Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

11/11/2006

Inter perfeito, Santos na dele e Vasco decepciona

Inter e Santos fizeram a parte deles.

O Inter com a facilidade esperada enfiou 3 a 0 no Fortaleza, no Beira-Rio, e fica na dele, na espera de um possível tropeço do São Paulo em Goiânia, para manter ainda um ligeiro suspense até o fim do campeonato.

E o goleiro Renan completou oito jogos sem sofrer gols e bateu o recorde de Taffarel, que ficou 701 minutos invicto em 1987.

Não satisfeito, Renan, que era o terceiro goleiro colorado no início da campanha, armou o primeiro gol do Inter, de Iarley, ao jogar como líbero e interceptar um perigoso ataque cearense.

O Santos sofreu para vencer o Paraná Clube, 1 a 0, Tabata aos 43 do primeiro tempo, mas ganhou com justiça, e desperdiçou muitas chances de gol, embora também a brava equipe paranista tenha criado as suas.

Paranistas que não estão mortos.

Porque o Vasco não fez a parte dele, em São Januário.

Saiu na frente com Igor, viu o Juventude desperdiçar um pênalti ainda no primeiro tempo e empatar no segundo.

Por pouco, aliás, os gaúchos não venceram.

O empate vascaíno é mais um ingrediente para a eleição no clube na próxima segunda-feira.

Eleição que será fiscalizada pelo Ministério Público a pedido da oposição.

Que conseguiu, também, por falta de segurança, tirar o pleito de São Januário, levando-o para a sede cruzmaltina do Calabouço, decisão da Justiça que Eurico Miranda tentará revogar por medida liminar.

Por Juca Kfouri às 19h13

Para escapar da Terceirona

A luta na Série B para fugir da Série C é mais aguda do que a para subir à Série A, praticamente decidida.

E com mais envolvidos do que os que lutam na Série A para não cair para a Série B.

São nada menos que oito clubes na briga.

O Ceará, que goleou com dois gols de Maracanã, no Canindé, e dois de Aleluia, a Portuguesa por 4 a 2, é quem está em melhor situação: basta um empate nos dois jogos que faltam (Galo, em Fortaleza, e Ituano, fora) e estará salvo.

O Ceará tem 45 pontos, em 13o. lugar.

O segundo dos últimos, em 18o. lugar, é exatamente a Portuguesa, com 39 pontos, que pode superá-lo.

À Lusa faltam o Vila Nova, em casa, e o Sport, fora.

Sport que tanto poderá estar lutando pelo título como poderá não querer mais nada do campeonato, porque se o Galo vencer o Ceará já será o campeão.

Ao Remo, com 43 pontos, faltam São Raimundo, em Belém, e CRB, fora.

Ao Vila Nova, com 42, restam a Lusa, fora, e o Guarani, em Jataí, Goiás, com portões fechados.

Ao Paysandu, com 41, o Paulista, em casa, e o Marília, fora.

Ao São Raimundo, com 40, o Remo, fora, e o Gama, em casa.

Ao CRB, com 38, o Avaí, fora, e o Remo, em Maceió.

E ao lanterna Guarani, que também pode ainda se salvar, com 38 pontos, falta enfrentar o Sport, em casa, e o Vila Nova, fora.

 

 

Por Juca Kfouri às 19h03

Dá-lhe, Mecão!

O América potiguar segue firme em terceiro lugar, com 60 pontos, como o Náutico, em quarto.

O Mecão virou para cima do Guarani, que abriu o placar no último minuto, gol de Danilo Cruz.

Mas a cruz do Bugre é pesada, graças à herança de direções passadas que liquidaram um clube uma vez campeão brasileiro e de uma das regiões mais ricas do país.

No segundo tempo, o valente Mecão virou com Max (aos 2 e aos 31 minutos), autor dos dois gols.

Foi mesmo o máximo!

Ao América faltam o Santo André, em Natal, e o Atlético Mineiro, em Belo Horizonte.

Ao Náutico restam o Ituano, no Recife, e o Santo André, fora.

Ambos estão cinco pontos na frente de Coritiba e Paulista.

Se o América empatar um jogo, estará classificado porque tem 19 vitórias contra 15 dos perseguidores.

Ao Náutico, para não depender de ninguém, com 17 vitórias, bastará vencer um jogo.

Os dois tem tudo para festejar no Machadão e nos Aflitos o acesso à Primeira Divisão.

 

 

Por Juca Kfouri às 18h20

Leão de volta!

O Sport derrotou o Brasiliense por 3 a 0 no Recife, ontem à noite, e acordou disposto a torcer pelo Galo, com quem disputa o título da Série B.

Até porque este é um título que o rubro-negro já tem e mais importante que a taça é a vaga na Série A.

Uma vitória mineira siginificaria a impossibilidade de o Coritiba alcançar o Leão.

Razão pela qual não é só Minas que festeja.

Pernambuco também comemora a volta de seu time.

E o de maior torcida.

O Sport tem 64 pontos e não pode mais ser alcançado por Coritiba ou Paulista que têm 55, pois faltam apenas duas rodadas.

Para melhorar, o Náutico, que empatou 1 a 1 com o Avaí, em Floripa, está quase lá.

Pena que o Santa Cruz não estará mais.

Por Juca Kfouri às 17h12

Galo virador!

E o Galo virou!

E o Galo voltou!!

Perdia de 2 a 0 para o Coritiba com menos de meia hora de jogo.

Descontou com Marinho ainda no primeiro tempo.

Empatou com Marinho no comecinho do segundo.

E virou com Marcinho, só na base do contra-ataque: 3 a 2.

O primeiro campeão brasileiro, três vezes vice-campeão, seis vezes terceiro colocado e quatro vezes quarto colocado, está de volta.

Graças à simbiose entre uma torcida leal e apaixonada, com um grupo de jogadores bem comandado por Levir Culpi.

Os profissionais do Atlético Mineiro fizeram sua parte.

Que o Ministério Público mineiro, que já afastou Élmer Guilherme da Federação Mineira, faça a dele no inquérito que apura a gestão de Ricardo Guimarães, o banqueiro do valérioduto que levou o Galo à Segunda Divisão.

Que 2007 seja um ano de vida velha no futebol do CAM, de glórias como quase sempre, mas de vida nova em sua gestão, com nova direção.

Salve, Galo!!!

Por Juca Kfouri às 16h53

10/11/2006

Falcão x Zico, a missão

Pois é.

Virou obrigatório acompanhar a marcha das apurações da sondagem do "la Repubblica".

Por mais que sirva apenas para informar.

E por mais que para alguns sirva apenas para irritar.

Temos agora quase 35 mil votos e o Rei de Roma segue na liderança com toda sua elegância e 26% das indicações.

Em segundo vem ele, o Galinho de Quintino, com 23% e o justo amor eterno de seus seguidores.

Parece que a sondagem não tem data para terminar.

Embora este blog torça para que isso aconteça o mais rapidamente possível.

Por Juca Kfouri às 17h31

Assim falou Tite

Tite estava mudo desde que saiu do Palmeiras, há quase 60 dias.

Mas sempre tem alguém insistente para quebrar resistências.

E ele falou.

Até mais do que era de se esperar.

Pegue, como este blog, uma carona na "Entrevista da Sexta".

Está no Blogol, aí do lado esquerdo, entre os que este blog recomenda e, no caso, por duas razões:

a óbvia e a qualidade.

Eu queria mesmo ter um filho assim...

http://blogol.blig.ig.com.br

Por Juca Kfouri às 17h23

09/11/2006

Números da 34. rodada

Aconteceram 26 gols e o público médio foi de 13.502.

Maior público no Morumbi, com 33.992 torcedores.

Pior em São Caetano, 687.

PC Gusmão completou a maioridade: 18 jogos sem vitória!

E ele não tem jeito mesmo.

Um repórter perguntou sobre a forma física do Flu.

Ele respondeu que não seria ético com seus antecessores comentar o assunto.

Ou seja: reconheceu que há problemas e que a culpa é dos outros.

Se fosse mesmo ético, diria que estava tudo bem.

Parabéns!

Com o que levou o Fluminense ao seu 12o. jogo sem vencer.

Por Juca Kfouri às 22h08

É tetra!!!!

Rojões espoucam em Maringá.

Mineiro tinha acabado de furar um voleio, que seria um gol maravilhoso, mas que significou um passe para Souza marcar o segundo gol tricolor no Morumbi.

Maringá, cidade paranaense, parece gostar muito do São Paulo.

São Paulo que teve a sorte de abrir o placar no último minuto do primeiro tempo, com Leandro, coisa que não vi, porque em meio a uma palestra na chamada "Cidade Canção".

Como não vi, nem quero ver, o Cruzeiro ir a Pernambuco para ser derrotado pelo Maranhão, o Júnior, autor de três gols do Santa Cruz na vitória por 4 a 1, que não salva o tricolor e tira os mineiros da Libertadores, porque não a merecem mesmo.

Igualmente ficou difícil para o Botafogo, mas era de se prever.

Se bem que todos que têm 49 pontos ainda podem sonhar, embora só porque não pague imposto.

No hotel era impossível ver dois jogos ao mesmo tempo, razão pela qual também não vi, mas imagino o horror que deve ter sido, Fluminense 0, Ponte Preta 0.

Aliás, mentira, vi os últimos dois minutos, quando soube que a Ponte jogou com 10 todo o segundo tempo.

O Flu merece, ah, como merece...

O que vi do Morumbi, bastou.

Porque o terceiro gol disse tudo, foi como em linha de passe, até Leandro concluir.

Sete pontos na frente do Inter, com apenas 12 pontos para disputar, 20 vitórias contra 18 dos colorados, sabe quando o São Paulo deixará de ser tetra?

Nuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuunca!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Por Juca Kfouri às 21h21

Gato tem antônimo?

Já foi noticiado que na relação dos eleitores para as eleições no Vasco, na segunda-feira que vem, há gente com mais de 100 anos.

Hoje a oposição vascaína se menifestou mais uma vez a respeito.

 

Nota Oficial

O Movimento Unido Vascaíno - MUV - informa que denunciou à Delegacia de Defraudações as irregularidades encontradas na lista de sócios aptos a votar na eleição do próximo dia 13. Um inquérito foi instaurado, nesta quarta-feira (8/11), para investigar a denúncia e o delegado titular decidiu convocar os cinco membros da Junta Deliberativa do processo eleitoral, que são: José Pinto Cabral, presidente da Assembléia Geral; Geraldo Teixeira, presidente do Conselho Fiscal; Carlos Alberto Martins Cavalheiro, presidente do Conselho de Beneméritos; João Carlos Gomes Ferreira, presidente do Conselho Deliberativo; e Eurico Miranda, presidente do clube; para prestar esclarecimentos sobre as alegadas fraudes apuradas.

Na lista, segundo apuração realizada pelo Escritório de Perícia Técnica Jharbas Barsanti, foram encontrados 99 sócios cadastrados em duplicidade; 45 com mais de 110 anos, tendo o mais velho 150; 522 sócios que não possuem registro de endereço e outros 137 que possuem como endereço registrado a divisão de cobranças do clube; 1.778 sem registro de pagamento regular e 1.534 sócios que foram inseridos na lista de 2006 com data de admissão anterior a da elaboração da lista de 2003 e que não constavam da lista mais antiga.

Com base nestes números, o MUV tomou a iniciativa de informar, pelo correio, a todos os sócios que, por ventura, tenham recebido esses falsos títulos de que correm o risco de ser presos em flagrante delito por crime de falsidade ideológica. A Delegacia de Defraudações vai acompanhar qualquer caso de ocorrência por parte desses sócios.

 

Por Juca Kfouri às 16h55

Preocupações de um tricolor competente

Paulo Julio Clement é dos mais experientes repórteres esportivos do país, com passagens significativas pelo "Jornal do Brasil", "O Globo" e CBN.

Hoje trabalha como assessor de imprensa, entre outros de Ronaldo, no Brasil.

É torcedor do Fluminense e mandou a mensagem que segue abaixo:

 

Por PAULO JULIO CLEMENT

Meu caro Juca,

Ontem falamos rapidamente pelo telefone e tocamos nas situações de Corinthians e Fluminense.

 O Corinthians apesar do desastre administrativo, conseguiu, provavelmente por amor próprio dos jogadores, impor um mínimo de qualidade capaz de tirá-lo do dissabor do rebaixamento.

Não cai mais.

Quanto ao Fluminense, espera-se a mesma reação, mas gostaria de analisar com você os fatos que desencadearam neste processo.

Ele começa lá atrás.

Você lembra de como foi escolhido Ivo Wortman?

Uma série de entrevistas com executivos do clube para que fosse avaliado se o treinador tinha o "perfil para o projeto tricolor".

Interessante, novo, bem intencionado talvez.

Mas tudo ruiu logo.

E por um simples fato.

A exemplo do Corinthians, quem paga a conta, ou pelo menos boa parte dela, quer também escalar o time.

Ivo infelizmente cedeu às pressões para lançar num Fla-Flu ainda do primeiro turno do Campeonato Carioca, Pedrinho e Rogério...ambos fora de forma.

Ele não queria, mas escalou.

Ele nega, mas suas contraditórias entrevistas na semana do clássico mostram que sua mudança de idéia foi estranha.

Nem discuto aqui qualidades técnicas porque são jogadores de algum nível.

Na ocasião, o Flu liderava seu grupo.

Conseguiu um 2 a 2 suado, mas o técnico perdeu o comando.

Os jogadores sentiram que ele não mandava tanto.

O time foi perdendo, perdendo e a diretoria começou a mexer em treinador.

Ivo caiu no carnaval.

Veio Paulo Campos e depois o interino Josué Teixeira.

Bingo! O bicampeonato correu pelo ralo.

Trouxeram então Oswaldo de Oliveira.

Talvez não seja o melhor técnico do Brasil, mas provavelmente é dos mais sérios.

Não admite interferência em seu trabalho e isso é uma qualidade.

Que deveria ser óbvia, mas deve ser destacada neste estranho meio do futebol.

O Fluminense estava em sexto lugar no Brasileiro quando Oswaldo caiu.

De fato, seu time tropeçara feio diante do Vasco na Copa do Brasil, mas não foi esse o motivo da queda.

Osvaldo caiu porque "ousou" substituir Petkovic, que já àquela altura demonstrava que vivia uma temporada terrível.

Oswaldo caiu porque substituiu o "craque" do patrocinador, o jogador que reclama de todos no clube, gosta que jogadores indicados por ele sejam escalados, que treina pouco e que rende menos ainda.

Pet sabe jogar?

Claro que sabe, mas se estava mal teria de ser o primeiro a reconhecer e sair atrás da melhor forma.

Um time como diz o sentido da palavra, é um todo, um coletivo e nem os lampejos de Pet, cada vez mais raros, estavam salvando o Fluminense.

E o time foi despencando.

Oswaldo saiu porque tirou Pet. Pode ter certeza disso.

Seus substitutos entraram e pegaram um time desunido, com uns ganhando salários e outros não.

Um time no qual Pet passou a jogar episodicamente, sempre com uma dor, com um probleminha...

Um time sem vergonha de perder de equipes pífias como Ponte Preta e Fortaleza, sem vergonha de empatar com o Santa Cruz, no Maracanã.

Claro que no grupo há exceções, jogadores de brio...mas estes estão perdidos no meio de tantos problemas.

Oswaldo saiu, entraram Josué de novo, Antônio Lopes e por fim, PC Gusmão.

Também não vou discutir as qualidades de cada um deles.

Mas é certo que não são melhores do que Oswaldo.

E pegaram um time destroçado. Gente louca para vender o talentoso Marcelo, enchendo a cabeça do garoto de minhocas. As atuações de Marcelo são prova disso. Ele está confuso.

O Flu agoniza para não cair.

Talvez não caia mesmo porque a Ponte Preta parece mais empenhada na missão, mas vai sofrer para escapar.

Para finalizar, pergunto a você: cadê o Pet, pivô da crise entre o técnico que dirigia um time em sexto lugar?

Está de fora, contundido, com problemas particulares, sem qualquer envolvimento com a crise.

Onde estão os jogadores que seu empresário indicou? Rissut, Angelo, Evando?

Veja o exemplo de Roni, do Atlético Mineiro.

Se machucou, está fora da briga até o fim do campeonato, mas aparece na concentração para incentivar os companheiros, acalmá-los, etc.

Você pode dizer: ora, o Atlético está bem, vai subir.

Vai mesmo. Sabe por quê?

Porque manteve um treinador, se organizou e definiu muito bem quem manda.

A este time do Fluminense, caro Juca, resta uma última demonstração de dignidade.

Mas te digo que os torcedores têm sérias dúvidas sobre o sucesso da empreitada.
 
Paulo Julio Clement

Por Juca Kfouri às 09h36

08/11/2006

Libertadores para poucos

Dois times se despediram ontem da Libertadores do ano que vem.

O Figueirense e o Goiás.

Mais dois correm o mesmo risco hoje.

O Botafogo, mais, porque terá o São Paulo pela frente, no Morumbi.

E o Cruzeiro, menos, porque terá o Santa Cruz, no Recife.

Se, no entanto, vencerem, ficarão a apenas um ponto de Paraná Clube e Vasco, vivíssimos na disputa, e a quatro do Santos.

O tetra do Inter ficou bem mais distante.

E o do São Paulo ali, na esquina.

Mas o futebol anda tão maluco que qualquer previsão será apenas isso, uma previsão.

No andar de baixo, a decisão é hoje.

Uma vitória, obrigatória, do Fluminense, no Maracanã, sobre a Ponte Preta, praticamente define os rebaixados.

Em caso contrário, o Palmeiras, menos, Ponte Preta, Fluminense e, até, São Caetano lutarão para não cair.

Por Juca Kfouri às 23h23

A confissão de Carlos Alberto

Carlos Alberto, do Figueirense, denunciado por ser "gato" pela "Folha de S.Paulo", deu entrevista ao repórter Hélton Luiz, da rádio CBN de Florianópolis, na qual reconhece que errou.

Ele contou que um amigo, que o via jogar peladas muito bem, o convenceu a diminuir a idade para poder se profissionalizar e tirar sua família, que passava fome, da situação de miséria em que vivia.

Disse que se não fosse isso talvez hoje estivesse roubando.

E é provável mesmo.

O drama de Carlos Alberto, que pediu na entrevista que só ele seja punido e garantiu que o Figueirense desconhecia o assunto, é o drama de muitos meninos brasileiros.

A falsificação de seu documento aconteceu em 2000, quando ele tinha, portanto, 22 anos.

A punição pelo que fez, infelizmente, se impõe.

Caso contrário quantos mais terão a mesma, compreensível mas não justificável, desculpa?

Mas o dramático nisso tudo fica muito além do futebol.

Faz parte do drama brasileiro.

Uma lástima.

 

Por Juca Kfouri às 23h12

Cadê os favoritos?

O Inter era favorito contra o Santos.

Porque tem mais pontos, tem mais time e jogou em casa.

Mas, quer saber?

O Inter parecia tão convencido de que venceria que, na verdade, o Santos acabou até por ser mais perigoso.

E o 0 a 0 acabou melhor para a equipe paulista.

Verdade que o Santos continua sem vencer fora de São Paulo, o que é chato.

E que não pode bobear porque a vaga na Libertadores começa a perigar.

Mas se o Inter foi dormir hoje a quatro pontos do São Paulo, pode acordar, na sexta-feira, a sete.

E, daí, o tetra fica muito, mas muito difícil.

E olha que a torcida colorada fez o que pôde para apoiar o time, apático. 

O Atlético Paranaense era favorito contra o Corinthians.

Estava na frente em pontos ganhos, com o time mais inteiro e jogou em casa.

Mas, quer saber?

Perdeu por 2 a 1 depois de fazer um gol nascido de falta em Rosinei e só não perdeu por mais da garotada corintiana porque muitas chances foram desperdiçadas.

O Furacão foi uma decepção e o Timão uma surpresa agradável em sua quinta vitória consecutiva, merecidíssima.

O Goiás era favorito contra o Flamengo.

Estava na frente em pontos ganhos, lutava pela Libertadores e jogou em casa.

Mas, quer saber?

Só vi o gol da vitória rubro-negra, 1 a 0, de Obina, lindo, de fora da área.

Precisa mais?

Afinal, o Obina é melhor que o...

Ah, deixa pra lá.

Por Juca Kfouri às 22h45

Verdão cumpre sua obrigação

Muito superior ao Fortaleza e por 3 a 0, o Palmeiras cumpriu sua obrigação no Palestra Itália e venceu.

O primeiro gol, de Paulo Baier, foi uma pintura.

Edmundo lançou em profundidade para Enílton que, de calcanhar, deu para Baier marcar com um toque sutil sobre o goleiro.

O segundo e o terceiro gols vieram no segundo tempo, com Enilton e Juninho, em cobrança de pênalti.

Vitória irretocável e obrigatória.

Sem comemorações, por favor.

O Palmeiras é muito grande para festejar a permanência na Primeira Divisão.

Por Juca Kfouri às 21h22

Falcão x Zico: não se irrite

Não quero irritar ninguém nem em interferir em coisa alguma: informo, apenas, que Zico já tem 22% das indicações entre os "10 mais" brasileiros que jogam ou jogaram na Itália, na pesquisa do jornal "la Repubblica".

Falcão continua com 25%.

E deixo clara minha opinião: Falcão, que virou Rei de Roma, e deu um título ao Roma depois de 40 anos sem ser campeão, não só foi o melhor dos brasileiros na Itália, como era mais completo que o fabuloso Zico.

Questão de gosto.

E gosto se discute sim.

E como!

Importa dizer que ambos foram gênios.

E que este blog não poderia mencionar a sondagem do jornal italiano sem dar o endereço do dito cujo.

E que, de mais a mais, qualquer um que vença não muda nada.

Nem a opinião de ninguém.

Por Juca Kfouri às 20h49

Noite de gala em São Januário

Arquibancadas tomadas, jogo tenso, ríspido e bom para o Vasco e suas muitas opções de bola parada, com Andrade, principalmente, e com Ramón.

E foi por eles que saíram os dois primeiros gols da vitória cruzmaltina.

Andrade já tinha batido duas faltas com muita violência e veneno, ambas apenas defendidas parcialmente pelo goleiro Flávio.

Mas num escanteio cobrado por Ramón, Flávio trombou com um zagueiro, socou a bola para a marca de pênalti e o zagueiro Fábio Braz, de virada, abriu o placar.

Morais pintava e bordava em sua volta ao time vascaíno e, no último minuto do primeiro tempo, já que em cobranças de faltas não deu, Andrade fez um golaço de fora da área, daqueles gols de matar o adversário.

Só que o adversário era o tranquilo e bem organizado Paraná Clube, imagem e semelhança de seu técnico Caio Jr.

E nem bem o segundo tempo começou o Paraná Clube diminuiu, com Cristiano.

Aí, quando subia de produção à medida que os minutos passavam, os paranistas sofreram o golpe fatal: Ramón, de novo, bateu falta na esquerda e Pierre cabeceou contra seu próprio gol, 3 a 1, aos 15 minutos.

Daí para frente o Vasco poderia até feito mais.

Mas nem precisava, como o Paraná Clube não merecia ser goleado.

Paraná Clube e Vasco têm os mesmos 53 pontos, mas os paranistas continuam na frente, porque têm duas vitórias a mais.

Só que o time paranaense pega, na próxima rodada, o Santos, na Vila Belmiro, outro alçapão, enquanto o Vasco recebe o Juventude, os dois jogos no sábado.

Depois, restará ao Vasco jogar contra o São Caetano, no ABC; o Santos, em São Januário e o Figueirense, em Floripa.

Ao Paraná Clube faltarão o Inter, em casa; o São Caetano, no ABC e o São Paulo, em Curitiba.

O Juventude teve suas garras cortadas pelo Grêmio, que o derrotou, em Caxias, por 2 a 1 e sem maiores dificuldades, praticamente garantindo a vaga na Libertadores.

Coisa que ficou distante do Figueirense, derrotado pelo São Caetano, no ABC, por 3 a 1, com direito a um penâlti perdido e três expulsões, além do técnico Waldemar Lemos.

Reflexos da miada de Carlos Alberto?

Em tempo: o primeiro gol do Azulão, de Martin, quase do meio de campo, é desses para ver e rever todos os dias.

Por Juca Kfouri às 20h27

Falcão x Zico

Só para constar, acompanhar e informar:

A sondagem do jornal "la Repubblica" sobre os melhores brasileiros que atuaram ou atuam na Itália que, com 25 mil votos, tinha Falcão em primeiro com 26% e Zico em segundo com 17%, agora, com 31.574 indicações, mantém o Rei de Roma na frente, com 25%, e o Galinho de Quintino em segundo, mas com 21%.

Só pode ser coisa da torcida do Flamengo...

Confira em http://www.repubblica.it/speciale/poll/2006/sport/brasiliani_risultato.html

Por Juca Kfouri às 00h25

07/11/2006

Dois jogos. E mais cinco

Sete partidas abrem hoje a 34o. rodada do Brasileirão.

Destas, duas merecem atenção especial:

Inter e Santos, no Beira-Rio, é uma delas.

Porque é jogo para o Colorado manter a pressão sobre o São Paulo, que só joga amanhã.

É ganhar do Santos e ficar a dois pontos do líder, pelo menos até a noite da quinta-feira.

E o favoritismo é vermelho.

O outro jogo que vale muito será disputado em São Januário, entre Vasco e Paraná Clube.

Sem favorito.

Por jogar em casa, o Vasco tem a chance de empatar em pontos com os paranistas, embora não em número de vitórias.

Vale vaga na Libertadores e o empate serve ao bom time do técnico Caio Jr. que, no entanto, tem todas as condições para vencer.

Faltam cinco jogos.

O Furacão, favoritíssimo, recebe o Corinthians, mas o jogo vale pouco, quase nada.

Diferentemente dos quatro outros, três deles com a Libertadores em vista.

Porque Juventude e Grêmio vale muito para o Grêmio, diante de tarefa dura em Caxias do Sul.

Como São Caetano e Figueirense, no ABC, vale para o time catarinense.

E como Goías e Flamengo, no Serra Dourada, faz todo sentido para os goianos.

O blog aposta em empate no sul, vitória do visitante no ABC e do anfitrião em Goiânia.

Finalmente, um jogo para fugir do rebaixamento.

No Palestra Itália, Palmeiras e Fortaleza.

Serve só ao Palmeiras, diga-se de passagem.

Que deve vencer.

Se não ganhar, cá entre nós, merecerá ser rebaixado. 

Por Juca Kfouri às 23h19

Não mexam no Figueirense

O repórter Sérgio Rangel provou hoje por a+b, na "Folha de S.Paulo", que o bom volante Carlos Alberto, do Figueirense, é gato de cinco anos.

Tem 28 em vez dos 23 que mostra sua falsa certidão de nascimento.

Certidão que usou para ser campeão mundial pela Seleção Brasileira sub-20.

O atleta merece punição severa por ser conivente e, já adulto, manter a fraude.

O Figueirense não.

O clube é vítima e não tinha como saber.

Além do mais, não teve nenhum benefício com a fraude, ao contrário da Seleção Brasileira sub-20, que contou com um jogador que já tinha 25 anos.

Que a Fifa puna a CBF até faz sentido, porque não é a primeira vez que é flagrada e, quem sabe, com uma punição a entidade aprenda a ser mais rigorosa e fiscalizadora.

A Federação Mexicana, por exemplo, foi, pelo mesmo crime.

Mas o Figueirense certamente é vítima, até pelo aval da CBF. 

E atenção: este caso não tem nada a ver com a punição, injusta e política, do São Paulo no caso Sandro Hiroshi.

Embora ele também fosse gato, a punição deu-se por uma irregularidade na transferência dele para o São Paulo,  apesar de, também, com o aval da CBF.

Isto é: o São Paulo não foi punido por ter um gato no elenco.

Por Juca Kfouri às 21h16

Quase, Galo! E cuide-se

O Atlético Mineiro está quase de volta à Primeira Divisão, seu lugar.

Ganhou do São Raimundo por 4 a 0, três gols de Galvão, um de Marinho.

Como, no entanto, o Coritiba ganhou do Paysandu (3 a 1), matematicamente o Galo ainda não voltou, porque o time paranaense pode alcançá-lo em pontos, em número de vitórias e, em tese, no saldo de gols.

Para tanto, porém, o Galo teria de perder seus três jogos restantes e o Coritiba ganhar os dele, além de tirar uma diferença de 17 gols.

Por coincidência, Coritiba e Galo se enfrentam, em Curitiba, na próxima rodada.

Depois, o Galo tem o Ceará, que luta para não descer, em Fortaleza, e o América, que luta para subir, no Mineirão.

O Galo com um empate se garante.

E que a torcida do alvinegro mineiro não se iluda.

O Galo precisa renovar sua direção, a exemplo do que aconteceu com o Grêmio e com o Botafogo.

Quem não o fez, como o Palmeiras, continua a sofrer.

O Sport, ao empatar (1 a 1) com o Ituano, também terá de esperar mais um pouco.

Jogará com o Brasíliense, no Recife, com o Guarani, em Campinas, e com a Portuguesa, também na Ilha do Retiro.

O América venceu o Avaí (3 a 0) e segue firme entre os quatro, em quarto lugar.

Terá pela frente o Guarani, fora, o Santo André, em casa, e o Galo, fora.

O Náutico derrotou o Gama (1 a 0) e permanece em terceiro.

Enfrentará o Avaí, fora, o Ituano, em casa, e o Santo André, fora.

E o Coritiba sobrevive, com fé, em quinto, a apenas dois pontos do América.

Seus três últimos jogos serão contra o Galo, Gama, fora, e Avaí, em casa.

Por Juca Kfouri às 21h08

Pernas curtas

A pergunta que se faz no Parque São Jorge é apenas uma:

Como pode Renato Duprat se dizer o novo representante da MSI, se reunir com a direção do clube à tarde e, à noite, depois de a direção corintiana publicar uma nota oficial com a suspensão de Carlos Alberto, sair outra nota, desta vez da própria MSI, por orientação de Kia Joorabchian, para refutar a do Corinthians?

A resposta é um mistério.

Mas a verdade é uma só: Alberto Dualib não rompe já a parceria porque teme que o outro lado resolva contar o que sabe.

Por Juca Kfouri às 11h35

Ultimato no Palmeiras

O grupo de oposição no Palmeiras fez um ultimato ao presidente do clube, Afonso Della Monica: ou tira o homem forte do futebol, Hugo Palaia, ou será formada mais uma chapa para concorrer com ele nas eleições de janeiro.

Uma terceira chapa praticamente significará a derrota de Della Monica, já fustigado pelo seu ex-aliado Mustafá Contursi que concorrerá.

Por Juca Kfouri às 11h13

Deu no CIDADE DO FUTEBOL

Centenários despertam dúvidas na lista de eleitores do Vasco

Oposição enumera irregularidades e pode adiar eleição na Justiça

Bruno Império


Um total de 51 sócios com mais de 103 anos e a presença do ex-atleta Adhemar Ferreira da Silva (falecido em 2001) na lista de sócios aptos a votar nas próximas eleições do Vasco da Gama despertaram a desconfiança da chapa de oposição "Por Amor ao Vasco". Por conta dessa e de outras supostas irregularidades na relação apresentada pela atual diretoria, o grupo presidido por Roberto Dinamite, candidato que enfrenta o atual presidente Eurico Miranda nas urnas, encaminhou o documento à Justiça. O procedimento poderá culminar no adiamento do pleito, marcado para o próximo dia 13.

http://cidadedofutebol.uol.com.br/cidade2006/Materia.aspx?IdArtigo=4030

Por Juca Kfouri às 10h41

ERREI!

Errei na conta.

O Galo não depende só de si, como escrito na nota abaixo.

Depende sim de um empate do Coritiba (contra o Paysandu, em Belém) e de uma derrota ou do América (contra o Avaí, em Natal) ou do Paulista (contra a Portuguesa, em Jundiaí).

Já o Sport precisa do empate coxa e de derrotas dos potiguares e do Paulista.

Desculpe.

Mesmo.

Por Juca Kfouri às 10h27

É hoje! Vamos subir, Galo! Vamos subir, Leão?

Na rodada de hoje da Série B, o Atlético Mineiro é o único que depende só de si para voltar à Primeira Divisão.

Basta vencer, no Mineirão certamente lotado, o São Raimundo, de Manaus, penúltimo colocado.

De quebra, o Galo pode conseguir sua 12o. vitória seguida em casa e quebrar o seu próprio recorde obtido em 1977, quando foi vice-campeão brasileiro da Série A.

O Atlético Mineiro, nunca é demais lembrar, é o primeiro campeão brasileiro, título que obteve em 1971, mas, vítima de gestão temerária de seu presidente Ricardo Guimarães, o dono do BMG do valerioduto, caiu no ano passado para a Segunda Divisão.

Hoje o sofrimento deve acabar, graças ao apoio de sua apaixonada torcida e do bom trabalho do técnico Levir Culpi.

Outro que pode subir hoje é o Sport.

Só que a tarefa do Leão é mais complicada:

tem de ganhar do Ituano, 12o. colocado, em Itu, e ainda torcer para o Coritiba não vencer o Paysandu, em Belém.

Que dá, dá, mas mesmo que não dê hoje, certamente dará na próxima rodada.

Por Juca Kfouri às 00h25

06/11/2006

Últimas da MSI

Renato Duprat, que quebrou a Unicór e apresentou Kia Joorabchian ao Corinthians, está de volta ao país.

Boquirroto, anuncia:

1. Deve assumir o lugar de Kia Joorabchian na MSI;

2. Começará tudo do zero na empresa;

Leitura: Joorabchian deixou de ser interessante para os russos.

Duprat, no entanto, tem uma folha corrida que faz de Joorabchian aluno de colégio de padre.

Memória: diversas vezes aqui foi escrito que não seria surpresa se um dia Joorabchian viajasse para Londres e nunca mais voltasse.

Pois é exatamente o que está acontecendo.

Ele foi embora antes da Copa de 2006, logo depois da detenção de Boris Berezovski pela Polícia Federal, e nunca mais voltou.

O Corinthians?

Ora, o Corinthians que se dane.

A dupla Alberto Dualib/Renato Duprat será tão deplorável que a mulher do presidente corintiano já chegou a proibir a presença dele em sua casa.

Mas, tudo bem.

Principalmente enquanto Emerson Leão continuar como presidente, de fato, do Corinthians.

Afinal, foi Duprat quem o representou nas negociações com o clube.

Por Juca Kfouri às 19h36

Frases&Futebol

 “O futebol transforma em heróis pessoas que não seriam absolutamente nada”.
- Lima Barreto (escritor)

"Hoje o futebol é uma indústria que contribui para a promoção de uma cultura de egoísmo e cobiça". 
- Papa João Paulo II, em audiência com o presidente da Fifa, Joseph Blatter. 

"Não tenho nem idéia do que seja um pênalti, mas vou tentar aprender".
- Shakira, cantora, convidada para cantar na abertura da Copa do Mundo


"Clássico é clássico e vice-versa..."
- Jardel (ex-atacante do Grêmio e da Seleção Brasileira).

"Jogador é o Didi, que joga como quem chupa laranja..."
"Se concentração ganhasse jogo, o time da penitenciária não perdia uma."
"Se macumba ganhasse jogo, o campeonato baiano terminava empatado."
"Quem pede tem preferência, quem se desloca recebe."
- Neném Prancha (ex-roupeiro do Botafogo, ex-técnico de futebol de praia e filósofo da bola).

"Chegarei de surpresa, dia 15, às duas da tarde, vôo 619 da VARIG..."
- Mengalvio (ex-meia do Santos, em telegrama mandado a família quando em excursão à Europa).

"No México que é bom. Lá a gente recebe semanalmente, de quinze em quinze dias..."
- Ferreira (ex-ponta-esquerda do Santos)

"Tenho o maior orgulho de jogar na terra onde Cristo nasceu..."
- Claudiomiro (ex-atacante do Internacional ao chegar em Belém do Pará para disputar uma partida contra o Paysandu pelo Brasileirão de 72).

"Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe."
- Jardel (ex-atacante do Grêmio).

"Não sei, chutei, a bola foi indo, indo.... e iu!"
- Nunes (ex-atacante do Flamengo ao descrever um gol que tinha feito).

"Fiz que fui, não fui, e acabei fondo!"
- Nunes (ex-atacante do Flamengo).

"Tanto na minha vida futebolística quanto com a minha vida ser humana..."
- Nunes (ex-atacante do Flamengo, em uma entrevista antes do jogo de despedida do Zico).

"Não venham com problemática que eu tenho a solucionática."
- Dadá Maravilha (ex- jogador de futebol e primeiro marqueteiro do nosso futebol).

"Só existem três coisas que param no ar: Beija-Flor, Helicóptero e Dadá."
- O mesmo Dadá Maravilha da frase anterior.

"Eu disconcordo com o que você disse."
- Vladimir (ex-lateral-esquerdo do Corínthians em uma entrevista para a Rádio Record).

"A moto eu vou vender, e o rádio eu vou dar pra minha tia."
- Josimar (ex-lateral direito do Botafogo ao responder a um repórter o que iria fazer com o Motoradio que ganhou como melhor jogador da partida).

"Bom, eu não achei nada, mas o meu companheiro ali achou uma correntinha; acho que é de ouro, dá pra ele vender!"
- O mesmo Josimar ao ser perguntado o que ele achou do jogo.

"Nem que eu tivesse dois pulmões eu alcançava essa bola."
- Bradock - amigo de Romário reclamando de um passe longo.

"Realmente minha cidade é muito facultativa."
- Elivelton (ao repórter da Jovem Pam que falava das muitas escolas de ensino superior existentes na cidade natal do jogador).

"A partir de agora meu coração tem uma cor só: rubro-negro."
- Fabão (zagueiro, hoje no São Paulo, ao chegar para o Flamengo).

"Campeonatinho mixuruco, nem tem segundo turno!"
- Garrincha durante a comemoração da conquista da Copa do Mundo em 58.

"Você viu, Didi, o São Cristóvão está de uniforme novo!"
- Garrincha, em 62, no Chile, reparando no uniforme dos ingleses.

"Que interessante, aqui no Japão só tem carro importado!"
- Jardel, jogador de futebol, referindo-se aos Toyotas e Mitsubish's.

"Jogador tem que ser igual ao pato, que é um ser aquático e gramático"
- Vicente Mateus - lendário presidente do Corinthians.

Estavam na concentração do Flamengo Jamir e Fábio Baiano, quando o segundo lendo a revista CARAS, falou:
- Porra, Jamir, este cara é muito rico mesmo. Olhe a casa dele. Você não conhece? Este é o Abílio Diniz, dono do Pão de Açúcar.

Então Fábio Baiano arremata:

- Puxa, não sabia que estes bondinhos davam tanto dinheiro!

Eleição difere de pesquisa. Enquanto as pesquisas, como as partidas de futebol, produzem resultados, as eleições produzem mandatos
— Elio Gaspari, novembro/2002

Apesar de o Pelé ser o melhor jogador do mundo, foi substituído
— Luiz Inácio Lula da Silva, 23/01/2004, usando mais uma vez o futebol, desta vez para justificar a reforma ministerial.

"A partida só tinha 90 minutos e a Seleção escondeu demais o jogo".
- Luiz Inácio Lula da Silva, 17.11.2003, falando sobre futebol

"Não vou analisar o Ministério do presidente, por quem tenho admiração. Acho que é importante cada macaco no seu galho".
- Resposta de Carlos Alberto Parreira, técnico da Seleção Brasileira, falando sobre política

"O futebol brasileiro é uma coisa jogada com música".
- João Saldanha

"Os italianos não podem nos vencer, mas nós certamente podemos perder contra eles"
- Johan Cruijff

"Sem a bola, você não pode ganhar"
- Johan Cruijff

"A velocidade é frequentemente confundida com o discernimento. Quando eu começo a correr antes dos restantes, pareço ser mais rápido"
- Johan Cruijff

"Antes que eu faça um erro, eu NÃO FAÇO esse erro"
- Johan Cruijff

"Toda a desvantagem tem a sua vantagem"
- Johan Cruijff

"Para ganhar você tem de marcar um gol a mais do que o adversário"
- Johan Cruijff

"O acaso é lógico" 
- Johan Cruijff

"Copa do Mundo é a pátria de chuteiras"
- Nelson Rodrigues

"Se concentração ganhasse jogo, o time dos monges beneditinos seria imbatível"
- João Saldanha.

“O football é uma escola de violência e brutalidade e não merece nenhuma proteção dos poderes públicos, a menos que estes nos queiram ensinar o assassinato.”
- Lima Barreto.(Careta, Rio, 03/06/1922)

“Tudo tem um limite e o football não goza do privilégio de cousa inteligente.”
- Lima Barreto. (Careta, 01/07/1922)

“(...) estou convencido, como o meu amigo Süssekind, que o sport é o 'primado da ignorância e da imbecilidade'. E acrescento mais: da pretensão. É ler uma crônica esportiva para nos convencermos disso. Os seus autores falam do assunto como se tratassem de saúde pública ou de instrução. Esquecem totalmente da insignificância dele. Um dia destes o chefe de polícia proibiu um encontro de boxe; o cronista censurou asperamente essa autoridade que procedera tão sabiamente, apresentou como único argumento que, em todo o mundo, se permitia tão horripilante cousa. Ora, bolas! Certa vez, o governo não deu não sei que favor aos jogadores de football e um pequenote de um clube qualquer saiu-se de seus cuidados e veio pelos jornais dizer que o football tinha levado longe o nome do Brasil. Risum teneatis?... O meu caro doutor Süssekind pode ficar certo de que, se a minha liga morreu (a Liga Brasileira contra o Football), eu não morri ainda. Combaterei sempre o tal de football.”
- Lima Barreto. (Careta, Rio, 08/04/1922)

 
 

Por Juca Kfouri às 12h01

Tiro pela culatra

O humorista Welder Rodrigues, mais conhecido como Jajá, não aceitou a homenagem que o presidente do Vasco, Eurico Miranda, quis lhe fazer depois que o jogador Jean comemorou o terceiro gol contra o Flamengo imitando o comediante.
 
Jajá declara nos vídeos abaixo que é fã de Roberto Dinamite e explica  por que não aceitou a homenagem.

Os integrantes do grupo "Os Melhores do Mundo" aproveitam e fazem homenagem ao ídolo Roberto Dinamite. 
 
http://www.youtube.com/watch?v=JLBHaXH-B70
 
http://www.youtube.com/watch?v=7QLJy-jUiI4
 

Por Juca Kfouri às 11h53

05/11/2006

Gol anulado?

Assim que Rodrigo Tiuí recebeu a bola, que passou em seguida pra Zé Roberto, o narrador do Sportv, Jota Jr., na Vila Belmiro, advertiu: "O auxiliar levantou a bandeira, não está valendo mais nada."

Portanto, não houve gol anulado do Santos, o que seria o do empate diante do São Paulo.

E só mesmo Vanderlei Luxemburgo para reclamar que Lenílson fez falta no lance que originou o gol de Mineiro.

Pensar que houve quem, neste blog, a propósito de comentar a nota "O choro é livre. E chato", escreveu que Luxemburgo tinha mudado, que estava pagando pela fama etc etc e tal.

Gente que não conhece a fábula do escorpião e da tartaruga.

Por Juca Kfouri às 23h01

A briga é pela Libertadores

O campeonato não está decidido em cima porque futebol é futebol e sabe-se lá o que pode acontecer para que o Inter ainda alcance o São Paulo.

Reitero, no entanto, que será preciso chover canivete e uma bomba nuclear cair sobre o Morumbi para que em cinco rodadas os cinco pontos que separam o líder do vice-líder desapareçam.

O campeonato não está decidido em baixo porque futebol é futebol e o Fluminense e o Palmeiras estão concorrendo com a Ponte Preta para ver quem faz mais besteiras.

E a diferença é de apenas três pontos entre Palmeiras e Ponte e de dois entre Flu e Ponte.

Que, por sinal, se enfrentam nesta quinta-feira, no Maracanã.

Mas o que não está mesmo decidido é sobre quem vai fazer companhia ao São Paulo, Inter e Flamengo na Libertadores-2007.

Santos e Grêmio permanecem com o queijo e a faca na mão, mas que não bobeiem.

Se isso for verdade, sobra uma vaga e esta tem nada menos do que seis pretendentes.

No momento a vaga é, com justiça, do Paraná Clube, com 53 pontos.

Mas apenas três pontos atrás vem o Vasco, que joga exatamente com o Paraná Clube, nesta quarta-feira, em São Januário.

Com quatro pontos atrás vêm Cruzeiro, Botafogo e Figueirense. 

E, com cinco pontos de diferença, tem o Goiás, que atropela por fora.

A 33o. rodada teve apenas 23 gols e média de público de 15.706 torcedores, menor que a anterior, no meio da semana e à noite.

O maior público foi o do Gre-Nal, com 34.572 pagantes e o menor o de Floripa, com 4.074.

 

Por Juca Kfouri às 21h40

Os três jogos da noite

O Corinthians fez 1 a 0 com Marcelo Mattos batendo pênalti cometido sobre Roger (que sofreu outro não assinalado), teve mais umas cinco chances desperdiçadas de gol e tomou bons sustos diante do lanterna Santa Cruz.

Bola na trave, por exemplo,  e um lance de interpretação do árbitro: Magrão, na barreira, dentro da área, meteu o braço na bola ou a bola bateu em seu braço?

Seja como for, o Corinthians, com atuação sofrível, e sofrida pelos gols perdidos, obteve sua quarta vitória seguida e não precisa mais se preocupar com o rebaixamento.

O que é muito pouco, diga-se.

Já o Palmeiras ainda tem de se preocupar.

O que é escandaloso.

O Paraná Clube esteve duas vezes atrás, mas virou, 4 a 2, placar, aliás, mais que esperado se compararmos os dois times.

O time paranista segue firme em busca da Libertadores e recupera-se da surpresa que o Flamengo lhe impôs.

Para piorar, São Marcos, que foi mantido por Jair Picerni, sem coragem de corrigir o erro de Marcelo Vilar que o escalou no lugar de Diego Cavalieri, furou ridiculamente a bola no lance que valeu o 2 a 2.

E o Fluminense, que, enfim, venceria, segundo promessa de seu falante treinador, perdeu para o Botafogo, 2 a 1, os três gols no segundo tempo, dois deles depois dos 40.

Zé Roberto fez 1 a 0 aos 32 e 2 a 1 aos 45, depois que o Flu empatara aos 44.

Segundo tempo que, diga-se, teve, ao contrário do primeiro que foi horroroso, um pouco de futebol e bastante emoção pelas circunstâncias do final do jogo.

O Fogão segue firme em seu sonho de Libertadores.

O Flu está há 11 jogos sem vencer.

E, para não perder o hábito, PC Gusmão completou 17 jogos sem vitória.

Qual será o limite?

Palmeiras tem apenas três pontos e Fluminense só dois a mais que a Ponte Preta, com quem jogará nesta quinta-feira, no Maracanã.

Por Juca Kfouri às 18h44

Vida e morte no Brasileirão

O Cruzeiro vive depois de ganhar do Vasco, 2 a 1, no Mineirão.

Dá, aliás, a medida deste campeonato, porque, mesmo aos trancos e barrancos, pode chegar ainda à Libertadores.

Como o Goiás que, nas mãos de Geninho, volta a empolgar, depois de derrotar o Fortaleza no Ceará, por 3 a 0, e também alimenta esperanças.

Foram duas vitórias fora de casa (contra o Palmeiras, a primeira) e marcando três gols.

O Fortaleza está morto assim como a Ponte Preta, que conseguiu a façanha de empatar com o São Paulo, no Morumbi, e perder do São Caetano (primeira vitória do Azulão no segundo turno) em Campinas, 2 a 1.

Os três morrem abraçados.

Por Juca Kfouri às 17h06

Tricolor soberano. Colorado persistente

Para sorte do futebol, Mineiro, aos 29 minutos, recebeu o passe do pivô Lenílson e fez 1 a 0 para o São Paulo, na Vila Belmiro.

Sorte do futebol e azar do Santos, que entrou em campo com a idéia fixa de não deixar que houvesse jogo, proposta medíocre e medrosa.

Até o gol, de fato, jogo não havia, numa sucessão de passes errados e faltas.

O curioso é que, em última análise, se o empate seria ruim para os dois, pior seria para os donos da casa.

E mais curioso ainda foi que, mesmo depois do 1 a 0, se alguém teve mais perto de novo gol este alguém acabou sendo exatamente o São Paulo.

Se, por exemplo, em vez de Rogério Ceni, um cone estivesse no gol tricolor teria dado na mesma.

Para o segundo tempo o Santos deu a impressão de voltar diferente.

Antes do vigésimo segundo Reinaldo soltou uma bomba no travessão.

Aos 12, Zé Roberto empatou em posição legal, mas a arbitragem marcou, CORRETAMENTE, impedimento de Rodrigo Tiuí (o Tira-Teima da Globo mostrou que estava, por 9 centímetros) só para botar mais lenha na fogueira dos lances decisivos na reta final.

Aos 26, Lenílson deu uma pancada criminosa na boca de André e o árbitro nada fez.

Só dava Santos na Vila e a pergunta era obrigatória: por que não jogou assim desde o começo?

Não jogou, perdeu e o São Paulo só não ri mais porque o Inter também venceu o Grêmio, com gol de Iarley, num Olímpico menos lotado do que se esperava certamente por medo de violência.

O primeiro tempo do Gre-Nal foi também muito ruim, com apenas um lance mais emocionante causado pelo ataque gremista.

Mas o Inter marcou primeiro no segundo tempo, num lance ingrato para o goleiro gremista que, em seguida, salvou o segundo gol, nos pés do mesmo Iarley.

Este Inter é mesmo duro na queda.

Sexta vitória consecutiva, seis jogos sem tomar nem sequer um gol.

Por Juca Kfouri às 17h00

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico