Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

03/05/2008

Antes da hora

Vá ao blog do Birner e veja a temeridade cometida pela Nike, que já vende uma camisa alusiva ao Flamengo, campeão carioca de 2008.

Isso nas mãos do Cuca...

http://blogdobirner.net/

Por Juca Kfouri às 19h44

Juventude campeão

Duzentas indicações e 54,37% apostam no Juventude como campeão gaúcho de 2008.

O blog aposta no Inter.

Por Juca Kfouri às 19h42

Não há limites para o ridículo

Da página oficial do Atlético Paranaense:

FPF não entregará troféu no domingo

Independente de quem vencer na partida entre Atlético Paranaense e Coritiba, na Arena, não haverá entrega de troféu e medalhas. O pedido foi feito formalmente pelo Clube Atlético Paranaense, preocupado com casos de violência e depredação patrimonial, registrados em jogos decisivos por todo o Brasil. "O Atlético Paranaense deverá fazer uma festa posteriormente para a entrega de troféus e medalhas, para não intimidar nem provocar a torcida adversária", afirmou o presidente do Conselho Deliberativo, Mario Celso Petraglia.

O pedido foi feito diretamente à Federação Paranaense de Futebol (FPF), que já acatou. "Qualquer que seja o resultado, o que queremos é evitar o clima de hostilização e guerra", completou Petraglia. Essa não é a primeira vez que o clube toma essa decisão. Em 2005, quando o CAP foi campeão nos pênaltis sobre o rival, também não houve a entrega de troféu e medalhas.

Comentário do blog: em 2005, como agora, o Coritiba foi para o segundo jogo, na Arena da Baixada, em vantagem.

O que Petraglia não quer é correr o risco de ver festa do rival na casa do Furacão, o cúmulo da falta de espírito esportivo.

Espera-se que, caso ganhe o título, o time coxa, ao menos, dê a volta olímpica e comemore com sua gente.


Por Juca Kfouri às 13h07

Palmeiras campeão

Com 2120 participações, 61,26% apontam o Verdão como campeão paulista de 2008.

Por Juca Kfouri às 12h37

02/05/2008

Mengo campeão

Depois de exatas três horas no ar e com 1045 palpites, eis que o Flamengo é apontado como favorito em nossa sondagem, com 55.79% de preferência em relação ao Botafogo.

Por Juca Kfouri às 17h58

Final brasileira na Libertadores?

Com 6.702 participações, eis que 43,84% dos blogueiros acreditam que os cinco clubes brasileiros seguirão adiante na Libertadores.

Assim,  teremos dois clássicos nacionais nas quartas-de-final, entre Flamengo e Santos e entre São Paulo e Fluminense, além de podermos ainda ter uma final brasileira, por mais que a Conmebol tente evitar.

O dono do blog também acredita em 100% de classificados e espera que o Boca Juniors seja punido com a pena máxima, derrota por 3 a 0 para o Cruzeiro na Bombonera, já que o árbitro pôs na súmula que o jogo não terminou por agressão ao seu auxiliar.

Esperar o dono do blog espera, mas não acredita...

Votaram em quatro classificados 27,48%; em três, 15,03%; em nenhum, 6,01%, uns gozadores; em dois, 4,89% e em apenas um, 2,75%.

De agora até domingo, o blog fará sondagens relâmpagos, com as decisões estaduais.

Mãos à obra!

Por Juca Kfouri às 14h33

Virada de mesa na Série C

30/04/2008 às 18:35

CBF NEWS

"O diretor de Competições da CBF, Virgílio Elísio, em resposta ao ofício recebido da Federação Mineira de Futebol, e considerando as razões nele expostas, informa que acolheu a decisão do presidente da Federação Mineira, Paulo Sérgio Miranda Schettino, que definiu o Tupi FC, o Ituiutaba FC e o América FC como os três clubes de Minas Gerais que disputarão o Campeonato Brasileiro da Série C. "

Na véspera do feriado, já depois do fim do expediente, a CBF torna público um golpe no Guarani de Divinópolis, quinto colocado no Campeonato Mineiro deste ano e dá a vaga para o América, terceiro colocado na Copa Minas Gerais do ano passado...

Uma vergonha para a história americana, clube que, aliás, já foi vítima de arbitrariedade parecida da própria CBF.

Aconteceu o seguinte: Minas tem três vagas na Série C, duas via campeonato estadual e uma via Taça MG (competição que ocorreu ano passado no segundo semestre,aberta a qualquer equipe que quiser disputá-la e com apenas seis inscrições).

O campeão foi o Ituiutaba, mas o regulamento previa que o campeão podia optar pela Série C ou pela Copa do Brasil, ficando o vice com a outra vaga na Série C.

O Ituiutaba optou pela Copa do Brasil, sobrando a Série C para o vice-campeão Tupi.

Já no Campeonato Mineiro desse ano o Tupi e o Ituiutaba ficaram em terceiro e quarto lugares respectivamente, obtendo as vagas na Série C.

Como o Tupi já tinha a vaga, o lógico seria que o quinto colocado do estadual, o Guarani de Divinópolis, assumisse seu posto e não o terceiro da Taça Minas Gerais, competição menor e com apenas seis equipes.

Fazendo uma analogia com o Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil, seria como se em vez do Cruzeiro ter herdado a vaga na Libertadores pela quarta colocação do Fluminense no Brasileirão, o Figueirense (vice da Copa Brasil) tivesse pegado a vaga.

Enfim, o América levou por ter padrinhos fortes e o Guarani sobrou por ser orfão.

Mas cabe briga se o clube de Divinópolis quiser, o que é pouco provável. 

Por Juca Kfouri às 13h37

Do 'Radar On-Line', de 'Veja'

Por LAURO JARDIM

FUTEBOL NA TV
SDE acusa Globo de infração à ordem ecônomica | 06:40
É arrasador o parecer final da Secretaria de Direito Econômico (SDE) no processo administrativo que apurou indícios de práticas anticoncorrenciais da Globo na compra dos Brasileirões entre 1997 e 2005. A um só tempo, a SDE conclui que a Globo e o Clube dos Treze incorreram em infração à ordem econômica (pelo qual podem se punidos com multas milionárias) e recomenda ao Cade alterações profundas na comercialização dos direitos de transmissão dos Brasileirões daqui para frente. O parecer acaba de ser enviado ao Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), a quem cabe definir o valor das multas.

Multas milionárias | 06:39
Entre as punições previstas estão multas pesadas, em caso de condenação da Globo e do Clube dos Treze . Para a Globo, elas variam entre 1% e 30% do faturamento da emissora em 1996, o ano anterior a instauração do processo. Só para que o leitor imagine a ordem de grandeza do que está se falando, essa multa máxima gira em torno dos 500 milhões de reais, se for feita atualização monetária o valor sobe ainda mais. Para o Clube dos Treze, o menor valor de multa seria de 6 000 reais. Mas poderá chegar até 6 milhões de reais.

"Influência direta" | 06:38
Segundo a SDE, a Globo prejudicou a concorrência ao "exercer influência direta sobre o formato de venda dos direitos de transmissão do campeonato, abusando do seu poder de mercado". Sobrou também para o Clube dos Treze: a entidade cometeu "infração à ordem econômica" ao vender os direitos de forma agrupada e com cláusulas de preferência na renovação dos contratos - o direito de preferência é um instrumento que da à Globo o direito de cobrir, num prazo de 30 dias, uma eventual proposta mais graúda feita por uma emissora concorrente pelos direitos de transmissão.

Parecer final é duro - e irônico | 06:37
O parecer é duro com a emisora dos Marinho. Afirma, por exemplo, que "a Globo e o Clube dos Treze são pactuantes de cláusulas anticoncorrenciais". E acusa a Globo de usar "sua posição dominante para direcionar os contratos aos seus interesses, em detrimento da concorrência". O texto também é irônico com os argumentos usados pela emissora durante o processo: "é bastante curioso que a Globo ofereça valores elevados e crescentes para a aquisição dos direitos de transmissão ao mesmo tempo em que vem aos autos afirmar que o futebol não é um produto tão lucrativo".

As recomendações da SDE | 06:36
A SDE recomendou que o Cade determine novos modelos para a comercialização dos Brasileirões. Alguns itens já foram incorporadas pelo Clube dos Treze nos últimos anos, como a venda dos direitos de transmissão em pcotes separados - um para TV aberta, outro para TV fechada, outro para pay-per-view, etc. Outras recomendações podem ser consideradas mudanças de peso. Não se trata de perfumaria - pelo menos para a Globo. Alguns exemplos:

1)A SDE quer que o Clube dos Treze comercialize dois pacotes para a TV aberta. Um deles para as rodadas de quartas-feiras e domingos; e um segundo pacote para os jogos de quintas-feiras e sábados. A SDE admite que uma mesma emissora compre os dois pacotes.
2)De acordo com a SDE, deve ser criado ainda um terceiro pacote, contendo os direitos dos melhores momentos das partidas. Hoje, as emissoras concorrentes da Globo podem apenas transmitir os gols dos jogos. A SDE sugere a venda de, por exemplo, 15 minutos de "melhores momentos" a uma emissora que não tenha comprado um dos dois pacotes principais.
3)proibição da cláusula do direito de preferência na renovação dos contratos.

Processo tartaruga | 06:35
O parecer final da SDE é o quase epílogo de investigações que começaram em 1997, a pedido do Cade. Mas o processo caminhou em ritmo lento, quase parando - até que há quatro anos parou totalmente. No ano passado, foram retomadas. Agora, falta apenas a palavra final do Cade, que costuma concordar com a SDE.

Por Juca Kfouri às 13h09

Enfim, o fim dos estaduais

Dez estados conhecerão seus campeões neste domingo.

Meus favoritos são apontados a seguir, com a exceção da decisão no Rio, onde acho que não há mais favorito.

Mas não duvido de nada em lugar nenhum, nem mesmo mais em São Paulo, depois do que houve no Recife com o Palmeiras.

Só em Minas é que não tem hipótese de erro.

Aposto no Coritiba, na Arena da Baixada, contra o Furacão, no Paraná, porque o rubro-negro tem falhado na hora agá.

No Figueirense, contra o Criciúma, em Criciúma, em Santa Catarina, pelo peso da camisa.

No Inter, no Beira-Rio, contra o Juventude, no Rio Grande do Sul, também pela tradição e pela superioridade técnica, embora o Juventude já tenha vencido o Colorado três vezes nesta temporada.

No Palmeiras, no Palestra Itália, contra a Ponte Preta, em São Paulo, porque não dá nem para imaginar o que acontecerá se não acontecer.

No Fortaleza, no Castelão, contra o Icasa, no Ceará, por um empate.

No CSA, no Rei Pelé, contra o ASA, nas Alagoas, por outro.

No Vitória da Conquista, em Camaçari, contra o Bahia, embora lá possa dar também o próprio Bahia, o Vitória e até o Itabuna, tudo resolvido nesta última rodada.

No Flamengo, no Maracanã, contra o Botafogo, porque o rubro-negro vem com o moral mais alto que a Cidade do México.

Ou no Botafogo, no Maracanã, contra o Flamengo, porque o Glorioso está inteiro e descansado.

No Goiás, no Serra Dourada, contra o Itumbiara, porque mais um desastre esmeraldino soará como catástrofe.

E, é claro, no Cruzeiro, no Mineirão, contra o Galo, porque se der Atlético Mineiro, por seis gols de diferença, passarei a me chamar Juca Kafunga, em homenagem ao goleiro que virou mito no Galo. 

Comentário para o Jornal da CBN desta sexta-feira, 2 de maio de 2008.

http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/comentarios/jucakfouri.asp

Por Juca Kfouri às 00h11

01/05/2008

Santos cumpridor

Foi quase tudo como era preciso que fosse.

O torcedor não negou seu respaldo e mais de 17 mil santistas encheram a Vila Belmiro.

O time do Santos agradeceu o apoio e foi para cima do Cúcuta, até fazer 1 a 0, aos 18, com Lima, que estreava.

E se não conseguia ampliar, risco também não corria.

Tanto que o primeiro chute a gol do Cúcuta só aconteceu aos 19 minutos do segundo tempo, repita-se, do segundo tempo, tiro que, diga-se, exigiu uma baita defesa de Fábio Costa.

Aos 25, Molina bateu falta que desviou na barreira e decretou o 2 a 0, excelente vantagem para o jogo de volta, na quinta-feira que vem, na Colômbia.

Pena que Wesley fez uma bobagem ao chutar a bola num adversário caído e foi expulso, aos 29, o que dificultou a busca do terceiro gol e dramatizou a possibilidade de se tomar um, o que seria péssimo.

Como é de se lamentar essa mania dos sinalizadores usados pelos torcedores, responsável pela interrupção do jogo durante cinco minutos na etapa complementar e, se duvidar, por uma interdição da Vila.

Mas o fato é que se tudo leva a crer que teremos um São Paulo x Fluminense nas quartas-de-final, nada indica que não venhamos a ter, também, um Santos x Flamengo.

E uma coisa não se pode negar: o time santista encarnou o espírito da Libertadores.

Por Juca Kfouri às 22h42

Felipão 'fila bóia' no Chelsea

Por BRUNO MORAES BONSANTI, de Londres

O técnico da seleção portuguesa, Luis Felipe Scolari, foi visto hoje, em torno do meio-dia, indo em direção ao restaurante anexado a Stamford Bridge.

Felipão, que tem contrato com o selecionado português até o final da Eurocopa que ocorrerá este ano em Áustria e em Suíça, já fora chamado para ser técnico da seleção inglesa, mas não aceitou.

Nada indica, no entanto, que continuará no comando da seleção lusa, a menos, é claro, que obtenha o milagre de vencer a Euro.

E mesmo com a vitória de ontem do Chelsea sobre o Liverpool por 3x2, que carimbou o passaporte do time londrino para a final da Liga dos Campeões em Moscou, o técnico israelense Avram Grant continua pressionado, e pode sair do comando dos Blues caso não consiga superar o Manchester United em pelo menos um dos dois campeonatos que ainda estão em disputa.

Ao ser perguntado sobre o assunto por um dos fãs que o viram, Felipão disse estar indo apenas "filar uma bóia".

Resta saber se ele pretende que essa refeição ocorra mais vezes durante os próximos anos.

O técnico nega e diz que, de fato, esteve em Londres para ver o jogo de ontem, mas que regressou pela manhã para Lisboa.

Como uma dia, no Japão, negou até para a mãe dele que viria trabalhar no Palmeiras...

Por Juca Kfouri às 19h59

O Estatuto do Sofredor

Por ROBERTO VIEIRA

 

O capítulo V do Estatuto do Torcedor dispõe sobre os ingressos:

 

Art. 20. É direito do torcedor partícipe que os ingressos para as partidas integrantes de competições profissionais sejam colocados à venda até setenta e duas horas antes do início da partida correspondente.

'A venda deverá ser realizada por sistema que assegure a sua agilidade e amplo acesso à informação'.

 

'Nas partidas que compõem as competições de âmbito nacional ou regional de primeira e segunda divisão, a venda de ingressos será realizada em, pelo menos, cinco postos de venda localizados em distritos diferentes da cidade'.

 

O capítulo VI dispõe sobre o transporte:

 

Art. 27. A entidade responsável pela organização da competição e a entidade de prática desportiva detentora do mando de jogo solicitarão formalmente, direto ou mediante convênio, ao Poder Público competente:

I - serviços de estacionamento para uso por torcedores partícipes durante a realização de eventos esportivos, assegurando a estes acesso a serviço organizado de transporte para o estádio, ainda que oneroso; e

II - meio de transporte, ainda que oneroso, para condução de idosos, crianças e pessoas portadoras de deficiência física aos estádios, partindo de locais de fácil acesso, previamente determinados.

O capítulo VII fala sobre alimentação e higiene:

Art. 29. É direito do torcedor partícipe que os estádios possuam sanitários em número compatível com sua capacidade de público, em plenas condições de limpeza e funcionamento.

 

'Parece uma tarefa simples.

Seu filho de nove anos vira pra você e pede para assistir em campo ao jogo na quarta-feira, véspera do feriado.

Parece uma tarefa simples.

'Que bom! Ele finalmente se interessou pelo meu time!'

Você vai até o estádio onde se realizará o espetáculo.

Quando chega lá, uma multidão de torcedores e não torcedores se acotovela numa fila infinita que dá voltas e mais voltas no quarteirão.

'Eu desisto!'

Mas foi seu filho. Aquele menino que faz todo sacrifício dessa vida valer à pena.

Você liga pro trabalho e diz que vai chegar atrasado.

'Ei, velhão! É você mesmo!'

Um sujeito com metade da sua idade oferece os ingressos pelo triplo do preço. Você diz que não. É muito dinheiro.

Quatro horas depois e debaixo de um sol de trinta e cinco graus você se rende.

'Agora é mais caro!'

Você abre a carteira e paga uma pequena fortuna pelos ingressos.

O jogo está marcado para as 22h.

'Vá lá! É uma vez na vida.'

Trânsito caótico. Estacionamento? Um absurdo. O carro fica em cima de uma calçada mal iluminada. Quinze pratas.

Fila imensa pra entrar. Briga de torcidas. Parece mais uma guerra. Vitória ou morte.

Tudo bem, na Copa de 30 já era assim. Simples questão de semântica.

Passa um torcedor ensanguentado do seu lado. Semântica nada!

Sentados. Lado a lado. A visão do estádio lotado, o grito ensurdecedor da multidão, a entrada dos dois times. A lembrança do seu pai que décadas atrás levava você pela mão.

De repente, seu filho pede para ir ao banheiro.

Mas, que banheiro? Banheiro de estádio de futebol não pensa em adulto, quanto mais em criança.

Vocês dão sorte. O jogo começou e os banheiros estão vazios. Sujos, mas vazios.

Quando você pensa em voltar não há mais seu lugar. A turba ocupou cada centímetro quadrado.

Seu filho olha pra você. Você olha pro seu filho.

E os dois saem de mãos dadas pela noite para assistir o jogo.

Em casa. Comendo pizza com guaraná'.

Por Juca Kfouri às 01h52

É pra lotar a Vila!

O Santos recebe o Cúcuta, da Colômbia na Vila Belmiro, às 20h45.

Que a torcida praiana aproveite o feriado de 1o. de Maio e lote a Vila.

Porque depois que o Santos conquistou sua vaga daquele jeito, contra o mesmo Cúcuta, o mínimo que se espera é o apoio do torcedor.

E uma boa vitória nesta noite praticamente garante o time nas quartas-de-final.

Por Juca Kfouri às 01h40

Pois é...

Pois é.

Neguin adora ver os tombos que o blogueiro leva em suas previsões, mas não vê as pingas que ele toma.

Nem as próprias...

Porque quase 2000 neguins opinaram sobre quem seguiria adiante na Copa do Brasil: 33,95, indicaram o Verdão; 23,76% votaram no Esmeraldino; apenas 22,89% acreditavam no Leão e só 19,41% levavam fé no Timão.

Pois é...

Por Juca Kfouri às 01h37

O piti do Luxa

Vanderlei Luxemburgo surtou na coletiva de TV.

Falou palavrões e bronqueou com os jornalistas.

É que ele ganha muito para ser apenas campeão estadual, como nos últimos anos...

Por Juca Kfouri às 00h23

Erros e acertos de um pobre jornalista

Este jornalista não foi de todo mal em seus palpites ontem.

Nem foi de todo bem.

Na Libertadores acertou que o Boca Juniors venceria o Cruzeiro, acertou que o Fluminense venceria o Atlético Nacional e acertou que Nacional e São Paulo empatariam.

Errou só mesmo por ter apostado no América, que foi goleado pelo Flamengo.

Aí, o erro é maior que os acertos, porque errou contra o povo, algo imperdoável.

Já na Copa do Brasil cometeu outro erro imperdoável contra o povo, por não acreditar no Corinthians.

Errou com muito prazer, é claro, porque a goleada alvinegra no Goiás foi daquelas épicas, com quase 51 mil torcedores no Morumbi.

Errou, também, ao prever a classificação do Atlético Goianiense diante do São Caetano.

Mas acertou com as classificações do Atlético Mineiro e do Corinthians Alagoano, assim como acertou com a histórica e brilhante classificação do Sport, com direito a goleada sobre o Palmeiras.

Tudo somado e subtraído, foram três palpites errados e seis certos.

O problema está em ter errado contra Flamengo e Corinthians...

Se fosse só contra o Atlético Goianiense, o Nacional de Montevidéu e o Corinthians Alagoano, quem ligaria?

Vida dura... 

 

Por Juca Kfouri às 00h14

Galo e Fogão, outra vez

Com um gol de Danilinho, no segundo tempo, o Galo fez as pazes com a vitória e eliminou o Náutico.

Pegará agora o Botafogo, como no ano passado, aquele jogo que deu tanta confusão.

E com segundo jogo no Engenhão.

Já o Vasco enfrentará o Corinthians Alagoano, que perdeu de 3 a 1 para o Juventude e seguiu adiante, segundo jogo em Maceió.

Por Juca Kfouri às 00h03

Mais Corinthians impossível

Sim, foi inacreditável.

Morumbi repleto, 50.940 torcedores, recorde do ano em São Paulo, como se imaginava, mas um Corinthians acima da melhor das imaginações.

Um Corinthians que fez 4 a 0 em 30 minutos, com Diogo Rincón aos 4 e aos 16, com André Santos aos 22 e com Herrera aos 30.

Mas os gols, perdão Parreira, foram meros detalhes.

O impressionante foi a maneira como o Corinthians tratou de arrancar cada um deles, com uma pressão como o Goiás provavelmente jamais sentira na vida, a ponto da camisa verde ter ficado amarela.

Pobre Caio Júnior.

Já tinha vivido algo semelhante, mas no Pacaembu, quando dirigia o Cianorte que vencera o jogo de ida por 3 a 0 e tomou de 5 a 1 no jogo de volta.

Porque quando o time casa com a massa, saia de baixo.

Casamento que precisa perdurar no próximo confronto, com o azarão São Caetano que ganhou do Atlético Goianiense por 2 a 1, em Goiânia.


Por Juca Kfouri às 23h59

Bons resultados tricolores na Libertadores

Não vi os tricolores na Libertadores.

Preferi os jogos decisivos da Copa do Brasil, até porque um deles era o do meu time.

Mas se o 0 a 0 do São Paulo com o Nacional, em Montevidéu, foi bom ainda mais diante do clima violento que se viveu por lá, melhor, é claro, foi o do Flu, em Medellin, diante do Atlético Nacional, 2 a 1, com gols de Thiago Neves, de pênalti, e de Conca, de fora da área.

Tudo indica que teremos um clássico tricolor brasileiro nas quartas-de-final, primeiro jogo no Morumbi, segundo no Maracanã.


Por Juca Kfouri às 23h58

Goleada na Ilha do Retiro

Respeito é bom e o Sport gosta.

Enfiou 4 a 1 no Palmeiras, 3 a 1 só no primeiro tempo, com gols construídos de Romerito, ao contrário do achado por Alex Mineiro.

E fez 4 a 1, com Dutra, quando já tinha apenas 10 jogadores, pois Everton foi expulso aos 5 do segundo tempo.

E o quinto gol não saiu por pouco, uma festa, com direito a jogador rubro-negro chutando o ar, como o chileno alviverde.

O tricampeão pernambucano não deu chance ao quase campeão paulista e aprisionou Valdívia e companhia com uma marcação implacável, além de ter bailado no ataque, como há tempos não se via alguém fazer diante do Palmeiras.

Agora, que venha o Inter, primeiro jogo no Beira-Rio, o segundo, bem, o segundo, na Ilha, tudo que Abel Braga não queria.

Na goleada, foram mais de 34 mil torcedores a lotá-la.

Por Juca Kfouri às 23h46

30/04/2008

Brilhante goleada do Mengão!

Duas vezes o Flamengo esteve na frente, duas vezes o América empatou no minuto seguinte.

Aos 43 do primeiro tempo, Marcinho abriu o placar, em bela jogada pessoal que venceu aos trancos e barrancos a marcação para fuzilar pela direita, em chute cruzado, o goleiro Ochoa.

Seria a vantagem crucial para levar para o intervalo, num primeiro tempo que esteve igual, mas sob controle. 

Aos 44, no entanto, Luizinho levou um drible desconcertante pela esquerda, a bola foi cruzada e Diego Cervantes empatou de cabeça.

Vá lá que o 1 a 1 não era injusto, mas deu dó.

No segundo tempo o Flamengo cansou de criar oportunidades, mandou bola na trave, viu Obina perder um gol imperdível, mas viu também Léo Moura salvar gol em cima da linha.

Até que, aos 23, Marcinho, agora pela direita, fuzilou cruzado e fez 2 a 1.

Aos 24, porém, Esqueda desviou uma bola cruzada e empatou outra vez.

Uma lástima porque, na verdade e apesar de todos os pesares, o América é frágil demais.

Mas no finzinho Obina mandou na trave, Léo Moura pegou o rebote e deu para Tardelli fazer  3 a 2, sem direito a desconto no minuto seguinte.

Ao contrário, quem fez mais um foi Léo Moura, aos 47, 4 a 2, em bela jogada com Ibson e finalização por cobertura.

Com altitude e tudo, quase o Mengo ainda marca mais um.

O Botafogo que se cuide, porque este Flamengo vem com tudo.

Na Libertadores esta fatura está liquidada, porque, no Maracanã, este time mexicano periga levar outro saco de gols.

Por Juca Kfouri às 21h44

Cruzeiro se safa bem

O Cruzeiro começou o jogo muito nervoso na Bombonera e deu sorte porque o Boca Juniors não soube aproveitar como poderia.

Mas logo aos 6 minutos Riquelme abriu o marcador, livrinho da silva, com a colaboração da frágil defesa brasileira.

Na frente até que o Cruzeiro não ia de todo mal, mas atrás...

Menos mal que Palermo desperdiçou duas chances óbvias.

E muito péssimo que o árbitro uruguaio Jorge Larrionda não deu, aos 45, um claro pênalti de Maidana, que mandou com o braço uma bola para escanteio.

Pior, o Boca Juniors não só tomou conta no segundo tempo, como fez seu segundo gol, com Dátolo, aos 19, depois de dar um corte desmoralizante em Thiago Heleno.

Difícil entender, aliás, por que um zagueiro como Espinoza veio do Equador para jogar no Brasil.

Ramires, enfim, em seguida, obrigou Caranta a fazer grande defesa.

Mas, aos 27,  Palermo e González, cada um uma vez, perderam o terceiro gol mais fácil do mundo, como, por sinal, Palacio havia perdido o segundo logo no recomeço da partida.

Enfim, estava um massacre, que contou com sorte dupla para os mineiros.

Primeiro porque a arbitragem não viu Espinoza dar um puxão na camisa de Palacio, que valeria cartão vermelho.

E segundo porque Fabrício arriscou um chute de fora da área que desviou na cabeça de um argentino e diminuiu o placar,  gol que permite ao Cruzeiro jogar por uma vitória simples no Mineirão.

Um jogo que era para estar 4 a 0 estava apenas 2 a 1.

E verdade seja dita, depois do gol, até que o Cruzeiro assustou este Boca Juniors pouco assustador.

No Mineirão, dá!

Em tempo: aparentemente, um dos auxiliares foi atingido na testa por alguma coisa jogada das arquibancadas, o que levou o árbitro a não dar todo o tempo de acréscimo e pode levar à interdição da Bombonera.

Por Juca Kfouri às 19h38

Chelsea será o adversario do Manchester United na Liga dos Campeões

Fernando Torres teve uma chance de ouro logo aos 9 minutos para fazer 1 a 0 para o Liverpool, mas Cech impediu.

Antes disso e depois disso, o Chelsea quase foi absoluto e fez Reina defender bolas de todo jeito, até que não deu e Drogba concluiu para abrir o marcador, aos 32, em lance que começou com Kalou em impedimento.

Era justo, mas não era...

Aos 3 do segundo tempo, Cech, outra vez, agora com os pés, evitou o empate.

Num jogo intenso, levado a sério, com estocadas de um lado e do outro, aos 19, uma jogada luminosa de Benayoun no meio da defesa londrina termina nos pés de Fernando Torres que, enfim, empata, para levar o jogo para prorrogação.

Que começou ainda mais séria e com um gol anulado do Chelsea, de Essien, de fora da área, porque o mesmo bandeira que permitiu o gol de Drogba, achou que o mesmo Drogba, em posição de impedimento, atrapalhou a visão de Reina.

Nos minutos seguintes, no entanto, aos 6, Lampard, de pênalti, pôs os azuis financiados pelo dinheiro russo na frente, perto da sua primeira final na Liga dos Campeões.

Ao terminar o primeiro tempo da prorrogação, Drogba, em linda jogada do ataque do Chelsea pela direita, fuzilou para fazer 3 a 1 e liquidar a fatura e permitir que este blogueiro fosse ver o mais importante do nosso ponto de vista, o jogo do Cruzeiro, que já perdia, aos 6 minutos, de 1 a 0, gol de Riquelme para o Boca Juniors.

O jogo em Londres não acabou ainda, reitere-se, mas a final da Liga está definida: Manchester United x Chelsea.

Faltando três minutos, Babel chutou de longe e Cech falhou lamentavelmente: 3 a 2.

Será que este blogueiro queimará a língua?

Admito que voltei para Londres e deixei Buenos Aires um pouco de lado, até porque o Cruzeiro não está jogando nadinha.

Acabou!

Deu Chelsea mesmo.

Volver a Buenos Aires...

 

Por Juca Kfouri às 18h01

Coerência exemplar

Entrevistei o rei do skate, Bob Burnquist, hoje pela manhã, na ESPN.

A entrevista irá ao ao ar neste sábado, às 21h.

O cara é radicalmente ótimo.

Recusou-se, por exemplo, a fazer propaganda de refrigerante porque diz para a filha que não faz bem.

Enquanto isso a CBF proibe bebida alcoólica nos estádios mas permite que a Seleção Brasileira faça propaganda de marca de cerveja.

Quanta diferença!

Por Juca Kfouri às 14h49

Muito trabalho na véspera do dia dele

Véspera de feriado, véspera do Dia do Trabalhador, o que não faltará é trabalho e emoção.

Pela Copa do Brasil, o chamado caminho mais curto para a Libertadores da América, e pela própria Libertadores.

Comecemos por ela, mais importante e em fase de começo de oitavas-de-final.

Dos cinco brasileiros classificados, quatro vão jogar, todos fora de casa.

A tarefa mais dura cabe ao Cruzeiro, na Bombonera, às 17h40, contra o Boca Juniors de Riquelme.

Em 12 jogos que os dois já disputaram, o Cruzeiro ganhou seis e perdeu apenas três.

Se, no entanto, voltar com o quarto empate voltará feliz da vida.

Às 19h45, o Flamengo entra em campo contra o América, no lendário estádio Azteca, na Cidade do México.

Altitude e cansaço são os maiores adversários do rubro-negro, com a cabeça também no Botafogo, o adversário do domingo.

Já os tricolores do Rio e São Paulo, às 22h, só pensam em seus adversários de hoje.

O do Fluminense, menos duro, em Medellín, o Atlético Nacional, e o do São Paulo, em Montevidéu, no acanhado Parque Central, o tradicionalíssimo Nacional.

Fla, Flu e São Paulo também voltarão felizes com empates.

Pela Copa do Brasil, também na fase de oitavas-de-final, os jogos são de volta.

Às 20h30 o Atlético Goianiense recebe o São Caetano no Serra Dourada e joga por um 1 a 0 para seguir adiante, pois perdeu por 2 a 1 em Ribeirão Preto.

No mesmo horário, o Juventude recebe o Corinthians Alagoano com uma tarefa bem mais complicada, pois perdeu em Maceió por 2 a 0.

Às 21h50, mais três jogos.

O Galo pega o Náutico, no Mineirão, e precisa apenas descontar uma derrota de 3 a 2 no Recife.

Mas está depenado pelo Cruzeiro...

O Corinthians recepciona o Goiás, no Morumbi, com expectativa de mais de 50 mil torcedores e a necessidade de virar um jogo que está 3 a 1 para os goianos, que são melhores que os paulistas.

E, finalmente, o jogo mais espetacular, na Ilha do Retiro, no Recife, entre o tricampeão pernambucano Sport e o quase campeão paulista Palmeiras, depois de um empate sem gols no Palestra Itália.

Este jornalista aposta no Boca Juniors, no América, no empate entre Nacional e São Paulo e na vitória do Fluminense nos jogos da Libertadores.

E aposta que seguem adiante na Copa do Brasil, os goianos do Atlético (o Mineiro também seguirá...) e do Goiás, o Corinthians, mas o das Alagoas, e o Sport.

E dá a cara aos tapas.  

Comentário para o Jornal da CBN desta quarta-feira , 30 de abril de 2008.

http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/comentarios/jucakfouri.asp

Por Juca Kfouri às 00h00

29/04/2008

Um Doutor no Cartão Verde

O "Cartão Verde" da Rede Cultura de Televisão, um oásis de inteligência e limpeza nas mesas redondas de futebol da TV aberta, mudará de dia, da segunda-feira para o fim de noite da quarta-feira, às 23h40, já na semana que vem.

Continuará a ser apresentado por Vladir Lemos, com a participação de Victor Birner e, agora, com o doutor Sócrates, além do brilhante Xico Sá, colunista da "Folha de S.Paulo".

Por Juca Kfouri às 22h35

Pela terceira vez, uma final nacional

Já houve Real Madrid x Valencia e Juventus x Milan. Agora, o Manchester United espera para fazer uma final inglesa com Chelsea ou Liverpool, que jogam amanhã.

Hoje só deu Manchester United até faltarem 20 minutos para terminar o jogo em Old Trafford, quando o Barcelona sufocou o que podia.

Um gol de Scholes aos 14 minutos do primeiro tempo definiu a parada.

O futebol inglês está com tudo e não está prosa, embora esteja fora da Eurocopa.

Por Juca Kfouri às 17h53

São Marcos titular

Com 5.600 opiniões dadas, 81% dos frequentadores deste blog querem Marcos de novo como o camisa 1 da Seleção.

O blog também...

Por Juca Kfouri às 14h29

Pobres meninos endinheirados, ricos coitados

A espécie existe não é de hoje.

Gente que ganha muito dinheiro de uma hora para outra e não tem preparo para tanto.

Uns se transformam em chatos emergentes, ostentam seus carrões e consomem vinhos pelo preço, jamais pelo gosto.

Outros fazem ainda pior e se perdem nas drogas, para segurar suas cabeças e sua solidão.

Jogadores de futebol que nasceram no Terceiro Mundo e enriqueceram no Primeiro são vítimas fáceis dessas armadilhas.

Tiram o futebol do foco, passam a viver feito pop stars e se perdem em bobagens as mais variadas, ao cair nas mãos de espertalhões e espertalhonas, sejam empresários, comunicadores que padecem dos mesmos males, cartolas, gangsters em geral, traficantes, prostitutas, travestis, o que for.

E passam ao largo de quem poderia ajudá-los com uma boa terapia.

Acabam, tristemente, virando casos de polícia.

Uma lástima, sem dúvida uma pena, um desperdício.

Comentário para o Jornal da CBN desta terça-feira , 29 de abril de 2008.

http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/comentarios/jucakfouri.asp

Por Juca Kfouri às 00h58

28/04/2008

A escolha de Santana

Joel Santana admite a hipótese de não jogar com força máxima contra o América, na Cidade do México, nesta quarta-feira.

Se assim ficar decidido, o Flamengo volta a ser favoritíssimo para vencer o campeonato estadual pela 30o. vez e, assim, empatar com o Fluminense em número de títulos.

Não é pouca coisa, embora seja muito menos do que o bicampeonato possível da Libertadores.

Joel Santana pode estar pensando apenas nele, já que irá para África do Sul e não disputará mais a Libertadores.

Pode sair como herói da Gávea, campeão estadual mais uma vez.

Mas pode estar mesmo pensando no time, hipótese em que prefiro acreditar, ao imaginar que com um time cansado deve perder no México e no Maracanã, no domingo, ao passo que com um time descansado, mesmo misto, pode endurecer lá e trazer a decisão para cá, além de garantir 80% da conquista estadual.

Seria a escolha de Sofia, não fosse a do Joel, a do Santana.

Por Juca Kfouri às 12h31

A final do cavalo branco

Por ROBERTO VIEIRA



Há 85 anos o futebol não era o rei dos esportes.

Era o plebeu dos esportes.

Mas o dia 28 de abril de 1923 mudou a história do futebol.

O primeiro jogo oficial em Wembley. Wembley ainda inacabado.

A final da FA Cup entre Bolton Wanderes e West Ham.

Um belo dia de primavera em Londres com a presença do Rei George V.

Quase uma tragédia.

Pra quem imagina as multidões no Maracanã em 1950, surpresa!

Mais de 250 mil pessoas assisitiram o jogo em Wembley.

126.047 pagantes. O restante, invadindo até o campo de jogo.

Mas, os tempos e os ingleses eram outros. A multidão no centro do gramado estava de bom humor.

E o constable George Scorey montado em Billy, seu cavalo branco, conseguiu levar os torcedores até na beira do gramado.

Onde ficaram até o fim do jogo.

Jogo que não precisou de linhas laterais, nem linhas de fundo.

As quatro linhas do gramado eram humanas. Como nas peladas de fim de semana.

Quando a bola batia em um torcedor era lateral, escanteio ou tiro de meta.

O primeiro gol foi marcado por David Jack.

Mas foi o segundo que entrou para a história.

O atacante J.R. Smith do Bolton chutou. A bola entrou no gol e voltou.

Rebatida por torcedores que estavam... dentro da barra.

O Bolton Wanders venceu por 2 x 0.

O Rei voltou plebeu para seu palácio.

E o futebol mostrou quem era o Rei. Do Império Britânico. E do mundo.

Com a ajuda inestimável de Billy.

Pra completar, um tributo recente.

Uma nova ponte para pedestres foi construída nas cercanias do Estádio de Wembley em 2006.

Foi lançada uma votação pela BBC para batizar a ponte.

Adivinhem quem venceu a votação na frente de Alf Ramsey, Bobby Charlton e Geoff Hurst?

Pois é!

Com um terço dos votos, a ponte se chama 'A Ponte do Cavalo Branco'!

Há 85 anos o futebol não era o rei dos esportes.

Era o plebeu dos esportes.

Mas o dia 28 de abril de 1923 mudou a história do futebol.

Por Juca Kfouri às 10h59

27/04/2008

Pintaram os campeões estaduais de 2008

O Coritiba ganhou do Atlético Paranaense por 2 a 0 e pode perder na Arena da Baixada, no domingo que vem, por um gol de diferença que, assim mesmo, será o campeão paranaense.

O Coritiba está com cara de campeão.

O Figueirense ganhou do Criciúma por 1 a 0 em Floripa e joga pelo empate em Criciúma, no domingo que vem, para ser o campeão catarinense.

Deve ser.

O Palmeiras ganhou da Ponte Preta em Campinas e pode até perder por um gol de diferença no domingo que vem, no Palestra Itália, que mesmo assim será o campeão paulista.

É óbvio que será.

Como é mais que óbvio que o Cruzeiro já é o campeão mineiro, depois de fazer 5 a 0 no Galo no jogo de ontem.

Três times que também ganharam ontem, mas que não parecem com cara de campeões são o Flamengo, o Juventude e o Itumbiara.

O rubro-negro dificilmente será forte o suficiente para fazer valer o magro 1 a 0 diante do Botafogo, porque não só irá ao México no meio da semana como pegará o rival descansado e completo.

O Juventude jogará pelo empate no Beira-Rio depois de ganhar do Inter por 1 a 0, em Caxias do Sul, mas não sei não, duvido que vença o rival pela quarta vez neste ano ou sequer empate com ele.

E o time goiano não deverá suportar o Goiás no Serra Dourada, porque também só venceu pela contagem mínima em Itumbiara.

Já na Bahia, o Vitória deu a volta por cima ao golear o Bahia por 3 a 0 em Feira de Santana e assumir a liderança do campeonato ao faltar apenas duas rodadas.

Comentário para o Jornal da CBN desta segunda-feira , 28 de abril de 2008.

http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/comentarios/jucakfouri.asp

Por Juca Kfouri às 20h54

Coxa e Juventude na boa

O Coritiba fez prevalecer o fator campo (33.429 pagantes) e meteu 2 a 0 no Furacão, um gol em cada tempo, Carlinhos Paraíba e, para variar, Keirrison.

Pode perder por 1 a 0 no jogo na Arena da Baixada, domingo que vem.

Já o Juventude, em Caxias (13.385 torcedores) fez 1 a 0 no finzinho com Maycon, depois que Fernandão perdeu uma bola imperdível.

O goleiro, Michel Alves, do Juventude, no fim do primeiro tempo, fez das maiores defesas do ano, senão a maior, em cabeçada de Dani Moraes.

Por Juca Kfouri às 18h08

Cruzeiro campeão mineiro!

Quem faz 5 a 0 na primeira partida de uma decisão não precisa fazer mais nada na segunda.

Só precisa pensar no Boca Juniors, nesta quarta.

E o Galo só precisa criar vergonha na cara.

É isso.

Raposa 5, Galo 0, no Mineirão, com 48.903 pagantes.

 

Por Juca Kfouri às 17h56

O 22o. título está na esquina do Palmeiras

Quando o jogo começou em Campinas, com 19 mil torcedores, uma coisa ficou muito clara: a Ponte Preta estava com os nervos à flor da pele e o Palmeiras era o Palmeiras, grande, forte, tranqüilo e superior.

Tanto que por muito pouco não abriu o marcador logo nos primeiros minutos, ao contrário da equipe campineira, que só perto dos 10 minutos levou perigo ao gol de Marcos.

Daí ter sido natural o gol de Kléber, em cobrança de escanteio por Leandro, aos 19.

Sem criação no meio do campo, jogando na base da ligação direta, a Ponte só não tomou mais gols por detalhe e o 1 a 0 acabou de bom tamanho no primeiro tempo.

A Ponte Preta mudou no segundo tempo e tratou de tentar pressionar o Palmeiras.

Aos 13, Valdívia, muito marcado e bastante operante, saiu para entrar Denílson, poupança para a finalíssima.

Aos 23, saiu Kléber, entrou Lenny.

A Ponte jogava, enfim, mais com a bola no chão, só que quando o Palmeiras a retomava, impunha seu ritmo, sem susto.

Quando, aliás, qualquer susto pintava no horizonte, Henrique tratava de impedir.

Aos 33, mais Makelele para trancar geral, no lugar de Alex Mineiro.

A Ponte não desistia e fazia Marcos trabalhar, mas sem precisar fazer milagres.

Aos 39, Luis Ricardo desperdiçou, de peixinho, uma grande chance pela esquerda do gol palmeirense.

E o Palmeiras poderá perder por um gol de diferença no domingo que vem, no Palestra, para ser campeão paulista pela 22o. vez.

Alguma dúvida?

Em tempo: 4600 pessoas opinaram e 52% delas acertaram que o alviverde venceria em Campinas.

Por Juca Kfouri às 17h55

O primeiro passo é do Mengo

O primeiro tempo de Flamengo e Botafogo foi guerreado, mas pouco emocionante num Maracanã com 63.413 pagantes.

Emoção forte mesmo só uma, quando o goleirinho Renan evitou um gol de Souza, pela direita, aos 26, depois de passe de Léo Moura.

O Flamengo, completo, até era melhor, mas o Botafogo, desfalcado, segurou o 0 a 0.

Logo que o segundo tempo começou o goleirinho Renan fez um milagre, em nova bola de Souza, aos 2.

Virou goleirão.

O Botafogo só foi responder aos 18, em sua primeira chance de gol (a anterior, que acabou na rede, com Zé Carlos, foi anulada por impedimento, aos 4), quando Fábio cabeceou por cima em grande chance.

Quase aos 30, Eduardo acertou a trave do Flamengo, sinal, então, de que o Bota já era melhor em campo.

Se Tardelli tinha entrado no lugar do decepcionante Kléberson no intervalo, Obina entrou no lugar de Ibson.

Cuca respondeu tirando Zé Carlos e pondo Édson.

Joel Santana deu mais sorte.

O Mengo roubou uma bola de Eduardo com Leo Moura, aos 35, e Tardelli cruzou da direita para Obina fazer 1 a 0.

Nada está decidido, enfim, ainda mais que o Mengo vai ao México e o Bota estará completo no domingo que vem. 

Por Juca Kfouri às 17h54

Vivendo e aprendendo

*Por ALBERTO MURRAY NETO

Escrevo da Espanha, onde estou em reunião com vários advogados de escritórios associados entre si, do mundo inteiro.

O meu escritório é o representante brasileiro.

A mim coube presidir o grupo de debates sobre Direito Esportivo, até por ser Árbitro do CAS (Corte Arbitral do Esporte), em Lausanne.

Aprendi algumas coisas que não sabia:

1. Na Holanda, a lei prevê que casos envolvendo questões do futebol (mesmo de Direito Trabalhista), quem tem competência para dirimir os conflitos é um Tribunal Arbitral especializado no assunto;

2. A Franca tem um órgão fiscalizador das gestões financeiras dos clubes, com poderes para intervir nas administrações como, por exemplo, determinar que certo clube que está em situação financeira difícil deve desfazer-se de jogadores para melhorar a situação financeira, ou proibir novas contratações por certo período.

É um órgão colegiado, com mandato (mais ou menos como as Agências Reguladoras).

A FFF escolhe os membros a partir de listas entregues a eles, devendo ser um representante da Ordem dos Advogados e de outros segmentos da sociedade.

E isso tem funcionado bem, porque os clubes que não cumprem são realmente punidos.

A Holanda e Israel têm órgãos com funções similares;

3. Portugal exige, no inicio da sua temporada, que cada clube apresente à federação certidões de que estão em ordem com todas as suas obrigações tributarias.

Só que não funciona bem.

O Benfica a certa altura apresentou certidão falsa.

Sabe o que aconteceu com o Benfica?

Nada, porque entenderam que o Campeonato Português sem o Benfica não funcionaria.

A Federação Portuguesa de Futebol assumiu perante o governo as dividas dos clubes para que estes tivessem as certidões.

Só que a federação também não paga o governo.

E não acontece nada (são nossos ancestrais! Temos a quem puxar);

4. Os clubes são quase que todos realmente empresas, alguns listados em bolsa.

E quando quebra, quebra mesmo, seja lá quem for (a Fiorentina, por exemplo).

A exceção, de novo, é Portugal;

5. Quando relatei aos colegas de outros países o que era a nossa Lei do Passe, a reação não foi outra: uma levantou a mão e disse, "regime de escravidão, então?";

6. E quando me perguntaram sobre punição a clubes mal administrados, tive que dizer que eles são contemplados com uma coisa chamada Timemania, que além de dar benefícios fiscais a uma categoria econômica especifica, mantém como administradores desses clubes os mesmos que os levaram à ruína.

*Alberto Murray Neto é advogado desde 1990, graduado pela Faculdade de Direito da USP do Largo de São Francisco, membro crítico da Assembléia do COB e integrante do CAS, na Suíça, combatente da causa por um esporte limpo no Brasil.

Por Juca Kfouri às 13h51

TCU: Governo gastou R$ 26,7 milhões com RFID no Pan-2007 e não utilizou

POR LUIZ QUEIROZ

 Convergência Digital

O Tribunal de Contas da União determinou ao Ministério dos Esportes e ao Comitê Organizador dos XV Jogos Pan-Americanos que informem, num prazo de 15 dias, as razões para terem gasto R$ 26,7 milhões com a empresa Atos Origin Serviços de Tecnologia da Informação, na compra de solução de controle de acesso baseada na tecnologia RFID, sem a sua efetiva utilização.

De acordo com o TCU o uso desta solução ficou restrita a pouco mais de 1/3 das credenciais ativadas durante os Jogos.

"Em mais de 75% das credenciais utilizadas, ocorreram menos de 10 acessos durante todo o período, sem a adoção de medidas corretivas em tempo hábil, comprometendo a segurança dos Jogos e contrariando o disposto na cláusula quinta, I, do 1º termo aditivo àquele contrato", informa o ministro Marcos Vilaça, relator do processo no TCU.

O presidente do Comitê Organizador dos XV Jogos Panamericanos, Carlos Arthur Nuzman terá que prestar os esclarecimentos da parte relativa ao atraso "na especificação da matriz de privilégios" do sistema de credenciamento e pela não-utilização do sistema de controle de acesso baseado na tecnologia RFID, contratado pelo Governo Federal.

Já pelo Ministério do Esporte, o ministro Marcos Vilaça convocou duas autoridades para explicar em 15 dias porque compraram uma solução tecnológica que acabou não tendo aproveitamento, ou pelo menos baixo número de credenciais foram ativadas.

Foram convocados Ricardo Leyser Gonçalves, da Secretaria Especial dos Jogos Pan-americanos Rio 2007 (Sepan) e José Pedro Varlotta, fiscal do contrato n.º 16/2006 assinado com a Atos Origin no valor global de R$ 112.998.002,00 - em que R$ 26,7 milhões foram gastos com a solução de RFID para o credenciamento.

As autoridades também vão explicar algumas irregularidades cometidas na celebração do 1º termo aditivo ao contrato n.º16/2006, "com a inclusão de serviços não previstos originalmente", segundo o TCU.

Na visão do ministro relator, o Aditivo foi assinado apenas pouco mais de dois meses depois da assinatura do contrato original, sem que se tenha realizado:

"a) O devido processo licitatório, tendo em vista tratar-se de novo objeto, incluindo itens com vários fornecedores disponíveis no mercado, tais como locação de equipamentos e compra de etiquetas, para implantação da tecnologia RFID, conforme determinado pelo art. 2º da Lei n.º 8.666/93, contrariando a orientação da Consultoria Jurídica do Ministério do Esporte e assumindo os encargos decorrentes da subcontratação desses serviços; e"

"b) A pesquisa de preços unitários dos itens a serem contratados, em observância ao 7º, §2º, II, da Lei n.º 8.666/93."

Segurança

O ministro do TCU, Marcos Vilaça, também convovou Jose Hilário Nunes Medeiros, responsável da SENASP/ Secretaria Nacional de Segurança Pública, do Ministério da Justiça, para apresentar, no prazo de 15 dias, as razões de justificativa, relativas à não-observação, pela segurança dos Jogos, da premissa de utilização obrigatória dos equipamentos de tecnologia RFID para controle de acesso às instalações, comprometendo a segurança do evento. "Pela qual a SENASP era responsável, conforme as Atas das reuniões da Comissão de Tecnologia instituída pela Portaria n.º 15, de 8/2/2007, do Ministério do Esporte", explicou o ministro Vilaça.

Procedimento Administrativo

O Tribunal de Contas da União determinou ao Ministério do Esporte que realize um "Procedimento Administrativo" para apurar a responsabilidade da contratada Atos Origin, quanto à infração ao disposto no artigo 55, V, "b" do Anexo à Resolução Anatel n.º 242, de 30/11/2000 (utilização de equipamentos não homologados pela Anatel e que utilizam o espectro radioelétrico), que prevê multa com lacração, caso não se tenha apurado tal fato em comissão de sindicância.

Também determinou o levantamento integral dos serviços, componentes e respectivos quantitativos, comprovadamente prestados no escopo do 1º termo aditivo ao Contrato n.º 16/2006, "incluindo a relação nominal de recursos humanos alocados e treinados, a documentação dos sistemas desenvolvidos e das consultorias realizadas e os custos envolvidos, demonstrando a compatibilidade dos preços com os praticados no mercado, com o uso das métricas usuais, encaminhando osrelatórios de levantamento para análise de preços pela Secretaria de Fiscalização da Tecnologia da Informação deste Tribunal".

O ministro Vilaça também cobrou explicações para o "ajuste dos valores devidos à contratada para prestação dos serviços de integração tecnológica, tendo em vista eventual discrepância encontrada no procedimento relativo ao item anterior, bem como as já mencionadas neste relatório referentes à locação de equipamentos".

O TCU também quer conhecer a íntegra do processo relativo à Comissão de Sindicância instituída pela Portaria n.º 172, de 4/9/2007 no Ministério dos Esportes, e determinou que a Agência Nacional de Telecomunicações encaminhe ao Tribunal, tão logo estejam concluídos, os resultados do Procedimento de Apuração de Descumprimento de Obrigações (PADO) n.º535.080.118.132.007.

Na decisão o ministro não deixou claro se esse processo estaria diretamente ligado à empresa Atos Origin, pelo uso de solução RFID não homologada pela agência.

Por Juca Kfouri às 23h37

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico