Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

09/08/2008

Grêmio leva o Osmar Santos!

Se mantiver a tradição dos pontos corridos no Brasileirão, o Grêmio, senhores, será o campeão brasileiro de 2008.

Sem dúvida, é o melhor time do primeiro turno.

E é porque capaz de golear o Galo no Mineirão, como foi capaz de fazer tanto o time mineiro como o Coritiba perderem pela primeira vez em suas casas.

E o retranqueiro Celso Roth comanda o time com maior número de gols do turno.

Pena que aqui no México ninguém se interessa pela Série A do Brasileirão, só pela B, a Série Brasil...

Porque não só não vi a espetacular vitória gaúcha como, ainda por cima, deixei de ver a reabilitação do Flamengo, que parece tardia.

Como não vi a aparente dura vitória do São Paulo sobre o Goiás.

Fato é que o Grêmio ganhou o turno e o troféu Osmar Santos, do diário "Lance!"

E passa a ser sim o grande favorito ao título, mesmo com Cruzeiro e Palmeiras em sua cola.

Por Juca Kfouri às 20h14

Vendo o Corinthians no México

Há situações na vida em que você se sente do tamanho de uma formiga, e olhe lá.

São situações instrutivas, porque ensinam humildade e mostram como você é um nada.

É assim quando você se vê diante do David ou da Pietá de Michelangelo.

Ou da Guernica, de Picasso.

Ou do Duomo em Milão.

Ou do Sol Azteca, no Museu de Antropologia do México.

Voltei lá hoje e a sensação se renovou.

Depois, você pode não acreditar, tomei um susto.

A Cidade do México foi parando, parando e parou.

Para ver o jogo do Corinthians...

Que acabou com a vitória do Vila Nova, por 2 a 1, aos 43 minutos do segundo tempo, gol de Pedro Junior.

Que coisa!

E com Felipe expulso em seguida o que levou André Santos para o gol.

Mano Menezes perdeu a primeira fora de casa, mas já empatou um monte de vezes...

E fizeram até camiseta com o nome dele.

Por que, não sei.

Só sei que o Avaí está chegando, a apenas dois pontos e é o próximo adversário do Corinthians, em Floripa.

E que, na verdade, não sabemos de nada.

Tamanha nossa insignificância.

Que o digam os mestres aztecas.

Por Juca Kfouri às 18h09

08/08/2008

Para não dizer que não falei...

A caminho do aeroporto e passado o impacto da festa de abertura da Olimpíada, dois comentários;

1. com o perdão do amigo que há de entender a emoção, jamais imaginei ver um filho comentando a cerimônia, ainda mais com o comedimento e naturalidade que caracterizaram seu desempenho, típico de alguém que, como meu caro João Palomino, estava ali para fazer companhia ao espectador em casa, não para alardear falsa cultura ou entupi-lo de informações de almanaque. Cria lambida...

2. ...o que mais me tocou foi a maneira como os chineses foram capazes de botar a tecnologia a serviço da sua cultura, transformando sonhos em realidade de um jeito que manteve o sonho intacto, mesmo que quase fosse possível tocá-lo. Mas só quase...

Inesquecível.

Por Juca Kfouri às 14h48

Até já!

Não estranhe.

Estou dando uma fugidinha.

Vou ver Pequim de Guanajuato.

Coisa de louco?

Um pouco.

Mas fiz meio assim com o Rio-2007, lembra, de Montevidéu.

É divertido.

De todo jeito, dou notícias.

Mas só amanhã.

Divirta-se por aí.

Por Juca Kfouri às 13h16

Decisão do turno ficou para última rodada

Só dois times podem ganhar o primeiro turno do Brasileirão e, assim, ficar com o troféu Osmar Santos do diário "Lance!": Grêmio e Cruzeiro.

Ao Grêmio, uma vitória no sábado, sobre o Galo, no Mineirão, garante o título.

Se empatar ou perder, dependerá do que o Cruzeiro conseguir no Canindé, no domingo, diante da Portuguesa.

Um empate do Grêmio e uma vitória do Cruzeiro dão aos mineiros o título, pelo número de vitórias.

A penúltima rodada, com 27 gols, rendeu uma média de público alta para o meio de semana, nada menos do que 17.561 pagantes por jogo.

O Serra Dourada recebeu o maior público, 39.200 torcedores.

E São Januário recebeu o menor, com 4.633.

Em quarto lugar, com 30 pontos, o São Paulo viu escaparem os três times que estão à sua frente: o Palmeiras tem quatro pontos a mais, o Cruzeiro tem seis e o Grêmio tem oito.

Lá embaixo, Náutico, Santos, Fluminense e Ipatinga.

O Flamengo, time que mais tempo liderou o campeonato, está agora a 10 pontos de distância tanto do líder Grêmio quanto da ZR.

E a rodada do fim de semana promete rivalizar com a Olimpíada de Pequim, cuja festa de abertura acontece daqui a pouco, às 8h08 da noite na China, 9h08 da manhã em Brasília.

E você sabe por que às 8h08 do dia 8 de 8 de 2008: basta deitar o 8 para virar o símbolo do infinito para nós e da prosperidade na crença da materialista China.

China que um dia se disse comunista e que hoje não sabe bem o que é, além de ser capitalisticamente poluída, como Pequim demonstra diariamente.

Prometem que a festa vai ser bonita, pá!

Por Juca Kfouri às 00h24

07/08/2008

Botafogo em estado de graça

O Botafogo desembestou.

Túlio fez um golaço aos 16 minutos, num voleio de virada criado por ele mesmo.

E o Botafogo levava bem a partida em Floripa quando o árbitro exagerou ao expulsar Carlos Alberto, aos 25.

Então o Figueirense cresceu e quase empatou.

Como ficou no quase, aos 9 do segundo tempo, Thiaguinho chutou cruzado e aumentou.

A vantagem seria confortável, não fosse uma trombada de costas que o goleiro Renan, com a bola dominada, deu em seu companheiro Renato Silva, trombada que o fez soltar a bola nos pés de Rafael Coelho, que diminuiu aos 16.

O Botafogo conseguiu suportar a pressão catarinense e já tem o mesmo número de pontos do Flamengo...

Por Juca Kfouri às 22h26

Palmeiras com autoridade

O gramado do Palestra Itália não suportou a chuva que caiu em São Paulo e ficou encharcado.

Para dois times de toque de bola, não poderia ser pior.

E embora tenha chovido forte, não era para tanto.

Seja como for, Palmeiras e Vitória fizeram um primeiro tempo movimentado e bom disputado.

E o Palmeiras mais uma vez mostrou que, com o time que tem, não pode não gostar de jogar em casa.

Ao contrário. Tem de gostar. E muito. E tem de se impor. Como fez.

Valdívia abriu o placar na segunda trave, depois de desvio de Alex Mineiro em cobrança de escanteio, aos 16.

O Vitória teve pelo menos duas grandes chances para empatar, em bolas que passaram rentes à trave de Marcos.

E o Palmeiras teve mais três para ampliar, ainda mais agudas que as do bom rubro-negro baiano.

E aos 5 do segundo tempo, Alex Mineiro matou a partida ao fazer 2 a 0, agora na primeira trave, depois de cobrança de falta.

Sandro Silva, cada vez mais titular, ainda ampliou aos 35, numa jogada belíssima, todinha dele, que culminou com uma bola entre as pernas do goleiro Viáfara.

O Verdão se manteve quatro pontos atrás do líder, o tricolor gaúcho, e quatro pontos na frente do quarto colocado, o tricolor paulista.

E pega o Botafogo, no Engenhão, na última rodad do primeiro turno.

Por Juca Kfouri às 22h22

Cruzeiro pode sim sonhar com o primeiro turno

Cruzeiro e Inter, para variar, fizeram um belíssimo jogo de futebol no Mineirão.

Logo que começou, a impressão foi a de que Nilmar, lépido e insinuante, seria o nome do jogo.

Mas, em seguida, Gérson Magrão ganhou o espetáculo, ao surpreender a defesa gaúcha e fazer 1 a 0, logo aos 3 minutos.

E ainda antes dos 10 minutos, exatamente aos 9, ele mesmo obrigou Clemer a fazer grande defesa.

O Cruzeiro mandou no jogo como quis até que o Inter se deu conta de que ou partia para frente ou seria presa fácil.

E acabou por pressionar o time mineiro até conseguir um pênalti duvidoso e cobrado por Nilmar que Fábio defendeu com maestria.

No começo do segundo tempo, numa outra oportunidade em que estiveram frente à frente, Nilmar cabeceou com veneno e Fábio fez outra excelente defesa.

Fábio ou Victor, do Grêmio, difícil apontar quem está jogando melhor.

Só que quando o goleiro fez seu novo milagre já estava 2 a 0 para o Cruzeiro, porque ao tentar cortar um cruzamento da esquerda de Guilherme o colorado Sorondo marcou contra.

A 13 pontos do Grêmio, só uma reação extraordinária ainda permitirá ao Inter lutar pelo título.

Parece que seus reforços chegaram tarde e, na verdade, na hora em que se vê Rosinei sair para Gustavo Nery entrar, não dá para levar muito a sério o esforço colorado, porque nem um nem outro são confiáveis, ao contrário.

E se o Inter frustrou a torcida gremista, no fim de semana será a vez da torcida cruzeirense torcer pelo rival Galo, que recebe o Grêmio.

Porque o Cruzeiro tem a Portuguesa no Canindé pela frente e deve vencer.

E se o Galo empatar com o Grêmio, o campeão do turno será o time de Adílson Batista.

Por Juca Kfouri às 22h20

"Brasil no Olimpo ou no inferno... Com o nosso dinheiro!"

Por LINO CASTELLANI FILHO
Observatório do Esporte

Vimos acompanhando, nestes tempos de Olimpíadas, uma certa "disputa" entre o Governo Federal - via Ministro do Esporte - e o COB, no pertinente às expectativas de medalhas por parte da delegação brasileira.

O Ministério do Esporte - incentivador da presença do presidente Lula em Pequim, no constrangedor e equivocado papel de garoto propaganda do COB - vem cobrando publicamente uma melhor performance brasileira, por conta dos recursos públicos dispendidos - pela primeira vez num período de um ciclo olímpíco - em benefício do esporte olímpico.

Vide por exemplo a matéria "Brasil leva número recorde de atletas a Pequim" publicada na edição nº684, de 06/08/08, do jornal eletrônico "Em Questão", editado pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

Até porque precisa explicar para todo mundo, inclusive para o Tribunal de Contas da União, por qual motivo resolveu desrespeitar a Constituição Brasileira...

Por sua vez, o COB - seguido dos dirigentes das várias confederações esportivas - esforça-se em relativizar a presença do aporte de recursos públicos em seus cofres, buscando desvinculá-lo dos resultados esportivos.

Bem...

Estudos parecem comprovar que a relação de causa - efeito (mais dinheiro = mais performance = mais medalha) não se configura no caso em questão, o que explica o "temor" das entidades esportivas brasileiras, todas elas dotadas de personalidade jurídica de direito privado, o que, sem meias palavras, significa algo como "ninguém (nem o Governo) pode se intrometer em nossos negócios, mas nós não sobrevivemos sem recursos públicos..."

O "Observatório do Esporte" (www.observatoriodoesporte.org.br)trás em sua página, já tem algum tempo, artigo denominando "O Brasil no Olimpo", onde tal relação é analisada no caso da natação brasileira.

Quem se interessar pelo tema pode contatar o autor do texto (rafael.moreno@uol.com.br), pois seu estudo não se limita àquela modalidade, estendendo-se a outras tantas.

Vale verificar.

Por Juca Kfouri às 15h12

Na 'Folha' de hoje: diga-me com quem andas...

Painel

RENATA LO PRETE - painel@uol.com.br


Olheiro. A convite do corintiano Lula, Vanderlei Luxemburgo visitou recentemente o Alvorada.

O técnico do Palmeiras, que tem em sua equipe de auxiliares um dos filhos do presidente, Luiz Cláudio, pernoitou no palácio.

Por Juca Kfouri às 15h08

Responda rápido

Qual é o verdadeiro Flamengo: o que está 10 pontos atrás do Grêmio, o primeiro dos primeiros, ou o que está 10 pontos na frente do Náutico, o primeiro dos últimos?

Por Juca Kfouri às 11h30

11 contra 10, Hernanes salva a pátria na China

Acordar às 6 da matina para ver Brasil e Bélgica não valeu a pena.

E foi difícil ficar acordado durante todo o jogo.

O time de Dunga não jogou nada bem no primeiro tempo.

E jogou ainda pior no segundo.

Pergunte, por exemplo, o nome do goleiro belga.

Eu não sei.

Ele não precisou fazer nenhuma defesa importante, ao contrário de Renan, o goleiro brasileiro.

Aliás, o primeiro chute nacional ao gol belga só aconteceu aos 15 minutos de jogo, e torto, da parte de Marcelo, que se salvou da ruindade geral, diga-se, nela incluída quase todos os demais, Pato e Ronaldinho, inclusive.

Pato, aliás, saiu para entrar Jô e Anderson, abaixo da crítica, deixou o campo para a entrada de Thiago Neves, quando a Bélgica já estava reduzida a 10 jogadores, porque o zagueiro-central foi expulso aos 27 do segundo tempo.

Em seguida, aos 33, Diego brigou por uma bola na área belga e Hernanes, em lindo drible, fuzilou de esquerda e fez o gol brasileiro.

O goleiro Bailly, eis o nome do cara, continuou, praticamente, a não tocar na bola.

E, aos 42, a Bélgica ficou reduzida a nove jogadores, quando Ramires já estava no lugar de Diego.

Como a Bélgica era o adversário mais difícil, pois nem Nova Zelândia nem China devem ser maiores obstáculos, quem sabe a Seleção Brasileira ganhe entrosamento e possa crescer, como, por exemplo, aconteceu na Copa do Mundo de 2002, com o time do Felipão.

Porque, para usar o chavão, valeu pela vitória.

Ainda mais numa estréia, sempre com os nervos à flor da pele.

Pele?

Pele lembra o quê?

Ah, esquece...

Nada a ver.

Por Juca Kfouri às 07h53

Cuca se demite e Lopes é demitido

Três treinadores começaram a noite de ontem ameaçados de perder o emprego se seus times, em casa, perdessem seus jogos.

Só Renato Gaúcho se salvou.

Antonio Lopes foi devidamente dispensado pelo Vasco e Cuca preferiu se dispensar do Santos.

Lopes ainda é técnico só na cabeça de Eurico Miranda.

E Cuca em nenhum momento esteve com a cabeça no Santos.

Por Juca Kfouri às 00h22

Acredite se quiser

Processo No 2008.211.010323- 6

TJ/RJ - 06/08/2008 15:06:31 - Primeira instância - Distribuído em 11/07/2008


Regional da Pavuna

Cartório do 25º Juizado Especial Cível



AUTOS N.º 2008.211.010323- 6

RECLAMANTE: CARLOS ALMIR DA SILVA BAPTISTA

RECLAMADO: JORNAL MEIA HORA DE NOTÍCIAS

SENTENÇA


Dispensado o relatório, nos termos do artigo 38 da Lei 9.099/95.

Primeiro registro que é absolutamente incrível que o Estado seja colocado a trabalhar e gastar dinheiro com uma demanda como a presente, mas... ossos do ofício!

Ressalto, desde já, estarem presentes todos os pressupostos de regular desenvolvimento do processo e as condições para o legítimo exercício da ação. O autor é capaz e está bem representado, o juízo é competente e a demanda está regularmente formada. As partes são legítimas, há interesse de agir, já que a medida é útil na medida em que trará benefício ao autor, necessária, já que sem a intervenção judicial não poderia ser alcançado o que se pede, e o pedido, por sua vez, é juridicamente possível, tratando-se de compensação por dano moral e pedido de retratação. O que não existe nem de longe é direito a proteger a absurda pretensão do reclamante. A questão é de direito e de mérito e assim será resolvida evitando-se maiores delongas com esse desperdício de tempo e dinheiro do Estado.

O reclamante, cujo time foi derrotado na final da Libertadores, sentiu-se ofendido com matérias publicadas pelo jornal reclamado, que, segundo ele, ridicularizavam os torcedores, incitavam a violência e traziam propaganda enganosa.

As matérias, no entanto, são apenas publicações das diversas gozações perpetradas pelas demais torcidas do Estado em razão da derrota do time do reclamante. Tais gozações são normais, esperadas e certas de vir sempre que um time perde qualquer partida, quanto mais um título importante que o técnico, jogadores e torcedores afirmavam certo e não veio. Mais. As gozações são inerentes à existência do futebol, de modo que sem elas este não existiria porque muito de sua graça estaria perdida se um torcedor não pudesse debochar livremente dos outros.

É certo que o reclamante "zoou" os torcedores de outros times da cidade em razão de derrotas vergonhosas na mesma competição em que seu time foi derrotado, em razão de um dirigente fanfarrão ou em razão de uma choradeira com renúncia, e nem por isso pode o mesmo ser processado. Ressalto que se o reclamante viu tudo isso e ficou quietinho, sem mangar de ninguém e sem se acabar de rir, – não ficou, mas utilizo-me dessa (im)possibilidade para aumentar a argumentação – deve procurar outros esportes para torcer, porque futebol sem deboche não dá!

Ainda que a matéria fosse elaborada pelo jornal reclamado, é possível à linha editorial ter um time para o qual torcer e, em conseqüência lógica de tal fato, praticar "zoações", o que, em se tratando de futebol, é algo necessário e salutar à existência do esporte. Registro que há jornais que não só têm a linha editorial apoiando um ou outro clube, como há os que são criados pelos torcedores para, dentre outras coisas, escarnecer os rivais, o que é perfeitamente viável.

Evidente, por todo o ângulo em que se olhe, que não há a menor condição de existir a mínima lesão que seja a qualquer bem da personalidade do reclamante. "Zoação" é algo inerente a qualquer um que escolha torcer por um time de futebol e vem junto com a escolha deste. O aborrecimento decorrente do deboche alheio é inerente à escolha de uma equipe para torcer e, portanto, não gera dano moral, ainda que uma pessoa, por excesso de sensibilidade, se sinta ofendida e ridicularizada.

Continua o reclamante na sua petição afirmando que o reclamado incita a violência com sua conduta. É engraçado, porque o próprio reclamante afirma que teve que dar explicações à diretoria de seu local de trabalho em razão de desavenças com seus colegas. A inicial não é clara neste ponto, mas se houve briga em razão do reclamante não aceitar as gozações fica ainda mais evidente que o mesmo deve escolher outro esporte para emprestar sua torcida, porque, como já dito, futebol sem deboche, não dá! E o que é pior! O reclamante, se brigou, discutiu ou se desentendeu foi porque quis, porque é de sua vontade e de sua índole e não porque houve uma publicação em jornal. Em momento algum o jornal sugere que haja briga, o que só ocorre em razão de eventual intolerância de quem briga, discute ou se desentende.

Por fim, o argumento mais surreal! A propaganda enganosa! Chega a ser inacreditável, mas o reclamante afirma que houve propaganda enganosa porque na capa do jornal há um chamado dizendo existir um pôster do seu time rumo ao mundial, mas no interior a página está com "uma foto com os jogadores (...) indo em direção a uma rede de supermercados". Ora, e a que outro mundial o time do reclamante poderia ir se perdeu o título da Libertadores? Qualquer um que leia a reportagem, inclusive toda a torcida de tal time e em especial o reclamante, sabe, por óbvio, que jamais poderia existir foto da equipe indo à disputa do título mundial no Japão, porque isso nunca ocorreu.

A pretensão é tão absurda que para afastá-la a sentença precisaria apenas de uma frase: "Meu Deus, a que ponto nós chegamos??!! !", ou "Eu não acredito!!!" ou uma simples grunhido: "hum, hum", seguido do dispositivo de improcedência.

É difícil encontrar nos livros de direito um conceito preciso do que seria uma lide temerária, mas esta, caso chegue ao conhecimento de algum doutrinador, será utilizada como exemplo clássico para ajudar na conceituação.

O reclamante é litigante de má-fé por formular pretensão destituída de qualquer fundamento, utilizar-se do processo para conseguir objetivo ilegal, qual seja, ser compensado por dano inexistente, além de proceder de modo temerário ao ajuizar ação sabendo que não tem razão e cuja vitória jamais, em tempo algum, poderá alcançar.

Isto posto, JULGO IMPROCEDENTE O PEDIDO.

Condeno o reclamante como litigante de má-fé ao pagamento das custas, nos termos do caput do artigo 55 da Lei 9.099/95.

Publique-se. Registre-se. Intimem-se.

Após as formalidades legais, dê-se baixa e arquivem-se.

Rio de Janeiro-RJ, 31 de julho de 2008.

José de Arimatéia Beserra Macedo

Juiz de Direito

 

Por Juca Kfouri às 00h17

Goiás sobe, Flamengo desce

O Goiás subiu para 13a. posição ao derrotar o Flamengo no Serra Dourada, com dois gols de Iarley, o primeiro aos 7 e aos 46 do segundo tempo.

O Flamengo, que despencou para o sétimo lugar depois de sua sétima partida seguida sem vitória, tinha empatado de pênalti sofrido por Juan, com Léo Moura.

Flamengo que perdeu até o uruguaio Morales que resolveu não vir por medo da torcida.

Por Juca Kfouri às 23h54

Nem o tricolor esperava

Pelo que o Fluminense fez no primeiro tempo, mais perigoso que o São Paulo no Maracanã, sofrer o primeiro gol logo no recomeço da partida, marcado por Hugo, aos 3, foi um castigo duro.

Tricolor algum esperava uma virada, a não ser o gaúcho.

Eis que, aí, Éder fez um pênalti bobo e Washington empatou, aos 9.

O mesmo Washington que eliminou o São Paulo da Libertadores com dois gols, fez mais um gol, aos 17, para completar um contra-ataque nascido de uma bobagem de Hugo, que teve a bola roubada de maneira infantil.

O Flu virava maravilhosamente: 2 a 1.

E passava a mandar no jogo, para justificar plenamente o placar.

Não satisfeito, no peito e na raça, Washington fez mais um, 3 a 1, aos 38, numa jogada em que falharam Éder, Rogério Ceni e Rodrigo.

O Flu segue na ZR, mas a apenas três pontos de sair dela.

E o São Paulo permanece no GR, mas já a oito pontos do líder.

A torcida do tricolor carioca, que protestava antes do jogo, terminou a partida dando olé no bicampeão brasileiro.

Por Juca Kfouri às 23h50

Virada à moda do Galo

O primeiro tempo na Vila Belmiro acabou 2 a 1 para o Santos, que chegou a fazer 2 a 0 com Kléber Pereira e Vinicius, contra, dois gols nascidos de falhas do Galo, uma do goleiro, outra do zagueiro.

Mas o Santos criou uma porção de outras chances, sem acertar a conclusão.

O Galo também, para concluir bem apenas uma vez, aos 29, um minuto após o segundo gol santista, com Jael, entre as pernas do goleiro Douglas.

Mas se os 45 minutos iniciais terminassem 5 a 4 também estaria bem.

O surpreendente, no entanto, foi ver o segundo tempo terminar 2 a 0. E para o Galo.

A zaga praiana saiu jogando errado, Petkovic roubou e Márcio Araújo empatou, aos 5. 

Se não bastasse, aos 29, Quiñónez fez outra enorme lambança, Raphael rouba a bola e vira para o Galo: 3 a 2.

O Santos volta à ZR, a Lusa sai dela, o Galo já está em 11o.

Segunda derrota seguida do Santos na Vila, seis gols sofridos.  

Por Juca Kfouri às 23h49

06/08/2008

Rubro-negros no lucro

Na Arena da Baixada, Rafael Moura, lembra dele?, o He-Man, fez um gol no primeiro tempo e Danilo fez outro, no segundo.

Resultado: Furacão 2, Timbu 0.

Consequência: Atlético Paranaense saiu da ZR e o Náutico entrou.

Na Ilha do Retiro, Roger fez um gol no primeiro tempo e Bruno Rodrigo (contra) fez outro, no segundo.

Resultado: Leão 2, Lusa 0.

Consequência: Sport a quatro pontos do G4 e Portuguesa na ZR.

Os rubro-negros se deram bem, o alvirrubro e o rubro-verde se deram mal, muito mal. 

Por Juca Kfouri às 22h39

Coritiba sem dó nem piedade

O Coritiba não está para brincadeiras.

Para quem veio da Série B, o time paranaense não está nem aí se vai afundar outros grandes do futebol brasileiro no mesmo buraco.

Inconformado por ter perdido uma vez em casa, e para o líder Grêmio, tratou de ir buscar aqueles pontos com juros e correção monetária.

A primeira vítima foi o Santos, na Vila Belmiro, 3 a 1, três gols de Keirrison.

A segunda, hoje, foi o Vasco, em São Januário, com um gol em cada tempo, o primeiro de João Henrique e o segundo dele, o mesmo Keirrison, bom de bola.

Por Juca Kfouri às 21h28

Grêmio não goleia, 'só' lidera...

Foi mais complicado do que se esperava.

Principalmente porque logo aos 4 minutos Perea abriu o placar, em posição de impedimento.

Mas o Grêmio não atropelou o lanterna Ipatinga como se imaginava.

Victor, o goleiro gremista, fez pelo menos mais um milagre.

E a vitória acabou por ser magra, magérrima, mas, porém, contudo e todavia, suficiente para manter o tricolor como líder absoluto do Campeonato Brasileiro.

Na dependência apenas de si na última rodada do turno para ganhar o Troféu Osmar Santos, no Mineirão, diante do Galo.

Isso, é claro, se o Cruzeiro vencer o Inter amanhã no Mineirão.

Porque um empate em Minas já garante o primeiro turno ao Grêmio.

Por Juca Kfouri às 21h24

Precedente aberto

A Comissão Arbitral do Esporte acatou o pedido do Barcelona, Werder Bremen e do Schalke 04 e decidiu que os clubes não têm obrigação de ceder Messi, Rafinha e Diego para que disputem as Olimpíadas.

A Fifa aceitou a decisão e pediu bom senso às partes.

A resolução abre grave precedente, a exemplo do "caso Bosman", em 1995, que acabou com o passe, em veredito do Tribunal de Justiça da Comunidade Européia, em Luxemburgo.

Fica muito claro, mais uma vez, que sempre que alguém for à Justiça contra as arbitrariedades da Fifa, a entidade perderá.

E os efeitos disso devem ultrapassar os Jogos de Pequim, podendo atingir de morte a própria Copa do Mundo de seleções.

Aliás, já não era sem tempo de os clubes fazerem valer seus direitos como pagadores dos atletas.

Podemos estar vendo o começo de novos tempos no futebol mundial.

Um dia, quem sabe, a coragem dos clubes europeus chegue ao Brasil e termine com a subserviência, por exemplo como a do Fluminense, que até Thiago Silva, com mais de 23 anos, cedeu para CBF, fruto da "amizade" entre seus presidentes, um médico do outro.

O poder imperial está acabando e a Fifa terá de aprender a negociar.

O CAS resolveu que não há obrigatoriedade de ceder os atletas porque as Olimpíadas não fazem parte do calendário oficial da Fifa.

Por Juca Kfouri às 07h48

Empate sem gols na estréia olímpica

As meninas do Brasil foram inteiramente dominadas pelas alemãs no primeiro tempo.

E de tal forma que parecia um jogo de adultos contra crianças.

As brasileiras tocavam a bola impotentes, inutilmente, nos poucos momentos em que a tinham nos pés.

E tomaram bola no travessão e viram a Alemanha, campeã mundial, perder gols feitos.

No segundo tempo a coisa seguia no mesmo diapasão até que, aos 16 minutos, Cristiane fez linda jogada pela esquerda e quase encobriu a goleira germânica, que botou a escanteio.

Na cobrança, bola no travessão alemão, na cabeçada brasileira.

Minutos depois nova chance de ouro, nos pés de Marta, que enfiou a bola no único espaço que restava, mas rente à trave, para fora.

Acabou sendo um 0 a 0 estranho, que poderia perfeitamente ter sido 2 a 2 e a última chance aguda de gol acabou, outra vez, sendo do Brasil, em lindo arremate de Marta, bem defendido pela arqueira alemã.

Por Juca Kfouri às 07h40

São Marcos, o bom

3000 opiniões em 15 horas e Marcos é considerado por 71% dos que opinaram como melhor do que o estupendo Rogério Ceni.

Por Juca Kfouri às 00h24

Penúltima rodada do turno: para desfrutar e sofrer, curtir e odiar

A penúltima rodada do primeiro turno do Brasileirão tem sete jogos nesta quarta-feira, todos convidativos, alguns por bons e outros por péssimos motivos.

Por bons motivos, por exemplo, deve-se ver o jogo das 19h30 no Olímpico, no qual o pobre lanterna Ipatinga deverá ser sufocado pelo líder Grêmio.

Também por bons motivos, deve-se ver, às 21h45, Fluminense e São Paulo, no Maracanã, porque ou o Fluminense se recupera ou se afunda de vez e ou o São Paulo demonstra que chegou no G4 para ficar ou ficará muito longe do Grêmio.

Mesmo o jogo em São Januário, às 19h30, tem bom motivo para ser visto, não só porque o Vasco tem se dado bem em casa como o Coritiba faz campanha acima do que se esperava dele.

E tem ainda Goiás e Flamengo, no Serra Dourada, às 21h30.

Ora, o Goiás se recupera a olhos vistos e o Flamengo, bem, ou vai ou racha.

A lista dos jogos que podem ser vistos por maus motivos é menor.

Por exemplo: Atlético Paranaense e Náutico, às 20h30, na Arena da Baixada.

A campanha do Furacão rima com decepção e a do Timbu com chabu.

Também às 20h30, na Ilha do Retiro, o Sport não pode perdoar a Portuguesa, com certeza.

E, finalmente, às 21h45, Santos e Atlético Mineiro, na Vila Belmiro.

O Peixe, em situação desesperadora, e o Galo, que tomou 10 gols nas duas últimas vezes em que jogou fora de casa, contra Botafogo e Vasco.

Por Juca Kfouri às 00h02

05/08/2008

Corinthians volta a vencer

O Corinthians sofreu mas venceu o Juventude, no Pacaembu, por 2 a 0, gol de Fabinho no finzinho do primeiro tempo numa bola que bateu em seu braço e nas duas traves antes de entrar no gol gaúcho.

Novamente o Corinthians deixou a desejar e Douglas ainda mais.

O Juventude foi melhor no segundo tempo, em busca do empate, embora as três melhores chances de gol tenha sido corintianas, uma salva pelo zagueiro Dema em chute de Herrera e outra em bola cruzada da esquerda.

A terceira chance foi, de novo, com Herrera, que desta vez, aos 45, não errou e fez belo gol ao receber de Saci e comemorar em homenagem a Acosta, com a perna dura, menção ao gesso do uruguaio.

Para quem não vencia em casa há duas partidas, não há do que se queixar e nenhuma das 17 mil pessoas no estádio se queixou.

A não ser, é claro, o time gaúcho, inconformado com o gol de Fabinho.

Por Juca Kfouri às 22h22

Arbitragem à européia

Por ALEXANDER REIS*

Parece-me ter começado uma tendência, dizem, à européia: os árbitros estão deixando o jogo correr um pouquinho mais.

Se a TV Globo soubesse como a arbitragem muda a dinâmica de jogo, já teria comprado a idéia de que a arbitragem brasileira tem que mudar.

Os comentaristas de arbitragem Globo/Sportv não podem ver um encostão.

Tudo é falta.

Mas o que tem a Globo a ver com isso?

Explico, com um exemplo.

No saboroso campeonato inglês, os jogos ficam mais televisivos!

Emoção constante, bola que não pára, jogadores que não simulam, tiros de meta que não demoram uma eternidade.

Tudo que a televisão mais adora: emoção instantânea, imagens belas, velocidade, jogo mais ágil, dinâmico.

Geralmente, criticamos a TV por essas mesmas qualidades (em certos casos, são defeitos).

Que ironia!

*Alexander Reis é jornalista.


Por Juca Kfouri às 13h38

Martelo batido!

A camisa 10 do rei Pelé usada no primeiro tempo da decisão da Copa de 1970 será mesmo doada ao Museu do Futebol em São Paulo, no Pacaembu, que deverá ser inaugurado em meados de setembro.

O dono do troféu, arrematado em leilão na casa Christie's, em Londres, o cineasta João Moreira Salles, encontrou-se com Leonel Kaz, diretor do museu, e informou sobre sua decisão.

Como dizíamos antigamente, ainda nos tempos da ditadura brasileira, a cada pequena vitória que se obtinha, e essa é das grandes, "mais uma vez o mundo se curva diante do Brasil".

Por Juca Kfouri às 11h17

Osmar Santos vem aí

Com quase 2000 opiniões, 79% dos que opinaram acham que neste ano não se repetirá a escrita de todos os Brasileirões anteriores -- qual seja a de que o campeão do turno acaba campeão brasileiro.

Parece que ninguém tem dúvida de que o Grêmio ganhará o primeiro turno e, assim, o troféu Osmar Santos, do diário "Lance!", que já está em sua quinta edição.

Por Juca Kfouri às 09h39

E vai rolar a festa, vai rolar...

DIÄRIO OFICIAL DA UNIÃO

Seção 3 – Edição 148 – Página 111 – Segunda-feira, 04 de agosto de 2008.

SECRETARIA EXECUTIVA

EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO No- 88/2008

No- Processo: 58701000931200856 . Objeto: Prestação de serviços de

consultoria de estudo sobre o legado dos jogos Pan-Americanos;

apoio na implantaçao do plano estratégico de ações governamentais

na elaboraçao do dossiê com vistas à candidatura aos Jogos Olimpicos

de 2016 - PEAG; Apoio ao Gerenciamento da Ações do Governo

Federal na candidatura Rio 2016; fornecimento e implantaçao

de sistema informatizado de apoio à gestão estratégica; e concepção e

implantação de curso de capacitação. Total de Itens Licitados: 00001.

Fundamento Legal: Artigo 24, inciso XIII, da Lei 8.666/93 . Justificativa:

Conforme elementos constantes dos autos do processo.

Declaração de Dispensa em 31/07/2008 . JOSE LINCOLN DAEMON

. Subsecretário de Planejamento, Orçamento e Administraçao. .

Ratificação em 31/07/2008 . WADSON NATHANIEL RIBEIRO .

Secretário Executivo . Valor: R$ 12.977.250,00 . Contratada :FUNDACAO

INSTITUTO DE ADMINISTRACAO . Valor: R$

12.977.250,00

(SIDEC - 01/08/2008) 180002-00001-2008NE900035

EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO No- 89/2008

No- Processo: 58701000974200831 . Objeto: Prestação de serviços de

consultoria técnica especializada para a elaboração de sistema de

orçamentação e de estudos em instalações esportivas e acomodações,

necessários para apoiar a atuação do Governo Federal na candidatura

Rio 2016. Total de Itens Licitados: 00001 . Fundamento Legal: Artigo

24, inciso XIII, da Lei 8.666/93 . Justificativa: Conforme elementos

constantes dos autos do processo. Declaração de Dispensa em

31/07/2008 . JOSE LINCOLN DAEMON . Subsecretário de Planejamento,

Orçamento e Administraçao.. . Ratificação em 31/07/2008.

WADSON NATHANIEL RIBEIRO . Secretário Executivo . Valor: R$

11.975.000,00 . Contratada :FUNDACAO GETULIO VARGAS . Valor:

R$ 11.975.000,00

(SIDEC - 01/08/2008) 180002-00001-2008NE900035

 

Por Juca Kfouri às 01h26

Previsões sobre os ganhadores em Pequim

Uma das maiores empresas prestadoras de serviços do mundo, especializada em consultoria e auditoria, a PriceWaterHouseCoopers, publicou, em junho passado, um alentado estudo em que procura antecipar o quadro de medalhas das Olimpíadas de Pequim.

Baseado em desempenho anteriores nos Jogos Olímpicos de 1988 para cá, em índices de desenvolvimento de cada país, suas populações, produtividade, etc, o quadro de medalhas apresenta a anfitriã China como a vencedora do Jogos, com 88 medalhas no total, 25 a mais do que obteve nas últimas Olimpíadas, em Atenas.

Os Estados Unidos ficam com o segundo lugar, com 87 medalhas, uma a menos que a China, 16 a menos do que obteve em Atenas.

A seguir vêm, até o 11o. lugar, Russia (79 medalhas), Alemanha (43), Austrália (41), Japão (34), França (30), Itália (29), Grã-Bretanha, Coréia do Sul (27) e Cuba (24), todos, curiosamente, ganhando menos medalhas agora do que ganharam na Grécia.

Ao Brasil caberá o 22o. lugar, com o total de 12 medalhas, duas a mais que em Atenas. (Embora na tabela da Price conste apenas nove medalhas, foram 10).

Quando os Jogos terminarem, conferiremos o que deu, mas têm sido freqüentes os acertos nesse tipo de estudo.

http://www.pwc.com/extweb/ncpressrelease.nsf/docid/46A6BBB9F92BCBE5852574710001C528

Por Juca Kfouri às 00h53

04/08/2008

O dia de São Marcos

Por ROBERTO VIEIRA

Ele nunca marcou um gol. Herói solitário da pequena área. Missionário.

Mas tantos foram os gols evitados que os fiéis o chamam religiosamente de São Marcos.

Um santo das causas impossíveis. Das defesas mais certas nas horas incertas.

Um santo do novo mandamento alviverde.

Entretanto, São Marcos não é aceito por unanimidade.

Pros lados do Parque São Jorge, o seu evangelho é apócrifo. Proscrito. Index.

Menos nos dias da Copa do Mundo de 2002. Dias em que o verde se unia indelevelmente ao amarelo.

Dias de todos os santos na carta aos filipenses.

Diziam as sagradas escrituras do futebol palmeirense que o milagre viria do Oriente.

Milagre da Libertadores de 1999.

Milagre que quase se transforma em crucificação na final de Tóquio.

São Marcos nasceu em um dia 4 de agosto de 1973.

Nasceu durante o reinado da Academia do Divino.

Nasceu predestinado a ser o imortal substituto de Oberdan, Leão e Valdir.

Nasceu para ser um exemplo de goleiro e atleta.

Até pra quem não gosta nem um pouco da religião do Parque Antarctica.

Ele nunca marcou um gol. Herói solitário da pequena área. Missionário.

Mas tantos foram os gols evitados que os fiéis o chamam religiosamente de São Marcos.

Um santo das causas impossíveis. Das defesas mais certas nas horas incertas.

Um santo do novo mandamento alviverde.

Por Juca Kfouri às 17h34

Rodada de festa para os visitantes

Faltam apenas duas rodadas para terminar o primeiro turno do Campeonato Brasileiro.

E o equilíbrio permanece.

A 17a. rodada, disputada ontem e anteontem, teve uma novidade: a supremacia dos visitantes sobre os anfitriões.

Nada menos do que seis visitantes venceram e apenas quatro anfitriões triunfaram, numa rodada sem nem sequer um empate.

Foram marcados 32 gols, 3,2 por jogo.

O público pagante do Grêmio foi maior que o do Flamengo por exatos 574 torcedores: 37.784 no Olímpico contra 37.210 no Maracanã.

A média de público, sem contar o jogo do Ipatinga que, desrespeitando o Estatuto do Torcedor, não forneceu renda e público, ficou na casa dos 16.612 pagantes por jogo.

O G4 tem dois novos habitantes, Palmeiras e São Paulo, depois que Vitória e Flamengo foram desalojados para as quinta e sexta colocações, respectivamente.

O Grêmio segue cada vem mais líder, até porque recebe o Ipatinga na próxima rodada.

A dois pontos do líder, o vice-líder Cruzeiro receberá o Inter no Mineirão.

Já na ZR tudo igual a como estava no domingo, os que lá estavam lá permaneceram: Atlético Paranaense (que tomou o lugar do Goiás), Santos, Fluminense e Ipatinga.

Por Juca Kfouri às 00h01

03/08/2008

Coxa em festa dupla, Fogão solitário e Galo se vira

Com três gols de Keirrison, um de falta, no primeiro tempo, outro de rebote e mais um de cabeça, ambos no segundo tempo, o Coritiba triturou o Santos na Vila Belmiro por 3 a 1.

Nem Maikon Leite salvou desta vez, embora tenha diminuído quando já estava 2 a 0.

O Coritiba não só está a apenas dois pontos do Flamengo, o sexto colocado, como viu seu rival ser goleado na Arena da Baixada.

Sim, porque Furacão na Arena da Baixada foi o Fogão, que fez 3 a 0 nos donos da casa, com Lúcio Flávio, aos 30 do primeiro tempo, e Jorge Henrique e Túlio, aos 13 e 24 do segundo.

O Botafogo foi o único carioca vitorioso numa rodada trágica para Fla, Flu e Vasco.

E o Galo virou.

Perdia para o Sport no Mineirão, gol de Roger aos 13 minutos, empatou com Marques aos 14 e virou no segundo tempo, quando Petkovic pôs a bola na cabeça de Gedeon em cobrança de escanteio.

O Galo agora está quatro pontos acima do primeiro dos últimos, o seu xará paranaense...

E o que ambos têm em comum?

Um grupo que se perpetua no poder.

Por Juca Kfouri às 20h17

Saci reprovado!

Com 3000 opiniões, 59% dos que frequentam este blog são contra o Saci como mascote da Copa de 2014, de acordo, portanto, com o que pensa o dono do blog.

O que dá ao Saci alguma chance de vir a ser aprovado pela CBF...

Nota do blog: não sei por que, mas a nota estava incompleta na publicação inicial, às 19h41.

Corrigi às 21h38.

Por Juca Kfouri às 19h41

Tudo azul em cima. E os paulistas chegaram

Grêmio e Vitória fizeram o jogo mais importante da rodada, o jogo que somava mais pontos e o que criava mais expectativa de ser bem jogado, entre o líder e o terceiro colocado.

E cumpriu, pelo menos em parte.

William Magrão abriu o placar em jogada em que o time baiano reclamou de falta, Victor fez um milagre espantoso no fim do primeiro tempo e Perea mandou uma bola que foi à trave rubro-negra em seguida.

Além disso, em bela tarde de sol no Olímpico, se o Grêmio se impôs, em nenhum momento o Vitória se acovardou, ao jogar com muita personalidade. 

No Maracanã, ao contrário, Flamengo e Cruzeiro fizeram um primeiro tempo que terminou como mereceu: sem gols e sob vaias.

E no Morumbi e no Ipatingão, dois primeiros tempos de apenas dois times, o São Paulo e o Palmeiras.

André Lima estreou no tricolor fazendo dois gols, um com o pé direito, outro de cabeça, em passes de Richarlyson e Jorge Wagner, ambos os gols em ligeiro impedimento, 26 e 35 centímetros respectivamente, daqueles que, como o blog é coerente, é melhor errar por deixar o lance seguir como fez o bandeirinha.

E o alviverde só não saiu para o intervalo com os mesmos 2 a 0 porque Alex Mineiro perdeu um pênalti que ele mesmo sofreu.

Antes, Valdívia enfiou uma bola para Élder Granja na direita, o ala cruzou na cabeça do chileno que abriu o placar.

O panorama não mudou nem em São Paulo nem em Minas nos segundos tempos.

Logo no recomeço do jogo, por exemplo, o São Paulo só não fez o terceiro gol porque Dagoberto foi fominha e não passou para André Lima, em situação legal, marcar seu terceiro gol.

Coisa que Rogério Ceni fez em cobrança de falta, o que não acontecia desde outubro, 81o. gol da carreira dele no São Paulo, aos 25.

Como fez, de pênalti, o 4 a 0, aos 42, 82o. gol.

E o Palmeiras seguiu dominando, embora, aos 16, tenha levado uma bola no travessão.

A se lamentar no Ipatingão a perseguição a Kléber e Valdívia, que apanham coisa que sirva e na primeira jogada mais forte que fazem já são punidos com cartões amarelos, como voltou a acontecer.

Aos 37, em bela jogada individual, Valdívia matou o jogo, ao fazer 2 a 0 e se abraçar com Vanderlei Luxemburgo, pazes feitas, porque o amor é mesmo lindo.

No finzinho, o Ipatinga diminuiu: 2 a 1.

Já no Olímpico, com 37 mil torcedores, nos primeiros minutos o Grêmio teve duas chances de ouro para ampliar, a primeira muito bem impedida pelo goleiro Viáfara e a segunda nos pés de Perea.

O Vitória só foi chutar sua primeira bola ao gol gremista aos 32 minutos, para outra boa intervenção de Victor, mas não deu sossego, pressionou, buscou, enfim, jogou de igual para igual e mostrou mais uma vez que não é por acsso que está onde está.

Mas, aos 42, Reinaldo fez 2 a 0, com justiça, porque Viáfara acabou por ser o melhor jogador do segundo tempo.

Como no Maracanã,  com 40 mil torcedores, que teve um segundo tempo muito mais animado, a começar com o gol do estreante Vandinho, do Mengo, de cabeça, aos 13, depois de escanteio.

Nove minutos depois, Guilherme, também de cabeça, empatou para o time mineiro.

E era mais justo, diga-se.

Como a fase do Flamengo é a que é, eis que, em seguida, aos 24, em contra-ataque, Charles serviu a Rômulo que entrou pelo meio da área e fez o gol da virada mineira.

E Tardelli saiu de campo, com o braço fraturado...

O Flamengo paga o preço de ter optado por ficar com Caio Júnior em vez de manter seus jogadores e ainda não tem sorte, como ficou claro aos 37, quando Ibson mandou na trave.

Depois, é verdade, o Cruzeiro só não fez 3 a 1 porque Bruno não deixou.

Grêmio 35 pontos, Cruzeiro 33, Palmeiras 31, São Paulo 30, Vitória 29, Flamengo 28, eis aí os seis primeiros, só o Flamengo em queda livre (perdeu, no Maracanã, para São Paulo, Vitória e Cruzeiro...)

Por Juca Kfouri às 18h00

Vem aí o FDP...

Uma associação entre a Pródigo Filmes e a HBO resultará, em breve, numa série de 13 capítulos sobre a vida do árbitro do futebol, papel que será protagonizado pelo excelente ator Selton Mello, são paulino de coração, embora mineiro de nascimento.

O talentoso Dan Stulbach, paulista e corintiano, também foi convidado, mas não pôde aceitar por estar participando da gravação de uma nova minissérie da Globo.

A série girará em torno do dia-a-dia de um árbitro brasileiro que apita jogos na Taça Libertadores da América e já tem um dos escritores escolhidos, o jornalista José Roberto Torero, garantia de coisa boa (tirante seu apoio ao Saci, é claro...).

O nome da série não poderia ser mais sugestivo: FDP.

E você ainda quer saber por quê?

Por Juca Kfouri às 13h26

Está no 'Notícia da Manhã', de Catanduva, SP

Por ENIO FRANCO 

O torcedor Vinícius Ferreira de Carvalho moveu ação contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) para reaver o dinheiro que gastou para assistir ao jogo entre São Paulo e Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro de 2005, realizado em 7 de setembro no Estádio do Morumbi.

A partida, que terminou com vitória Tricolor por 2 a 1, foi um dos jogos suspeitos de manipulação de resultados apitados pelo ex-árbitro Edílson Pereira de Carvalho.

A ação foi julgada improcedente em primeira instância e reformada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, que condenou a CBF a devolver o valor de R$ 12 do ingresso corrigido e mais honorários de sucumbência de R$ 2 mil.

O relator Douglas Iecco Ravacci explicou os motivos para dar ganho de causa ao torcedor catanduvense.

"O Campeonato Brasileiro de Futebol, salvo melhor juízo, é organizado, sim, pela ré CBF, posto que é ela quem prepara o calendário, organiza a tabelda de jogos, indica por meio de sua comissão de arbitragem os árbitros, bastando uma breve consulta ao site da ré para comprovar isso", consta nos autos.

Ravacci aplicou também lei do Código de Defesa do Consumidor. "No caso, anulado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), e renovada a partida em dia e horários diversos, não há como deixar de reconhecer o defeito, exercendo o consumidor-torcedor o direito de ser reembolsado. A tese da CBF de que o valor módico do ingresso constitui mesquinha pretensão também a ele se aplica, pois poderia muito bem reconhecer o pedido juridicamente, devolvendo a pequena importância sem maiores questionamentos", destacou.

http://www.noticiadamanha.com.br/web/index.php?cmd=noticia&id=24060&sess=20  

 

Por Juca Kfouri às 12h40

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico