Blog do Juca Kfouri

Tabelinha com Juca

Segundas-feiras, às 15h

26/02/2010

Noite infeliz

Por Juca Kfouri às 19h18

Lembrete

A nova plataforma está trazendo ainda mais gente nova para o blog, o que é muito legal.

Enlouquecerei de vez, ao que parece…

Mas quero lembrar que não são aceitos comentários com letras MAIÚSCULAS, assim como ofensivos.

Gracias!

Em tempo: em breve, toda a terminologia que está aparecendo em inglês aparecerá como deve ser, em português.

Por Juca Kfouri às 15h43

Humor

Três empreiteiros foram chamado para uma licitação da Olimpíada Rio 2016: um japonês, um americano e um brasileiro.
- Faço por US$ 3 milhões - disse o japonês.
- Um pela mão-de-obra, um pelo material e um para meu lucro.
- Faço por US$ 6 milhões - propôs o americano.
- Dois pela mão-de-obra, dois pelo material e dois para mim, mas garanto serviço de primeira!
- Faço por US$ 9 milhões - disse o brasileiro.
- Nove milhões ?,espantou-se o licitador. Por quê?
- Três para mim, três para você e três pro japonês fazer a obra.
- Negocio fechado!

Por Juca Kfouri às 09h45

A vitória tudo muda

Até antes da vitória do Palmeiras sobre o São Paulo, nossa enquete, então com 4323 opiniões, mostrava que 69% achavam um erro a troca de Muricy Ramalho por Antônio Carlos Zago e apenas 31% concordavam.

Veio o clássico e o jogo contra o Flamengo do Piauí.

O número de opiniões dobrou, para 8646 e as porcentagens tiveram expressiva alteração, fechando em 58% contra Zago, 42% a favor.

Por Juca Kfouri às 09h44

Favoritos, mas nem tanto

É mais ou menos consenso no Brasil que qualquer um dos nossos cinco representantes na Libertadores pode ser o campeão do torneio.

Aparentemente, é isso mesmo.

Mas, atenção: nas duas vezes em que tivemos times do país jogando fora de casa, o Cruzeiro, na Argentina, e o São Paulo, na Colômbia, os resultados foram ruins, com duas derrotas.

É até possível ganhar a taça sem ganhar na casa do adversário, mas que não pega bem, não pega.

E, aliás, para quem goza os corintianos ao dizer que o clube não pode ser campeão mundial da Fifa sem ganhar a Libertadores, outro aviso: o Corinthians pode ser bicampeão mundial da Fifa sem ganhar a Libertadores.

Basta, por exemplo, ir para a final da Libertadores contra um time do México e perder a disputa.

Porque assim mesmo o Corinthians será o representante da América do Sul no Mundial de Clubes.

Comentário para o Jornal da CBN desta sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010.

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/juca-kfouri/JUCA-KFOURI.htm

Por Juca Kfouri às 09h43

Zago agradece a Muricy

O melhor presente que Antônio Carlos Zago poderia receber de Muricy Ramalho o ex-técnico do Palmeiras deu ao novo treinador: um jogo, em casa, contra o Flamengo do Piauí, que os paulistas não eliminaram no jogo de ida, em Teresina.

Porque depois de ganhar do São Paulo, o Palmeiras goleou o FlaPI, 4 a 0, com direito a um golaço de Edinho, o quarto, de voleio, depois de boa jogada  do estreante Ivo, pela esquerda, que caiu nas graças dos quase 7 mil palmeirenses que prestigiaram a equipe apesar da chuva.

No primeiro tempo, sem forçar, com mais dois gols de Robert, e um de Léo, o Palmeiras fez 3 a 0.

Que pegará, na segunda fase da Copa do Brasil, o Paysandu, do Pará, num abençoado, para os palmeirenses,  clássico PaPal, primeiro jogo em Belém, onde, segundo o velho centrovante colorado Claudiomiro, nasceu Jesus…

Por Juca Kfouri às 00h28

A segunda derrota brasileira na Libertadores

O São Paulo não só equilibrou o primeiro tempo com o Once Caldas, depois de primeiros aflitivos cinco minutos, como ainda saiu na frente, graças à cobrança de falta de Rogério Ceni que desviou na barreira colombiana.

O Once Caldas, de má memória para os tricolores, via cair uma invencibilidade de 17 jogos em casa pela Libertadores, 12 vitórias, cinco empates, jamais derrotado em Manizales.

Mas no começo do segundo tempo, Marcelinho Paraíba cometeu desses erros imperdoáveis, ao recuar mal uma bola nos pés de um rival que cruzou na cabeça de Uribe, que empatou, ao ganhar de Xandão pelo alto.

Aí, a pressão começou.

No minuto seguinte, bola no travessão brasileiro.

E Rogério Ceni teve de se virar, até os 26 minutos, depois que Washington perdeu gol feit,  quando Moreno fez um golaço, para botar 2 a 1 no placar, em bola roubada de Jorge Wagner, com direito a dribles em Jean e Miranda e um fulminante arremate cruzado.

Repetia-se a derrota de seis anos atrás, como Rogério Ceni e Cicinho, muito mal, por sinal, tinham sido testemunha.

Rodrigo Souto entrou no lugar de Marcelinho Paraíba , mas o São Paulo já não parecia ter forças para reagir, embora tenha se aproveitado do recuo do rival para ficar mais com a bola.

Na noite em que Rogério Ceni se transformou no maior artilheiro do São Paulo na Libertadores, o time perdeu pela primeira vez em jogo com gol dele.

Depois da derrota do Cruzeiro para o Vélez Sarsfield, também fora de casa o São Paulo caiu.

Definitivamente, o Once Caldas dá indigestão ao São Paulo.

Por Juca Kfouri às 00h27

Sem comentários

O blog está mudando de sistema, migrando de um mais antigo para outro, mais moderno.

Só que, nessas, a besta do blogueiro apagou uma porção de comentários já aprovados e publicados.

Pelo que, se desculpa.

Mas não se desculpa por se recusar a comentar Vasco e Souza, 0 a 0, em São Januário.

Um horror!

Por Juca Kfouri às 00h26

25/02/2010

Pós-graduação em jornalismo esportivo

Por FÁBIO SEIXAS

Olha eu aqui, invadindo o espaço do Juca, pra contar uma novidade: vou coordenar uma pós-graduação em Jornalismo Esportivo na FAAP, aqui em São Paulo, a partir da segunda quinzena de março.

A ideia é fazer um curso bem pragmático, com toda a teoria necessária, claro, mas com aquele espírito "pés no chão": muito trabalho em campo e muito contato com o mundo real. Porque, afinal, é isso que o mercado exige.

Essa busca está refletida na escalação dos professores.

Gente como Flavio Gomes, Alec Duarte, Sergio Rizzo, Rodolfo Martino, Edson Rossi, Murilo Garavello, Marco Aurelio Klein... Eu também darei minhas aulinhas.

Entre os palestrantes já confirmados, o próprio Juca, o PVC e o Reginaldo Leme.

Mais informações: (11) 3662-7449 ou pos.atendimento@faap.br e pos.preinscricao@faap.br. O programa completo do curso está em www.faap.br/pos

As matrículas estão abertas.

Obrigado, Juca. E quando quiser, invada meu espaço também, caro vizinho.

A casa é sua.

Por Juca Kfouri às 19h46

A camisa da Seleção na estreia da Copa

Daqui a pouco, em Londres, será apresentada pela Nike a nova camisa amarela da Seleção Brasileira, a que será usada na estreia da Copa da África do Sul.
 
A camisa é, digamos assim, "ecologicamente correta".
 
A camisa é feita com poliéster reciclado proveniente de garrafas plásticas.
 
Cada camisa foi produzida a partir de oito garrafas PET retiradas do meio-ambiente.

Por Juca Kfouri às 15h31

O preço da Libertadores

Em números arredondados, veja como foram as presenças de público e as rendas nas estréias dos times brasileiros na Libertadores em seus estádios:

No Morumbi, 35 mil pagantes, com renda de 1 milhão de reais, ingresso médio a R$ 28;

No Beira-Rio, 39 mil pagantes, com renda de 820 mil reais, ingresso médio a R$ 21;

No Mineirão, 33 mil pagantes, com renda de 800 mil reais, ingresso médio a R$ 24;

No Pacaembu, 31 mil pagantes, com renda de 2 milhões e 180 mil reais, ingresso médio a R$ 70;

No Maracanã, 24 mil pagantes, com renda de 700 mil reais, ingresso médio a R$ 29.

De fato, parece mesmo que ninguém dá tanto valor à Libertadores como os corintianos...

Por Juca Kfouri às 01h25

Explique-me, se for capaz

O que é mais difícil explicar, principalmente para quem nada viu:

O magro 1 a 0 do Santos de Robinho e companhia no Naviraiense, do Mato Grosso do Sul?

O péssimo 1 a 1 do Fluminense contra o sergipano Confiança, com direito a perda de pênalti com Fred?

Ou os cinco, repita-se, cinco gols de Obina na goleada do Galo sobre o acreano Juventus, por 7 a 0?

Por Juca Kfouri às 00h02

Felizes Paca e Maraca!

A exemplo do Cruzeiro, o Corinthians foi para o intervalo, no Pacaembu, com um inesperado empate em 1 a 1 diante do Racing uruguaio.

Racing que fez 1 a 0 no primeiro minuto de jogo, lembrando a estréia do Corinthians na Série B, também cercada de grande expectativa, contra o CRB, quando o time alagoano saiu na frente logo de cara.

Mas, diferentemente do jogo do Mineirão, a verdade é que o time visitante jogou melhor no primeiro tempo que o time brasileiro, sem uma jogada, sem capacidade de jogar pelos flancos, incapaz de ir sequer uma vez à linha de fundo.

Menos mal que Ronaldo tocou para Tcheco que, em lindo passe, de letra, deixou Elias na cara do gol para empatar, aos 10.

Do empate até o fim do primeiro tempo, quando Ronaldo deu um bom chute ao gol, o que houve de mais importante foi um impedimento mal marcado quando um uruguaio sairia na cara de Felipe.

O Corinthians voltou com Souza no lugar de Defederico e o Racing voltou igual.

E o Corinthians voltou melhor ao fazer prevalecer sua superioridade técnica e, sobretudo, de preparo físico.

Mesmo assim, sem jogar bem.

Aos 11 os uruguaios ficaram com 10 jogadores.

E, aos 25, repeteco do primeiro gol corintiano: Ronaldo deu para Souza, este enfiou para Elias virar o placar: 2 a 1.

Em seguida, Ronaldo levantou o estádio, ao dar duas canetas seguidas em dois adversários até ser derrubado, para alegria da Rainha do basquete, Hortência, e da do futebol feminino, Marta, além da primeira-dama do país, Marisa, todas presentes ao estádio.

No fim, quase Ronaldo faz um golaço, mas o goleiro uruguaio evitou com o pé, ao pé da trave.

No foi a estréia dos sonhos, mas também não foi o pesadelo que até pintou.

Enquanto isso, no Maracanã, o Flamengo, com gol de Léo Moura, aos 10, de falta, vencia o Universidad Católica, depois de levar também seu susto, pois William foi expulso nem bem o jogo tinha começado.

Ainda bem que, no fim dos 45 minutos iniciais, também o time chileno ficou reduzido a 10 jogadores.

Aí, aos 13 do segundo tempo, o Imperador Adriano deu o ar de sua graça e ampliou: 2 a 0.

Fatura liquidada, estreia tranquila do hexacampeão brasileiro, que ainda perdeu um pênalti, batido por Vagner Love.

Observação: não vi o jogo do Flamengo, porque não achei quem o transmitisse.

Bobeada minha, porque passou para São Paulo em canal especial, normalmente usado no PPV.

Por Juca Kfouri às 23h39

24/02/2010

Cruzeiro goleia

O Cruzeiro começou o jogo dando a sensação de que golearia o Colo-Colo, no Mineirão.

Como acabou por golear.

Mas depois de só empatar 1 a 1 no primeiro tempo, com gol de Thiago Ribeiro logo no começo e o surpreendente empate chileno, numa falha imperdoável de Jonathan.

Empate que aconteceu depois que o time brasileiro desperdiçou pelo menos três chances claras de gol e não teve um pênalti escandaloso em Roger apitado pelo árbitro.

Menos mal que no segundo tempo o árbitro acabou por dar dois pênaltis, o primeiro deles meio mandrake, ambos convertidos por Kléber, os do segundo e quarto gols.

Pedro Ken havia marcado o terceiro e os chilenos acabaram com nove jogadores.

O Cruzeiro não jogou tudo que pode, mas, se mesmo assim, marcou quatro tentos, imagine quando jogar.

Por Juca Kfouri às 21h23

Quem tem coragem?

Os vereadores paulistanos aprovaram, em primeira votação, uma lei que proibe a realização de jogos de futebol após às 23h15.

A segunda votação deve acontecer daqui a duas semanas.

Se de novo houve aprovação, o texto era para sanção do prefeito Gilberto Kassab, que, assim, poderá acabar com as partidas às 21h50 da Rede Globo.

Quanto você quer apostar que o prefeito não sancionará?

Por Juca Kfouri às 18h00

Fechado!

O Corinthians acaba de fechar, com o banco Pan-Americano, a BARRA da camisa neste ano por R$ 7 milhões.

Por Juca Kfouri às 10h43

No fim, fim da escrita no Beira-Rio

No Beira-Rio abarrotado, com mais de 39 mil torcedores, mesmo com a chuva torrencial que caiu sobre Porto Alegre pouco mais de uma hora antes de o jogo começar, o Inter fez um mau primeiro tempo contra o Emelec, do Equador.

O time brasileiro não soube fugir das faltas sistemáticas do adversário e pouco criou.

Para piorar, nem bem o segundo tempo começou e o estádio gelou: gol dos visitantes.

Foi o bastante para o torcedor colorado começar a manifestar sua irritação.

Para sorte de todos, porém, aos 7, Nei, que no fim do primeiro tempo tinha dado um dos piores chutes da história do Beira-Rio, acertou um dos melhores já vistos no Rio Grande do Sul e empatou o jogo.

Voltava a chover canivetes às margens do Guaíba.

O gramado resistia bravamente.

Mas o Inter continuava a errar demais, passes simples acabavam em pés rivais.

Aos, 18, enfim, Jorge Fossati resolveu mexer no time que estava empatando e pôs Taison no lugar de Nei, com dor no tornozelo direito.

E tome cera equatoriana.

Guiñazu, para variar, era um leão, leão marinho, mas leão.

Mas o estreante goleiro Pato Abbondanzieri parecia estranhar tanta água em dois lances seguidos, ao sair mal da área numa dividida e, depois, ao sair mal com as mãos em reposição de bola.

E tome cera equatoriana.

É a vez de Walter, um jovem atacante, entrar no lugar de Edu, aos 32.

E de Andrezinho substituir Giuliano, em noite tremendamente infeliz, já aos 36.

Pela nona vez, em nove participações, o Inter não vencia numa estreia em Libertadores.

Mas, aos 42, em bela jogada de Sandro pela direita, Andrezinho recebeu e deu com creme de leite para Walter que deu com açúcar para Alecsandro marcar, em belo gol, fruto de belíssima trama, num desafogo formidável, para quebrar a incômoda escrita.

Ufa!

Que a soberba nacional se dê conta que estar obrigado a ganhar não é sinônimo de vitória sem jogar.

Por Juca Kfouri às 23h51

23/02/2010

Que pena!

A Record está passando a decisão da Dança no Gelo, em Vancouver, pela Olímpiada de Inverno-2010.

Passa como se estivesse acontecendo agora, embora sem o selo de "Ao Vivo".

A decisão foi ontem, a medalha de ouro ficou com a dupla do Canadá, a de prata com os EUA e a de bronze com a Rússia.

Sem dúvida, para a audiência, principalmente neste horário, o tape do que houve ontem na Dança do Gelo é melhor do que as provas de esqui que acontecem neste momento, mostradas pela Sportv.

Mas, ao menos, o telespectador da Record deveria ser avisado que se trata de um tape.

O bispo faz escola...

Por Juca Kfouri às 17h03

Três noites de Libertadores

O Inter começa hoje sua caminhada em busca do bi na Libertadores.

O adversário é o equatoriano Emelec, que deve sucumbir no Beira-Rio (21h50).

Amanhã quem deve sucumbir, mas no Pacaembu (21h50), é o uruguaio Racing, que será recebido pelo descansado Corinthians.

Do mesmo modo, o chileno Universidad Católica não poderá ser mais do que um rival aplicado contra o Flamengo, no Maracanã (21h50).

Mais complicada, amanhã, é a vida do favorito Cruzeiro que, no Mineirão (19h30) recebe o tradicional Colo-Colo, do Chile, em plena ascensão.

E muito mais complicada será a tarefa do São Paulo, na quinta-feira, em Manizales (21h10), diante do colombiano Once Caldas.

A altitude, 2.150 metros, não chega a assustar, mas não só o rival traz más recordações aos são-paulinos como é claro que o grupo tricolor está traumatizado pelos últimos acontecimentos.

Um empate não será mau resultado, ao contrário dos outros quatro brasileiros, todos com obrigação de vencer.

Por Juca Kfouri às 13h28

Aluno em terra de 'professô'

Por Juca Kfouri às 10h39

São Paulo não dá conta de conter a violência das torcidas de futebol

Os números já são conhecidos: um morto e 20 feridos.

Este é o saldo da guerra entre as gangues que vestiam as cores de Palmeiras e São Paulo no domingo que passou.

Nada a lamentar em relação a quem morreu e a quem se feriu porque, desta vez, ao menos, nenhum inocente foi atingido.

Mas, mais uma vez, ficaram demonstradas a ausência e a incompetência do Estado para por fim a estas batalhas.

Ouvido pela ESPN Brasil, o promotor de Justiça encarregado do tema disse que a "Inglaterra só acabou com a violência quando a Rainha Margareth Tatcher interviu", confundindo a Rainha Elizabeth, que foi quem interveio, com a primeira-ministra, além de pisotear na última flor do Lácio, inculta e bela.

Em bom português, vamos de mal a pior.

Comentário para o Jornal da CBN desta terça-feira, 23 de fevereiro de 2010.

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/juca-kfouri/JUCA-KFOURI.htm

Por Juca Kfouri às 00h28

22/02/2010

Tabelinha desta segunda-feira

Por Juca Kfouri às 21h01

Te cuida, Ricardo Gomes!

Se eu não estiver enganado, e baseado apenas no que li do boletim médico, e em conversas com neurologistas, que não examinaram Ricardo Gomes, o técnico do São Paulo não teve um AVC -- Acidente Vascular Cerebral.

O que ele teve é chamado na literatura médica de AIT -- Acidente Isquêmico Transitório.

Que é um aviso, sem sequelas.

Em regra, o tratamento se limita a tomar uma aspirina por dia para afinar o sangue, praticar exercícios diariamente, beber água, muita água, e manter distância de cigarros e afins.

A demora na alta hospitalar é prudente e dá tempo para se fazer todos os exames possíveis e imagináveis.

Causas?

Estresse é uma delas, herança genética é outra etc.

ATUALIZANDO E CORRIGINDO, às 14h17: De fato, Ricardo Gomes teve um AVC, um pequeno, leve, mas AVC.

Por Juca Kfouri às 12h51

Aos confusos

Não há como comparar o que houve no gramado do Couto Pereira com o que aconteceu ontem, em diversos pontos de São Paulo, entre as gangs vestidas com as camisas do São Paulo e do Palmeiras, resultando em 20 feridos e um morto -- gente que já pagou pelo que fez.

Muitos, no entanto, graças à incompetência das autoridades, estão soltos, quando não poderiam estar, embora sejam velhos conhecidos da polícia.

Tivesse acontecido no Palestra Itália a interdição do estádio seria inevitável, o que deveria servir para a direção do clube parar de dar força aos "organizados" e ir às suas festas.

Mas sabemos que nada acontecerá, como, aliás, era previsível em relação também ao Couto Pereira, já liberado pelo STJD.

Isto é Brasil!

Por Juca Kfouri às 12h40

Uma boa!

 

O BRASIL NAS COPAS

 

Palestra com o jornalista e escritor MAX GEHRINGER inicia uma série de palestras sobre O BRASIL NAS COPAS DO MUNDO DE FUTEBOL

A partir de 27 de fevereiro, o Museu do Futebol em parceria com o Grupo Literatura e Memória do Futebol - MEMOFUT, promoverá uma série de reuniões, aos sábados pela manhã, apresentando a participação do Brasil em Copas do Mundo de Futebol.

 

Programação:

27 de fevereiro - sábado

Palestra: "COPAS DO PRÉ-GUERRA (1930/1934/1938)", com MAX GEHRINGER (Comentarista da Rádio CBN, consultor do Fantástico da TV Globo, articulista da revista Época e do jornal Diário de São Paulo, e pesquisador de futebol).

Horário: 10h às 12h

Local: Auditório Armando Nogueira -Museu do Futebol – Praça Charles Miller – Estádio do Pacaembu

Entrada gratuita.

Para mais informações sobre eventos do Museu do Futebol, acesse:

www.museudofutebol.org.br   

Telefone: (11) 3664-3848 

Por Juca Kfouri às 09h54

O domingo de Botafogo e Ronaldinho

O que aconteceu de mais importante no futebol brasileiro no domingo que passou foi a sexta conquista da Taça Guanabara, pelo Botafogo, de Joel Santana.

Depois de vencer os favoritos Flamengo e Vasco, eis que o Glorioso voltou a soltar o grito de campeão no Maracanã com mais de 80 mil torcedores.

Mas o que aconteceu de mais importante para o futebol brasileiro foi a nova, e quarta consecutiva, boa atuação de Ronaldinho Gaúcho pelo Milan.

Na vitória por 2 a 0 sobre o Bari, Ronaldinho deu o lançamento do primeiro gol e fez todo o lance do segundo, que culminou com um rebote bem pego por Alexandre Pato para marcar.

Ronaldinho participou bastante da partida, sempre com lances lúcidos, como tem acontecido no último mês, às vezes até com jogadas espetaculares.

Resta saber se ele está fazendo o suficiente para amolecer o coração de Dunga.

Fosse o de Joel Santana e não tenha dúvida: Ronaldinho já estaria na África do Sul.

Comentário para o Jornal da CBN desta segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010.

http://cbn.globoradio.globo.com/comentaristas/juca-kfouri/JUCA-KFOURI.htm

Por Juca Kfouri às 00h09

21/02/2010

45 anos depois deu Bota!

Por ROBERTO VIEIRA 

 

Quarenta e cinco anos depois o Botafogo deu o troco.

Em 1965, o Vasco da Gama de Oldair bateu o Bota de Mané.

Com direito a frango de Manga.

Bola na trave de Sicupira.

Gérson arrancando os cabelos.

Roberto sendo expulso de campo.

Com direito a milhares de lenços brancos vascaínos.

Cantando:

"Adeus, Fogão!"

Era a primeira Taça Guanabara.

Um torneio inventado para comemorar os anos de chumbo.

Para comemorar o silêncio das ruas.

Mas o Botafogo entrou com o salto alto.

Pensando que seria campeão com a fama.

Pois o Vasco não ganhava nem cara e coroa nos anos 60.

Em 1965, o Vasco da Gama na raça de Brito e Fontana ganhou de 2 a 0.

Em 2010, o Botafogo na raça e no grito de Joel Santana ganhou de 2 a 0.

Joel Santana que em 1965 sonhava em ser juvenil do Vasco da Gama.

Joel Santana que, iluminadamente,

voltou da terra de Mandela para devolver o grito de campeão ao time de Saldanha.

Time de Armando Nogueira.

Time de Carvalho Leite.

Time de Nilton Santos.

Time de Heleno de Freitas que este ano completaria 90 anos.

Como se vê.

Um time de milhares de estrelas.

Nem tão solitárias assim...

Por Juca Kfouri às 20h09

Botafogo, Botafogo, campeão desde 1910...

UOL

O Vasco teve mais a bola, criou suas chances, mas perigo mesmo foi o Botafogo quem levou no primeiro tempo da decisão da Taça Guanabara, no Maracanã, com 67 mil pagantes e 82 mil presentes.

O segundo tempo corria sem grandes alternativas quando, aos 25, o zagueiro Fábio Ferreira subiu mais que a defesa do Vasco na cobrança de escanteio pela esquerda e...gol!

No minuto seguinte, Nilton perdeu a cabeça, bateu feio em Caio e o Vasco o perdeu por expulsão.

Ficou fácil e, de pênalti sofrido por ele mesmo, Loco Abreu fez 2 a 0, quando o Vasco já tinha 9 em campo, pois Titi, que o segurou, também foi bem expulso.

Joel Santana comemorava, gaiato, sabido, feliz feito pinto no lixo.

Em sua décima-primeira decisão de turno no Rio, sua décima-primeira vitória!

O Fogão é bicampeão da Taça Guanabara, pois não, depois de derrubar os favoritos Flamengo e Vasco.

 

Por Juca Kfouri às 18h51

Robert, à Muricy, para alegria de Zago

Nem bem Xandão foi expulso de campo, no começo do segundo tempo, Cleiton Xavier pôs a bola na cabeça de Robert, que fez o gol que o Palmeiras merecia desde o primeiro tempo.

Um primeiro tempo opaco, diga-se, em Palestra Itália, mas com o alviverde a fim de jogo como há tempos não se via -- e o São Paulo sonolento, como se de ressaca do Carnaval.

A expulsão de Xandão, diga-se, foi um tanto exagerada.

Mas tão essencial que Robert, de novo de cabeça, agora em escanteio cobrado por Marquinho, fez 2 a 0, numa saída esquisita de Rogério Ceni, de costas, como que com medo da bola.

Dois gols de bolas alçadas na área, como Muricy Ramalho gosta e Antonio Carlos Zago adorou, ao vibrar como se ainda fosse jogador.

Com apenas 13 mil torcedores no estádio, porque o torcedor paulistano não vai mesmo aos clássicos com medo dos "organizados", Cleiton Xavier ainda ia fazendo um golaço, não fosse uma ótima defesa de Rogério.

Zago, que teve seu episódio de racismo lembrado, no sábado, em faixas de "organizados" alviverdes, ouviu seu nome em coro nas sociais do Palestra.

Muito menos tenso, é claro, mas bem mais animado apesar do gramado encharcado, foi o jogo entre Mirassol e Santos.

Santos sem seus dois melhores jogadores, Neymar e Ganso, mas com Robinho que, sozinho, não fez verão, mas teve boa atuação até ser substituído, aos 28 do segundo tempo por Maikon Leite.

O Santos abriu o placar com Wesley, em mais um belo gol de fora da área, aos 26, o Mirassol achou o gol de empate 10 minutos depois, no primeiro tempo.

No segundo, com o Santos sempre melhor, Madson, de falta, fez 2 a 1.

A defesa santista, então, passou a ser mais exigida e se virou.

Show, desta vez, não houve, porque naquele gramado era mesmo impossível. 

Por Juca Kfouri às 18h50

Ao vencedor, as bananas?

Por ALMIR MOURA*

TV Alterosa

Embananar-se tem sido uma especialidade do técnico Vanderlei Luxemburgo.

Não por acaso, tem trocado os pés pelas mãos com relativa frequência, ultimamente.
 
A péssima campanha do Galo no Mineiro que o diga.
 
Se ao menos o treinador tivesse sido contratado a preço de banana, até caberia uma explicação.
 
Como não foi o caso, nada justifica um desempenho tão ruim, de apenas uma vitória em cinco jogos, com direito a saldo negativo de gols e perigoso distanciamento do G-4.
 
Para piorar, o arquirival Cruzeiro tem o dobro de pontos do Atlético.
 
Isto sem precisar plantar bananeira, se desdobrar ou fazer lá muito esforço.
 
Pior que isso, só mesmo a distribuição gratuita e completamente desnecessária de bananas à torcida adversária após a derrota no clássico.
 
Um ato hostil e  desagradável.
 
Natural de quem não anda muito com a cabeça no lugar.
 
E não somente ela, pelo jeito.
 
Melhor seria, caro Luxa, e aqui vai uma dica preciosa, se você tivesse lembrado de Quincas Borba e a célebre frase machadiana:
 
"Ao vencedor, as batatas!". 
 
As glórias. Os elogios.
 
Assim, além de ser muito mais digno, humilde e correto, faria com que suas batatas não estivessem assando tanto, como agora. 

*Almir Moura é amigo do blog, baiano de Rodelas, apaixonado por futebol e professor universitário nas "horas vagas".

Por Juca Kfouri às 13h59

Sobre o autor

Formado em Ciências Sociais pela USP. Diretor das revistas Placar (de 1979 a 1995) e da Playboy (1991 a 1994). Comentarista esportivo do SBT (de 1984 a 1987) e da Rede Globo (de 1988 a 1994). Participou do programa Cartão Verde, da Rede Cultura, entre 1995 e 2000 e apresentou o Bola na Rede, na RedeTV, entre 2000 e 2002. Voltou ao Cartão Verde em 2003, onde ficou até 2005. Apresentou o programa de entrevistas na rede CNT, Juca Kfouri ao vivo, entre 1996 e 1999. Atualmente está também na ESPN-Brasil. Colunista de futebol de "O Globo" entre 1989 e 1991 e apresentador, desde 2000, do programa CBN EC, na rede CBN de rádio. Foi colunista da Folha de S.Paulo entre 1995 e 1999, quando foi para o diário Lance!, onde ficou até voltar, em 2005, para a Folha.

Histórico