Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

28/11/2009

Pró-memória

Amistoso em Brasília sob suspeita

O repórter Gabriel Castro, da CBN-Brasília, revelou ontem que o contrato que resultou no jogo amistoso, em novembro passado, no Distrito Federal, entre Brasil e Portugal, e que terminou com a goleada brasileira por 6 a 2, está sob investigação do Ministério Público.

Um contrato de R$ 9 milhões.

Tudo porque o contrato, assinado pelo governador José Roberto Arruda e por uma tal Vanessa Almeida Preste, além do secretário de Esportes do governo do DF, foi feito com uma empresa aparentemente fantasma, a Ailanto Marketing Ltda, de Vanessa Preste e de Alexandre Rosell.

A Ailanto foi registrada pelo advogado Eduardo Duarte, apontado como laranja do banqueiro Daniel Dantas pela Operação Satiagraha, e não tem nem sequer telefone.

O governador José Roberto Arruda preferiu não se manifestar e a CBF disse desconhecer qualquer intermediação para jogos da Seleção Brasileira, cujos direitos são da empresa ISE, com sede nas Ilhas Cayman.

É interessante lembrar que o presidente da CBF, Ricardo Teixeira já se viu em maus lençóis por causa de operações semelhantes que redundaram em duas CPIs.

E que um dos membros do Comitê Organizador da Copa do Mundo no Brasil, o advogado Francisco Mussnich, não só advogou para o banco Opportunity de Daniel Dantas como é namorado da irmã do banqueiro.

Alexandre Rosell, citado na reportagem como dono da Ailanto e ligado a ISE, é mais conhecido como Sandro Rosell, ex-presidente da Nike no Brasil quando a empresa passou a patrocinar a Seleção Brasileira, ex-vice-presidente do Barcelona e íntimo amigo de Ricardo Teixeira.

Comentário para o Jornal da CBN desta terça-feira, 24 de março de 2009.

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/juca-kfouri/JUCA-KFOURI.htm

Ouça a reportagem de Gabriel Castro.

http://cbn.globoradio.globo.com/home/2009/03/23/EMPRESA-DE-FACHADA-RECEBE-R-9-MI-DO-GOVERNO-DO-DF-PARA-REALIZACAO-DE-JOGO-ENTRE-BRASIL.htm

 

Por Juca Kfouri às 21h54

Do 'Blog do Cruz'

Homem forte da Copa 2014 envolvido em escândalo político

 

       (P.Gualberto)

         Fábio Simão, Arruda e Ricardo Teixeira    

O primeiro grande escândalo político-esportivo da era “Copa do Mundo 2014” foi revelado ontem e tem, entre outros personagens acusados de atos ilegais, o presidente da Federação Brasiliense de Futebol, Fábio Simão.

Homem forte do futebol candango, Simão acumulava outros dois cargos no primeiro escalão distrital: era o chefe de gabinete do governador José Roberto Arruda e dirigia o escritório que prepara a cidade para o Mundial de 2014.

 A operação da Polícia Federal foi deflagrada por determinação do Superior Tribunal de Justiça e Ministério Público Federal, com o objetivo de investigar um suposto pagamento de propina para parlamentares da base de Arruda – já apelidado de “mensalinho” – na  Câmara Legislativa do Distrito Federal. 

Futebol

Fábio Simão, que na gestão passada era o homem forte do então governador Joaquim Roriz, manteve o prestígio com José Roberto Arruda, a ponto de conquistar o disputado cargo para dirigir as ações da cidade rumo ao Mundial de 2014. 

Era de Simão a responsabilidade pela licitação para construir o novo estádio Mane Garrincha, na capital da República, orçado em R$ 700 milhões.

Ontem mesmo, o governador divulgou o afastamento de quatro assessores, entre eles Fábio Simão de sua chefia de gabinete. Porém, não mencionou se o mesmo continuará à frente das ações da Copa 2014. 

Prestígio

O prestígio de Fábio Simão ultrapassava as fronteiras do Distrito Federal, e chegou aos gabinetes da poderosa CBF, dirigida por Ricardo Teixeira, que é amigo íntimo de Arruda (aquele que, como senador, fraudou o painel eletrônico).

Em maio deste ano entrevistei Fábio Simão, dois dias antes de sua viagem para Nassau, nas Bahamas.

Convidado de Ricardo Teixeira, ele participou da 59ª reunião da Fifa, quando foram divulgadas as cidades-sedes do Mundial no Brasil.

Simão sabe muito sobre o assunto que dirigia. Tinha resposta para todas as perguntas e informações detalhadas das ações em andamento. 

Mais: conhecia as particularidades de cada uma das 17 cidades-candidatas à sedes do Mundial de Futebol.

Desafiado a citar as 12 capitais que seriam escolhidas, Fábio Simão arriscou, com argumentos prós e contras de cada uma. Acertou todas.

 O noticiário completo sobre a operação da Polícia Federal está no noticiário político do UOL.

http://blogdocruz.blog.uol.com.br/arch2009-11-22_2009-11-28.html

Por Juca Kfouri às 19h14

27/11/2009

Mais cedo do que se esperava...

Uma das empresas que patrocinam o Atlético Goianiense, um dos caçulas da Séria A, é a Linknet, que acaba de ter seu nome envolvido num imenso escândalo no governo do Distrito Federal, de José Roberto Arruda, do DEM, já chamado de mensalinho.

Leia aqui: http://www1.folha.uol.com.br/folha/brasil/ult96u658670.shtml

Não custa lembrar que o secretário da Fazenda do governo de Arruda é o presidente do Atlético, Valdivino de Oliveira Filho.

E também lembrar que o BMG, outro patrocinador do time goiano, é de Ricardo Guimarães, ex-presidente do Galo que ficou nacionalmente conhecido pelo escândalo do valerioduto, ou do mensalão.

Por Juca Kfouri às 19h54

A penúltima rodada do Brasileirão

Pronto!

É mais este domingo e apenas mais um.

E neste é até possível que o Brasileirão tenha seu campeão, desde que o São Paulo ganhe do Goiás, em Goiânia, o Flamengo perca do Corinthians, em Campinas, e o Palmeiras e o Inter não ganhem do Galo e do Sport respectivamente.

É improvável que tenhamos o campeão já agora num campeonato tão equilibrado e repleto de alternativas.

Além da belíssima luta pelo título, há também uma renhida disputa para fugir da aparentemente única vaga que resta no rebaixamento.

Santo André e Náutico que se enfrentam no ABC têm tudo para morrer abraçados.

Mas Atlético Paranaense, Coritiba, Botafogo e Fluminense ainda brigam para não cair.

Furacão e Fogão jogam na Arena da Baixada e o Flu recebe o Vitória, no Maracanã.

A única certeza deste blogueiro é a de que o Inter ganhará do Sport no Recife.

E assim mesmo trata-se de uma certeza recheada de incertezas...

Por Juca Kfouri às 00h01

26/11/2009

Fim da picada

Sim, desnecessário dizer, triste constatar: Belluzzo pisou na bola mais uma vez.

Lamentável.

Tomara que saia logo do Palmeiras e volte a ser ele.

Por Juca Kfouri às 00h36

25/11/2009

LDU 5 , FLU 1

Não vi.

E não gostei.

E adivinhei.

Só porque era óbvio.

Sou meio burro, mas não brigo com a Ciência do Esporte.

Oxalá, agora, o encanto não se quebre.

E, confesso: quando soube do primeiro gol tricolor logo no primeiro minuto, pensei; "Oba, vou errar de novo".

Mas era mesmo impossível. 

Por Juca Kfouri às 23h50

Do jornal 'Opção', de GOIÁS

O Jornal Opção não se considera "professor de Deus" nem o escolhido entre os escolhidos, mas é inegável que tem tutano.

Na edição de 14 a 20 de maio de 2006, quando o senador Maguito Vilela aparecia nas pesquisas com mais de 50 por cento das intenções de voto, o Jornal Opção revelou aos seus leitores, sem nenhuma tergiversação, que havia sido ameaçado pelo vice-prefeito de Goiânia e secretário da Fazenda do governo do Distrito Federal, Valdivino de Oliveira.

A seguir, transcrevemos trecho do posicionado editorial:

"Numa conversa [gravada] com o repórter Hélmiton Prateado, Valdivino de Oliveira disse: ‘O Jornal Opção é meu problema. Mas isso não será mais problema — 2006 está acabando’.

A ameaça estriba-se no fato de que Maguito Vilela lidera as pesquisas de intenção de voto, mas o Jornal Opção (que já tem 30 anos) não a teme, pois, como uma instituição dos goianos, vai permanecer, e seus supostos adversários vão passar, como muitos outros passaram. Quem faz jornalismo de opinião não pode ter medo, pois, se tiver, queda-se paralisado".

Parecia impossível desafiar o coro dos contentes naquele momento, com Maguito com a "vitória" nas mãos, como diziam todos os jornais goianos.

Pois o Jornal Opção desafiou esse coro e denunciou a truculência do secretário-vice-prefeito.

Cabe explicar aos leitores os motivos da ira de Valdivino de Oliveira, economista que tentou, mas não conseguiu fazer mestrado na Universidade de Brasília (UnB) e certamente nunca leu nenhuma obra da filósofa Hannah Arendt.

Primeiro, Valdivino de Oliveira queria impedir que o Jornal Opção publicasse denúncias de irregularidades tanto no governo do Distrito Federal — agora, depois das denúncias do jornal, a Polícia Federal prendeu auxiliares do ex-governador Joaquim Roriz e desmontou a suposta quadrilha que, atuando no Instituto Candango de Solidariedade, em Brasília, pode ter aplicado um golpe de quase 3 bilhões de reais — quanto na Prefeitura de Goiânia.

E, mais, apesar de ser goiano, o secretário elaborou uma política de incentivo fiscal para tirar empresas de Goiás e levá-las para Brasília. A mensagem do político neófito era prosaica: "Em 2007, com Maguito Vilela no poder, vamos ‘ferrar’ o jornal".

Nota do blog: Valdivino é o presidente executivo do Atlético Goianiense.

Por Juca Kfouri às 17h15

Dunga numa tarde feliz

Bem humorado e certeiro em seus comentários, Dunga estava feliz ontem à tarde, talvez inspirado pelo lugar onde falou, o palpitante Museu do Futebol de São Paulo.

Dengoso, quando perguntado sobre Ronaldo, Dunga pediu candidamente aos entrevistadores que não o induzissem a cometer o erro que foi cometido na Copa de 2006.

E mais não disse, sem ficar zangado, embora lhe fosse perguntado, porque, maliciosamente, preferiu acreditar na inteligência dos perguntadores.

Mais ou menos como um mestre que dissesse que para bom entendedor pingo é letra.

Dunga tratou, também, de defender o recurso da tecnologia para ajudar a arbitragem quando falou da eliminação da Irlanda pela França por causa de um gol clamorosamente irregular.

E olhe que a Fifa nem quer pensar nisso, o que não impediu que o técnico da Seleção Brasileira se manifestasse com independência, talvez para que possa dormir a soneca dos justos.

Sem desprezar a força tradicional de uma Itália ou Alemanha, Dunga realçou o progresso de Espanha e Inglaterra, além de apostar que alguma seleção africana se dará bem na Copa de 2010.

Parabéns, Dunga.

Pelo equilíbrio na entrevista e pela sensatez das opiniões.

E caso você espirre, desde já, saúde!

Comentário para o Jornal da CBN desta quarta-feira, 25 de novembro de 2009. 

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/juca-kfouri/JUCA-KFOURI.htm

Por Juca Kfouri às 00h09

24/11/2009

Desculpas aceitas. Mas que não se repita

Prezado Juca, 

Vimos pedir publicamente desculpas pela menção do "Blog do Juca" na campanha do nosso cliente Esso.

Nosso erro, que assumimos integralmente, foi o de não termos sua autorização prévia.

Todos conhecemos sua trajetória de isenção e independência editorial absoluta, reagindo a qualquer tipo de merchandising ou propaganda que possa indevidamente interferir no seu trabalho.

Nossa equipe se concentrou na viabilização e na negociação comercial desta campanha apenas com a equipe do UOL. Por isso nos retratamos e isentamos nosso cliente de qualquer culpa.

Atenciosamente,

Luiz Lara

Igor Puga

Domenico Massareto

Jaques Lewkowicz

ID/TBWA  

Por Juca Kfouri às 22h09

Baixarias alvinegras

Enquanto a direção do Santos impede a entrada dos oposicionistas na TV Educativa da cidade que, no entanto, pertence à familia do presidente santista, fruto provavelmente do desespero que as pesquisas andam causando, coisa ainda pior acontece no outro alvinegro, o da capital.

Eis que foi expulso do conselho do Corinthians o conselheiro Alfredo José Trindade.

Expulso por faltar sem justificativa às reuniões do conselho, embora, gravemente doente e com as justificativas apresentadas por seu amigo, e também membro do conselho, Luiz Scarpelli, um dos comandantes alvinegros no período da Democracia Corinthiana.

Trindade era filho do histórico presidente corintiano Alfredo Ignacio Trindade, que dirigia o clube na conquista do campeonato do IV Centenário de São Paulo, em 1954.

Era porque Trindade morreu 40 dias depois de ter enviado sua defesa à direção do Corinthians.

Que, como sempre, calou.

Leia, abaixo, alguns trechos e perceba o tamanho da monstruosidade cometida:

1 – Em 07 de novembro do ano findo, com surpresa e inegável decepção, recebi, pelo correio, mensagem da Secretaria do CD, através da qual, fria e secamente, fui informado de minha destituição do cargo de conselheiro quadrienal, por força do Ato de nº 06/2008 expedido pela presidência do referido CD. O fundamento para tal ato, como se lê de seu inteiro teor, teria sido o parágrafo 1º do artigo 83 que assim se expressa:

" O conselheiro eleito perderá seu cargo, automaticamente, caso falte a 3 (três) reuniões consecutivas ou 5 (cinco) alternadas, sem justificativa, no período de seu mandato ou por falta de pagamento quando associado contribuinte ou patrimonial, deixar de cumprir suas obrigações junto à Tesouraria do Clube, por 3 (três) meses..."

 

Consta mais da referida missiva a solicitação de devolução da carteira de identificação de conselheiro, o que chega a representar injusta e descortês presunção de mau uso do referido documento, o que não se coaduna com a honorabilidade e respeitabilidade que merece ser emprestada a membros de órgão de extrema relevância à administração de nosso clube.

 

2- Ênfase especial merece o fato de que todas as minhas ausências em assembléias levadas a efeito no ano anterior foram justificadas, perante a mesa, pelo conselheiro vitalício, Luiz Sérgio Scarpelli Esteban, fato que poderá ser por ele próprio confirmado pelos fones 30588XX e 99365XXX. Tratando-se de amigo de longa data, por isso mesmo, tinha ele pleno conhecimento de problemas de saúde que vinha enfrentando quem esta subscreve, o que se comprova, neste ato, pelas cópias de laudos médicos anexos ( docs. 1 a 4 ).. Tais laudos são suficientes para atestar a presença de hidronefrose no rim esquerdo, com conseqüente paralização do mesmo, diagnóstico que se torna mais grave ante o fato de tratar-se de paciente já revascularizado, o que se poderá interpretar pela Cintilografia de Perfusão Miocárdica.

 

3- Além das justifcativas apresentadas pessoalmente pelo conselheiro, Luiz Sérgio Scarpelli Esteban, coube também a mim, em meados de novembro último, informar a respeito de meu estado de saúde através de mensagem encaminhado à Ouvidoria, através do site oficial do SCCP, sem qualquer resposta até a presente data.

          4- Ante tais fatos, penso que ganha maior expressão a circunstância inequívoco de que a destituição de conselheiros promovida pelo Ato nº  6/2008     verificou-se sem a menor preocupação em promover o sagrado direito de defesa. 

7- Por fim, peço vênia para considerar que meu relacionamento com nosso querido Corinthians é, metaforicamente, de natureza umbilical. Sou filho de ALFREDO IGNÁCIO TRINDADE que presidiu esse clube em tempos memoráveis e gloriosos, Pertencem à sua gestão vários títulos que, até hoje, constituem motivo de orgulho e ufanismo de toda família corintiana: Taça dos Invictos ( uma definitiva e outra transitória ), Campeão Paulista em 1951, 52, 54 ( ano do IV Centenário de São Paulo), Campeão de vários torneios Rio/São Paulo, entre outros. No campo patrimonial, merecem especial destaque o maravilhoso conjunto olímpico de piscinas e as obras de fundação do atual ginásio de esportes. É, pois, de se concluir que o Corinthians faz parte de meu próprio DNA, mesmo porque meu saudoso pai matriculou-me como sócio no mesmo dia em que nasci, o que já perfaz 67 anos. O alvinegro faz parte integrante da história de minha vida, razão porque a penalidade contra a qual me insurjo nesta defesa assume, particularmente, drástica e desmedida dimensão. 

 

Por Juca Kfouri às 16h12

O Fluminense agora desafia o impossível

O time do Fluminense foi para Quito disputar, nesta quarta-feira, a primeira partida das finais da Copa Sul-Americana.

Lá, a 2850 metros de altitude, tentará um resultado razoável diante da LDU, que acaba de despachar o River Plate uruguaio com um retumbante 7 a 0, depois de ter perdido por 2 a 1 o primeiro jogo, em Montevidéu.

O segundo jogo contra a LDU será na quarta-feira, dia 2 de dezembro, no Maracanã.

Antes, no domingo, também no Maracanã, o Fluminense receberá o Vitória para buscar mais uma vitória na trajetória que garanta o Tricolor na Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro.

E, depois do segundo jogo pela Sul-Americana, o Flu terá Coritiba pela frente, em Curitiba, num jogo que pode selar a queda de um ou de outro.

Esfalfado, não há nenhuma chance de o Flu se dar bem no Equador, razão pela qual o time titular deveria ter ficado no Rio e dado por findo o esforço na sub-taça continental.

É de se temer que a derrota, quase inevitável, quebre o encanto desse Flu que vem de 13 jogos sem perder, com cinco vitórias seguidas.

Este jogo eu não vou assistir, porque será tão insuportável, tão desumano como ver a mulher amada ser torturada.

Comentário para o Jornal da CBN desta terça-feira, dia 24 de novembro de2009.

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/juca-kfouri/JUCA-KFOURI.htm

Por Juca Kfouri às 02h24

23/11/2009

Tabelinha desta segunda-feira

Por Juca Kfouri às 22h44

Gandulagem bandida

Vamos combinar que pior até mesmo do que uma invasão de gramado prontamente neutralizada pela segurança é a ação de gandulas que demoram para devolver a bola do jogo como se viu ontem no Engenhão.

Razão pela qual a barbaridade, obviamente sob ordens superiores, merece ainda mais a interdição do estádio do mandante, responsável pelos gandulas.

O argentino Gandula, jogador que o Vasco contratou e que ajudava os companheiros pegando as bolas que saiam durante os treinamentos, deve se revirar no túmulo com coisas como as que ainda acontecem em nossos gramados.

Por Juca Kfouri às 10h23

22/11/2009

Já pensou? - 2

Se o São Paulo perder do Goiás, no Serra Dourada;

o Flamengo empatar com o Corinthians, no Brinco de Ouro;

o Inter ganhar do Sport, na Ilha do Retiro;

e o Palmeiras ganhar do Galo, no Palestra Itália...

... todos chegarão à última rodada com 62 pontos.

Pontos corridos...

Que chatice!

Por Juca Kfouri às 23h24

O São Paulo agradece a incompetência dos rivais

Primeiro foi o Palmeiras, que estava lá na frente e deixou o São Paulo passar.

E agora foi o Flamengo, que tinha tudo para passar o São Paulo e deixou a oportunidade escapar.

O São Paulo está a duas rodadas do tetra/heptacampeonato brasileiro e pode mesmo ser campeão já no domingo que vem.

Na antepenúltima rodada do Brasileirão os dois mineiros ficaram mais distantes da Libertadores.

O São Paulo continuou líder, o Flamengo continuou vice-líder e o Palmeiras caiu para o quarto lugar, deixando o terceiro para o Inter.

Já no rebaixamento, ficamos assim: dois times cariocas, Botafogo e Fluminense, e dois paranaenses, Atlético e Coritiba, lutam para fugir da última vaga na segundona.

Foram 31 gols na 36a. rodada e média de público de 22.500 pagantes por jogo.

A torcida do Flamengo deu o maior show, com mais de 78 mil pagantes e um mosaico rubro-negro fabuloso no Maracanã.

O pior público foi o de Santo André, com pouco mais de 3 mil torcedores, mais ou menos como na Vila Belmiro, com pouco menos de 4 mil pagantes.

Comentário para o Jornal da CBN desta segunda-feira, dia 23 de novembro de 2009.

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/juca-kfouri/JUCA-KFOURI.htm

Por Juca Kfouri às 22h30

Noite tricolor, para variar. Do São Paulo. (E do Inter)

No Maracanã com mais de 78 mil pagantes e mais de 83 mil presentes, um lindo mosaico anunciou: "A maior torcida do mundo faz a diferença".

Pois deveria mesmo ter feito.

Mas não fez.

O Flamengo parece que ficou paralisado diante de toda aquela festa e permitiu ao Goiás duas grandes chances de gol no primeiro tempo, ambas neutralizadas por Bruno.

Sim, Petkovic batendo falta e Adriano, na pequena área, também tiveram boas chances.

O segundo tempo teve mais Flamengo, com Harlei precisando trabalhar bastante e tomando muitos sustos, mas, de fato, a melhor possibilidade de gol foi desperdiçada por Vitor, logo no começo do segundo tempo.

O Flamengo acabou se desesperando e partiu para aquele tipo de pressão que raramente resulta em gol, embora dê a sensação permanente de que ele vá acontecer, como expõe aos contra-ataques. Num desses, Felipe quase fez o gol.

Até Bruno foi para a área tentar cabecear.

O 0 a 0 foi simplesmente imperdoável e tudo que o São Paulo queria.

Não foi a mesma frustração daqueles 3 a 0 para o América do México, mas...

Como foi imperdoável, para o Galo, o 1 a 0 do Inter, no Mineirão, gol de Giuliano no começo do jogo, em linda jogada de Alecsandro.

O Galo de Celso Roth e Diego Tardelli falhou mais uma vez na hora de decidir, mesmo diante de um Colorado que vinha falhando exatamente neste quesito em 2009.

Colorado que, diga-se, foi melhor e muito mais agudo, razão pela qual está de novo no G4, coisa cada vez mais distante da dupla mineira.

Em tempo: no Barradão, o Vitória ganhou do Grêmio Barueri e livrou-se de qualquer risco: 2 a 1.

Por Juca Kfouri às 21h18

Tarde tricolor, para variar. Do Flu!

Enquanto o Santos afastava seus fantasmas fazendo 2 a 0 logo de cara no Coritiba, na Vila Belmiro, gols de Madson e Kléber Pereira, e o Santo André, com gol de pênalti cobrado por Marcelinho, saía na frente do Avaí, no ABC, o Engenhão e a Ilha do Retiro viviam seus dramas.

O drama do Botafogo ameaçado parecia bem resolvido.

Como um torniquete, apertou o São Paulo o quanto pôde e fez um golaço com Jobson, de fora da área, no ângulo de Rogério Ceni, aos 14.

O até então apático tricolor tratou de ir à luta.

Mas só foi perigoso mesmo depois do 40o. minuto, quando Marlon obrigou Jefferson a fazer boa defesa, quando Miranda mandou uma bola na trave e quando Washington, de cabeça, aproveitou um cruzamento de Júnior César para empatar: 1 a 1.

Minuto antes, Jobson perdeu gol feito cara a cara com Rogério.

Mas o gol de Washington foi daqueles que parecem premonitórios, feito no momento mais certo possível.

E foi o mesmo Washington quem, aos 10 do segundo tempo, fez o pivô para Jorge Vagner fuzilar e definir a virada: 2 a 1.

Mas durou pouco.

Porque Jobson foi à linha de fundo, a defesa do São Paulo vacilou, bate rebate pra cá e pra lá e Renato empatou de cabeça: 2 a 2.

Aos 25, Richarlyson, pega Victor Simões e é corretamente expulso.

O Botafogo cresce e tenta a vitória a qualquer custo.

Tanto que toma uma bola no travessão dessas de gelar a espinha, de Hernanes.

Em seguida, em contra-ataque, Marlos tenta o gol quando Washington estava livre para marcar.

Aos 38 foi a vez de Juninho ser expulso: 10 contra 10.

Aos 43, quando tudo indicava o empate, Jobson deu um come brilhante em Miranda e faz novo golaço e acaba expulso, pela comemoração, dessas burrices da recomendações da Fifa: 3 a 2 e 9 contra 10.

Rodrigo Dantas também foi expulso e o Glorioso ficou com oito!

Assim mesmo, estava ótimo para o Botafogo e para o...Flamengo.

E o Fluminense sofria com o Sport.

Sofria a ausência de Maicon e via Conca ser ele e mais uns dois, na busca do gol.

Gol que quase surgiu também no fim do primeiro tempo, mas ficou no quase.

No segundo tempo o Fluminense começou a todo vapor, nem parecia o time que joga duas vezes por semana.

E o Sport, aos 17, ficou com 10 jogadores, com a expulsão de Moacir.

Aí, aos 21, Maurício cruzou pela esquerda, Zé Antônio subiu e cabeceou contra o seu gol: Flu 1 a 0.

Aos 28, em contra-ataque urdido por Conca e Fred, o artilheiro fez mais um: 2 a 0.

E o próprio Conca, aos 41, em outra tabela com Fred, fez 3 a 0.

Mesmo ainda na ZR, o Flu, agora, depende só de si, porque Botafogo e Atlético Paranaense se enfrentarão.

Uma epopéia, um milagre, um assombro.

Uma M A R A V I L H A!!!!

Na Vila, Neymar fez 3 a 0, em passe de Madson, o nome do jogo.

E o mesmo Neymar fez 4 a 0, por cobertura.

E no ABC acabou 4 a 2 para o Ramalhão.

Como se vê, ninguém quer cair

Por Juca Kfouri às 19h03

Pró-memória

Da "Folha de S.Paulo", de 18 de novembro de 2002

FUTEBOL



Primeiro tento de Dill em mais de um ano no São Paulo selou a queda

Nem o atacante Dill esperava que o seu primeiro gol pelo São Paulo entrasse para a história.

Depois de chegar ao clube em outubro do ano passado, ele quebrou o jejum ontem, com o gol que mandou de vez o Botafogo para a segunda divisão do Brasileiro.

Dill, que só jogou porque o técnico Oswaldo de Oliveira decidiu usar apenas reservas, fez aos 10min do segundo tempo o tento da vitória de seu time por 1 a 0 e aumentou a agonia do adversário, que precisava vencer e esperar por uma combinação de resultados para conseguir se salvar.

Além do vexame do rebaixamento, o Botafogo, um dos mais tradicionais clubes do país, campeão brasileiro em 1995, terminou a competição com o pior ataque e na última posição.

A despedida melancólica da equipe do Nacional foi acompanhada de perto pelo presidente eleito Bebeto de Freitas, que saiu da tribuna antes do final do jogo, quando seu time já perdia.

Contratado para salvar a equipe, o técnico Carlos Alberto Torres tentou evitar dar explicações.

"Não tenho o que falar agora. Qualquer coisa que eu disser vai parecer desculpa", afirmou.

Por Juca Kfouri às 11h29

Carta do Timbu aos corintianos

Por ROBERTO VIEIRA 

 

 

Como posso agradecer ao Timão?

 

Não encontro palavras.

 

Confesso que ultrapassei os limites da lei seca.

 

Mas lei seca não foi feita pra Timbu.

 

Voltando ao assunto.

 

Que desejo ser breve e seu tempo é curto.

 

- Embora pernambucano conciso seja factóide.

 

É nosso dever sublinhar um fato notável.

 

Dos últimos doze pontos disputados contra o Corinthians em Brasileiros.

 

O Náutico ganhou todos.

 

Não fosse o Corinthians, a gente já estaria de volta ao purgatório.

 

Desde 2007. 

 

O fato inexplicável parece coisa do Pai Edu.

 

Pois não me consta que tenhamos algum Pelé no time.

 

Pelé que justificava qualquer tabu.

 

Digo mais:

 

Desde 1992, a gente não perde do Corinthians.

 

Obrigado, Juca!

 

Obrigado a todos os corintianos.

 

Obrigado ao Escudero.

 

Obrigado por existirem.

 

Se alvirrubro tivesse um segundo time.

 

Esse segundo time seria o Timão.

 

O Bala e o Zé Paulo aproveitam pra também mandar lembrança.

 

Ao Unzelte e ao Paulinho.

 

A todo o pessoal, adeus!

 

 

Timbu

 

 

PS: Hoje, na Ilha do Retiro, o Timbu é rubro-negro desde criancinha... 

Por Juca Kfouri às 09h45

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico