra natal, etc.  Parece não ser o caso da Seleção verde e amarela. Além de tudo pago, as seleções recebem prêmios e compensações financeiras da FIFA. Para a Canarinha é pouco. Quer um mensalão dos donos da casa pelo mês que estará no local. É o Mensalão da Copa.

"Isso não é o procedimento que outras seleções têm adotado. Nós não queremos condenar o comportamento, mas estamos fora disso e temos o apoio de nosso prefeito e da empresa", disse ao ABKnet Meinolf Sprink, responsável de esportes da Bayer AG, dona do Bayer Leverkusen, na região onde o Brasil já alojou-se durante a Copa das Confederações. "A Seleção conheceu  a qualidade que oferecemos e o calor humano do nosso público. Nossos jogadores brasileiros também confirmaram que todos ficaram satisfeitos", disse ele, para completar, "mais, não podemos oferecer".  O Bayer Leverkusen tem em seus quadros os jogadores brasileiros Juan e Roque Júnior, que atuam na seleção. Segundo Sprink, outras cidades também estão desistindo de receber a seleção.  No caso do Leverkusen, quem está no páreo agora são os japoneses, de Zico.

A consulta da agência a serviço da CBF foi feita após um email de sondagem dos responsáveis alemães sobre os critérios para a decisão dos brasileiros. Normalmente são as comissões técnicas dos times que decidem e negociam o assunto. 
É desconhecido se a CBF é sabedora do que vem ocorrendo e se o procedimento é permitido pela FIFA.
Para uma seleção favorita como a brasileira e dona de simpatia natural ao redor do mundo, isso não faz parte dos bons modos e afeta a boa imagem. Além de ser um mau presságio.

Por Juca Kfouri às 11h17

13/10/2005

A noite da vergonha

De cara, é bom que se diga: o Corinthians mereceu vencer e foi duas vezes prejudicado pelo péssimo árbitro Abade.

Na primeira vez, num pênalti do goleiro Saulo sobre Nilmar.

Na segunda, quando Carlos Alberto, em posição legal, teria tudo para fazer o quarto gol, teve sua posição dada como ilegal e ainda acabou expulso, depois de ser agredido por Saulo.

Acerto mesmo, Abade só teve ao expulsar Luizão, maior responsável pela derrota santista, ao provocar infantilmente sua expulsão nem bem tinha entrado em campo.

Porque Abade errou até mesmo ao tentar continuar um jogo que já estava irremediavelmente perdido, por causa da invasão do gramado.

Invasão que Giovanni ajudou ao chutar para fora a bola da nova saída depois do terceiro gol corintiano, num claro pênalti cometido por Zé Elias que empurrou Nilmar.

Abade é um exemplo da arbitragem brasileira, mal preparada, mal dirigida, comprometida, política e ainda protegida pela maior parte dos comentaristas de arbitragens, em regra, corporativistas.

Carlos Eugênio Simon, como se viu anteontem em São Januário, é outro.

Foi uma noite que se poderia prever, depois da decisão de anular os 11 jogos, decisão menos pior possível, mas causadora de injustiças inevitáveis.

Porque se não houvesse a anulação, os derrotados dos 11 jogos chorariam até o fim dos dias como estão chorando os prejudicados por ela.

Agora o Santos pagará em dobro, com a perda dos pontos que tinha ganhado e com a interdição da Vila Belmiro, palco do que há de pior neste país de escândalos de toda ordem e de ainda enorme impunidade e falta de civilidade e educação.

Por Juca Kfouri às 22h06

Tevez joga

Submetido a exame médico no início da tarde, Carlitos Tevez revelou-se um "cavalo", segundo o médico do Corinthians. E vai para o jogo. Talvez não para 90min. Mas desde o início.

Por Juca Kfouri às 18h00

O jogão da Vila

Teremos logo mais um dos mais interessantes jogos desta série de 11 que foram anulados.

O outro será entre São Paulo e Corinthians, na segunda-feira (que dia!), 24 deste mês.

Interessante, sim, mas lamentável, pelas circunstâncias.

Repita-se que o Corinthians, que de fato pode ser o mais beneficiado por toda essa lambança, nada tem a ver com ela.

Misturar a nebulosa MSI com o episódio é engrossar o coro dos neuróticos contaminados pela teoria da conspiração.

Até porque o Corinthians pode vir a ser prejudicado.

Vai que perde os dois jogos...

Além da vergonha de não quebrar dois tabus, haverá o enorme desgaste físico.

Repita-se, ainda, que o melhor para o Campeonato Brasileiro será que os resultados em campo sejam os mesmos.

Mas, nada indica.

Diferentemente do que aconteceu antes da primeira partida, o Corinthians agora é o favorito.

E deve vencer, palpita o blog.

Em tempo: como hoje tem CBN EC para a rede, menos para São Paulo, não poderemos ver o clássico juntos.

Comentarei quando terminar.

 

Por Juca Kfouri às 16h11

Escândalo no Paraná

O julgamento da "justiça" esportiva paranaense sobre a denúncia dos jornalistas Roberto Salim e Ricardo Kotscho, da ESPN-Brasil, foi uma vergonha.

Absolveram os denunciados e condenaram quem denunciou.

Só mesmo na terra do Onaireves.

Ou na do Ricardo Teixeira, do Caixa D'Água, do Farah, Marco Polo del Nero etc, etc, etc...

Mais detalhes no sítio www.futebolpr.com.br

 

Por Juca Kfouri às 14h54

Ricardinho e Gustavo Nery em Santos. Tevez em São Paulo

Carlitos Tevez chegou de Montevidéu às 3h30 da madrugada em São Paulo.

E é esperado em Santos às 15h30.

Mas, no máximo, deve ir para o banco, pois jogou a partida inteira pela Argentina.

Já Ricardinho e Gustavo Nery chegaram às 8h30 em São Paulo.

O Corinthians tinha um helicóptero preparado para levar seu jogador para Santos, coisa que a nebulosidade impediu.

Tanto Ricardinho quanto Nery desceram a serra de automóvel e já estão concentrados para o jogo das 20h30, na Vila Belmiro.

Ambos jogarão.

Por Juca Kfouri às 12h11

Balanço de uma quarta-feira de futebol

O feriado da quarta-feira começou mal e acabou bem para o futebol.

Comecemos pelo fim.

Acabou bem para as seleções do Brasil e do Uruguai.

Ao vencer a Venezuela por 3 a 0, o Brasil terminou as Eliminatórias em primeiro lugar.

O saldo de gols garantiu a posição, na frente dos argentinos.

Porque o Uruguai ganhou da Argentina, 1 a 0, e garantiu seu lugar na repescagem.

Vai enfrentar a Austrália, em dois jogos, o primeiro em Montevidéu.

E por que a quarta-feira começou mal para o futebol?

Porque poucas vezes no Campeonato Brasileiro a arbitragem foi tão ruim como no jogo entre Vasco e Figueirense, em São Januário.

Carlos Eugênio Simon, árbitro da Fifa, como era Edílson Pereira de Carvalho, errou em quatro lances capitais e só por isso o jogo acabou 3 a 3.

Três vezes errou contra o Vasco, uma contra o Figueirense, ao não dar um pênalti sofrido por Edmundo.

Contra o Vasco foi pior: anulou um gol de Romário por impedimento inexistente, não deu um pênalti no Baixinho e ainda validou o terceiro gol catarinense depois que a bola tinha saído pelo menos dois palmos.

E o jogo era para corrigir as lambanças de Edílson Pereira de Carvalho...

Por Juca Kfouri às 23h37

12/10/2005

Uruguai a morir

O Uruguai, bicampeão mundial, bicampeão olímpico, vive.

Jogou a morir, como eles dizem.

E ganhou.

Como ganhou o Brasil e ficou com o primeiro lugar nas Eliminatórias, no saldo de gols.

Um Brasil que mais brincou que brilhou, mas valeu.

Noite feliz.

A Copa da Alemanha promete.

Por Juca Kfouri às 22h29

Lambança brasileira

Wilson de Souza Mendonça acaba de não dar um pênalti para o Uruguai.

E o jogo não está em nenhuma casa de apostas...

Por Juca Kfouri às 22h03

Recoba, Recoba...

Recoba teve a vaga da repescagem nos pés e desperdiçou por falta de coragem em finalizar e por ter sido fominha, ao perder o ângulo.

Bisonho!

Por Juca Kfouri às 21h59

Um canhão de Roberto Carlos! GOOOOOL!

Aos 17, Roberto Carlos soltou a bomba, na cobrança de falta.

3 a 0.

Fazia tempo, aliás, que ele não jogava tão bem.

Por Juca Kfouri às 21h55

Fim de jejum! Ronaldo!!!

Adriano recebeu em posição duvidosa, deu para Ronaldo, que limpou um zagueiro, o goleiro e só não fez de bola e tudo porque não quis.

2 a 0, aos 6 minutos.

Por Juca Kfouri às 21h45

GOOOOL!!!!!!

No comecinho do segundo tempo, Recoba enlouquece o Centenário.

1 a 0.

É o Uruguai no caminho da Alemanha, mesmo tendo que passar antes pela Austrália.

Por Juca Kfouri às 21h41

Brasil baila, Argentina apanha

Aos 43, o jogo está fácil.

O melhor que a Venezuela fez foi uma bela bicicleta, bem aparada por Dida.

A Seleção Brasileira domina sem dificuldades, quer dar espetáculo, mas não empolga, talvez porque o lado da competição esteja em plano secundário.

Robinho precisa entrar para botar mais fogo no jogo.

Em Montevidéu, o primeiro tempo já acabou.

E os uruguaios trataram de parar os argentinos no pau.

Tevez, por exemplo, apanhou bastante.

Por Juca Kfouri às 21h21

GOOOOOOL!!!!!

Ronaldinho Gaúcho, com açucar e com afeto para Adriano, por cima da defesa.

A terceira chance ele não poderia perder.

E o Imperador faz 1 a 0, aos 28.

Por Juca Kfouri às 21h03

Desperdício

Enquanto em Montevidéu as chances de gols são raras, em Belém se sucedem, com a Seleção Brasileira perdendo gol em cima de gol, ou por erro no último passe ou por precipitação.

Adriano já teve duas chances claríssimas.

E os venezuelanos já descobriram a avenida Lúcio.

Lá se foram 26 minutos.

 

Por Juca Kfouri às 21h01

Brasil manda, Argentina equilibra

Com 13 minutos, o Brasil manda no jogo, embora mostre uma certa ansiedade em resolver o jogo de cara.

Nem precisa.

E a Argentina tenta cozinhar o Uruguai, que começou muito agressivo.

Com sucesso.

Por Juca Kfouri às 20h48

Já estão jogando

Brasil e Venenuela e Uruguai e Argentina já estão jogando.

Kaká quase marcou.

E os uruguaios partiram para cima.

Tevez começou como titular.

Por Juca Kfouri às 20h39

ACEESP volta atrás

A Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo recuou da posição inicial que a fez aceitar participar da sindicância da Federação Paulista de Futebol sobre o escândalo da arbitragem.

Errar é humano, reconhecer o erro é divino.

Na última segunda-feira, a direção da entidade se reuniu e resolveu cair fora. E caiu.

No que fez muito bem.

Por Juca Kfouri às 19h46

Quarta nobre

Fim de feriado, Seleção Brasileira na TV Globo e mais Uruguai e Argentina na ESPN-Brasil.

Vamos nessa?

Um olho no gato, outro no peixe.

Olho esquerdo na festa brasileira em Belém, olho direito na sensacional partida de Montevidéu.

Veremos juntos.

Até já!

Por Juca Kfouri às 18h35

Nada igual

O Vasco tinha vencido o Figueirense e agora só empatou.

Um 3 a 3 por obra e graça de Carlos Eugênio Simon, que validou o terceiro gol catarinense, depois que a bola havia saído pela linha de fundo, e deu um pênalti mandraque para o Vasco empatar, num lance em que defensor e atacante entrelaçaram os braços.

Para não falar dos demais erros já comentados.

O Juventude tinha vencido o Fluminense e agora perdeu, ao permitir a virada tricolor, 4 a 3, nos dois últimos minutos.

O Flu vive.

E o Cruzeiro tinha vencido o Botafogo e agora só empatou, 2 a 2.

O Brasileirão está de luto.

Por Juca Kfouri às 17h00

Só falta o Uruguai

Com a fácil vitória da França sobre Chipre (4 a 0), em mais um recital de Zinedine Zidane, e com o empate sem gols entre Irlanda e Suiça, seis dos campeões mundiais já estão garantidos na Copa da Alemanha.

Falta o Uruguai, que precisa vencer hoje a Argentina (a ESPN-Brasil transmite, às 21h30), para disputar a repescagem contra a Austrália.

Por Juca Kfouri às 16h42

Empate em São Januário

Alex Dias assumiu a artilharia do Brasileirão ao marcar seu 19o. gol para empatar em São Januário.

E Simon também empatou: Edmundo foi puxado pelo ombro dentro da área, como Romário, no primeiro tempo, e ele não marcou o pênallti.

Por Juca Kfouri às 16h17

Síndrome do Flu

Outra vez, como aconteceu diante do Corinthians e do Paraná Clube em suas últimas duas partidas, o Fluminense tomou um gol no começo do jogo.

Verdade que, desta vez, Enílton, o autor pelo Juventude, estava em impedimento.

Mas a vaga do Flu, que terminou o primeiro tempo perdendo de 2 a 0, está indo, definitivamente, para o brejo.

Por Juca Kfouri às 15h55

Vasco no prejuízo

Acabou o primeiro tempo em São Januário.

Edmundo fez 1 a 0 para o Figueirense.

Nem comemorou, "em respeito à instituição e à torcida, que é maravilhosa", explicou ele, que se limitou a se benzer e a dizer, com os olhos para o céu: "Obrigado, meu pai".

Deve agradecer a vitória parcial do Figueirense, também, à arbitragem de Carlos Eugênio Simon.

Se Edílson Pereira de Carvalho foi mal no jogo anulado, Simon não está atrás.

Deixou de dar um pênalti em Romário e anulou, por impedimento inexistente, um gol do Baixinho.

Se não bastasse, Alex Dias e Romário perderam dois gols feitos.

Está feia a coisa, para o Vasco.

E vamos ver se o presidente do Figueirense, mantido o resultado, continuará a brigar contra a anulação dos 11 jogos.

 

Por Juca Kfouri às 15h52

11/10/2005

Desejos e palpites para hoje

Hoje, nos três primeiros jogos que serão repetidos no Brasileirão (e que podem não valer nada conforme as coisas evoluirem na Justiça), mais que palpites, vão aí os meus desejos: que se repitam os três resultados acontecidos em campo dos jogos anulados.

Que dê Vasco, Cruzeiro e Juventude.

Livrará, um pouco, a cara do Campeonato Brasileiro.

E que o mesmo aconteça nos outros oito jogos que ainda virão.

Agora, os palpites, sobre os dois jogos que decidirão o título moral das Eliminatórias sul-americanas.

Um nem é palpite, é certeza: dá Seleção Brasileira diante da venezuelana.

E o Uruguai ganhará da Argentina, outra previsão que é mais desejo do que prognóstico.

E menos por ver o Brasil como "campeão".

Muito mais pela vontade de ver os uruguaios na Copa do Mundo, coisa que ainda poderão alcançar se ganharem amanhã e, depois, dos australianos na repescagem.

Por Juca Kfouri às 22h58

Por que o resultado foi tão ruim para o Inter

O empate entre Inter e São Caetano era tudo que corintianos e torcedores do Goiás queriam.


O Inter, com um jogo a menos que o Goiás, ficou a três pontos dos goianos.


E, com um jogo a mais que o Corinthians, ficou a seis pontos dos paulistas.


Os gaúchos ainda tem duas vitórias a menos que os goianos e três a menos que os corintianos.


Se acontecer a anulação da decisão que anulou os tais 11 jogos, mesmo assim o Inter estará em terceiro lugar.


Em melhor situação, é verdade.


Porque com os mesmo 56 pontos do Goiás, mas com uma vitória a menos.


E a apenas três pontos do Corinthians, mas com duas vitórias a menos.

Enfim, o Inter tinha mesmo era que vencer o São Caetano.

 

Por Juca Kfouri às 22h55

Denúncia!

O palpiteiro desconfia que há um complô contra este blog.

Que acertou o empate em São Caetano (e esse acerto foi notável), 1 a 1 entre Azulão e Inter.

Que acertou a vitória do Furacão (mas essa previsão até minha mãe acertava). 4 a 0 no Brasiliense.

E que acertou que o Papão ganharia do Coxa. 2 a 1.

E apostou na vitória São Paulo, que não foi fácil (3 a 2 na Ponte Preta), mas que não era difícil de prever.

Finalmente, apostou no empate entre Mengo e Galo.

Eis que o Flamengo chegou a empatar 1 a 1 e fraquejou: deu Galo, 2 a 1.

Assim não dá. O que seria uma noite gloriosa, virou uma noite apenas boa.

Na rodada, em 11 jogos, oito acertos.

Vão anular os 11?

Sou a favor que anulem apenas três! 

Por Juca Kfouri às 21h27

Fim de jogo. Fim do Inter?

Acabou 1 a 1.

O Inter merecia melhor sorte.

Mas não deu.

Agora os gaúchos têm três pontos menos que o Goiás e seis a menos que o Corinthians, que tem dois jogos para fazer.

Complicou, mas nada está perdido.

Principalmente se o Inter recuperar os três pontos que ganhou do Coritiba e o Corinthians não somar os seis pontos que pode alcançar.

Por Juca Kfouri às 21h17

É lá e cá

O jogo fica empolgante.

O empate não serve para o Inter.

Que pressiona.

Edílson aproveita os contra-ataques e leva muito perigo.

Por Juca Kfouri às 21h10

GOOOOOOL!!!!!

Aos 35, Rafael Sóbis faz justiça e empata no rebote de Sílvio Luiz, depois de um chute de Fernandão.

E, diga-se, Muricy fez tudo certo, ao tirar Perdigão para pôr Gustavo, um centroavante.

É vencer ou vencer!

Por Juca Kfouri às 21h06

Somália, meu filho!

Na batida do escanteio, Somália, solitário na pequena da área, escora para fora.

Um gol que até eu faria.

E não tenho filho do tamanho do Somália.

Por Juca Kfouri às 20h59

Gols perdidos ((2)

Aos 24, Mossoró chuta cruzado e ninguém do Inter aproveita.

Aos 26 minutos é a vez de Mixirica, na cara do gol, tocar para fora.

Que coisa!

Por Juca Kfouri às 20h57

Gols perdidos

Aos 21, Mixirica demorou para finalizar e perdeu gol certo.

Aos 23 minutos foi a vez de Fernandão, na cara do gol, mandar rente à trave e perder a chance do empate.

Por Juca Kfouri às 20h54

Edilson no travessão

Aos 15, o Capetinha arrisca de fora da área e a bola trisca no travessão.

Trisca?

Será que existe?

O Azulão já começa a justificar o placar.

Por Juca Kfouri às 20h46

Mixirica gooooool!

A defesa do Inter bobeia, recua, recua e recua diante do avanço de Edílson que abriu na meia direita para Mixirica pegar bem da entrada da área e marcar 1 a 0.

Futebol tem dessas coisas...

Por Juca Kfouri às 20h43

Dimba saiu!

55 minutos

O São Caetano voltou mais valente e se não fosse o péssimo chute de Somália poderia até ter feito 1 a 0.

Mas a boa notícia, para azulões e corintianos, é a de que Dimba saiu para entrar...Mixirica.

 

Por Juca Kfouri às 20h39

Intervalo

Foi um primeiro tempo bastante interessante.

O Inter mostrou por que é candidato ao título, embora não tenha conseguido, ainda, fazer o gol de que tanto precisa para não se afastar de Corinthians e Goiás.

O São Caetano joga como um autêntico sparring.

Dificilmente não irá a nocaute.

Por Juca Kfouri às 20h14

Qual é a posição do Dimba?

Dimba é centroavante do Azulão ou zagueiro do Colorado?

Ele acaba de cabecear quase na bandeirinha de escanteio uma bola que pegou na marca do pênalti.

Um espanto!

Por Juca Kfouri às 20h07

Voltemos ao jogo do Inter

Aos 35, os gaúchos começam a dar sinais de impaciência porque o domínio não resultou em gol até agora.

Mas não há motivos para desespero.

Se o Inter mantiver o padrão, o gol será questão de tempo.

Por Juca Kfouri às 20h05

Esta nota do Flamengo faz sentido

NOTA OFICIAL



À NAÇÃO RUBRO-NEGRA



O Clube de Regatas do Flamengo tem defendido - desde a primeira hora - que
as investigações sejam amplas e não se restrinjam às partidas em que atuou o
Sr. Edílson Pereira de Carvalho para que a crise atual possibilite a
abertura radical da situação da arbitragem no Brasil.



Tempos atrás, o Coronel Áulio Nazareno, então dirigente maior do apito na
CBF, homem sério, pediu demissão afirmando que tudo que decidia em seu
gabinete era modificado nos corredores. Mais recentemente, o ex-árbitro
Cláudio Cerdeira declarou que o Sr. Ivens Mendes o instou a prejudicar o
Flamengo. Agora, o Sr. Edílson declara que o Sr. Armando Marques, em 2001, o
pressionou para ajudar o Flamengo.



A prostituição dos juízes pela jogatina, que no Brasil é articulada por
contraventores, é caso de polícia e deve merecer a atenção do Ministério
Público e das CPIs.



Mas, a reincidência das denúncias de intromissão indevida de dirigentes na
gestão do apito revela uma questão de outro matiz: os departamentos de
arbitragem são um espaço privilegiado da articulação política e eleitoral.
As arbitragens são maculadas pelas simpatias e pelas antipatias de quem
manda nas entidades de administração.



A manipulação de resultados é antiga e não está em jogo apenas o campeonato
brasileiro desse ano. A representação feita pelo Flamengo não visa o
resultado eventual de algum jogo ou sua classificação no campeonato. Isso
nós vamos resolver no campo.



O Clube de Regatas do Flamengo continua defendendo que as investigações
sejam amplas, gerais e irrestritas para abrir a caixa preta e fazer com que
os clubes deixem de ser reféns da confederação e das federações que ameaçam
com a arbitragem em razão de posições ideológicas contrárias às suas.




Por Juca Kfouri às 20h03

30 minutos

O jogo é bom, aberto e franco.

O Inter tomou conta do meio de campo e joga melhor.

Mas o São Caetano já começa a obrigar que o goleiro Clemer trabalhe.

Por Juca Kfouri às 20h00

Na trave!

A bola não saía da área do Azulão.

Mas Claudecir puxou bem o contra-ataque, Edílson abriu na esquerda, Triguinho cruzou e a bola, depois de bater em Dimba, bateu na trave.

Seria uma injustiça enorme.

Por Juca Kfouri às 19h52

15 minutos

Tem só um time em campo, o Inter.

Que, organizadamente, com Tinga, com Jorge Wagner, com Perdigão, aperta o São Caetano.

Que parece querer viver apenas nos contra-ataques.

Por Juca Kfouri às 19h44

Quase!

O São Caetano domina mas quem atacou com mais perigo foi o Inter.

Fernandão, de pivô, joga bem.

E Mossoró chega um milésimo atrasado e perde o primeiro gol.

Em seguida, Sóbis chuta na trave, em outra jogada de Fernandão.

Por Juca Kfouri às 19h37

Começou!

Com o estádio vazio, para variar em São Caetano, o Inter não tem por que não quebrar a tradição de jamais ter vencido lá.

E o Azulão entrou de branco, para afastar o amarelão.

Por Juca Kfouri às 19h32

Daqui a pouco tem o Inter

Às 8h30 você está convidado a ver comigo o jogo mais importante de hoje, em São Caetano, quando o Colorado enfrentará o quase desespero do Azulão. Que está prestes a virar Amarelão.

Por Juca Kfouri às 16h46

Os palpites para hoje

Dos seis jogos disputados no sábado, o blog acertou quatro.

Hoje temos mais cinco.

Vejamos:

o São Paulo ganha da Ponte Preta;

São Caetano e Inter empatam;

Flamengo e Galo, também;

o Furacão derrota o Brasiliense;

e o Papão ganha do Coxa.

Por Juca Kfouri às 11h13

Cinco jogos, dois muito importantes

Dos cinco jogos de hoje pelo Brasileirão, dois chamam mais atenção e por motivos opostos.

 

Em São Caetano, o Azulão recebe o Colorado.

 

O Inter luta para não descolar de Corinthians e Goiás.

 

Para tanto precisa vencer ou vencer.

 

Já o São Caetano, ou ganha ou passa a namorar, definitivamente, o grupo dos rebaixados.

 

O outro jogo é no Rio, entre Mengo e Galo.

 

O Flamengo joga por ele e pelo rival Vasco.

 

Por ele para se distanciar do rebolo.

 

E pelo Vasco porque se o Atlético Mineiro vencer não só vai sair do chamado grupo da morte como vai deixar o Vasco em seu lugar.

 

E pensar que Flamengo e Galo até já decidiram um Campeonato Brasileiro.

 

E pensar que o Galo foi o primeiro campeão brasileiro.

 

E pensar que o Flamengo é o maior campeão brasileiro, com cinco títulos.

 

E pensar que o Vasco, ao lado do Palmeiras, é o segundo maior vitorioso, com quatro títulos.

 

E pensar que o Palmeiras já viveu esse mesmo drama e até já caiu, só faz o Galo, o Flamengo e o Vasco acenderem todos os sinais amarelos.

Por Juca Kfouri às 00h05

10/10/2005

A ameaça do Felipão

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol saiu da partida em que Portugal se classificou para a Copa do Mundo falando mal do time, em Leiria, sua cidade.

Conhecido por gostar demais de um trago (parece marca registrada da alta cartolagem), Madail irritou o Felipão ao dizer que "até a Copa teremos que pensar em algumas mudanças".

Foi o bastante para que o sangue gaúcho falasse mais alto.

Ouvido pelos jornalistas, Felipão disse que deste modo ele não iria à Copa.

Imediatamente as sondagens de opinião começaram em Portugal e a torcida quer a permanência do técnico, além dos jogadores, que se manifestaram contra qualquer alteração.

A repercussão fez com que Madail, sóbrio, voltasse atrás e tentasse se justificar: "Falei como torcedor, mas sou realista. Sei que ele não ficará se formos mal na Copa e que também não ficará se formos bem, porque aí ele buscará sonhos mais altos".

Foi, sem tirar nem pôr, o que disse Madail antes da Eurocopa.

E Portugal foi vice.

E Felipão ficou.

Por Juca Kfouri às 18h29

Rodrigo Maia responde a Agnelo Queiroz

O SR. PRESIDENTE (Aldo Rebelo) - Concedo a palavra ao nobre Deputado Rodrigo Maia, para uma Comunicação de Liderança, pelo PFL.O SR. RODRIGO MAIA (PFL-RJ. Como Líder. Sem revisão do orador.)

- Sr. Presidente, Sras. e Srs. Parlamentares, começo meu pronunciamento falando a respeito do destaque dado pela imprensa a certa denúncia, cuja resposta, por parte do Ministro do Esporte, mereceu apenas pequena nota de jornal.Na semana passada, divulguei requerimento de informação, de minha autoria, sobre a utilização indevida do SIAFI por assessores de 3 Ministérios. Assessores dos Ministérios do Esporte, da Integração Nacional e da Cultura transformaram em adimplentes Prefeituras que eram inadimplentes e realizaram vários convênios.

Por coincidência, os convênios foram realizados na base parlamentar do partido do Ministro. E foi assim com relação aos Ministérios da Integração Nacional, da Cultura e principalmente do Esporte.A denúncia foi feita há1 ano. Com o nosso requerimento, o próprio Ministro Waldir Pires confirmou e ampliou as denúncias. Mostrou que, até este momento, os assessores responsáveis pelo uso indevido do SIAFI o que é crime não tinham recebido nenhuma punição.

O máximo que ocorreu foi um dos assessores voltar para seu órgão de origem. Por esse motivo, encaminho esta semana ao Ministério Público a resposta do Ministro Waldir Pires, para que o Ministério Público possa tomar as devidas providências contra os Ministros. Hoje, li nota no Correio Braziliense, publicada em edição anterior não tive oportunidade de fazê-lo antes , em que o Ministro do Esporte diz que por causa da minha denúncia, do requerimento de minha autoria, o Pan-Americano será prejudicado. Quero que fique clara a posição do Ministro do Esporte.

Então, a partir de hoje, estamos todos proibidos de atacá-lo, principalmente os Deputados do Estado do Rio de Janeiro e de todo o Brasil, porque o Pan é um evento do Brasil. Estamos todos proibidos de atacar o Ministro Agnelo Queiroz, e S.Exa. está liberado para roubar ou para cometer atos irregulares, porque senão o Pan-Americano pode ficar prejudicado.

Teoricamente, esse tema interessa ao Rio de Janeiro, mas tenho certeza de que é importante para todos. O registro é fundamental, e espero que as atitudes do Governo Federal, que tem sido de boicote ao Pan-Americano sim, porque até agora nada de relevante o Governo fez para apoiar o evento, daqui para frente não fique guiado pelas posições mesquinhas do Ministro Agnelo. S.Exa. tenha certeza de que terá por parte deste Parlamentar, que já fiscalizava o seu Ministério com responsabilidade, uma fiscalização mais rigorosa do que nunca.

Por Juca Kfouri às 18h23

Metralhadora Edílson

Edílson Pereira de Carvalho não pára.

Atira para todos os lados e quer fazer parecer que tem mais munição.

Em cada entrevista diz mais um pouco, acrescenta um detalhe aqui e ali.

Enquanto tiver quem pague para que ele fale, ele falará.

Seja verdade, seja mentira.

Fato é que jornalismo de verdade não paga para entrevistado.

Se ele fez o que fez por R$ 10 mil em campo, por R$ 15 mil nas primeiras entrevistas e por R$ 25 mil nas últimas, segundo se diz, imagine o que não dirá se alguém estiver disposto a pagar R$ 50 mil.

Ele sabe, no entanto, e repete, que sua credibilidade é zero, por mais que conte fatos que fazem sentido e que quem vive no mundo do futebol está cansado de saber, embora seja difícil provar (nem ele mesmo, que os viveu, prova).

Qual é o limite de Edílson Pereira de Carvalho? Quem mais pagará para ver?

 

Por Juca Kfouri às 14h07

Rivalidade é isso aí

O São Paulo anuncia que vai poupar seus titulares contra o Santos, no sábado, dia 22, para jogar completo, dia 24, contra o Corinthians.

Abdica, assim, de trazer sua torcida num jogo pago, para tentar derrotar o outro rival mais uma vez, num jogo com portões abertos.

Uma vitória pode elevar o moral tricolor com vistas ao Mundial e derrubar o Corinthians sabe-se lá com que efeitos.

Aparentemente, não é uma medida profissional.

Mas só aparentemente.

Porque mais vale manter acesa uma rivalidade do que uns trocados a mais no bolso.

Por Juca Kfouri às 12h06

09/10/2005

Empate final

Não é lá muito importante acabar em primeiro nas Eliminatória, embora Parreira queira.

E mesmo com o empate na Bolívia ainda dá.

Bastará o Brasil vencer a Venezuela, em Belém, como é obrigatório, e a Argentina perder para o Uruguai, em Montevidéu, o que pode acontecer.

Aí, se os argentinos perderem, Argentina e Brasil ficarão empatados em pontos ganhos (ambos terão 34) e em todos os primeiros critérios de desempate, como confronto direto e soma de gols nos jogos entre eles (3 a 1 para o Brasil, no Mineirão, e 3 a 1 para a Argentina, no Monumental de Nuñes).

O critério que desempatará será o saldo de gols e aí a vantagem será brasileira. Hoje a Argentina tem 13 e o Brasil 15.

Como eles têm que perder e os brasileiros têm que vencer...

Por Juca Kfouri às 17h57

O tanque em campo

Entra, aos 33, o tanque Júlio Baptista, La Bestia, como é chamado na Espanha.

Entra no lugar de Juninho, que foi muito bem.

Os bolivianos que recolham as canelas.

Por Juca Kfouri às 17h45

Adriano, quase

Aos 30, depois de verdadeira linha de passe, Adriano tem a melhor chance brasileira no segundo tempo.

Mas chutou por cima.

Por Juca Kfouri às 17h40

Melhora o toque de bola

A Seleção começa a jogar como Parreira quer e gosta.

Valoriza mais a posse de bola.

Mas não cria chance de gol.

Por Juca Kfouri às 17h37

20 minutos

A Seleção Brasileira não chegou com perigo nenhuma vez no segundo tempo, ao contrário da boliviana.

Como era de se esperar, aliás, porque a bola é rápida, o pulmão falta, a garganta arde e a cabeça não pensa mais.

Por Juca Kfouri às 17h30

Alex em campo

Aos 13, Alex no lugar de Renato.

E Gustavo Nery no lugar de Gilberto.

Sangue novo, pulmão novo, sobretudo, e a classe de Alex.

Que mate a pau.

Por Juca Kfouri às 17h24

Aberta a caixa de ferramentas

A Bolívia bate sem dó nem piedade.

Não era mesmo para ter levado um time sub-20?

Por Juca Kfouri às 17h19

GOL!

Centro da direita. Luizão não corta, Roque Júnior tenta afastar com os olhos e Castilho marca.

Segundo tempo a 3600 metros de altura é fogo!

Por Juca Kfouri às 17h17

Intervalo

A Seleção vai ter 15 minutos para se recuperar.

Quase nada, mas já é alguma coisa.

E mereceu estar na frente deste horrível time boliviano.

Nem a altura está sendo decisiva mais para os bolivianos.

Por Juca Kfouri às 16h51

Show de Robinho

Levinho, lépido, habilidoso, Robinho parece jogar ao nível do mar.

Um show particular.

Por Juca Kfouri às 16h46

40 minutos

Roque Júnior quase aumenta de cabeça na cobrança de um escanteio.

A Bolívia responde ao se aproveitar de um erro de Gilberto na saída de bola.

Típica pane mental de quem está com problema de oxigenação, no cérebro, inclusive.

Por Juca Kfouri às 16h44

31 minutos

Júlio César é obrigado a fazer duas boas defesas seguidas.

Porque a Seleção Brasileira começa a pedir a Deus que o primeiro tempo termine.

E ainda faltam uns 15 minutos...

Por Juca Kfouri às 16h36

GOOOOOL!!!!!

Aos 25, de falta sofrida por Robinho, Juninho mete no ângulo e o goleirão colabora.

Por Juca Kfouri às 16h29

15 minutos

Juninho carrega, no pique.

Corre, corre, corre e nada acontece.

Vai levar uns 10 minutos para se recuperar.

A bola não chega em Adriano e Robinho.

É simples entender por quê: Alex está no banco.

 

Por Juca Kfouri às 16h20

10 minutos

O jogo é modorrento.

Mas o lance mais perigoso foi causado por Robinho, num tiro de fora da área.

Por Juca Kfouri às 16h15

5 minutos

A Bolívia tenta pressionar e se aproveita da cautela brasileira, que nitidamente se poupa, para não sofrer demais com a altitude.

O bom é que o estádio não está lotado, porque o Brasil foi sem suas maiores estrelas.

Assim, quem sabe, eles aprendem a passam a jogar ao nível do mar, em Santa Cruz da la Sierra.

Por Juca Kfouri às 16h12

Brasil x Bolívia

‘As cinco em ponto da tarde, você está convidado a ver comigo o jogo em La Paz.
Com atualizações periódicas ou a cada momento em que acontecer um lance perigoso ou polêmico.
Se você não tiver nada melhor para fazer, seja bem-vindo.

Por Juca Kfouri às 10h55

Está na hora de criar a ANE

Está na hora de pensar numa Agência Nacional do Esporte (ANE). Para fazer o meio-de-campo entre o público e o privado, entre o cidadão e o governo.

É verdade que a idéia das agências não pegou direito no país. A velha história de sempre. Os governos tentam instrumentalizá-las, por mais garantias (ou exatamente por isso) de autonomia e imunidade que haja para seus integrantes.                                                                       
Foi assim no governo FHC e tem sido assim no atual.

Mas a idéia é boa e seria um avanço para garantir os direitos do torcedor neste Brasil que tenta confundir o direito assegurado de autonomia das entidades esportivas (garantido na Constituição) com a farra do boi, como se o esporte fosse uma terra de ninguém.

O artigo que a garante, o 217, nasceu da natural preocupação dos legisladores devido à ingerência indevida do Estado no período da ditadura, mas acabou por se transformar numa carta de alforria às barbaridades cometidas por CBF, COB e seus apêndices.

Uma ANE, que de fato representasse a sociedade civil, seria instrumento poderoso contra os absurdos, funcionaria como um ponto de equilíbrio para definir responsabilidades no mundo do esporte. Por exemplo: a CBF, que sempre argumenta ser uma entidade privada, embora lide com uma das áreas mais públicas do Brasil, provavelmente não escaparia ilesa de mais um escândalo nas arbitragens.

Sindicâncias não seriam feitas por pessoas indicadas pelas próprias entidades que deveriam ser investigadas, como estamos vendo tanto na CBF quanto na FPF.

O Ministério do Esporte seria cobrado em seus deslizes, que têm sido muitos, como se vê a cada dia na imprensa de modo efetivo e rápido. Não se sentaria, como está sentado, há um ano num escandaloso episódio de liberação de verba para municípios e entidade (a UNE, controlada pelo PC do B do atual ministro) inadimplentes.

É claro que da democratização do país para cá já estamos mais que vacinados contra tudo que possa surgir como panacéia, pois aprendemos que nada tem tal efeito. Mas nem por isso devemos desistir de tentar aprimorar os mecanismos de controle e de influência da sociedade nos temas que lhe dizem respeito de perto.

Apesar de a esmagadora maioria da imprensa esportiva ter apoiado a decisão de anular os 11 jogos apitados por Edilson Pereira de Carvalho, a opinião pública, em não menor esmagadora maioria, ficou contra.

Nada justifica que a Associação dos Cronistas Esportivos de São Paulo tenha aceitado participar da comissão da FPF que investiga os resultados eventualmente manipulados no Paulista-05. E só a promiscuidade com o poder do futebol explica tamanho aval.

Aliás, o que fazem tantos delegados da polícia na FPF? Que eles gostam de aparecer é sabido, mas não há nada mais importante para fazer, cuidar da violência que devasta São Paulo, por exemplo?

Timemania
Parece ter surgido uma luz no fim do túnel para aprovação, por acordo, da nova loteria do futebol. Tanto as sugestões do deputado Moreira Franco (PMDB-RJ) quanto as do também deputado Sílvio Torres (PSDB-SP) encaminham uma solução satisfatória para quem quiser aderir à Timemania, isto é, a contrapartida de mudança no modelo de gestão. A novidade está na chamada Sociedade Empresária Desportiva (SED), modelo que foi adotado em alguns países europeus e no Chile, sem que haja um aumento de carga tributária para os clubes. Como é uma novidade no Brasil, precisa ser analisada com bastante prudência. Tem o mérito, entretanto, de abrir uma porta para o impasse e também de mostrar, caso persistam as resistências por parte da cartolagem, quem são os radicais na discussão. Os radicais da vanguarda do atraso.

Por Juca Kfouri às 09h30

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico