Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

06/01/2007

A segunda fase da Copa dos Sonhos

Botafogo, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras, Santos e Vasco estão classificados para a segunda fase da Copa dos Sonhos.

Que será disputada, lembremos, também em sistema eliminatório.

Só a terceira fase é que reunirá os três finalistas num triangular sensacional.

Novo sorteio foi realizado na sede da CBFS para definir os três jogos da segunda fase.

E o resultado foi perverso pois, logo de cara, determinou que o Botafogo de Mané enfrente o Santos de Pelé.

Se não bastasse, pôs já nesta fase, frente a frente, o Cruzeiro de Tostão com o Flamengo de Zico.

Palmeiras e Vasco farão o outro jogaço.

É hora de ver quem tem mais garrafa para vender.

Botafogo e Santos jogarão nesta segunda-feira, quando o jogo, final antecipada para a maioria, será devidamente apresentado.

Até lá!

Por Juca Kfouri às 23h46

05/01/2007

Verdão ganha o clássico

O Corinthians só teve uma indicação, de Renato Maurício Prado.

Todos os demais especialistas cravaram o Palmeiras, mesmo reconhecendo grande equilíbrio na disputa.

Entre os blogueiros, também deu Verdão: 200 a 134.

E ARMANDO NOGUEIRA, enfim, conectado, também indicou o Palmeiras, sem maiores comentários

ALBERTO HELENA JR.

Também aqui, num mata-mata, prevaleceria o equilíbrio.

O Palmeiras venceria.

PAULO VINÍCIUS COELHO


Que o Luizinho sentava na bola diante do Luiz Villa, a gente sabe.

Mas na frente do Dudu?

Então, o jogo começa equilibrado e só pode ser decidido por quem fez história no clássico.

Luizinho fez o gol do título do IV Centenário, num empate por 1 x 1 com o Palmeiras.

Marca 1 x 0 aqui.

Rivaldo marcou o gol do bi brasileiro, em 1994, contra o Corinthians.

Empatou a nossa partida.

Mas Sócrates marcou em semifinal e Evair... bem, Evair não precisa nem lembrar, né?

Então, Palmeiras 2 x 1.

RENATO MAURÍCIO PRADO

Corinthians 2 a 1 Palmeiras - gols de Rivelino e Casagrande x Julinho
 
Jogo dramático, parelho e muito bem jogado.

Sócrates e Rivelino formam uma dupla de sonhos, contrablançada por Rivaldo e Ademir da Guia no Verdão.

O Corinthians sai na frente, com uma bomba de Riva, mas o Palmeiras empata, com um golaço de Julinho.

O empate parece definido quando há uma falta no lado esquerdo do ataque corintiano.

Sócrates bate em cruzamento, Roberto Carlos ajeita o meião e... Casagrande define para a turma do Parque São Jorge.

TOSTÃO

Corinthians 2 x Palmeiras 3

Como Felipão perdeu pelo Grêmio contra o Flamengo, vai ganhar do Corinthians.

Ele não é técnico para perder duas seguidas...

MÁRCIO GUEDES

Sou mais o Verdão com o grande Djalma, Ademir da Guia e o grandíssimo Júlio Botelho.

UGO GIORGETTI

Jogo para outro grande empate.

O Palmeiras só ganhou porque Filpo Nuñes, que assitia o jogo atrás do banco, gritou pro Scolari colocar o Chinesinho no lugar do Cesar Sampaio.

Deu Palmeiras, no sufoco.

FERNANDO CALAZANS

O jogo mais duro de todos.

Peraí: Casagrande e Neto?

(E pensar que jogaram o Rivelino pra ponta-esquerda...)

Não é duro, não.

Dá Palmeiras do grande Djalma Santos, do Divino Ademir da Guia e do inesquecível Julinho, meu ídolo, que seria o Garrincha do futebol brasileiro se não tivesse existido o Garrincha propriamente dito.

Dá Palmeiras, até com o colégio eleitoral escalando o Evair.

RUY CARLOS OSTERMANN

Repete-se o fato, Felipão está de um lado, o grande Caçamba do outro.

Mas vai prevalecer a empolgação e só por ela o Palmeiras ganha, até porque um dos líderes do técnico, Rivaldo, o do penta, deve ajudar.

Por Juca Kfouri às 23h14

04/01/2007

Agora vai ferver

Corinthians e Palmeiras entraram em campo com seus times dos sonhos para encerrar a primeira fase da Copa dos Sonhos.

E com o clássico de maior rivalidade desta fase.

O técnico corintiano Oswaldo Brandão tratou de tentar compensar a falta de marcadores com um sistema tático mais equilibrado e escalou o time no velho WM: Gillmar, Zé Maria e Wladimir; Sócrates, Gamarra e Roberto Belangero; Cláudio, Luizinho, Casagrande, Neto e Rivellino.

Luiz Felipe Scolari teve mais sorte pois seu Palmeiras veio praticamente pronto num 4-4-2: Marcos, Djalma Santos, Luís Pereira, Waldemar Fiúme e Roberto Carlos; Dudu, César Sampaio, Rivaldo e Ademir da Guia; Julinho e Evair.

Como o dono do blog foi consultado sobre o seu Corinthians dos sonhos, cumpre informar que seu time seria:

Gilmar, Zé Maria, Gamarra, Amaral e Roberto Belangero; Dino Sani, Rincón, Sócrates e Rivellino; Cláudio e Baltazar.

E com dor no coração pelas ausências de Wladimir (Roberto era excepcional e ídolo da minha infância);

Marcelinho (grande vitorioso com a camisa corintiana, mas até nas cobranças de faltas era inferior a Cláudio, o "Gerente", maior artilheiro da história alvinegra);

e de Neto, que ganhou praticamente sozinho o Campeonato Brasileiro de 1990, mas que não poderia barrar nem Sócrates, o mais original de todos os craques que já passaram pelo Parque São Jorge, nem Rivellino, o melhor jogador da história corintiana).

Washington Olivetto, que também votou e escalou Gilmar, Zé Maria, Daniel González, Gamarra e Wladimir; Neto, Sócrates e Rivellino; Marcelinho, Casagrande e Tevez está pessimista quanto ao resultado do jogo.

Ele mandou uma mensagem ao blog nos seguintes termos:

"Nós vamos perder porque os nossos torcedores (tarados e  emocionais que são) escalaram errado.

E olhe que ele escalou Neto como...volante(?!).

Enfim, os dados estão lançados.

Cabe, agora, a sua opinião.

A dos especialistas, como sempre, será publicada em 24 horas.

Por Juca Kfouri às 23h50

03/01/2007

Quase só deu Mengão!

Entre os especialistas só não houve unanimidade porque o professor Ostermann, coerente com sua preferência pelo estilo gaúcho de jogar, ficou com o Grêmio.

Todos os demais votaram no Flamengo, aí incluídos os que militam em São Paulo.

Que haja divergências é mais que natural, só não vale a acusação de bairrismo, porque se fosse por isso, a rivalidade entre paulistas e cariocas é muito maior que a entre paulistas e gaúchos.

E o mineiro Tostão também ficou com o Mengo.

Entre os blogueiros, 184 optaram pelo rubro-negro e 120 pelo tricolor.

RUY OSTERMANN

Luiz Felipe Scolari é um vencedor.

Talvez não soubesse lidar com todos os jogadores, alguns mais velhos do que ele, outros que nem o entenderiam.

Mas de um modo ou de outro, ganharia o Grêmio.


RENATO MAURÍCIO PRADO

Flamengo 4 a 1 Grêmio - Zico (2), Nunes (1) e Zizinho (1) x Renato Gaúcho
 
Luiz Felipe Scolari bem que mandou dar umas "escarradas" no Zico e no Júnior.

Mas um Flamengo que ainda tem de quebra Zizinho e Domingos da Guia (e Leônidas da Silva no banco) não podia tomar conhecimento do time gaúcho.

 Ronaldinho e Renato Gaúchos (únicos rivais à altura da SeleFla) quase bateram palmas ao final...

ALBERTO HELENA JR.

O equilíbrio deste Flamengo é notável.

PAULO VINÍCIUS COELHO

Felipão não merecia ter no time Renato Gaúcho, Éder e Ronaldinho.

Haja balada!

O Calazans também não merecia ver o Flamengo, com a base de Zico e dos anos 80, escalado num... 3-6-1!!!

3-4-2-1, vai.

O talento aqui ganha.

E o Flamengo tem mais: 3 x 1, com dois de Nunes e um de Adílio, como no Mundial.

Só que o Liverpool não tinha Ronaldinho.

TOSTÃO

Grêmio 0 x Flamengo 1

Apesar da forte marcação do Grêmio, do outro lado tem Zico, Zizinho e Junior.

FERNANDO CALAZANS

Olha o Zizinho aí, gente!

Só com a sua ressurreição, o Flamengo vai poder ganhar esse jogo, mesmo com a sua torcida cometendo a besteira sem tamanho de esquecer o Leônidas da Silva (o Pelé antes do Pelé) por causa do Nunes.

Depois dessa, só faltava esquecer o Zico.

Essa ingratidão com o Leônidas é pior ainda do que a da torcida do Botafogo com Quarentinha e Amarildo.

Zero para os eleitores do Flamengo, e uma pequena e modesta lição de futebol para eles:

Dequinha jogou mais ainda do que o Andrade.

Essa, porém, é perdoável, porque o Andrade também jogou muito.

Espero que o Dr. Rúbis tenha sido lembrado ao menos pra reserva.

E Garcia, o grande goleiro rubro-negro que rivalizava com o Castilho no Rio, deve estar sofrendo de desgosto no túmulo.

Ah, não falei do adversário?

Me poupem, tá?

E com esse time do Flamengo precisa falar de adversário?

(Ainda mais quando escalam o superbrucutu Dinho no meio de campo do outro...)

MÁRCIO GUEDES

O Fla de Zico é melhor, é fenomenal.

Domingos, Zico e Zizinho, uma trinca de sonhos.

UGO GIORGETTI

O Gremio é um timaço.

Mas Andrade, Adílio, Zizinho e Zico é covardia.

Não é sonho, é pesadelo.

Para o adversário...
 

 

Por Juca Kfouri às 23h02

02/01/2007

Coutinho x Felipão, Zico x Ronaldinho

O Grêmio de Luiz Felipe Scolari foi de 4-3-3 para enfrentar o Flamengo de Cláudio Coutinho: Lara, Arce, Aírton, Calvet e Everaldo; Dinho, Gessi e Ronaldinho. Renato Gaúcho, Alcindo e Éder.

O Flamengo preferiu jogar no 3-5-2 com Raul, Mozer, Aldair e Domingos da Guia; Leandro, Andrade, Adílio, Zizinho e Júnior; Zico e Nunes.

Apenas o lendário goleiro Lara, cujo nome está na letra do hino gremista (de Lupcínio Rodrigues  ) não foi visto por nenhum de nossos especialistas.

Depois de Botafogo x Inter, outro grande jogo que envolve cariocas e gaúchos.

Quem vencerá?

Faça sua aposta.

O resultado dos especialistas sai amanhã.


Por Juca Kfouri às 23h06

Mané na cabeça!

Quem tem Mané Garrincha tem tudo.

Mesmo diante de quem tem Paulo Roberto Falcão.

Foi o que os especialistas decidiram.

Embora Alberto Helena Jr.,  colunista do "Diário de S. Paulo", do alto de sua sabedoria e classe, tenha discordado, assim como Ruy Ostermann, do "Zero Hora", duas ressalvas, portanto, de peso.

Entre os blogueiros, 63 optaram pela equipe carioca e 43 pela gaúcha.

UGO GIORGETTI


Jogo complicado.

Mas no segundo tempo o Saldanha acabou expulsando o Zagallo do banco e deu uma dura tremenda  no Mané que resolveu jogar.

 Deu Botafogo.
 
FERNANDO CALAZANS

Carlos Alberto Torres. Sebastião Leônidas. Nílton Santos. Didi. Gérson. Paulo César Caju. Jairzinho.

Ah, e de quebra ainda tem o Garrincha...?

Qual é o adversário mesmo?

Não interessa.

Vitória do Botafogo, e derrota de sua torcida que conseguiu conspurcar esse timaço com a escalação de Túlio.

Pobres do Quarentinha e do Amarildo, dois baitas jogadores.

Não disse que essas listas não fazem bem ao nosso futebol, minha cara Placar?

ALBERTO HELENA JR.

Outra vez, aqui, ganha o time mais equilibrado.

Ganha o Inter.

PAULO VINÍCIUS COELHO

De quem é mesmo a vantagem do empate?

Se não tem, vamos lá.

A defesa do Botafogo é fenomenal, com Mauro Galvão escalado no lugar de Basso.

O zagueiro argentino era o eleito, normalmente, embora muito poucos o tenham visto em ação -- só disputou 18 partidas pelo Botafogo.

A zaga do Inter tem Figueroa e Gamarra no auge. Precisa mais?

O meio-de-campo do Inter é mais consistente.

O do Botafogo, mais talentoso.

E alguém vai dizer que Didi e Gérson não dão consistência ao setor?

No ataque, o Inter perde.

Porque Valdomiro não era nenhum fenômeno e, para jogar, fizemos Minelli deslocar Tesourinha.

Logo Tesourinha, que jogou pela ponta-esquerda, mas era bom mesmo na direita.

Para concluir e deixar você usar só o final, no blog:

João Saldanha anunciou o Botafogo num 4-3-3, mas claramente escalou no 4-2-4.

No ataque, Garrincha, Túlio, Jairzinho e Paulo César.

Quer dizer: Garrincha e Paulo César matam Paulinho e Oreco.

E o Botafogo vence por 4 x 2.
 
RENATO MAURÍCIO PRADO

Botafogo 5 a 0 Inter - Jairzinho (2), Garrincha (1), PC Caju (1) e Gerson
 
O talento de Falcão e Carpegianni foi insuficiente diante da enciclopédia do futebol, dos dribles do Mané e da fúria do Furacão Jairzinho (municiados por Gérson, PC Caju etc).

Don Elias Figueroa acabou o jogo com torcicolo e distensão nas duas pernas...
 
TOSTÃO

Botafogo 4 x Inter 2

Um time com Garrincha, Didi, Nilton Santos, Gerson, Jairzinho, Paulo César Caju tem de ser favorito.

Além disso, Manga era botafoguense.

MÁRCIO GUEDES

O Botafogo é mais time.

Nilton, Gerson, Didi, Mané e Jair juntos, pára com isso!

Basta equilibrar o time.

RUY OSTERMANN

Esse jogo é impossível de se decifrar.

Só mesmo no cara e coroa.

A injustiça é inevitável, mas há de ter um vencedor.

Plaft! é o Inter.

 

Por Juca Kfouri às 11h20

01/01/2007

VIVA 2007!

EXCELENTE 2007!

Quando Drummond fala, nada mais é necessário ser dito...

TEMPO. . .

 
Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano,
foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança
fazendo-a funcionar no limite da exaustão.

Doze meses dão para qualquer ser humano
se cansar e entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez
com outro número e outra vontade de acreditar
que daqui para adiante vai ser diferente...

...Para você,
Desejo o sonho realizado.
O amor esperado.
A esperança renovada.

Para você,
Desejo todas as cores desta vida.
Todas as alegrias que puder sorrir.
Todas as músicas que puder emocionar.

Para você neste novo ano,
Desejo que os amigos sejam mais cúmplices,
Que sua família esteja mais unida,
Que sua vida seja mais bem vivida.

Gostaria de lhe desejar tantas coisas.
Mas nada seria suficiente...

Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos.
Desejos grandes e que eles possam te mover a cada minuto,
ao rumo da sua FELICIDADE!!!

(Carlos Drummond de Andrade)
 

 

Por Juca Kfouri às 10h51

Copa dos Sonhos para abrir 2007

No gramado dos sonhos, dois timaços: Botafogo e Inter.

O alvinegro tão poderoso que com dois técnicos, João Saldanha e Zagallo.

Tão antípodas que pode até dar certo.

Rubens Minelli, tricampeão brasileiro em 1975/76/77 (com Inter e São Paulo) manda a campo um esquadrão: Manga, Paulinho, Figueroa, Gamarra e Oreco; Salvador, Paulo César Carpegiani e Falcão; Valdomiro, Fernandão e Tesourinha.

Dou outro lado, sai de baixo: o mesmo Manga (só em sonhos mesmo!), Carlos Alberto, Leônidas, Mauro Galvão e Nílton Santos; Gérson, Didi e Paulo César Caju; Mané Garrincha, Túlio e Jairzinho.

Formalmente o time gaúcho é mais equilibrado.

Mas o Botafogo tem mais desequilibradores.

Saldanha vai querer atacar. Zagallo vai querer defender.

Minelli sabe de tudo.

Quem ganha?


Por Juca Kfouri às 09h55

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico