Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

01/11/2008

Mengo acha empate imerecido

O Flamengo começou o jogo no Maracanã a 1000 por hora e logo aos 5 minutos abriu o placar.

Com um golaço, diga-se desde logo.

Jailton recuperou uma bola aparentemente perdida na área da Portuguesa, foi à linha de fundo pela direita e cruzou.

O capitão Fábio Luciano pegou de voleio para fazer um gol de atacante bom de bola, embora seja apenas ótimo zagueiro.

Parecia senha para uma goleada em homenagem aos 45 mil torcedores presentes ao estádio.

Que não só não veio como por pouco não virou empate, não fossem dois gols perdidos por Athirson para a Lusa, que foi melhor durante quase todo o primeiro tempo.

A tal ponto que a torcida vaiou o rubro-negro na saída para o intervalo.

A Lusa voltou a mesma e o Flamengo tirou Kléberson para botar Fierro.

E o jogo continuou com a mesma cara, com o rubro-verde jogando melhor, mais insinuante, lépido.

E, aos, 9, Jonas empatou, com toda justiça.

Se o Flamengo, que foi à frente, imaginou que a Lusa ficaria satisfeita, imaginou mal.

Fábio Luciano até teve uma chance de fazer novo gol, mas, aos 15, que ironia!, Athirson subiu mais que Leo Moura e fez o vira-vira da Lusa.

Sob vaias, Marcelinho Paraíba deu lugar a Éverton.

Na base do tudo ou nada, Jaílton também saiu para entrada de Maxi que, logo em seu primeiro lance, viu Athirson, em noite de gala, tirar-lhe o doce da boca, aos 25.

Sem merecer, e depois de ser favorecido pela arbitragem que não deu uma falta na meia lua para a Lusa, aos 38, em meio às vaias dirigidas ao técnico Caio Jr., Maxi empatou, ao pegar o rebote de uma bola que ele mesmo cabeceou no travessão.

Na confusão do gol, Obina e Patrício foram expulsos.

Guardadas as proporções, Estevan Soares vai fazendo com a Lusa o que Márcio Fernandes fez com o Santos e Hélio dos Anjos com o Goiás.

Mesmo sem Fellype Gabriel, vetado pelo Flamengo que o emprestou à Lusa, o time paulista fez por merecer resultado melhor diante do Mengo.

Flamengo que se despede do hexacampeonato brasileiro e fica mais longe da Libertadores ao perder dois pontos que dava como certos.

Já o Náutico ganhou do Vitória, nos Aflitos, por 1 a 0, gol de Felipe, de pênalti, numa batalha com três expulsões, duas dos donos da casa, e em que o técnico do time baiano, Vagner Mancini, acusou a polícia de ter dado voz de prisão a um atleta do rubro-negro no intervalo do jogo.

E o Ipatinga, por 2 a 0, dois gols de Ferreira, derrotou o Coritiba

Por Juca Kfouri às 20h25

Pertinho do título

Tarde linda de sol em São Paulo, calor, quase 30 mil torcedores no estádio para ver o já subido Corinthians enfrentar o Paraná Clube.

Jogo morno, com cara de 0 a 0 no primeiro tempo.

Mas, no último minuto, o goleiro paranista derruba Dentinho e Chicão bate o pênalti para fazer 1 a 0.

No começo do segundo tempo, Felipe faz um milagre em cabeçada do adversário, mas não faz dois e o Paraná Clube empata no rebote de uma defesa parcial.

Em seguida, o tricolor fica com 10 homens.

O Corinthians força um pouco, Chicão acha Dentinho dentro da área em lindo passe e o Timão faz 2 a 1, placar final.

O alvinegro está 11 pontos na frente do Avaí, segundo colocado quando faltam cinco rodadas.

Mais cinco pontos e será o campeão da Série B, de Brasil, para tristeza de Felipe Massa, que sai na pole amanhã em Interlagos...

Por Juca Kfouri às 18h37

31/10/2008

Negros que os quero negros

No domingo, o dono do blog torcerá por Lewis Hamilton, negro nascido na Inglaterra, berço do Corinthian.


Na terça, por Barack Hussein Obama Jr., outro negro de valor, filho de muçulmano ainda por cima.

Por Juca Kfouri às 19h58

Fim de semana de arrepiar

Os times do G5 vão ter de se virar e muito neste fim de semana.

Menos, talvez, o Flamengo que, amanhã, recebe a Portuguesa no Maracanã, às 18h30.

Três pontos certos ou adeus ao hexacampeonato.

Já no domingo não tem moleza para ninguém.

Verdade que, a exemplo do Flamengo, o Grêmio está condenado a ganhar ou ganhar do Figueirense, no Olímpico, às 19h10.

Já o São Paulo está na mesma, diante do misto do Inter, no Morumbi, também às 19h10.

Mas dureza mesmo têm o Palmeiras contra o Santos, na Vila Belmiro, e o Cruzeiro diante do Goiás, no Serra Dourada, ambos às 17h.

O Santos até poupou jogadores contra o Sport para jogar inteiro contra o rival na volta de Vanderlei Luxemburgo à Vila, espera-se que sem chuva de moedas ou coro de mercenário.

E o Goiás já não agüenta mais a série de cinco jogos sem vitória. 

Comentário para o Jornal da CBN desta sexta-feira, dia 31 de outubro de 2008.

http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/comentarios/jucakfouri.asp

Por Juca Kfouri às 00h00

30/10/2008

Preguiça na Ilha do Retiro

Foi dos piores primeiros tempos do Brasileirão.

Comentei-o para a CBN.

Acabou 1 a 1, fruto de um pênalti imbecil de Adriano que Fumagalli converteu.

No fim do primeiro tempo o Santos achou um gol, com Molina chutando e Kléber Pereira pegando o rebote para empatar e marcar seu segundo gol fora da Vila Belmiro no Brasileirão, ele que é o artilheiro da competição, com 21 gols, como Viola, pelo Santos, exatos 10 anos atrás.

O segundo tempo nem vi.

Como protesto.

Vi o jogo de São Januário e fiz bem.

Por Juca Kfouri às 22h32

Desespero em São Januário

Dois times desesperados.

São Januário cheio.

O Vasco sai na frente, com Valmir, aos 27.

O Furacão empata no fim do primeiro tempo, aos 44, com Júlio dos Santos.

E vira no meio do segundo, aos 16, com Pedro Oldoni.

O Vasco perde gols em cima de gols.

O Furacão não fica atrás, perde outros mais.

Dois times desesperados.

Aos 42, do meio da rua, Madson fuzilou Galatto e empatou: 2 a 2.

De matar.

Ambos continuam na ZR.

O Vasco é o penúltimo.

O Furacão é o antepenúltimo.

Ambos com a corda no pescoço.

Dois times desesperados.

Por Juca Kfouri às 22h27

Grêmio na frente, São Paulo melhor

Grêmio e São Paulo dividem a liderança do Brasileirão.

Ambos têm 59 pontos.

O Grêmio leva vantagem por ter 17 vitórias contra 16 do São Paulo.

Mas o tricolor gaúcho ganhou apenas 18 pontos em 13 jogos do returno, ao passo que o tricolor paulista ganhou 26.

Ou seja, o Grêmio ganhou apenas 46% e o São Paulo 66% na reta final, o que, em regra, faz diferença na disputa de um título.

O próximo jogo do Grêmio será contra o Figueirense, no Olímpico.

O do São Paulo será contra o Inter, mesma data e mesmo horário, às 19h10 do domingo.

O Figueirense luta para não cair e não estranha jogar em Porto Alegre pela proximidade com Floripa.

Já o Inter não quer mais nada, a não ser passar pelo Boca Juniors e não ver o Grêmio campeão, razão pela qual, provavelmente, poupará esforços contra o São Paulo.

Por Juca Kfouri às 00h18

Mengo sai do G4 em Salvador

Só vi os últimos 20 minutos de Vitória e Flamengo, 0 a 0 no Barradão.

E vi um rubro-negro baiano mais perigoso do que o carioca, embora a melhor das chances tenha sido desperdiçada por Fierro, cara a cara com Viáfara.

O resultado de empate com o Vitória, em Salvador, nunca poderá ser considerado como mau resultado.

Mas, pelas circunstâncias do campeonato, bom certamente não foi para o Flamengo, que voltou a sair do G4, embora possa continuar a sonhar com o título, apenas a três pontos dos líderes Grêmio e São Paulo.

Em sua primeira partida de Obina contra seu ex-clube, o centrovante foi substituído aos 40 do segundo tempo.

Menos mal que o próximo jogo, no Maracanã, será contra a Lusa.

 

Por Juca Kfouri às 00h10

29/10/2008

São Paulo, com sorte de campeão

No Engenhão vazio, o São Paulo jogou à vontade contra o Botafogo.

Quer dizer, à vontade não, mas, sem pressão de torcida.

Porque à vontade ninguém ficou num jogo muito marcado e com pouquíssimas emoções no primeiro tempo.

Até que, já aos 16 do segundo tempo, o menino goleiro Renan tentou sair jogando com os pés e deu de presente para o menino volante Jean, que enfiou de cobertura.

São Paulo 1 a 0, por acaso.

Em seguida, no entanto, Rogério Ceni fez boa defesa, o rebote sobrou para Miranda que retribuiu a bobagem de Renan, permitindo que Wellington Paulista roubasse a bola e empatasse.

O Botafogo ameaçou virar, mas Hernanes não permitiu, ao fazer um gol com a categoria que trouxe do berço, aos 28.

O jogo enlouqueceu e o Botafogo empatou de novo dois minutos depois.

Mas o gol foi mal anulado por impedimento, apesar de o chute de Lucas não ter tocado em ninguém, ao contrário.

A bola passou entre as pernas de dois zagueiros tricolores e suficientemente longe de Wellington Paulista, em posição de impedimento, mas sem participação efetiva no lance, embora seu gesto pudesse confundir, como confundiu, o bandeirinha.

Bebeto de Freitas foi à loucura e invadiu o gramado para xingar o árbitro, ele que já foi tungado, incompreensivelmente, na transferência para o Maracanã do clássico contra o Flamengo.

Mas nada justifica o que fez e, agora, verá, com justiça, o Engenhão interditado.

O que faltou no primeiro tempo, sobrou no segundo.

E o São Paulo já tem o mesmo número de pontos do Grêmio, em primeiro lugar.

Tem, também, a melhor campanha do returno.

E, como negar?, está com jeito de que ganhará mais um Brasileirão. 

Por Juca Kfouri às 23h45

Por que o Cruzeiro quer ser campeão

Gols rápidos, em saída de jogo, acontecem invariavelmente feitos pelos times que deram a saída.

Mas hoje, no Mineirão, com mais de 35 mil torcedores, não foi assim não.

O Grêmio deu a saída, o técnico do Cruzeiro Adilson Batista tinha orientado seus jogadores sobre o jeito de o time gaúcho sair, a bola foi roubada por Guilherme e, aos 14 segundos, Wagner fez 1 a 0, ao receber um senhor passe do mesmo Guilherme.

Em seguida, aos 4, Victor salvou o que seria o segundo gol mineiro, de Thiago Ribeiro.

Começo fulminante, resto do primeiro tempo ainda melhor para o Cruzeiro, que teve mais uma chance com Ramires em cabeçada bem defendida por Victor.

Mas quem primeiro assustou no segundo tempo foi Perea, num sem-pulo que quase empata o jogo, logo aos 2 minutos.

Só que, aos 9, Jonathan, adiantou a bola pela direita, perdeu o ângulo depois de um ótimo passe de Marquinhos Paraná, tentou cruzar para quem vinha de trás, mas a bola bateu nas costas do excelente Victor e entrou: 2 a 0.

Aí, acabou.

Guilherme fez 3 a 0, de virada, ao aparar chute cruzado de Jadílson.

Era show, digno de um time que tem direito de querer ser campeão

Por Juca Kfouri às 23h42

E o sobe e desce continua

A Lusa bateu o Ipatinga, 2 a 0, e saiu da ZR mais uma vez.

Um gol em cada tempo, ambos de Fellype Gabriel.

O Coritiba saiu atrás do Galo, em Curitiba, mas virou.

Renan Oliveira fez um golaço de fora da área no fim do primeiro tempo, Ricardinho fez outro para empatar no começo do segundo e Maurício fez 2 a 1 para dar continuidade à boa campanha coxa.

Já o Inter só fez 1 a 0 no fim do segundo tempo, com Ângelo, mas deixou o Naútico empatar, aos 48, com Vágner Silva.

O Timbu ficou ainda na ZR e o Inter se despediu definitivamente da Libertadores.

Por Juca Kfouri às 22h45

São Marcos salva

O Palmeiras não jogou bem, ao contrário.

Mas fez, de pênalti bem marcado em Kléber, 1 a 0, aos 28 minutos de jogo, com Alex Mineiro.

E foi tudo que fez, além de duas magníficas defesas de Marcos, no segundo tempo, que evitaram um empate que seria catastrófico.

A segunda delas, nos pés de Iarley, foi milagrosa.

A torcida, apenas 14 mil no Palestra Itália, saiu aliviada com a vitória, mas preocupada com o desempenho.

Domingo que vem é o Santos.

E na Vila Belmiro...

 

Por Juca Kfouri às 22h36

Do blog do Fábio Seixas

Fora de circulação

Graças à ajuda de zelosos leitores, a editora Panda Books constatou um sério erro de informação no livro "Histórias, Mistérios e Loucuras da Fórmula 1", de autoria do jornalista Lemyr Martins.
 
O fato apurado pelo autor e divulgado na quarta capa e em todo o material de divulgação do livro é, na verdade, um equívoco.
 
Ressaltamos que em hipótese alguma a editora Panda Books desejou se beneficiar ou denegrir a imagem dos envolvidos no fato.
 
Por uma questão ética e em respeito aos leitores, o livro será retirado de circulação.
 
Os consumidores que desejarem devolver a obra e obter reembolso do valor pago poderão entrar em contato diretamente com a editora pelo telefone (11) 2628-1323 ou pelo e-mail formula1@pandabooks.com.br. Lamentamos o ocorrido e agradecemos a todos que apontaram o erro.
 
http://fabioseixas.folha.blog.uol.com.br/

Por Juca Kfouri às 20h02

Festa no Pacaembu

Dependendo da opinião da PM, e do respaldo da TV Globo, o Corinthians pensa em botar dois telões na praça Charles Miller, em frente ao Pacaembu neste sábado.

A idéia é a de permitir que os torcedores que não conseguirem ingressos para a partida contra o Paraná Clube possam também participar da festa.

O jogo não deve ser transmitido para São Paulo.

Por Juca Kfouri às 19h23

Os três despautérios de uma terça-feira insana

Difícil escolher o maior absurdo do mundo do futebol na terça-feira que passou.

Primeiro, Diego Maradona foi anunciado como novo técnico da seleção da Argentina.

A chance de Maradona dar certo é mais ou menos a mesma que ele teria se fosse nomeado presidente do Banco Central argentino.

Verdade que como jogador ele foi um dos três maiores de todos os tempos e que hoje está em dificuldades financeiras.

Depois, a CBF anunciou que o Engenhão, estádio mais moderno do Brasil, inaugurado há pouco mais de um ano, não tem condições de receber o jogo entre Botafogo e Flamengo.

Uma medida que condena o estádio, apesar dos milhões de reais de dinheiro público lá enterrados, a uma posição de elefante branco.

Estádio que foi orçado em R$ 60 milhões e que acabou por custar R$ 380 milhões.

Finalmente, Vanderlei Luxemburgo passou um pito público em São Marcos e deu um ultimato: ou ele se comporta segundo o catecismo de auto-ajuda do professor, ou não jogará mais sob seu comando.

Melhor teria sido se Luxemburgo fosse escolhido para dirigir a Argentina.

E que barrasse Messi depois de ele perder um pênalti defendido por São Marcos.

E que o Engenhão tivesse sido implodido logo depois do Pan-2007.

Assim o Comitê Olímpico Brasileiro faria o governo construir um novo estádio para a Olimpíada de 2016, batizado Locupletão.

Comentário para o Jornal da CBN desta quarta-feira, dia 29 de outubro de 2008.

http://cbn.globoradio.globo.com/cbn/comentarios/jucakfouri.asp

Por Juca Kfouri às 00h05

Quarta-feira de quatro jogos imperdíveis

Dos sete jogos de hoje no Brasileirão, quatro são simplesmente imperdíveis.

Literalmente e em todos os sentidos.

Porque reúnem os cinco times do G5.

Pena, para quem só quer vê-los, que três sejam na mesma hora:

Botafogo e São Paulo, no Engenhão; Vitória e Flamengo, no Barradão e Cruzeiro e Grêmio, no Mineirão, todos às 21h50.

Antes, às 20h30, no Palestra Itália, Palmeiras e Goiás.

No jogo dos esmeraldinos, um osso duro para o Palmeiras, ainda mais depois que o Goiás levou uma traulitada do Vasco. Mas é vencer ou vencer.

No Rio, o São Paulo está obrigado a melhorar seu rendimento fora de casa e vencer o Botafogo.

Nestas alturas do campeonato, um empate será mau resultado.

O mesmo se aplica, para o Mengo, no jogo em Salvador entre os rubro-negros da Bahia e do Rio.

E o Cruzeiro está condenado a derrotar o líder Grêmio, coisa que não tem conseguido nos chamados jogos de seis pontos.

Na verdade, dos times do G5, só o Grêmio pode se contentar com um empate na noite de hoje.

Por Juca Kfouri às 00h04

28/10/2008

Os 'Senhores dos Anéis'

Por LINO CASTELLANI FILHO


Do "Observatório do Esporte"


No COB, seu atual mandatário já tem assegurado o mando até 2012, quando completará 17 anos na sua presidência.

O presidente da CBA já está no poder a 21 anos, o mesmo número de anos do presidente da confederação de Taekwondo.

Na CBDA são 20 anos.

No boxe, 11.

Lá fora também é assim.

Pergunto: e daí?

Na "pátria das chuteiras" o presidente da CBF não sai de lá até 2014, quando o Brasil (?) sediará a copa do mundo.

A comissão por ele composta para "coordenar" os procedimentos organizacionais da competição nos faz de tolos, assim como os editais que se avolumam em sucessivas edições do "Diário Oficial" fazendo alusão aos recursos públicos liberados pelo Ministério do Esporte por conta da candidatura (só dela!) do Brasil (?) à sede das Olimpíadas de 2016, enquanto aguardamos as respostas aos pareceres do TCU acerca dos gastos do PAN/2007.

Tudo isso nos fez lembrar das palavras ditas, logo na introdução, pelos autores do já clássico "Os senhores dos anéis" (The Lord of the Rings, VyvSimson e Andrew Jennings, 1992).

Não da trilogia sucesso das bilheterias dos cinemas, mas sim a que faz referência a uma dura realidade, por mais que pareça, tal qual a primeira, obra de ficção, e que trás como subtítulo "Poder, dinheiro e drogas nas Olimpíadas Modernas":

A elas:

"Para nossa surpresa, nos deparamos com a investigação mais difícil de nossas vidas. Nos últimos anos escrevemos e fizemos documentários para a televisão sobre a Máfia, o caso Irã-Contras, o terrorismo, a corrupção na Scotland Yard e outras áreas sombrias da vida pública.
O mundo do esporte amador olímpico provou ser o mais difícil de penetrar. Jamais encontramos tantas dificuldades em conseguir entrevistas autorizadas, documentos e fontes primárias...".

No dito popular, vão-se os anéis, ficam os dedos.

Se não tomarmos cuidado nem eles sobrarão!

Por Juca Kfouri às 15h17

Na reta final do Brasileirão, acabou a paz no Palmeiras

Afonso Della Monica, presidente do Palmeiras, quis ficar mais um ano no poder.

E o Conselho Deliberativo votou a prorrogação de seu mandato.

Mas faltaram 12 votos para que fosse aprovada a incoerência que ele propunha, pois se elegeu contra o continuísmo.

O mesmo conselho que negou vitaliciedade a Gilberto Cipullo, agora feriu de morte o camaleão Della Monica.

E os problemas não ficam por aí, porque tudo indica que haverá eleição em janeiro e que três chapas concorrerão, o que abre a possibilidade para a volta de Mustafá Contursi, na contramão da história.

Se não bastasse, a nova arena alviverde está ameaçada pela crise financeira mundial, porque os bancos que a respaldavam já não tem mais a mesma bala.

E, ainda por cima, não são poucos os conselheiros descontentes com Vanderlei Luxemburgo, convencidos de que ele protege os jogadores que trouxe para o clube.

E que querem Muricy Ramalho em 2009.

Se você somar tudo isso à indignação que o governador José Serra causou ao receber no Palácio do Governo o violento dirigente da Mancha Alviverde, Paulo Serdan, veja que, de repente, acabou a paz em Palestra Itália.  

Ainda mais que a Mancha se gabou na Internet: "Serra é palmeirense de verdade. Não recebeu a Polícia, mas recebeu a Mancha".

Que tal?

Por Juca Kfouri às 01h10

27/10/2008

Corinthians: o que fazer para não cair mais?

Por Juca Kfouri às 18h09

Note e anote

Para quem ainda não notou, o Flamengo é o time que tem agora a melhor campanha do segundo turno do Brasileirão, com 24 pontos.

Lembremos que desde que há campeonatos brasileiros em pontos corridos, o campeão do primeiro turno foi também o campeão nacional.

Nesta temporada, o Grêmio foi o vencedor do turno.

Em nono no returno, nada indica que vencerá também esta fase.

Mais: periga termos dois campeões de turno diferentes sem que nenhum deles seja o campeão brasileiro, embora o São Paulo esteja a apenas um ponto do Flamengo no segundo turno.

Por Juca Kfouri às 17h42

Comemore, pois!

Por LEANDRO IAMIN

Sobre a volta corinthiana à Serie-A, não há muito a falar, pois era algo sabido a tanto tempo, que, se fosse pra escrever, já teria que ter escrito. Não há novidade no acesso alvi-negro, não há necessidade de sublinhar o merecimento.

Minha observação vai para o corinthiano que não quer comemorar. Tem alguns destes por aí. Torcedores que acham que Serie-B não presta, que não há sentido celebrar uma conquista dessas. Ainda ressentidos com o rebaixamento, querem desprezar o acesso.

Rejeitam a alegria só porque já foram tristes um dia. Pensamento tacanho. Burrice.

Mais do que burrice. O Corinthiano bate no peito para apelidar seu time de "Time do Povo".

Povo é povo, é maioria, é massa. Times do tamanho do Corinthians são poucos. Time gigante é elite, é minoria.

Serie-A é para vinte. Series inferiores, para milhares. A Serie-B representa uma espécie de "campeonato do povo", e no fundo foi Legal o Timão fazer parte dela, para voltar ao seu lugar sabendo um pouco mais do que ele mesmo representa.

É isso. Não comemorar um "título inferior" é "coisa de burguês". Tudo que o Corinthians não é.

Leandro Iamin, 24 anos, é jornalista e palmeirense.

Por Juca Kfouri às 14h01

Nem o PVC percebeu (e muito menos eu)

Por ALMIR MOURA*

Na temporada 2007/2008 do Campeonato Espanhol, Real Madrid, Villarreal, Sevilha e Barcelona foram, respectivamente, os quatro primeiros colocados.

Pois bem, eis que na temporada seguinte, a Federação Espanhola resolve "revolucionar".

E esta "revolução" tem um alvo muito claro: a tabela de jogos dos top-four da temporada anterior.

Não entendeu?

Não se preocupe.

Permita-me explicar melhor.

Segundo a tabela de jogos da atual temporada do Campeonato Espanhol, os quatro melhores classificados na edição anterior terão uma sequência de jogos muito, mais muito parecida.

E a regra é bem simples: o Sevilha enfrenta o time A na rodada X, o Barça enfrenta este mesmo time A na rodada (posterior) X + 1, o Real Madrid, por sua vez, enfrenta o referido A na rodada X + 2, isto é, duas rodadas depois de o Sevilha o ter enfrentado e uma após o Barça, e, por fim, o Villarreal também enfrenta o ilustre A na rodada X + 3, isto é, três rodadas depois de o Sevilha o ter enfrentado.

Ainda não entendeu?

Tudo bem, permita-me tentar explicar mais uma vez.

Trocando em miúdos, o Barça enfrenta na rodada seguinte o adversário que o Sevilha enfrentou na anterior.

Ou então, o Real enfrenta na rodada posterior a equipe que o Barça enfrentou na anterior.

Ou ainda, se preferir, o Villareal enfrenta na rodada seguinte o adversário que o Real enfrentou na anterior.

Não é curioso?

Tão curioso, quanto notar que passadas oito rodadas, os quatro estão ali, muito próximos.

O Barcelona e o Real Madrid, por exemplo, tem os mesmos 19 pontos, e praticamente o mesmo número de gols marcados, 24 e 23, respectivamente.

Números que deixam o Barça na atual vice-liderança do Espanhol, e o Real no terceiro posto.

E o Villareal e o Sevilha, por onde será que andam na tábua de classificação?

Curiosamente, também, muito próximos dali.

Com 18 pontos, o Villa é o atual quarto colocado.

Logo a seguir, na quinta colocação, vem o Sevilha, com um pontinho a menos só (17pts).

No mínimo, curiosa esta tabela do Espanhol, não é mesmo?

A propósito, antes que eu me esqueça, o Valência, que ainda não enfrentou nenhum dos top-four da última temporada, lidera o Espanhol, com um ponto a mais que o Barça.

*Almir Moura é amigo do blog.

CORREÇÃO, A0S 5 MINUTOS DO DIA 28, enviada por Ubiratan Leal, da revista TRIVELA: 

O comentário é mais que pertinente, só vale dizer que o Sevilla não esteve no "top 4" do ano passado.

O Sevilla foi quinto.

O quarto colocado foi o Atlético de Madrid, que (para reforçar o comentário) vai mal justamente porque fez apenas um ponto ao pegar a seqüência Sevilla-Barcelona-Real-Villarreal nas últimas quatro rodadas e despencou na tabela.

Por Juca Kfouri às 13h02

26/10/2008

Lição em VL

Por HUMBERTO MIRANDA DO NASCIMENTO*

Prezado Juca, parabéns!

Seu Corinthians volta para a série Argentina e agora vai ficar mais metido que portenho.

A série B, agora se tornará série Bahia, se o Vasco não atrapalhar.

O fato é que o Corinthians ainda terá de passar pelo teste da Ilha do Retiro ou então ficará a meio caminho de alguma coisa ano que vem.

Foi muito fácil subir.

Facilidade demais engana.

Mas vamos ao assunto que interessa.

O Renê Simôes pregou uma peça no Vanderlei Luxemburgo daquelas que não serão jamais esquecidas.

Três a zero!

Isto porque levou só na conversa, imagine se treinasse mesmo o FLU?

O fato curioso é que o técnico do FLU, antes da partida, falou que testaria a "concepção Vanderlei Luxemburgo de jogar futebol".

A ESPN Brasil tem a matéria.

Ele testou e se deu bem.

O que foi provado?

Provou-se que há muito tempo VL não é mais aquele.

Deixou de ser treinador para se tornar um "vendedor" de jogador.

Renê mostrou para ele que quem sabe usar bem as técnicas de auto-ajuda e motivação é ele e que VL é um amador nessa área.

Provou que VL precisa voltar a ser treinador e deixar a motivação para quem conhece o terreno das obviedades transformadas em palavras de incentivo.

Isso funciona a curto prazo quando tudo vai mal, ilude mudando o ambiente, transforma um ajuntamento de pessoas em um grupo para agir em função de determinado fim (um concurso, um resultado), mas não transforma um grupo em um time.

VL está se tornando um treinador medidano por querer fazer dos times que treina um grupo de pouca visão, ou melhor, sem visão de longo prazo.

Mano Menezes, por exemplo, planejou, implementou e sabe os limites de seu time.

Seu elenco chegará bem melhor à série A em 2009 que o Palmeiras, caso o Verdão não vá à Libertadores este ano.

Renê deu a lição do ano a Luxemburgo.

*Humberto Miranda do Nascimento é amigo do blog em Salvador, na Bahia.

E não sabe que em 2009 a Série A será de América, muito maior que a Argentina...

Por Juca Kfouri às 13h13

Ainda só para corinthianos...

Por Juca Kfouri às 02h01

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico