Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

20/01/2007

O resultado dos blogueiros

Curiosamente, se contra o Cruzeiro o Flamengo perdeu entre os blogueiros e venceu entre os especialistas, contra o Santos a vitória entre os blogueiros foi apertada mas aconteceu:

199 a 184.

No domingo, sai o rersultado que define o título, o dos 11 especialistas.

Sinal de que 11 jornalistas valem mais que quase 400 blogueiros que deram suas opiniões?

Não, apenas um cuidado para que não prevalecesse em cada jogo o time de maior torcida.

 

Por Juca Kfouri às 00h15

19/01/2007

A decisão da Copa dos Sonhos

Com as senhoras e os senhores, Pelé x Zico.

Quanto vale?

Quer saber?

Não há dinheiro que pague.

Nem estádio neste mundo que os abrigue.

Se existiu um futebol brasileiro antes de Pelé e outro depois dele, também é verdade que ninguém foi tão ídolo como Zico depois que o Rei parou.

E ei-los frente a frente.

No gramado dos sonhos, onde tudo é possível.

Literalmente, tudo.

Robinho pedalará para cima de Júnior?

Como Pelé tratará o Divino Domingos da Guia?

E Zico, respeitará Mauro Ramos de Oliveira, o capitão que levantou a Jules Rimet no bicampeonato no Chile, em 1962?

Ora, minha amiga, ora, meu amigo, quarenta séculos de arte estão diante dos seus olhos.

Vocês haverão de saber o que fazer.

Este blogueiro é todo ouvidos.

E, por ser o último jogo da Copa dos Sonhos, o resultado dos blogueiros será apresentado neste sábado e o dos especialistas apenas no domingo.

Por Juca Kfouri às 00h06

17/01/2007

Santos, com folga

Alberto Helena Jr.

Ganha o Santos do Rei numa decisão férrea com o Palmeiras do
Divino.

Paulo Vinícius Coelho

Veja você que o torneio do Juca termina em triangular...
 
Eis a chance de derrubar o melhor time, ou seja, o Santos.

Até porque Djalma Santos, Dudu, Ademir da Guia conseguiam bater Pelé & Cia.

E Robinho passou apuros contra o Palmeiras das vacas magras.

Mas Pelé, Coutinho e Pepe venceram mais do que perderam, o que exclui a injustiça.

Um gol para cada um deles.

E um para Dudu e Ademir.

Santos 3 x 2.
 
Armando Nogueira

Mais uma vez, dá Santos!

Tostão

Santos 2 x 0 Palmeiras

Márcio Guedes

O Santos seria o grande vencedor.

Porque demonstrou sempre, nos momentos-chave, uma fantástica capacidade de decidir.

Junto com o Botafogo de Mané, o maior esquadrão de todos os tempos.

Renato Maurício Prado


A Academia acaba batida também pelo Santos de Pelé, por 3 a 1.

Ugo Giorgetti

Dá Palmeiras, com toda a confiança.

O Lula errou feio durante todo o torneio ao não escalar o Calvet ou o grande Joel Camargo.

Pagou caro contra o Palmeiras.

Por ali Evair e Julinho fizeram a festa.

Enquanto isso, Dudu, como tantas vezes fez, segurou o Rei.

É isso: O PALMEIRAS COMEÇA 2007 COMEMORANDO FINALMENTE UM TÍTULO!

CAMPEÃO DOS SONHOS DO BLOG DO JUCA!!!

José Trajano

Dá Santos, Pelé e Pepe acabam com o jogo.

Fernando Calazans

O que aconteceria se eu, provocador, desse a vitória ao Palmeiras para contrariar o título antecipado do Santos?

O triangular terminaria empatado?

E haveria outro, um supercampeonato, para decidir o título?

Então faço o seguinte: vitória do Santos, quer dizer, do Pelé, como se previa.
 
E ponto final.
 
Ponto final e comentário final.
 
O Santos de Pelé, da época do Pelé, foi, para mim, o melhor time de todos.
 
Agora, o Santos de TODOS OS TEMPOS, como aconteceu no torneio, não sei se foi o melhor time de todos, não.
 
É diferente, vocês repararam, não repararam?
 
O Santos de Pelé é um time; o Santos de todos os tempos é OUTRO time.
 
O Botafogo também (entraram Gérson e Jairzinho no time de Nílton Santos, Didi e Garrincha, é mole?).
 
O Flamengo também (somaram-se Domingos da Guia e Zizinho ao timaço de Zico. Não é pouca coisa não).
 
O Palmeiras de todos os tempos é um time extraordinário -- melhor do que qualquer seleção da última Copa do Mundo.
 
Como diria Caetano Veloso, o campeão pode ser o Santos -- ou não.
 
José Roberto Torero
 
Belo jogo, jogo belo.
 
Santos e Palmeiras foi um clássico que mereceu este nome.
 
Um especial destaque para o duelo entre volantes: Zito e Clodoaldo x Dudu e César Sampaio.
 
As duas duplas foram ótimas no desarme, mas como lutar contra Ademir, Rivaldo, Evair e Julinho?
 
E, pior, contra Robinho, Coutinho Pelé e Pepe, que marcaram, só pelo Santos, quase dois mil gols.
 
Vitória do Santos e de quem conseguir imaginar este jogo.
 
Ruy Ostermann
 
 
O Palmeiras  ganha com extrema dificuldade, uma partida que ainda se discute, mas que ficou mesmo no gol de pênalti do alviverde.

Como se vê, o Santos ganhou bem, por 9 a 2,e fará a grande final contra o Flamengo.

Entre os blogueiros, deu 101 a 69 para o Santos.

 

Por Juca Kfouri às 23h01

16/01/2007

Santos x Palmeiras: vencer ou morrer

Eu quase vi este jogo uma porção de vezes.

E, para minha perplexidade, não poucas vezes, o Palmeiras vencia.

E interrompia séries de conquistas santistas.

Sim, o Palmeiras, e só o Palmeiras, não permitiu que o Santos fosse o primeiro tetracampeão paulista no profissionalismo.

Claro, não era exatamente este Palmeiras dos sonhos nem este Santos dos sonhos.

Mas as principais estrelas eram as mesmas.

Claro, também, e sem nenhuma intenção de induzir ninguém a nada, apenas uma constatação histórica, que o grande Santos era o maior vencedor.

E que se um dia o surpreendente Bahia, assim como o fabuloso Cruzeiro, e o não menos extraordinário Palmeiras, derrotaram o mágico time branco dos negros da Vila mais famosa do mundo, isso só foi possível porque existe um jogo como nenhum outro, um jogo chamado futebol.

Que quando jogado no campo dos sonhos fica ainda mais imprevisível.

 


Por Juca Kfouri às 23h19

15/01/2007

Fla x Verdão: dura decisão

José Roberto Torero

Jogo duro.

Duro de esquecer.

Assim pode ser definida a partida entre Palmeiras e Flamengo.

A partida poderia ter sido disputada no Olimpo (não confundir com Olímpico), tantos eram os deuses que pisavam a grama ao mesmo tempo. 

Ademir tabelava com Rivaldo, que lançava Julinho, que cruzava para Luís Pereira.

Do outro lado, Júnior trocava passes com Zico, que metia para Zizinho, que tabelava com o lorde Adílio.  

Uma fita desse jogo bem poderia ser colocada no Louvre. 

Mas vamos ao resultado:

Os três zagueiros flamenguistas seguraram bem os dois atacantes palmeirenses e os cinco rubro-negros ganharam dos quatro palmeirenses.

Aí, mesmo com Marcos no gol, era questão de tempo para que Zico e Nunes fizessem os dois gols da vitória do Mengo.

Evair, de cabeça, diminuiu no finzinho, mas já não havia mais tempo para o empate.

Alberto Helena Jr.

Triangular incrível!

Aqui dá Palmeiras, no detalhe.

Paulo Vinícius Coelho

Continuo pensando no Fernando Calazans olhando este Flamengo num... 3-6-1.

E o time chegou!
 
A dureza aqui é pegar um ataque com a possibilidade de dois pontas.

Julinho abre pela direita, Rivaldo pela esquerda e ficam três atacantes contra três zagueiros do Flamengo.

Um gol o Palmeiras marca.

Mas a defesa, apesar de Luís Pereira e Waldemar Fiúme, mais dois volantes, como Dudu e Sampaio, passa maus bocados contra Zico, Nunes, Adílio, Zizinho...

Tabelas pelo meio e gol de Zico.

Dá empate por 1 x 1.

(Até aqui, não poderia haver empates. No triangular, no entanto, como os três se enfrentam, pode.)
 
Armando Nogueira

Daria Palmeiras.

Tostão

Palmeiras 1 x 2 Flamengo

Márcio Guedes

Dá Flamengo, por Zico e pelo extraordinário equilíbrio tático do time rubro-negro.

Renato Maurício Prado

O filho do Divino Domingos da Guia que me perdoe, mas divino mesmo era o Mengão de Zico e Cia.

Que estréia batendo o Palmeiras por 4 a 2.

Ugo Giorgetti 

Dá Palmeiras.

No detalhe, na diferença mínima.

No caso, ela reside no matador.

Acho Evair superior ao Nunes.

E, de novo, o meio de campo.

Com todo respeito, o do Palmeiras parece melhor encaixado: Dudu, César Sampaio, Ademir da Guia e Rivaldo.

Já que é sonho mesmo, aposto que a final será entre Palmeiras e Santos, que foi a final dos sonhos por muitos e muitos anos no futebol paulista.

José Trajano

Dá Flamengo, em dia inspirado de mestre Ziza.

Fernando Calazans

Esse time dos sonhos do Palmeiras é realmente inesquecível (com Djalma Santos, Ademir da Guia e Julinho), mas vou aproveitar que palmeirenses desavisados incluíram o Roberto Carlos para dar a vitória ao Flamengo.

Bem simples.

Ruy Ostermann

Um triangular é tudo que se gosta e não há nada que um time possa temer mais.

Um triangular dificilmente desembesta.

Mas estamos no plano da imaginação.

Então, vá.

O Flamengo perde para o Palmeiras, gol do mestre Ademir da Guia, mas teve bola na trave como justa queixa.

Que dureza, hein?!

Deu Mengo, 6, Verdão 4.

Com um empate.

O rubro-negro, agora, espera o Santos, próximo adversário do Palmeiras, que tem de vencer.

Entre os blogueiros, descontados os comentários repetidos, deu Flamengo 149 a 124 .

Por Juca Kfouri às 23h15

14/01/2007

Fla x Palmeiras, de pai para filho

Duas confissões à guisa de apresentar este fabuloso Flamengo x Palmeiras dos sonhos.

O time dos sonhos alviverde redundou numa sensível mistura do time que formou a Academia, nos anos 60 e 70, com o grande Palmeiras de meados dos anos 90, o melhor que eu vi, no Campeonato Paulista de 1996.

Era Academia e Sinfonia ao mesmo tempo.

Pena que logo tenha se desfeito porque era simplesmente imperdível.

Como imperdível foi o Mengo do começo dos anos 80.

"Oh, meu Mengão, eu gosto de você..."

Nem uma pedra resistia quando a massa começava a cantar no Maracanã tomado de vermelho e preto e Zico e Cia obedeciam.

Ouso dizer que o Flamengo de 81 ganharia desse dos sonhos, se não for heresia demais.

Pois que jogo fariam, farão, estes vinte e dois artistas imortais?

E num embate que bota pai e filho frente a frente, Domingos x Ademir da Guia.

Por Juca Kfouri às 23h05

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico