Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

17/10/2009

Galo vice e vingador

O Galo assumiu a vice-liderança do Brasileirão ao derrotar o São Paulo, no Morumbi (25.497 pagantes), por 1 a 0.

Está a quatro pontos do Palmeiras e torce pelo Flamengo amanhã para que a diferença não vá a sete, na 30a. rodada do campeonato.

Além de desalojar o rival do segundo lugar, o Galo teve requintes de crueldade.

Basta dizer que fez seu gol bem ao estilo vingador.

Logo no primeiro minuto e meio de jogo Ricardinho, de passagem infeliz pelo tricolor, bateu falta pela direita, Renato Silva espanou mal de cabeça e a bola sobrou fácil para Diego Tardelli, outro com contas a acertar com seu ex-clube, fazer 1 a 0.

Daí para frente o Galo se comportou muito bem na defesa, com apenas três ameaças mais sérias.

Numa delas, Dagoberto pediu pênalti, aparentemente com razão, atropelado que foi por Carlos Alberto.

Em outras duas, Washington mandou uma bola na trave e perdeu uma cabeçada imperdível.

Mas o Galo também teve chances de ampliar, a melhor delas com Tardelli, tendo em Ricardinho um belo maestro em sua primeira partida como titular.

O São Paulo voltou para o segundo tempo com Borges no lugar do vaiado Washington e, aos 15, trocou Rodrigo por Oscar.

Já o Galo, aos 20, sacou Éder Luís e botou Renteria.

Na primeira jogada dele, Rogério Ceni fez milagre para evitar seu gol.

Aos 23, Marlos entrou no lugar de Hugo, que saiu também sob vaias.

Cansado, Ricardinho saiu aos 36 e Evandro entrou.

Wellington Saci entrou nos acréscimos no lugar de Tardelli, que jogou muito bem, para ganhar tempo.

Ao que tudo indica a situação ficou preta para o São Paulo que, depois de muito tempo, passará um ano em branco.

Coisa para deixar seu torcedor vermelho de raiva.

Enquanto isso, dando sequência à sua bela campanha, o Avaí derrotou o Goiás de virada, por 2 a 1, na Ressacada (7.680 pagantes), gols de Léo Gago e Marquinhos, no segundo tempo, aos 7 e 16 minutos respectivamente. Leandro Euzébio fez o gol goiano no primeiro tempo, aos 16.

E o Grêmio Barueri se manteve à frente do Santos, ao empatar, na Arena Barueri (3.684 pagantes), por 0 a 0, com a equipe da Vila Belmiro, que teve Kléber Pereira expulso aos 29 do segundo tempo.

Por Juca Kfouri às 20h18

Viva! Quem diria?

No "ESTADÃO" deste sábado

CBF quer mudar horário de jogos

Ricardo Teixeira afirma que pretende iniciar partidas às 20 horas na Série A de 2010

Almir Leite, Sílvio Barsetti, RIO

Com o prestígio em alta, trânsito livre no Palácio do Planalto e no Congresso Nacional, cortejado por ministros, governadores e prefeitos, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014, Ricardo Teixeira, está disposto a enfrentar uma de suas maiores aliadas nos últimos anos, a TV Globo. Em entrevista na sede da CBF, na quinta-feira, o dirigente deixou clara a intenção de antecipar para as 20 horas o início de jogos de meio de semana do Brasileiro de 2010.

Atualmente, em geral, partidas de maior importância começam às 21h50, nas quartas-feiras, para agradar à emissora. Teixeira vai além e propõe que eventual mudança no calendário seja analisada de forma "séria e detalhada". Ele se diz favorável à adaptação ao calendário europeu e defende o sistema de pontos corridos, desde 2003 usado no torneio nacional.

"Como presidente da CBF não posso só ficar preocupado com índice (de audiência) de TV. Tenho de ficar preocupado com o torcedor no estádio também. Não adianta fazer jogo com estádio vazio", disse Teixeira, presidente da entidade desde 1989 e que, portanto, teve 20 anos para fazer mudanças.

A relação da CBF com a emissora vive momento de crise. Ambos os lados negociam a renovação do contrato para a transmissão dos jogos da seleção e uma das hipóteses que o Estado apurou é a de que a CBF faça acordos pontuais - por exemplo, um jogo por vez. A Rede Globo, por meio de sua assessoria, informou que vai seguir a decisão da CBF. A emissora também se limitou a adiantar que estudará a sugestão de adaptação do futebol local ao calendário europeu.

Na entrevista, também concedida aos jornais Folha de S. Paulo e O Globo, Teixeira abordou vários temas, muitos relacionados a Dunga e aos Mundiais de 2010 e 2014. E foi enfático ao dizer que pode substituir cidade que não cumprir o estabelecido com a Fifa no momento de escolha para ser uma das 12 sedes da Copa de 2014.

"Não adianta discutir por etapa. Quer discutir, vamos discutir calendário, implementação do calendário europeu, vamos analisar o horário dos jogos. Estamos fazendo testes na Série B, com excelentes resultados. Quem sabe a gente não modifica o horário dos jogos? Pelo menos no meio de semana tem de ser estudado. Se vamos discutir, vamos discutir o todo. Os argumentos que usam contra os pontos corridos, dou 80 mil argumentos a favor. Estamos com 290 jogos, público médio de 17 mil pessoas - isso é média de Campeonato Francês -, com tendência de crescer mais ainda. Como presidente da CBF não posso só ficar preocupado com índice de TV. Tenho de ficar preocupado com o torcedor no estádio também. Não adianta fazer jogo para estádio vazio (Mas quem paga a conta não é a TV?, o presidente é indagado). Há um exagero. Não se pode dizer que Nike, Ambev, Vivo e Gillette pagam a conta da CBF. Não pagam. Elas trocam com a CBF. A CBF entrega a elas uma seleção brasileira vencedora para associar a marca deles, e eles nos pagam por isso. Isso é um negócio, é uma troca ..."

Por Juca Kfouri às 18h57

Pontos Corridos x Mata-Mata: o que já saiu neste blog

O ombudsman informal deste blog, Conrado Giacomini, revela o que este blog já publicou em matéria de sondagens do próprio blog (sem valor científico) e de pesquisas (com valor científico) sobre as preferências entre pontos corridos e mata-mata.

Empate!

Com quase 1800 participações, deu empate técnico: 50,86% a favor de campeonatos de pontos corridos e 49,14% a favor de torneios com Mata-mata.

O dono do blog gosta dos dois, razão pela roga que um dia a CBF volte a fazer a Copa do Brasil com todos.

Por Juca Kfouri às 19h56

Vitória do bom senso

Com exatas 1500 respostas, 75% dos blogueiros querem o Brasileirão como está, ou seja, em pontos corridos.

Viva!

Agora, a pergunta é outra: do que você gosta mais, de torneios com mata-mata ou de campeonatos com pontos corridos?

Por Juca Kfouri às 11h18

08/05/2008

PC vence de goleada

Com mais de 5 mil opiniões (5344 para ser exato), 62% dos que freqüentam este blog são a favor da fórmula de pontos corridos e apenas 38% preferem os mata-mata.

16/10/2006

Resultado: pontos corridos!

Considerando apenas os votos válidos, 73,73% para os pontos corridos contra 26,26% para o mata-mata. 

Foram 2001 opiniões, máximo que a caixa de comentários comporta. 

Nada menos do que 1457 blogueiros, como o dono do blog, são a favor da fórmula atual do Campeonato Brasileiro. 

Outros 519 preferem um campeonato que tenha mata-mata na hora de decidir. 

Nulos, repetidos ou confusos, foram apenas 25. 

17/04/2008

Do blog 'Olhar Crônico Esportivo'

57,6% - O tamanho do gosto pelos pontos corridos

Segundo pesquisa publicada em "Veja" nesta semana, cariocas e soteropolitanos são os maiores torcedores de poltrona do Brasil: cada um assiste em média 2,4 jogos por semana, pela TV.

Em terceiro lugar está o paulistano, cuja média é de 2,1 jogos por semana.

Em último lugar na pesquisa, entre as regiões metropolitanas pesquisadas, está o morador de Florianópolis: apenas 1,4 jogo por semana.

A pesquisa aponta, ainda, outro dado interessante em três capitais: 69% dos belorizontinos, 60% dos paulistanos e somente 47% dos cariocas apontam o Campeonato Brasileiro como sua competição preferida.

O diário "Lance!" também trouxe uma informação muito interessante: a de que 47,1% dos compradores de jogos pelo pay-per-view também comparecem aos estádios, derrubando o mito que esse público não iria assistir ao vivo os jogos de seus times preferidos.

Eis que o "Olhar Crônico Esportivo" foi atrás de mais informações junto ao Clube dos 13 e trouxe uma informação ainda mais interessante: os torneios preferidos dos brasileiros.

Vamos a eles:

1º - Campeonato Brasileiro____ 57,06%

2º - Copa do Brasil___________ 13,80%

3º - Copa Libertadores________ 13,44%

4º - Estaduais/Regionais_______ 8,15%

5º - Não souberam responder___ 7,55%

Eis aí um dado realmente interessante e que comprova o gosto do brasileiro pelos pontos corridos: 57,06% dos torcedores brasileiros afirmam gostar mais do Campeonato Brasileiro que de todos os demais torneios juntos, todos eles com diferentes fórmulas "mata-mata".

Um número de peso, pois, afinal, já estamos na sexta edição seguida do Campeonato dentro dessa fórmula.

Os cinco anos anteriores já foram mais que suficientes para tornar a competição conhecida e ao gosto do público, contrariando as afirmações de muita gente em sentido contrário.

Cabe destacar, também, o grande aumento na venda de pacotes pay-per-view, cujo carro-chefe é o Brasileiro.

Um pouco sobre a pesquisa, feita pela subsidiária brasileira da TNS Sports, a maior empresa do setor em todo o mundo, nesse início de ano.

Algumas informações sobre sua base de dados:

15/12/2008

Universo

6.036 torcedores de futebol

Faixa etária

acima de 16 anos de idade

Distribuição por sexo

Homens – 70%

Mulheres – 30 %

Classes sociais

A1, A2, B1, B2, C e D

Regiões Metropolitanas

São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, Porto Alegre, Brasília, Manaus, Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Goiânia e Campo Grande

Interior dos estados de

São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul

Cobertura populacional

65,5%

Cobertura do PIB

85,2%

Margem de erro

1,1%

Os entrevistados primeiro definiram-se como torcedores de futebol e só depois passaram a responder ao questionário.

Uma pesquisa como essa, em que há uma pré-definição do público-alvo, uma seleção, permite uma margem de erro bastante reduzida, no caso presente de apenas 1,1%.

A maior parte dos dados dessa pesquisa não serão abertos ao público por enquanto, pelo menos enquanto continuarem as negociações Clube dos 13/Globo, em torno dos direitos de transmissão do Campeonato Brasileito para 2009 a 2011.  

http://www.olharcronicoesportivo.blogspot.com 

08/05/2009

Pontos corridos, de novo, vão matando o mata-mata

Pesquisa da TNS Sport Brasil, que ouviu 8.018 pessoas pelo país, revela que 53,3% dos torcedores preferem a fórmula dos pontos corridos para o Campeonato Brasileiro, como pesquisas anteriores já demonstraram.

Os que ainda gostam mais do mata-mata para a competição somam parcela ainda ponderável, de 36%, e para 10,7% é indiferente.

Mais da metade dos torcedores, 55,6%, tem o Brasileirão como sua competição predileta, bem adiante da Libertadores (15,9%) e da Copa do Brasil (13,6%).

Apenas 11,9% apontam os campeonatos estaduais como os prediletos.

Até mesmo os são-paulinos dizem preferir o Brasileirão à Libertadores, na proporção de 58,7% a 19,41%, o que é surpreendente.

Os gaúchos são os que mais se identificam com a Libertadores.

Em primeiro lugar, os gremistas, com 26,3%, seguidos pelos colorados (22,6%).

A torcida do Galo é a que mais gosta do Brasileirão, com 63,5% das indicações. 

Por Juca Kfouri às 13h45

16/10/2009

Gana gan(h)ou!

Os meninos do Brasil já dominavam os de Gana quando, aos 37 do primeiro tempo, um defensor africano foi expulso.

Verdade que o domínio não significava a criação de chances.

Mas depois da expulsão, rigorosa em demasia, diga-se, o jogo virou de um time só.

Sem brilho, mas com seriedade, no segundo tempo houve duas chances claras de gol, uma delas nos pés de Alan Kardec e a outra, ainda maior, na cabeça.

O técnico Rogério Lourenço no primeiro tempo tirou Douglas, que já tinha cartão amarelo, e pôs Wellington Júnior, e no segundo trocou Ganso por Douglas Costa e Renan por Maicon.

Mas o 0 a 0 insistia no marcador e a vantagem de jogar com um a mais não refletia no placar.

Assim foi até o fim, num jogo ruim.

E veio a prorrogação.

Com 10,5 contra 10, porque o zagueiro Rafael Toloi foi vítima de uma entrada violenta no último minuto do tempo normal e entrou no sacrifício total.

Aos 6 minutos, o Brasil perdeu um gol incrível, primeiro com uma furada de Kardec e, na sequência, salvou o tiro à queima-roupa de Maicon.

Mas Gana pôs suas manguinhas de fora e passou a ameaçar também.

Nada que alterasse o 0 a 0, que persistiu no primeiro tempo da prorrogação.

Como no segundo, modorrento.

E vieram os pênaltis.

Kardec, Giuliano, Douglas Costa fizeram os três primeiros do Brasil.

E Rafael pegou o terceiro de Gana: 3 a 2.

Souza perdeu o quarto do Brasil.

Mas Rafael pegou o quarto de Gana: 3 a 2.

Maicon bateu o quinto pênalti. Nas nuvens...

Gana empatou: 3 a 3.

Começaram os tiros alternados.

Alex Teixeira perdeu.

Gana marcou. E é campeão!

E a Costa Rica, hein?

Nas eliminatórias para a Copa-2010, ganhava do Estados Unidos por 2 a 0 e permitiu, aos 49 do segundo tempo, o empate que acabou por valer a classificação de Honduras e a uma dura repescagem contra o Uruguai.

Já no Mundial sub-20, ganhava o terceiro lugar diante da Hungria até o último minuto quando fez um pênalti e sofreu o empate.

Na decisão por penais, perdeu os quatro que bateu e, é claro, o terceiro lugar.

Por Juca Kfouri às 17h45

Aos navegantes

Bom dia!

Hoje tem Brasil x Gana.

Tem também o Santos na Libertadores feminina.

Volto mais tarde para comentar.

Antes, porém, reitero: isto aqui é um blog, não um jornal, uma revista semanal ou um programa de rádio ou de TV, ou, ainda, um portal da Internet.

É, repito, um blog, coisa pessoal.

Razão pela qual não tem o menor sentido esperar que aqui se falará de tudo.

O que sentiram falta, por exemplo, de comentário sobre o centenário do Coritiba ou da morte de Emil Rached, façam o seguinte: entrem na página da CBN indicada aí do lado esquerdo e ouçam o podcast do CBN EC.

Constatem que o centenário coxa foi a primeira manchete do programa da segunda-feira passada, dia 12, o dia dos 100 anos, com direito ao hino inteiro do clube em rede nacional.

Já a morte do gigante do basquete foi a última manchete do programa de ontem.

E tenham, reitero, um bom dia.

Por Juca Kfouri às 09h58

15/10/2009

Eis o monstro que a Globo quer criar

A fórmula que a Globo Esporte quer para o Campeonato Brasileiro é a seguinte:

Torneio em pontos corridos, em dois turnos, todos contra todos.

Os três primeiros garantem vagas na Libertadores.

Para se apurar o campeão, no entanto, um mata-mata entre os oito primeiros.

Caso um dos três primeiros da fase dos pontos corridos ganhe o título, o quarto fica com a outra vaga da Libertadores.

Caso o campeão venha a ser o quinto, o sexto, o sétimo ou o oitavo, este fica com a vaga.

Por Juca Kfouri às 13h29

Argentina tricampeã?

Do blogueiro Antonio Coelho, de Fortaleza:

Todas as vezes em que a Copa do Mundo, com uma exceção, foi disputada na Europa, uma seleção européia foi a campeã.

A exceção, em 1958, na Suécia, se explica: o Brasil tinha Mané e Pelé, além de Didi.

Todas as vezes em que a Copa do Mundo, sem exceção, foi disputada fora da Europa, uma seleção sul-americana foi a campeã.

Nunca a seleção campeã da Copa das Confederações ganhou, em seguida, a Copa do Mundo.

Conclusão?

Argentina tricampeã mundial na África do Sul...

Por Juca Kfouri às 11h54

Assino embaixo

Mudança vai gerar retrocesso

HUMBERTO PERON
Colaboração para a Folha Online

Se aprovada a mudança de regulamento do Campeonato Brasileiro de pontos corridos para a volta do sistema com "mata-mata", o nosso futebol estará dando um gigantesco passo para trás. Não tenho dúvida de que a mudança no Nacional vai terminar com qualquer esperança de que os nossos clubes possam finalmente ter um mínimo de organização, ser viáveis economicamente e se planejar durante uma temporada.

Só interessa a mudança para clubes que sempre mascararam seus resultados por campeonatos com regulamentos absurdos que nem sempre premiaram as melhores equipes. Acho que já escrevi isso aqui neste espaço, por isso vale a pena lembrar. No Campeonato Brasileiro já tivemos distorções absurdas.

- Em sete oportunidades, nas edições de 1974, 1977, 1981, 1983, 1985, 1986 e 1992, o vice-campeão brasileiro acabou fazendo mais pontos que o clube que ficou com a taça. O pior aconteceu com o Atlético-MG, em 1978, e com o Internacional, nove anos depois, que mesmo fazendo mais pontos do que o campeão terminaram apenas na terceira colocação.

- Em uma oportunidade em que o vice-campeão brasileiro terminou o Brasileiro invicto. Foi em 1977, quando o Atlético-MG, em 21 jogos, conseguiu 17 vitórias e empatou em quatro. Na final, contra o São Paulo, o time, jogando no Mineirão, mesmo com a excelente campanha --aproveitamento de 90,4%--, não teve direito a nenhuma vantagem e acabou perdendo o título numa traumática decisão por pênaltis.

- Foi de 13 pontos a diferença entre o primeiro colocado, São Paulo, e o Santos, oitavo, na fase de classificação do Brasileiro de 2002. Nas quartas de final, o time santista, comandado por Emerson Leão, e com as revelações Diego e Robinho, eliminou o time do Morumbi com duas vitórias --3 a 1 (na Vila Belmiro) e 2 a 1 (no Morumbi). Embalado com a vitória sobre o melhor time do campeonato, o Santos eliminou o Grêmio nas semifinais e ficou com o título após bater o Corinthians.

- Apenas uma derrota teve o Corinthians na edição de 1993. Mesmo assim, não conseguiu chegar à decisão do torneio. O pior é que a única derrota do clube, que era comandado por Mário Sérgio, foi para o Vitória-BA, time que se classificou para a fase semifinal após vencer uma repescagem.

Talvez a grande contribuição do sistema de pontos corridos ao futebol brasileiro esteja no fato de que as equipes perceberam que só com planejamento podem conquistar o título do campeonato. Não existe a mínima possibilidade de um time ganhar o torneio sem ter um elenco bem formado, com suplentes de qualidade e um departamento médico e físico à altura.

Temos várias equipes que aproveitaram bem o período dos pontos corridos. São exemplos disso o Internacional, o Grêmio, o Atlético-MG e o Cruzeiro, que se reestruturaram e voltaram a ser protagonistas do nosso futebol. Também é sempre bom dizer que o torneio em pontos corridos valorizou a Série B, que se tornou muito mais atrativa quando também passou a usar o mesmo regulamento da primeira divisão, pois passou a premiar os times mais estruturados com o acesso.

O campeonato de pontos corridos também acabou com o mito que nós temos dez ou doze postulantes ao títulos. Isso acontecia de modo artificial no sistema de "mata-mata".

Também é temerário que com o nível de arbitragem que temos atualmente uma partida possa decidir um campeonato. Aí sim, um erro vai decidir um torneio. Já nos pontos corridos, na média, os erros são diluídos durante todo o campeonato.

Dizer que a fórmula não agradou ao público também é outra falácia. A média de público no torneio de 2002, último com mata-mata, foi de pouco mais de 13 mil pessoas. Atualmente a média é de quase 17 mil pessoas --mesmo com clubes sem grandes torcidas como Barueri e Santo André. É nítido o crescimento de assinaturas do pay-per-view e a TV, que dizem ser a maior interessada na mudança --isso não é verdade que já que vários clubes também pressionam para a mudança-- aumentou o valor dos direitos de compra do Campeonato Brasileiro.

Outra besteira dita é que o torcedor brasileiro adora finais. Pode até ser. Mas a sede de torneios "mata-mata" dos fãs já é saciada nos Campeonatos Estaduais, na Copa do Brasil e na Taça Libertadores. Também é um mito que os pontos corridos acabam com os times que têm poder de crescer no momento decisivo. Pelo contrário, isso só aumentou, pois agora todas as partidas valem e os jogadores e os times precisam jogar cada partida como se fosse uma decisão. Muitas vezes, uma derrota na primeira rodada faz um diferença no final do torneio.

Não podemos esquecer que a volta do "mata-mata" vai complicar ainda mais o nosso calendário já que o torneio vai precisar de mais datas. Também fica inviável uma fase de classificação tão grande com 38 jogos para cada clube. Teremos casos que muitas partidas não terão o mínimo atrativo para o torcedor.

Como sempre, alguns dos nossos dirigentes pensam muito em curto prazo. Agora, por alguns milhões de reais, vão jogar fora a oportunidade de organizarem. O torneio com "mata-mata" só serve para transformar dirigentes medíocres em heróis por algum tempo.  

Por Juca Kfouri às 01h39

14/10/2009

Brasil campeão!

Não bastassem os resultados que obteve na Copa América e na das Confederações, além do espírito que recriou em torno da Seleção Brasileira, eis que Dunga se revela, também, e cada vez mais, um cara de estrela.

Porque estava a ponto de ver as eliminatórias terminarem hoje com o Paraguai como o campeão, um título que a rigor nem existe, mas que seria certamente brandido para relativizar o sucesso canarinho, embora importante mesmo tenha sido a classificação e com a antecedência que se deu. 

Quem diria que a Colômbia, em Assunção, venceria o Paraguai?

Pois acaba de vencer: e por 2 a 0!

Brasil, de Dunga, campeão!!!

Agora aguenta, como os argentinos, ou melhor, os jornalistas argentinos terão de aguentar Diego Maradona.

Ele teve um ataque zagallítico depois da injusta vitória de seu time sobre o Uruguai, que corou uma campanha medíocre nas eliminatórias.

Se Zagallo mandou que o engolissem, Maradona disse "chupem, chupem todos!".

Já imaginou?

Impressionante: essa gente, por mais que ganhe, não aprende a ganhar.

Ou será que Don Diego queria que elogiassem o desempenho argentino?

Por Juca Kfouri às 22h59

Ufa! Argentina na Copa!

Como 85% dos 600 que responderam à enquete, vi Uruguai 0, Argentina 1, gol no fim, aos 39.

Brasil e Venezuela só com o canto dos olhos.

Natural que o time de Dunga não jogasse nada, porque sem desafio nem o time de Dunga rende.

Já o jogo em Montevidéu foi só dramático, e assim mesmo apenas até o começo do segundo tempo, quando o Chile fez 1 a 0 no Equador e garantiu Copa e repescagem para argentinos e uruguaios ou, então, vice-versa.

No começo do jogo, em 10 minutos, o Uruguai criou três chances de gol.

E mais nada, até o fim, quando Bolatti fez 1 a 0.

Messi e Maradona não se dão e é improvável que venham a se dar, como é impensável que Maradona permaneça.

Em tempo: não tenho a menor condição de dar notas no jogo de Campo Grande.

 

Por Juca Kfouri às 21h02

A versão da direção corintiana

Recebo uma ligação do coronel Dutra, chefe da segurança do Corinthians.

Diz ele, como reforço da versão de Andrés Sanchez, publicada hoje no Painel FC, da "Folha de S.Paulo", que Ricardo teria posto o dedo em riste no rosto do presidente corintiano e que não houve nenhuma tentativa de intimidar o torcedor.

Versão que contradiz comentários feitos por quem estava perto dos acontecimentos, alguns (leia abaixo) publicados aqui mesmo neste blog, outros endereçados por mensagens eletrônicas diretamente ao blogueiro, mas sem autorização de publicação.

Além de ser absolutamente inverossímil, isso sim, que um torcedor, sozinho, se dirija deste modo a alguém cercado por seguranças, normalmente mal encarados, como um deles, o Caveira, cujo apelido é auto-explicativo. 

wvcris]

[Sao Paulo !]


Também estava presente no estadio junto com meu filho de 8 anos, sentado bem proximo onde ocorreu todo este episodio. Infelizmente tudo isso é verdade ! O Sr presidente e dono do Corinthians maltratou de maneira absurda estes torcedores. O meu filho mesmo me apontou durante o segundo tempo os segurancas que ameacavam com gestos e palavroes estes torcedores. Com medo de alguma confusao fui embora 15 minutos antes de acabar o jogo! Meu filho esta com medo de ir de novo ao estadio ! Sinceramente ........eu tbem !

gumastronelli]

[Japão]
Não é de se estranhar, isso ja passou a fazer parte da vida de alguns torcedores ou sócios no S.C.Corinthians. No meu caso, não ocorreu algo tão grave assim. No ano passado estive aí no Brasil, acompanhando a série B, estava com minha familia no setor Vip, o jogo era Corinthians e São Caetano, dia 5 de julho as 16:00. Meu filho, de 15 anos, ao voltar do banheiro, se encontrou com presidente , ele estava sentado.Então aproveitando a passagem, meu filho pediu pra tirar uma foto com ele, e ele(Presidente)com toda sua elegancia, respondeu da seguinte forma: " Quer tirar uma foto? vá torcer pro timinho da meninas, quem sabe lá o presidente delas tira uma foto com vc" e se virou e começou a conversar com a pessoa ao lado. Era sócio do corinthians,comecei a pagar minha mensalidade no inicio de 2008, mas enquanto esse cara tiver no comando do corinthians, do meu bolso não sai mais nenhum centavo. Concordo com que o amigo entrevistado disse, a ignorancia desse presidente é mta...abraços jka

 

 

Por Juca Kfouri às 15h12

Argentina x Uruguai

A maioria, 57% dos quase 3000 frequentadores deste blog que responderam nossa pergunta, acredita que a Argentina se classificará para a Copa do Mundo.

Este blogueiro torce para que isso aconteça mesmo, embora também queira a classificação do Uruguai. 

Por Juca Kfouri às 11h57

Elementar, meu caro Pinto

Marcelo Campos Pinto, o executivo da Globo Esporte, que defende a volta do mata-mata no Brasileirão, costuma dizer que a fórmula dos pontos corridos foi uma imposição de José Luiz Portella, o articulador do Estatuto do Torcedor, de Walter de Mattos Junior, editor do diário "Lance!", e deste blogueiro.

Evidentemente que nenhum dos três tem tal poder, mesmo juntos.

Ainda mais se comparado ao poder da Globo.

Seja como for, hoje, no diário "Lance!", Portella volta ao tema, com felicidade.

Confira abaixo:

De onde vem esse negócio? 

Campos Pinto, da Globoesporte, gosta de sofismar.

Faz aquele raciocínio falso com aparência de verdade.

Segundo brilhante coluna do PVC, Campos afirmou que futebol não é entretenimento, é negócio..

Negócio é algo que precisa se sustentar econômica e financeiramente.

Qual é a lógica que sustenta o negócio futebol?

Exatamente ser um entretenimento.

Se não fosse, não teria o número de seguidores apaixonados que tem, que, por sua vez, asseguram o fluxo de dinheiro que permite o negócio futebol gerar tanto dinheiro.

Os maiores salários em todo mundo são de protagonistas do ramo de entretenimento.

Artistas, em especial aqueles ligados à música, jogadores de futebol, atletas de outros esportes, enfim, tudo o que gera prazer.

Não são cientistas que descobrem remédios fantásticos que auferem os maiores salários.

É o entretenimento que atrai os melhores negócios e remunerações.

Futebol é isso.

Campos Pinto tenta com esses sofismas iludir os presidentes de clubes.

Menospreza a inteligência deles e está acostumado a tratá-los assim.

Comete um desserviço ao futebol e prejudica a Globo, que poderia ter um produto muito melhor com o futebol, onde ,investiu tanto.

O modelo só eu ganho de Campos Pinto enfraquece os clubes e retira qualidade do campeonato que a Globo comprou por bom valor.

É um sofisma constrangedor.

Por Juca Kfouri às 11h48

O grande jogo desta noite

O maior jogo desta noite não é o que vai ser disputado em Campo Grande, entre Brasil e Venezuela.

Grande, aí, só no nome da capital do Mato Grosso do Sul.

Porque o Brasil já está na Copa do Mundo de 2010 faz tempo e o futebol venezuelano, embora em franco progresso, está longe de ser uma atração.

O grande jogo desta noite, às 19h, vai ser jogado em Montevidéu, entre o Uruguai e a Argentina.

Jogo que pode significar a classificação de um ou de outro para a Copa, a eliminação de um ou de outro da Copa, ou a ida de um ou de outro para a repescagem.

Seja como for, deve ser uma partida épica, com o histórico estádio Centenário repleto para ver a disputa de duas seleções bicampeãs mundiais.

Kaká e companhia que desculpem, mas o jogo a ser visto é dos hermanos do Rio da Prata.

Por Juca Kfouri às 00h59

13/10/2009

Os valentes do Parque São Jorge - 2

Houve quem duvidasse do depoimento do torcedor corintiano que foi desrespeitado pelo presidente do clube.

Houve quem achasse que era coisa da oposição.

Ricardo, o torcedor maltratado, em seu legítimo direito, preferiu não aparecer.

Mas o amigo que estava com ele, Fernando Gouthier, publicitário, não se recusou a dar ao CBN EC a entrevista que aí está.

Por Juca Kfouri às 22h13

Tabelinha desta terça-feira

Por Juca Kfouri às 20h49

Quem tem medo de ser campeão brasileiro?

A marca registrada da 29a. rodada do Brasileirão foi a derrota dos maiorais.

O líder Palmeiras perdeu, o vice-líder São Paulo perdeu e o Galo que poderia chegar à vice-liderança também perdeu.

Dos quatro primeiros, só o Inter não perdeu, mas apenas empatou e em casa.

Parece que ninguém quer se campeão ou, ao menos, parece que ninguém quer se distanciar dos demais, uma homenagem à fórmula dos pontos corridos, tão bem sucedida que a média de público da rodada ficou na casa dos 23 mil pagantes.

E isso apesar do pior público da rodada, em Santo André, com apenas duas mil almas, contra os mais de 57 mil torcedores do Maracanã.

Sem o jogo do ABC paulista, a média de público teria sido quase européia, com mais de 25 mil por partida.

E olhe que gols foram poucos, apenas 24, com quatro jogos com placares 2 a 1.

Agora faltam nove rodadas para o Brasileirão terminar e o Palmeiras, que tem cinco pontos de vantagem sobre o São Paulo, pode descartar uma delas que ainda sim continuará na liderança.

Está chegando a hora de distinguir os homens dos meninos.

E de descobrir se tem alguém com medo de ser feliz, com medo de ser campeão.

Comentário para o Jornal da CBN desta terça-feira, 13 de outubro de 2009.

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/juca-kfouri/JUCA-KFOURI.htm

 

 

Por Juca Kfouri às 00h57

12/10/2009

Timbu goleia o líder e Galo bobeia diante do rival

No Brasileirão mais perde e ganha que se tem notícia desde que se consagrou a fórmula dos pontos corridos, o líder Palmeiras, todo desfalcado, mas, sobretudo, sem Diego Souza, perdeu pela quarta vez na ausência de seu melhor jogador.

E perdeu sem choro nem vela, com direito até a falha de São Marcos, no primeiro gol do Náutico, logo no começo do jogo, aos 6, depois que o goleiro cortou mal um escanteio e a bola sobrou para o zagueiro Cláudio Luiz marcar.

Pela avenida Marcão, Carlinhos Bala (que dupla ele formaria com Marcelinho Paraíba!) pintou e bordou.

E foi ele que, aos 41, puxou por ali um contra-ataque e deu com arte para Bruno Mineiro, ampliar, o mesmo Bruno Mineiro que, ligeiramente impedido, fez 3 a 0, já no segundo tempo, aos 16.

O Palmeiras foi um desastre na defesa e não existiu no ataque, ao contrário do Náutico, que mandou no jogo nos Aflitos, com 17.027 pagantes.

Como o Galo mandou no segundo tempo contra o Cruzeiro, mas em vão, no Mineirão, com 45.959 pagantes.

Inferiorizado no primeiro tempo até tomar, aos 11, o gol do 1 a 0 final de Wellington Paulista, que depois saiu machucado, aos 31, trocado por Guerrón, o alvinegro não soube virar sem Diego Tardelli e perdeu a chance de ficar mais perto do Palmeiras.

Goiás que empatou 1 a 1 com o Sport, no Serra Dourada, depois de tomar um sufoco no primeiro tempo e fazer um gol com Léo Lima, no segundo, de cabeça, logo aos 5 minutos.

Luciano Henrique empatou para o rubro-negro pernambucano, aos 37, diante de 9.621 pagantes.

Enquanto isso, no Pacaembu, com 23.673 pagantes mesmo depois de um dilúvio na capital paulista, o Santos, que pressionou e não marcou, e o Vitória ficaram em mau 0 a 0.

E no Engenhão tomado por 33.641 botafoguenses pagantes por dentro e muitos outros por fora, um empate arrancado a forceps, depois que o Avaí fez 2 a 0 no primeiro tempo e o Botafogo empatou no segundo: 2 a 2.

Emerson e William, aos 38 e 44, puseram os catarinenses na frente e Victor Simões, aos 19 e 32, empatou para os cariocas.

Dos times que lutam pelo título, ou acham que lutam, só o Inter e o Goiás ganharam ponto, mas ponto, não pontos, e dentro de casa, contra adversários que teriam de vencer.

Está tudo aberto, tudo imprevisível.

Só se espera que a Seleção Brasileira não atrapalhe mais ninguém, porque apenas o Flamengo, sem Adriano, ganhou quatro pontos nos dois jogos entre os times que cederam jogadores, além do Inter, embora este último tenha feito dois jogos em casa e deveria ter ganho seis.

Por Juca Kfouri às 17h56

A volta de Valdívia

Este blog já errou em relação a Valdívia uma vez, embora tivesse certeza de que era boa a informação de sua ida ao São Paulo, uma vingança de seu empresário, Juan Figger, que perdera a hegemonia no Palmeiras com a chegada da Traffic.

Pois agora este blog está ainda mais convencido de que o Mago chileno voltará ao Palestra Itália em janeiro próximo para disputar a Copa Libertadores pelo alviverde.

Por tudo que tem ouvido, e visto, o blog acredita que Valdívia voltará ao Palmeiras.

Claro que se as coisas mudam de hora para outra no futebol, que dirá ao faltar mais de dois meses.

Mas o fato é que o Palmeiras e ele, que está infeliz no futebol árabe, só pensam nisso.

Daí...

Por Juca Kfouri às 14h45

Os valentes do Parque São Jorge

Juca,

Gostaria que você tivesse conhecimento de fatos que ocorreram no intervalo do Jogo do Corinthians x Gremio, sábado, no Pacaembu.

Fui ao banheiro e me deparei com uma fila de meia hora! Claro que desisti.

Voltando ao meu lugar, encontrei Andres Sanches e travei o seguinte diálogo:

Ricardo: Andrés, paguei R$ 150,00 para ver o jogo e tenho que permanecer meia hora na fila para urinar?

Andres: Vem quem quer!

Ricardo: Como?

Andres? É isso, vem quem quer!

Ricardo: Você, como presidente, devia dizer ao seu "cliente" que realmente não está correto.

Andres: Eu faço o que posso e você não precisa mais vir aos jogos.

Ricardo: Se você fosse o dono do Corinthians, eu nunca mais viria. Mas, saiba, eu venho aqui antes de você.

Imediatamente, quando me dei conta, estavamos Andres (sentado no seu lugar) e eu cercados, numa rodinha formada por quatro indivíduos (que não eram seguranças, pelo porte físico bastante gorduroso).

Começaram a me ofender e intimidar, ameaçando-me fisicamente.

Só não houve espancamento em plena área VIP porque o Andres "autorizou" me liberarem.

Durante todo o segundo tempo, esses quatro individuos ficaram encarando-me, numa verdadeira tortura psicológica.

Eu estava com um amigo que foi ao banheiro dez minutos depois e foi abordado por um dos quatro que disse: Vocês não precisam mais vir aos jogos e ofendeu-o moralmente.

Só não fiz um BO porque não quero ser identificado por esta gangue.

Outro ponto: Sou fiel torcedor, pago R$ 900,00 por ano + o altissimo valor do ingresso, porém, TODOS têm o direito de ir a um banheiro decente e, na medida do possível, rapidamente.

Os luxuosos banheiros, de mármore, espaçosos, que ficam ao centro das numeradas, são para aqueles que não pagam ingresso!

Sei da fama deste senhor, mas, quero deixar registrado sua má educação, desrespeito ao torcedor e, especialmente e mais gravemente, a intimidação física e moral aos que requerem algo de direito e o fazem educadamente.

Abs,
Ricardo
(não sou conselheiro nem sócio do Corinthians e não pertenço a torcida organizada).

Por Juca Kfouri às 12h49

11/10/2009

E daí?

A Seleção Brasileira acaba de ser derrotada pela boliviana.

Era previsível.

Só o Evo Morales, o Maradona (que levou seis) e o Lula acham que altitude não é problema.

E antes que algum lulista fique bravo, FHC não acha nada porque pergunta quem é a bola.

A CBF deveria ter levado um time de garotos e adaptá-lo para ganhar do timeco local.

Quanto foi?

2 a 1.

O que não tem a menor importância.

Como também não tem as notas, porque é desumano avaliar quem quer que seja a 3600 metros acima do nível do mar.

Mas são dignos de elogios os jogadores Maicon, Daniel Alves e Nilmar (autor do gol), que correram até mais não poder.

Adriano saiu no intervalo, com quatro pontos no tornozelo...

Vida que segue.

Por Juca Kfouri às 18h51

Humor negro de um professor de Educação Física

Luís Carlos Verri

Por Juca Kfouri às 12h22

Falta política esportiva, sobra dinheiro público

Está em "O Globo" deste domingo:

Na cidade-sede dos Jogos Olímpicos, 45% das escolas públicas não têm sequer uma quadra de esportes

RIO - Professor de educação física da Escola Municipal Christiano Hamann, na Gávea, Rodrigo France transformou-se em especialista do improviso.

Como o colégio só tem um pequeno corredor para a prática de esportes, o futebol tem no máximo três jogadores de cada lado.

A rede de vôlei fica amarrada em canos e, quando algum aluno exagera na força, é torcer para o vizinho estar de bom humor e devolver a bola.

O caso reflete a realidade de 2009 da cidade-sede dos Jogos Olímpicos de 2016: dos 1.781 colégios públicos de ensino básico do Rio, 803 (45%) sequer têm uma quadra de esportes, segundo dados do Censo Escolar de 2008 do Ministério da Educação.

No estado, a situação é ainda pior: das 6.570 unidades, 3.871 (58,4%) não possuem instalações esportivas.

- Na capital, se muitas escolas não têm instalações esportivas, outras apresentam quadras com piso ruim, poste de vôlei enferrujado ou então falta uma cobertura. Tudo isso leva a um desperdício de talentos imenso, se levarmos em conta o esporte de alto rendimento.

Mas a educação física na escola precisa de mais espaço para cumprir sobretudo seus objetivos pedagógicos.

Num exercício, a criança que não consegue mudar de direção do lado direito para o esquerdo vai ter um reflexo negativo na hora de identificar letras, de diferenciar o "p" e o "b", por exemplo - afirma Sérgio Tavares, professor de educação física da Universidade Castelo Branco, que, após pedido do Tribunal de Contas do Município (TCM) ao Conselho Regional de Educação Física, coordenou uma proposta de manual para a avaliação das aulas de educação física escolar no Rio.

Rio 2016: Ministério Público Federal investiga candidatura olímpica

RIO - Vencida a disputa para sediar as Olimpíadas 2016, as atenções se voltam agora para a transparência dos gastos na preparação da candidatura do Rio.

O Ministério Público Federal (MPF) abriu inquérito para apurar por que não foram realizadas licitações para contratar empresas que elaboraram o projeto, financiado com dinheiro público, apresentado ao Comitê Olímpico Internacional (COI).

Despesas com consultorias internacional e nacional, além de gastos operacionais e salários de funcionários contratados pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) - a remuneração variou de R$ 3.300 a R$ 34 mil - foram pagos com verba pública, do Ministério do Esporte.

A maior parte do dinheiro, cerca de R$ 48 milhões, foi repassada ao COB, que, por sua vez, contratou os serviços a partir de critérios próprios.

O COB alega ser empresa privada e se exime da responsabilidade por fazer licitações.

A dispensa de licitações também já está sendo analisada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pela Controladoria Geral da União (CGU).

 

O procurador da República em Brasília Paulo Roberto Galvão de Carvalho afirmou que vai analisar os argumentos jurídicos usados pelo ministério e pelo COB para não fazer licitações.

No inquérito, aberto no primeiro semestre, o procurador lembrou que o procedimento é necessário porque o TCU já apontou "uma série de irregularidades no uso de recursos para o financiamento dos Jogos Pan-Americanos de 2007".

O MPF já requereu ao TCU documentos sobre os convênios assinados entre o ministério e o COB desde o fim de 2007. O procurador aguarda ainda a conclusão das prestações de contas dos gastos do COB enviados ao ministério.

- O COB realizou contratações sem licitação. A lei de licitações prevê ressalvas, e estamos verificando os critérios de inelegibilidade para dispensar a concorrência. Já pedimos para o TCU nos informar o que foi apurado até o momento. Recebemos uma denúncia e vamos apurar - explicou Carvalho.

O COB contratou nove empresas brasileiras de consultoria e prestação de serviços para a elaboração do dossiê da candidatura Rio 2016 entregue ao COI.

O custo total dos contratos assinados sem licitação foi de R$ 3,5 milhões, entre 2008 e 2009.

Por Juca Kfouri às 10h35

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico