Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

24/10/2009

Galôooooooooooo!!!!!!

Mineirão abarrotado, com 57.901 pagantes, para ver um jogo emocionante entre dois dois times maduros.

O Vitória fez o que pôde para dificultar a vida do Galo e acabou por valorizar sobremaneira a bela vitória mineira, construída com frieza e competência a partir de um fino gol de Diego Tardelli, aos 28 do primeiro tempo.

Nem o alvinegro se mostrou ansioso pela presença da massa, nem o rubro-negro se assustou com ela, tanto que exigiu muito do goleiro Carini.

Sim, o Galo, acostumado a jogar diante de sua gente, melhor média de público do Brasileirão, também teve boas chances de ampliar.

Mas precisou botar o reestreante Marques em campo no lugar de Renteria, aos 23 do segundo tempo, para tentar retomar as rédeas do jogo.

Antes, aos 15, já tinha trocado Coelho por Renan.

Mesmo assim, aos 24, depois de exigir mais um milagre de Carini, o Vitória mandou uma bola na trave que ainda se deu ao luxo de correr por cima da linha fatal, para gelar a espinha da torcida atleticana que dava seu costumeiro show nas arquibancadas, cantando o hino e soltando aquele grito gutural que vem do fundo d'alma.

Em seguida foi a vez de entrar Evandro no lugar de Serginho.

Mas só dava Vitória em campo.

Para felicidade do Galo, aos 30, Tardelli deixou a perna na do zagueiro Uélliton, que deu um carrinho imprudente, para cair dentro da área, numa simulação brilhante.

Mas, para infelicidade do Galo, ele mesmo desperdiçou o pênalti.

Em compensação, aos 33, Fábio Ferreira meteu o braço na bola na área e o árbitro não marcou novo penal para o Galo.

No fim, Leandro, burramente, deixou o Vitória com 10.

Sádico, o árbitro deu quatro minutos de acréscimos.

Para Evandro chutar por cima, debaixo do travessão, um passe que Marques lhe deu para fazer o segundo gol.

Tanto sofrimento e o 1 a 0 valeram ao Atlético ficar a um ponto do Palmeiras.

Isto é, o primeiro campeão brasileiro, em 1971, depende só de si para ser bicampeão.

Com o Galo não tem nem anticampeonato nem pontos parados.

Nos Aflitos (13.249 pagantes), o Náutico fez o dever de casa e passou pelo Barueri, por 2 a 1, com direito a pênalti perdido por Carlinhos Bala.

O Timbu respira.

Por Juca Kfouri às 20h23

O Vasco navega de volta

Maracanã em festa, com 50 mil pagantes.

Um gol de Fagner aos 36 do primeiro tempo.

Outro, um golaço, de Elton, aos 33 do segundo.

Pronto!

Vasco 2, Bahia 1.

A nau do Almirante cada vez mais próxima do porto seguro.

Como o Guarani, outro campeão brasileiro, que passou pelo ABC por 1 a 0, mas com só 6 mil pagantes no Brinco de Ouro.

Pena que mais um campeão, o próprio Bahia, está é mais perto da degola, da terceira divisão, tomado que está pelo que há de pior.

Por Juca Kfouri às 18h52

Galo na frente

Com mais de 4200 respostas e ainda antes que o Galo entre em campo hoje, eis o resultado de nossa sondagem sobre quem será o campeão brasileiro de 2009:

Galo - 32%

Flamengo - 26%

São Paulo - 23%

Palmeiras - 13%

Inter - 6%

Depois da rodada, amanhã à noite, a sondagem volta, igualzinha, OK?

Por Juca Kfouri às 12h05

23/10/2009

Não deixe de ler...

...e entenda por que este blog não tem a menor simpatia pelo atual E.C. Santo André.

http://www.capitalsocial.com.br/esportes/ronan-o-absolutista/

Por Juca Kfouri às 14h56

22/10/2009

Rodada para embolar o Brasileirão

Este fim de semana tem nove jogos, todos a valer.

Como Náutico e Barueri, Coritiba e Atlético Paranaense, Avaí e Sport, Corinthians e Cruzeiro e Goiás e Fluminense.

É o Náutico na luta para fugir do rebaixamento; o grande clássico paranaense; o Sport na mesma briga do Náutico; Ronaldo contra seu ex-clube, que faz campanha brilhante no returno e o Goiás ainda sonhando diante do pesadelo tricolor. 

Mas quatro desses nove jogos valem mais, valem ficar a um, a dois ou, no máximo, a três pontos do líder Palmeiras, que não joga, pois já jogou pela rodada e perdeu.

O Galo é quem tem a tarefa menos difícil, para ficar a apenas um ponto do líder: pega o Vitória no Mineirão.

Depois vem o São Paulo, que embora fora de casa, na Vila, tem o desanimado Santos pela frente. É vencer e ficar a dois pontos do Palmeiras.

A seguir, também sem nenhum grau enorme de dificuldade, vem o Flamengo, que enfrenta o desespero do Botafogo no Engenhão. É vencer e ficar a três pontos do primeiro lugar.

E finalmente, com altíssimo grau de dificuldade, mas em casa, no Beira-Rio, o Inter recebe o Grêmio, no clássico de mais alta voltagem do nosso futebol. Se vencer, também ficará a dois pontos do líder.

Um fim de semana que tem tudo para ser inesquecível e que deve embolar de vez o Brasileirão.

Palpites?

Náutico ganha do Barueri; Galo bate o Vitória; São Paulo ganha do Santos; dá empate no Gre-Nal; Flamengo passa pelo Botafogo; Avaí supera o Sport;

empate no Atletiba; Goiás atropela o Fluminense; e o Corinthians ganha, perde ou empata com o Cruzeiro...

Por Juca Kfouri às 22h51

Histórias de Chico Buarque

Tem livro novo na praça, com os bastidores de composições de Chico Buarque.

O autor, Wagner Homem, pôs no ar e mantém  a página do compositor na Internet.

Uma das histórias, como aperitivo:

Ilmo. sr. Ciro Monteiro

ou

Receita pra virar casaca de neném (1969)

Chico Buarque

Amigo Ciro
Muito te admiro
O meu chapéu te tiro
Muito humildemente
Minha petiz
Agradece a camisa
Que lhe deste à guisa
De gentil presente
Mas caro nego
Um pano rubro-negro
É presente de grego
Não de um bom irmão
Nós separados
Nas arquibancadas
Temos sido tão chegados
Na desolação

Amigo velho
Amei o teu conselho
Amei o teu vermelho
Que é de tanto ardor
Mas quis o verde
Que te quero verde
É bom pra quem vai ter
De ser bom sofredor
Pintei de branco o teu preto
Ficando completo
O jogo de cor
Virei-lhe o listrado do peito
E nasceu desse jeito
Uma outra tricolor


Chico foi ao teatro ver um show de Ciro Monteiro, sambista que se notabilizou por cantar batucando numa caixa de fósforos.

O cantor aproveitou a oportunidade para dizer que gostaria muito de gravar um samba de Chico, mas que já não tinha memória para letras muito compridas e brincou: "Eu quero cantar seus sambas, mas não posso. Eles são em capítulos. São grandes e eu atualmente não posso decorar nem meu nome..."

E completou "Ô Chico, você faz um samba pra mim em que a palavra de maior número de sílabas seja 'oi'".

O compositor retrucou dizendo que não, que melhor seria a palavra "nu".

Quando Silvia Buarque nasceu, Ciro, flamenguista roxo, seguindo seu velho hábito, presenteou a recém-nascida com uma camisa do seu time.

Chico, que é Fluminense, aproveitou a deixa para pagar a promessa e agradeceu o mimo com esse bem-humorado samba.

Na gravação do álbum para os jovens Ciro colocou no final uma fala dizendo "Ô Chico, a Silvinha vai crescer e entender" e terminava com uma gargalhada.

Num programa exibido pela TV Educativa em 26/07/1973 o cantor afirmava "Acontece que a Silvinha entendeu e é Flamengo. E ele [Chico] me
chamou de aliciador de menores".

Tão grave acusação deveria ser checada antes de publicada.

 Enviei o verbete ao Chico que respondeu "Calúnia! Silvinha é tricolor!"

Argumentei que ele mesmo no programa Ensaio de 1973 da TV Cultura dissera que "desgraçadamente [ela] é Flamengo".

Chico já não se lembra da entrevista e garante que a filha é Fluminense.

Mas admite que ela possa ter sido Flamengo por um dia, certamente referindo-se ao hino do clube, que diz: "Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer".

 www.historiasdecancoes.com.br

 www.chicobuarque.com.br

Por Juca Kfouri às 21h38

Bobagem rejeitada

Briga olímpica

Monumento do Cristo não é objeto de culto religioso

 

Por Maurício Cardoso

 

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro concedeu Habeas Corpus pelo trancamento da Ação Penal que o Ministério Público do estado moveu contra o advogado paulista Alberto Murray Neto, por vilipêndio de objeto de culto religioso (artigo 208 do Código Penal).

 

O crime imputado pelo MP a Murray, que fez campanha contra a indicação do Rio para sediar a Olimpíada de 2016, foi ter distribuído um e-mail para membros do Comitê Olímpico Brasileiro contendo uma fotomontagem do Cristo Redentor vestido com um colete à prova de balas e empunhando uma metralhadora e uma pistola.

 

A Ação Penal contra Murray corre na 40ª Vara Criminal do Rio de Janeiro.

 

A decisão pelo trancamento da ação foi tomada, por unanimidade, pela 8ª Câmara Criminal do TJ-RJ, acompanhando o voto do relator, desembargador Marcos Quaresma Ferraz. 

 

Para a defesa de Alberto Murray Neto, a cargo dos advogados José Luis de Oliveira Lima e Rodrigo Dall’Acqua, do escritório Oliveira Lima, Hungria, Dall’Acqua e Furrier, nem houve ofensa a símbolo religioso nem o monumento do Cristo Redentor pode ser considerado um símbolo religioso.

 

Os advogados sustentam que a imagem considerada ofensiva está disponível na internet e é semelhante a dezenas de outras que circulam pela rede de computadores.

 

Todas elas são uma crítica à violência no Rio e não tem nenhuma conotação religiosa, dizem. “De superficial análise, salta aos olhos que o e-mail não tem nenhum viés religioso, destinando-se apenas a apontar a violência urbana como problema para a realização das Olimpíadas no Rio de Janeiro.”

 

Os advogados sustentam ainda que o monumento ao Cristo Redentor está relacionado diretamente com a cidade do Rio de Janeiro antes de ser um objeto de culto da religião católica, o que, por si só, descaracterizaria o objeto da denúncia. “Ainda que se possa vincular o monumento ao Cristo Redentor com a religião católica, é inegável que a primeira e mais forte vinculação é com a cidade do Rio de Janeiro em si”, diz a defesa.

Briga olímpica

 

A Ação Penal foi instaurada pelo MP-RJ a partir de um pedido de investigação policial feito pelo presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, contra Alberto Murray.

Tanto Nuzman como Murray são advogados e ligados ao movimento olímpico.

 

Murray, que é neto do major Sylvio Magalhães Padilha, que por 30 anos dirigiu o COB, formou-se em Estudos Olímpicos na Grécia e foi membro do COB até o ano passado, quando se demitiu do cargo por divergência com a direção da entidade.

 

Já Nuzman é o presidente do COB há 20 anos.

 

Murray fez campanha aberta contra a candidatura do Rio como sede olímpica.

 

Para isso, usou de seus contatos na comunidade olímpica e de seu blog pessoal.  

 

“O Brasil tem outras prioridades e carências sociais para serem resolvidas, como educação, saúde, esporte para todos, habitação”, diz.

 

O alto custo do evento, estimado em R$ 25 bilhões, as carências na infraestrutura do Rio em áreas como transporte e habitação, a falta de políticas públicas para o esporte e o temor de que os investimentos não se revertam em benefícios para a população são alguns dos problemas apontados por ele.

 

A desavença olímpica foi parar na polícia.

 

Inconformado, o presidente do COB pediu investigação policial contra o advogado.

 

Com base nas acusações de Murray, entre outras informações, o procurador do ministério Público Federal Paulo Roberto Galvão abriu inquérito contra o COB e Nuzman por mau uso de dinheiro público na promoção da candidatura do Rio-2016.

 

Cristo só entrou na briga, por acaso.

HC 2009.059.07286
AP 2009.001.199390-6

Clique aqui para ler o pedido de Habeas Corpus

www.conjur.com.br 

Por Juca Kfouri às 20h23

Seleção sem feijão 

Por ROBERTO VIEIRA

 

Em 1954 na Suiça, a seleção teve a companhia do Sr. Laudelino Oliveira. 

Figura indispensável para o bem estar dos jogadores. 

Didi e Julinho antes da convocação perguntaram: 

"Seu Laudelino vai?"  

Senão não iam. 

Nem por todo Zezé Moreira desse mundo. 

Algumas décadas depois, surpresa. 

Nas palavras de um dos convocados. 

A seleção brasileira Sub-20 viajou ao Egito sem cozinheiro. 

Pior. 

Sem nutricionista. 

Os jogadores morreram no arroz com canela. 

Torceram o nariz aos carneiros do Cairo. 

Se esbaldaram nos fast foods locais. 

Teve atleta perdendo cinco quilos no campeonato mundial. 

Teve atleta que terminou viciado em milk shake.  

Atualmente nem se discute a importância de um cozinheiro, de um nutricionista. 

Como entender uma seleção que dispensa os dois profissionais? 

Está certo que Seu Laudelino não batia pênalti. 

Os jogadores da seleção Sub-20 também não batem. 

Está certo que Seu Laudelino não defendia que nem Veludo e Castilho. 

O negócio de seu Laudelino era forno e fogão. 

Mas o Brasil é campeão do feijão com arroz. 

Arroz com canela? 

Nem pensar... 

Por Juca Kfouri às 00h18

21/10/2009

Mil vezes não, Verdão!

Perder para o Ramalhão era o que faltava para o Palmeiras ter uma crise de nervos.

Imperdoável.

E que não se fale das duas bolas na trave chutadas por Obina porque em ambas ele pegou foi mal na bola.

O primeiro gol do Santo André, marcado por Nunes, ainda aos 20 minutos do primeiro tempo, foi o suficiente para derrubar o líder.

Sim, o Palmeiras perdeu Cleiton Xavier, machucado, e Marquinhos entrou em seu lugar também aos 20, assim como Robert entrou no lugar de Obina, aos 16 do segundo.

Mas o fato é que parece que a Seleção Brasileira fez muito mal a Diego Souza e que o Palmeiras está perdidinho da silva.

A tal ponto que o segundo gol de Nunes, aos 32 do segundo tempo, teve direito até a humilhação.

Só não fez de bola e tudo porque não quis, mas não sem antes dar uma paradinha, talvez para lembrar o gol que fez numa decisão de Copa São Paulo, em 2003, quando até porco imitou e deu uma confusão danada no Pacaembu.

O resultado da brincadeira é o de que o Galo pode ficar a um ponto do líder já neste sábado, se vencer o Vitória, no Mineirão superlotado.

O que significa dizer que se o Palmeiras ainda depende só de si, o Galo também, porque ambos se enfrentam, no Palestra Itália, na penúltima rodada, dia 29 de novembro.

Como Inter e São Paulo podem ficar a dois pontos do Palmeiras e o Flamengo a três, se vencerem o Grêmio, o Santos e o Botafogo nos clássicos estaduais do domingo, no Beira-Rio, Vila Belmiro e Engenhão.

O Palmeiras ganhou apenas um dos últimos 12 pontos que disputou e está claro que a chegada de Vagner Love não compensou a saída de Pierre.

A campanha de Muricy Ramalho consegue estar pior que a de Vanderlei Luxemburgo...

Ele até ouviu coros pedindo por Jorginho.

O Santo André saiu da ZR e o Botafogo, que perdeu do Cerro Porteño por 2 a 1 pela Copa Sul-Americana, voltou, embora se empatar com o Flamengo saia de novo.

Que hora, hein, Palmeiras?

Por Juca Kfouri às 23h45

Pontos corridos! E não se fala mais nisso

Com 5100 respostas, 72% não querem a volta do mata-mata.

E fim de papo, OK?

Por Juca Kfouri às 22h20

Uma boa e uma má notícia

Uma boa notícia: o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro trancou a ação penal movida contra Alberto Murray, do blog Alberto Murray Olímpico, por ter ele publicado uma charge em que o Cristo Redentor, armado, vestia um colete à prova de bala.

Uma má noticia: o COB processa agora Alberto Murray por ele ter publicado os documentos do TCU que revelam as irregularidades do Pan-2007 e pelo fato de ele usar a palavra "Olímpico" em seu blog, segundo o COB, exclusividade da entidade.

Por isso, o texto abaixo, de ALBERTO MURRAY, ex-membro do COB e neto de Sylvio de Magalhães Padilha, que foi presidente da entidade:

O Rio-2016, o humor e os processos da patota olímpica

O brasileiro faz blague com tudo.

Nada passa sem humor, sem piada.

Principalmente o bem humorado povo carioca, sempre inspirado, dá graça até mesmo às maiores desgraças.

Com relação aos Jogos Olímpicos Rio 2.016, a coisa não tem sido diferente.

São muitas as charges que têm circulado na internet, publicadas em jornais, revistas e os comentários gracejantes feitos pelos humorístas e pelo povo.

Jô Soares tem feito comentários engraçados, simulando os gringos turistas perambulando pelas rua do Rio durante os Jogos Olímpicos.

Por exemplo, diz ele na televisão, simulando acentuado sotaque norte americano:

"Senhor, esse nota de dinheira de 15 mil reais que me deram de troco é verdadeiro"; 

Ou:

"Senhor Policial, eu não querer pagar esse senhor porque não saber antes que essa mulher era homem."

Ou, ainda:

"Senhor, o que ser bala perdida. Eu achar um."


Há também os chargistas que fizeram as argolas olímpicas e um sujeito em desabalada carreira, olhando de lado, surrupiando uma delas.

Ou os símbolos olímpicos em formato de ralos, por onde escoam cédulas e mais cédulas de dinheiro público.

Há muitas outras charges que se relacionam de forma irônica aos Jogos Olímpicos do Rio 2.016.

Basta procurar e divertir-se.

A TV Globo, no seu programa humorístico Casseta e Planeta, sugeriu alguns mascotes, dentre eles um belo bichinho de pelúcia que chamaram de "Balinha Perdida".

Aliás, o programa passado dos Cassetas, apresentado em horário nobre da Globo, dedicou sua maior parte à esculhambar, com fino humor, os Jogos Olímpicos Rio 2.016.

Um jornalista fez talvez o melhor dos comentários, publicado no Blog do Juca Kfouri: "Na China fizeram o Ninho de Pássaros. No Rio vão fazer o Ninho de Ratos."

Até o Cristo Redentor, de novo, não escapou das gozações.

Basta procurar no Google e verão que somente com relação ao Cristo há mais de 1.000 charges diferentes, publicadas em vários meios de mídia.

O humor ferino faz parte da personalidade do brasileiro.

Sabemos que os nossos próceres olímpicos piscam de raiva ( e sacodem a cabeça feito uma máquina de escrever) quando se deparam com qualquer tipo de crítica, mesmo essas humorísticas,

Às vezes muito mais contundentes, refinadas e que pegam no ponto.

Mas o que fará a patota olímpica?

Caso preocupe-se em processar cada um que tem feito graça às custas da escolha do Comitê Internacional Olímpico, não lhes sobrará tempo para mais nada.

Começariam processando figuras públicas como Jô Soares, os Cassetas e a Rede Globo de televisão, o jornalista Hélio Fernandes, Ziraldo, Jaguar, Millôr Fernandes, Augusto Nunes,  apenas para citar alguns nomes de peso?

Processariam o jornalista Fernando Victorino do genial comentário do "Ninho de Ratos"?

Se forem processar apenas um, por coerência, teriam que processar a todos.

Teriam que fazer uma busca na internet e ajuizar demandas contra milhares de brasileiros que, a seu jeito, estão tirando sarro da escolha olímpica.

Já pensaram o Ministério Público, a pedido da patota olímpica brasileira, com seus escaninhos cheios de charges, vídeos, artigos, ensaios críticos ao Rio 2.016?

Não sobraria aos nossos doutos representantes do Ministério Público tempo para mais nada, a não ser analisar a conduta dos críticos do Rio 2.016.

Além do que os processos seriam, com toda probabildade, improcedentes, porque os democráticos magistrados brasileiros tendem a não coibir a liberdade de expressão e a críticas, principalmente quando são feitas sob a égide do humor salutar, da ironia fina e elegante.

Os organizadores dos Jogos Olímpicos têm que aprender a conviver com a democracia.

Vão ter que engolir piadas, críticas, gozações e paulada de todo tipo.

Se assim não o fizerem, darão mais uma demonstração de intolerância democrática e ganharão, ainda mais, a antipatia do povo brasileiro.

Por Juca Kfouri às 17h58

20/10/2009

O Palmeiras que não se atrapalhe no ABC

Não é que o Palmeiras é o favorito no jogo desta noite de quarta-feira, antecipado para atender a TV, em Santo André contra o time local.

O Palmeiras tem simplesmente a obrigação de ganhar dos velhinhos do Ramalhão e afundá-los ainda mais na segunda divisão.

Obrigação!

Ou passará a ser visto como um time que veio à brinca no Brasileirão, ou, ainda pior, que pipoca na hora agá.

Porque é ganhar nesta quarta-feira e passar um fim de semana de sonho, só secando o Galo, o Inter, o São Paulo e o Flamengo.

É ganhar jogo e curtir o fato de ter apenas seis rodadas pela frente, enquanto os rivais terão oito, a do fim de semana e outras sete, sem que possam descartar uma como ele, o líder, que tem quatro pontos a mais que o vice-líder.

Então, estamos combinados: hoje, às 21h50, o Palmeiras mostrará se é um time de "uomos" ou de bambinos.

Comentário para o Jornal da CBN desta quarta-feira, 21 de outubro de 2009.

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/juca-kfouri/JUCA-KFOURI.htm

Por Juca Kfouri às 22h33

Qualquer nota

Nota Oficial

Sport Club Corinthians Paulista

20/10/09 16h51

A direção do Sport Club Corinthians Paulista vem a público manifestar repúdio e negar com veemência a informação publicada na tarde desta terça dando conta que a diretoria do clube força o atacante Dentinho a assinar procuração com determinado agente.

A direção do Sport Club Corinthians Paulista também deixa claro que nunca indicou empresário ao atacante Dentinho, assim como não o fez com qualquer outro atleta, e cabe a ele escolher livremente seu representante.

 

Nota do Blog

Juca Kfouri

20/10/09 20h31

 

Ótimo. Assim, o jogador, agora, terá mesmo liberdade para escolher quem quiser.

 

Em tempo e aos analfabetos funcionais: o blog mantém o que informou, por pura expressão da verdade, desminta-a quem quiser.

 

Por Juca Kfouri às 20h31

A função do humor

Humor deve ser sempre de oposição.

Humor, antes de ser para rir, é para criticar, para mexer nas feridas, não para confortar, mas para incomodar.

Humor a favor não existe.

As reações à nota sobre o fogo olímpico são a melhor prova de que o objetivo da nota foi atingido.

E não deixa de ser engraçado ver o bairrismo aflorar, com citações desairosas a São Paulo, que é, no quesito violência igual ao Rio, embora uma cidade feia, nada maravilhosa.

Parece até que não vivemos todos no mesmo Brasil.

Aos que quiserem que leiam o que aqui publiquei quando o PCC parou Sao Paulo.

E aos que não sabem, saibam que perdi meu pai, Procurador de Justiça, num assalto à luz do dia, em frente à casa dele, em Sao Paulo...

 

14 de maio de 2006

Crônica de uma guerra anunciada

Eu era criança na década de 50 e sempre que ia ao Rio de Janeiro, ainda de poucas e romantizadas favelas, já ouvia dos mais velhos que um dia as favelas desceriam.

Desceram, e não é de hoje.

Todos os sinais da guerra civil foram dados neste Brasil que pouco se importa em incluir os excluídos, a não ser para blindar automóveis e contratar seguranças particulares.

O eixo Rio-São Paulo virou eixo do crime e faz quatro dias que a maior cidade da América do Sul vive em pânico.

Quem paga é a população.

Que paga seus impostos para ter, no mínimo, alimentação, educação, saúde e segurança.

E pagam, também, os soldados da PM e os agentes da Polícia Civil, gente do povo, mal aparelhada, mal remunerada, e, ainda por cima, mal vista.

Policiais que estão sendo mortos como se matam animais.

Enquanto a classe política só dá exemplos de corrupção que acabam em pizza, as autoridades que pagamos para dar segurança revelam apenas incompetência e arrogância.

Como se a questão fosse exclusivamente criminal, e não, essencialmente, social.

A violência convive com a impunidade como se vê até nos estádios de futebol.

Que fim levou o episódio no Pacaembu, na noite de Corinthians e River Plate?

Quem foi punido?

O Corinthians?

O Pacaembu?

Os que tentaram invadir?

Rigorosamente, ninguém.

E ainda temos que ouvir que está tudo sob controle.

Está sim.

Sob o controle do pânico.

Já vimos este filme.

Os mocinhos perdem e os bandidos ganham no fim.

Mas nos restam duas atitudes:

A primeira atitude é não esquecer dos terríveis dias que estamos vivendo em São Paulo quando formos votar.

Por Juca Kfouri às 17h20

Sorriso zero

Descoberta a razão da infelicidade recente de Dentinho: a direção do Corinthians quer porque quer que ele se vincule ao empresário Carlos Leite, que além de ter uma porção de jogadores no clube, trabalha também com o técnico Mano Menezes.

O contrato de Dentinho com seu primeiro empresário, Cláudio Guadagno, acabou e o presidente do clube, Andres Sanchez, pressiona para que assine com Leite, que não nega ter conversado com o atleta, "há 15 dias", sem que nada tenha sido formalizado até agora.

Por Juca Kfouri às 12h51

Humor é fogo...

Márcio Costa

Por Juca Kfouri às 12h41

Tabelinha da última segunda-feira

Por Juca Kfouri às 11h57

Rede fina

A Receita Federal está em vias de concluir uma megaoperação que tem clubes e federações de futebol como alvo.

 

Por Juca Kfouri às 11h26

19/10/2009

Atenção, Flu!

Como estava anunciado, Joel Santana caiu na África do Sul.

Só falta ele nas Laranjeiras.

Por Juca Kfouri às 13h26

18/10/2009

Galo e Flamengo agitam o Brasileirão

A trigésima rodada do Brasileirão teve só 22 gols.

E média de público ficou na casa dos 19 mil pagantes por jogo.

Por incrível que pareça, o condenado Fluminense foi quem levou mais gente ao estádio, mais de 29 mil pagantes no Maracanã.

Grêmio Barueri e Santos ficaram com o pior, pouco menos de 4 mil pagantes, para o único 0 a 0 da rodada.

Nenhum time paulista venceu, porque estes dois empataram entre si sem gols e os outros quatro perderam.

Mais: nenhum time paulista fez nem sequer um golzinho na rodada...

Todos os quatro rubro-negros ganharam e a rodada não mudou nada na zona do rebaixamento, mantidos o Santo André, o Náutico, o Sport, que foi o único que ganhou, e o Fluminense.

Mas no G4 a coisa ficou mais animada.

O Galo é o novo vice-líder, a quatro pontos do vacilante líder Palmeiras.

O São Paulo caiu para o quarto lugar, superado até pelo também vacilante Inter.

E o Flamengo chegou a um ponto do G4, a seis do líder.

O Campeonato Brasileiro de pontos corridos agradece ao Galo e ao Flamengo, que derrubaram São Paulo e Palmeiras.

Aliás, será muito bom para o futebol brasileiro se não vier a ser um paulista o campeão, coisa que acontece desde 2004.

No século 21, só duas vezes, com o Atlético Paranaense, em 2001, e com o Cruzeiro, em 2003, não paulistas foram os campeões.

Por Juca Kfouri às 21h04

Cruzeiro perto da Libertadores

O Cruzeiro está chegando cada vez mais perto do G4.

Teve que lutar muito para passar pelo Botafogo, no Mineirão, mas passou: 1 a 0, gol de Thiago Ribeiro, aos 17 do segundo tempo, depois de muito martelar.

O menino Soares, do time mineiro, saiu de ambulância do estádio, com problemas na coluna cervical, o que deixou o time com 10 jogadores nos últimos 18 minutos de pressão carioca.

O Botafogo continua ali por perto da ZR, mas fora dela, beneficiado pelas derrotas do Náutico e do Santo André.

Sim, por que quem também luta para não cair e perdeu fora de casa, no Barradão, foi o Náutico, para o Vitória.

O Timbu até saiu na frente, com mais um gol de Bruno Mineiro, logo aos 2 do segundo tempo.

Mas o time pernambucano perdeu o zagueiro Vágner Silva, aos 14, expulso, e tomou o empate, dois minutos depois, gol de Leandrão.

A virada do rubro-negro baiano veio aos 37, outra vez com Leandrão.

E, já nos acréscimos, Jackson fez 3 a 1.

Na Arena da Baixada, o Furacão deu mais um golpe para rebaixar o Ramalhão, ao triturá-lo por 3 a 0, gols de Paulo Baier, de falta, aos 17, e de Marcel, contra, aos 18, no primeiro tempo.

Marcinho, aos 17 do segundo tempo fechou o placar.

Por Juca Kfouri às 20h26

Na própria pele

Veja como são as coisas: Galvão Bueno sempre defendeu o mata-mata, o que é um direito indiscutível dele e de qualquer um, é mais que óbvio.

Mas Galvão chegou a dizer que se pontos corridos fossem a melhor fórmula teria sido adotada na Copa do Mundo, como se fosse possível disputar uma Copa do Mundo durante um ano...

Soube agora que ele comentou, no ar, que seu filho Cacá Bueno, com 47 pontos de vantagem sobre o segundo colocado na Stock Car-2009, não está nada feliz por ter de disputar um mata-mata final para decidir quem é o campeão.

De fato, diz o esdrúxulo regulamento da categoria:

"SUPER FINAL - Após a oitava etapa, os dez pilotos mais bem colocados vão para a Super Final, que será disputado nas últimas quatro etapas."

No lugar de Cacá, eu também estaria me sentindo injustiçado.

Por Juca Kfouri às 19h41

Raridade

Faz muito tempo que não acontecia.

Mas nenhum paulista venceu nesta 30a. rodada.

Grêmio Barueri e Santos empataram, sem gols e sem graça.

Palmeiras e São Paulo perderam em casa, com gols e com graça, tanto do Mengo quanto do Galo.

E o Corinthians perdeu fora, para o Sport, com dois gols de ex-corintianos...

Já o Santo André, perdeu por 3 a 0 para o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada.

O futebol brasileiro agradece.

Outra curiosidade: todos os rubro-negros ganharam na rodada.

Por Juca Kfouri às 18h58

Mengo muda a cara do Brasileirão

O primeiro tempo no Palestra Itália (com 26.462 pagantes, recorde neste ano) teve dois momentos desses que valem o ingresso: no gol de Petkovic e no quase empate de Vagner Love, evitado por Bruno.

Antes disso, e depois disso, Marcos só teve mesmo um trabalho sério: buscar nas redes a bola do 1 a 0 do Flamengo.

Bruno, em compensação, trabalhou muito mais, embora com apenas uma defesa não obrigatória.

Mas salvou com os olhos pelo menos duas cabeçadas que não entraram por detalhe, de Diego Souza e de Robert.

O gol do sérvio, aos 25, nasceu de uma vacilada de Edmílson mas, muito mais do que isso, nasceu do talento dele, que fingiu que iria dar mais um toque na bola para o lado em busca de ângulo e, em vez disso, deu um tapa genial para entrar na história do clássico.

Nove minutos depois veio a resposta de Vagner Love, ao deixar seu marcador órfão de pai e mãe e girar com uma bomba que Bruno defendeu.

Era um Flamengo gaúcho na marcação contra um Palmeiras nervoso na busca da reação.

Ao sair para o intervalo, Pet vaticinou que o rubro-negro sofreria no segundo tempo com a pressão do time azul que deveria estar de verde.

Mas quem quase marcou logo de cara foi Léo Moura, impedido por Marcos em bom contra-ataque.

E o próprio Pet, de fora da área, em bola que passou rente ao poste.

Aos 12, Fierro entrou no lugar de Toró.

Nem Diego Souza nem Adriano, os da Seleção Brasileira, brilhavam, mas, é claro, preocupavam.

E, a exemplo do São Paulo ontem, o Palmeiras ia perdendo sua primeira partida em casa no Brasileirão.

E ia mesmo!

Porque, aos 17, Pet fez, simplesmente, um gol olímpico, entre as pernas de Wendel na pequena área.

Uma loucura!

Ortigoza foi chamado para entrar no lugar de Robert.

O líder estava perdidinho da silva em sua casa.

E o Flamengo esteve mais perto de fazer o terceiro gol do que sofrer o primeiro, embora, aos 42, o árbitro tenha visto pênalti de Ronaldo Angelim em Oritigoza que Love bateu nas nuvens, de maneira ridícula.

O Mengo obteve uma vitória para mudar a cara do Brasileirão.

Enquanto isso o Inter, mais uma vez, não cumpria com sua obrigação e só empatava com o rebaixado Fluminense no Maracanã, com gols de Alecsandro, como sempre, no primeiro tempo, e de Marquinhos, no segundo, depois que o Flu havia empatado com Gum, ainda no fim do primeiro tempo, como o ele mesmo empatou de novo, no fim do segundo: 2 a 2, que nada resolve para o tricolor e é muito ruim para o time gaúcho.

Vencendo, o Inter voltaria à luta, na vice-liderança, apenas a três pontos do Palmeiras.

Mas, a exemplo do próprio Palmeiras e do São Paulo, o Colorado parece não querer o título.

Galo e Mengo agradecem.

Já o rival Grêmio, como era de se prever, passou pelo Coritiba, no Olímpico, 2 a 0, um gol em cada tempo, Perea e Souza.

Pelos mesmos 2 a 0, o Sport rugiu na Ilha do Retiro e mais uma vez derrotou o Corinthians, também com um gol em cada tempo, com Arce, o boliviano importado exatamente pelos paulistas, e Wilson.

Mas continua em situação muito difícil.

Por Juca Kfouri às 18h01

Mengo é o mais apostado

Com 4 mil palpites, 50% dos frequentadores deste blog apostaram na vitória do Flamengo no clássico desta tarde em Palestra Itália.

Foram 38% os que apostaram no Palmeiras e 12% no empate.

O blog fecha com os 38%...

Mas, reconhece que sempre que aposta contra o Flamengo se dá mal.

Por Juca Kfouri às 13h30

Sereias campeãs da Libertadores!

As Sereias do Santos, comandadas pela exuberante Marta, acabam de conquistar a primeira Copa Libertadores da América de futebol feminino.

Na verdade, em seis jogos, as santistas não tiveram adversárias.

As duas vitórias mais difíceis foram por 3 a 1, contra o White Star, do Peru, na estréia, sempre nervosa, e contra o Everton, do Chile.

Na primeira fase, as meninas da Vila ainda golearam o Enforma, da Bolívia, e o Caracas, da Venezuela, por 12 a 0 e 11 a 0, respectivamente.

Nas semifinais, com 10 mil torcedores no Pacaembu, a vítima foi o Formas Intimas, da Colômbia: 5 a 0.

E na final, com a Vila Belmiro abarrotada, com 14 mil torcedores (maior que a média de público do time masculino neste Brasileirão, que é de 9 mil em casa), foi também com muita facilidade que o time paraguaio da Universidad Autonoma caiu por 9 a 0, cada gol mais bonito do que o outro, até um do meio de campo.

Em resumo: 43 gols marcados em seis partidas, apenas dois sofridos.

A Fifa planeja promover um Mundial feminino de clubes.

Com este time, que não poderá ser mantido pelo menos com Marta e Cristiane (artilheira da taça com 15 gols, embora suspensa na final), as Sereias seriam candidatíssimas ao título depois de treinar na Libertadores.

De todo modo, o objetivo do Santos FC foi plenamente atingido.

Por Juca Kfouri às 13h25

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico